Publicidade

 

Requeijão na torrada

Requeijão Faz Mal à Saúde?

Delicioso, o requeijão é um ingrediente que vai bem com diversos tipos de pães, biscoitos salgados e torradas, além de ser encontrado em receitas de tortas, salgadinhos e pizzas, por exemplo.

Publicidade

Mas enquanto saboreava o ingrediente em uma de suas refeições, você já parou para pensar em como ele pode afetar o nosso organismo?

Será que o requeijão faz mal à saúde? 

A boa notícia para quem gosta do requeijão é que tanto a versão tradicional quanto a versão light do produto servem como fonte de proteínas e do mineral cálcio.

Por outro lado, também existem argumentos a favor da ideia de que o requeijão faz mal à saúde. O requeijão é um produto de origem animal do qual 60% do seu teor de gorduras podem corresponder às gorduras saturadas, que podem ser prejudiciais ao coração. Mesmo as versões light também são ricas em gordura, em geral.

Quão ruins são as gorduras saturadas?

De acordo com informações da Escola Médica da Universidade de Harvard, as gorduras saturadas ficam no meio da classificação dos tipos de gorduras, entre as boas e as ruins. Segundo a instituição, uma dieta rica em gorduras saturadas pode aumentar os níveis totais de colesterol e subir as taxas do colesterol ruim, também conhecido como LDL.

A Escola Médica também explicou que essa elevação do LDL incita a formação de obstruções (bloqueios) nas artérias do coração e de outras regiões do corpo.

No entanto, a instituição também informou que uma pesquisa que analisou 21 estudos concluiu que não existem evidências suficientes para determinar que as gorduras saturadas aumentam o risco de doença no coração, porém, identificou que substituí-las pelas gorduras poli-insaturadas pode diminuir os riscos de doença no coração.

Publicidade

As gorduras poli-insaturadas são consideradas gorduras saudáveis encontradas em produtos como óleo de milho, óleo de girassol e óleo de cártamo, informou a Escola Médica de Harvard, que também explicou que os dois principais tipos de gorduras poli-insaturadas são o ômega-3 e o ômega-6.

Enquanto o ômega-3 está presente em alimentos como salmão, cavala, sardinhas, linhaça e nozes, o ômega-6 pode ser encontrado em itens como cártamo, nozes e soja, relatou a instituição.

Voltando às gorduras saturadas, a Escola Médica da Universidade de Harvard também informou que dois estudos importantes a respeito delas concluíram que, realmente, trocar as gorduras saturadas pelas poli-insaturadas como óleos vegetais e fontes de carboidratos ricas em fibras é a melhor aposta para diminuir os riscos de doença no coração, porém, substituir as gorduras saturadas por carboidratos altamente processados pode provocar o efeito contrário.

O teor de gorduras saturadas do requeijão

Para ver como isso funciona com um exemplo real, vamos dar uma olhada nos dados nutricionais a respeito do produto.

Por exemplo, uma porção de 30 g do requeijão tradicional da marca Itambé possui um total de 7,6 g de gorduras, das quais 4,6 g são gorduras saturadas. Isso corresponde a pouco mais do que 61% do teor total de gorduras do produto.

Publicidade

Já se estivermos falando do requeijão light (escolhemos o produto da marca Vigor para exemplificar), o total de gorduras a cada porção de 30 g é de 4,2 g e 2,8 g dessas gorduras são saturadas, o que representa pouco menos do que 67% de todas as gorduras do produto, embora o valor total de gorduras saturadas nesse exemplo seja bem menor do que do primeiro exemplo.

Verificamos também os dados do requeijão tradicional cremoso da marca Vigor, que apresenta 8,2 g de gorduras em uma porção de 30 g. Dessas 8,2 g, 5 g são de gorduras saturadas, ou seja, praticamente 61% do teor de gorduras do produto corresponde às gorduras saturadas.

Conforme informou a Escola Médica da Universidade de Harvard, a maioria dos especialistas em nutrição recomenda limitar o consumo diário de gorduras saturadas para menos de 10% do total de calorias consumidas em um dia.

Para uma pessoa que segue uma dieta de 2 mil calorias por dia, isso significa que menos as gorduras saturadas devem corresponder a menos de 200 calorias do consumo diário. Já para quem ingere 2,5 mil calorias por dia, o consumo de gorduras saturadas não deve passar de 250 calorias a cada dia.

Tendo em mente que cada grama de gordura corresponde a 9 calorias, calculamos que a pessoa da dieta de 2 mil calorias deve ingerir menos de cerca de 22,3 g de gorduras saturadas por dia enquanto quem ingere 2,5 mil calorias diariamente deve consumir menos do que aproximadamente 27,8 g de gorduras saturadas a cada dia.

As calorias do requeijão 

Outro ponto que pode ser utilizado para argumentar que o requeijão faz mal à saúde é o seu teor calórico. Entretanto, a veracidade dessa afirmação pode depender da quantidade do ingrediente que cada pessoa utiliza.

Vamos começar dando uma olhada na quantidade de calorias que o requeijão pode apresentar, conforme a tabela a seguir:

Tipo de requeijãoCalorias a cada porção de 30 g
Requeijão tradicional (Itambé)82 calorias
Requeijão light (Vigor)55 calorias
Requeijão cremoso tradicional (Vigor)87 calorias
Requeijão cremoso (Catupiry)79 calorias

Analisando a grosso modo, vemos que os números não são exatamente altos. Entretanto, precisamos levar em consideração o fato de que eles se referem a uma porção de somente 30 g e que algumas pessoas costumam utilizar mais do que apenas as 30 g do ingrediente em suas refeições.

Outro ponto que merece destaque é que ninguém come o requeijão sozinho, não é mesmo? Afinal, o ingrediente costuma ser passado em pães, biscoitos, torradas e até mesmo no pão de queijo.

Assim para não acabar consumindo muitas calorias, vale a pena saber controlar a quantidade de requeijão que se usa, tendo em vista que se o produto for utilizado de maneira exagerada e ao lado de alimentos com alto teor de calorias, pode contribuir com o aumento de peso.

Para quem optar pela versão light do produto por ser menos calórica, vale a pena alertar que a tática não adiantará de nada se a pessoa dobrar a porção do requeijão que é consumida, como alertou a nutricionista Vivian Zollar.

A nutricionista ainda explicou que, conforme a pirâmide alimentar, o consumo de alimentos como o requeijão e o creme de leite deve ser de uma porção de uma colher de sopa por dia.

E engordar não é ruim simplesmente por uma questão estética. De acordo com o que informou o Instituto Nacional de Diabetes e Doenças Renais e Digestivas (NIDDK, sigla em inglês) dos Estados Unidos, estar acima do peso pode aumentar o risco do desenvolvimento de problemas como diabetes do tipo 2, pressão arterial alta, doença no coração, acidente vascular cerebral (AVC), alguns tipos de câncer, apneia do sono, osteoartrite, doença hepática gordurosa e doenças renais.

Segundo o NIDDK, para as mulheres grávidas, o excesso de peso pode trazer problemas como níveis altos de glicose durante a gestação, hipertensão e aumento do risco de ter um parto por cesariana.

É claro que para manter o peso ideal com saúde, além de controlar o consumo de requeijão e seus acompanhantes é necessário que toda a alimentação seja controlada, equilibrada, saudável e nutritiva.

Referencias adicionais:

Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)

Publicidade

Você acredita que o requeijão faz mal à saúde ou não? Tem o costume de consumi-lo no seu dia a dia? De que formas? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...


RECOMENDADOS PARA VOCÊ

Publicidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Um comentário

  1. Afirmação de Harvard:

    “…trocar as gorduras saturadas pelas poli-insaturadas como óleos vegetais e fontes de carboidratos ricas em fibras é a melhor aposta para diminuir os riscos de doença no coração…”

    Conclusão:

    Pessoal joguem seus óleos de coco pela janela. Corram aos supermercados, e comprem no lugar dele os óleos vegetais, pois assim, nosso coraçãozinho vai ficar mais saudável.

    >.<'

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*

×