16 Remédios para Engravidar Mais Usados e Seus Efeitos

A gravidez é um processo que ocorre naturalmente para muitos casais, mas para alguns, pode não ser tão simples assim. Quando a dificuldade surge e é persistente, é comum buscar alternativas para ajudar, e em algum momento remédios para engravidar podem entrar no circuito.

Atualmente muitos medicamentos são comercializados para impulsionar funções corporais e viabilizar a gravidez, mas os remédios caseiros também são recursos válidos, e podem em alguns casos ajudar a solucionar o problema. 

Infertilidade

Infertilidade é um termo aplicado para a incapacidade de reproduzir. Ela pode ser primária ou secundária e ambas trazem algumas particularidades que podem ser semelhantes e distintas.

A infertilidade primária é caracterizada pela dificuldade de conceber, mesmo diante de uma vida sexual ativa e desprotegida por pelo menos um ano. Já a secundária é caracterizada pela dificuldade tanto de engravidar quanto de manter a gravidez, após já ter filhos biológicos.

Muitas condições podem provocar essa dificuldade, mas as mais comuns são estresse excessivo, alimentação inadequada, alterações na tireoide, obesidade, distúrbios alimentares, candidíase, problemas hormonais e outras condições médicas.

A boa notícia é que em alguns casos apenas o tratamento da causa subjacente pode resolver o problema. No entanto, para outros pode ser necessária uma abordagem específica, que pode ser mais natural ou invasiva.

Diagnóstico

Quando o processo natural demora para acontecer, um profissional de saúde costuma ser consultado para analisar os motivos que estão impedindo a gravidez. No consultório, além de perguntas para entender os hábitos de vida do casal, o médico pode solicitar exames para investigar o que está acontecendo. Os testes iniciais costumam avaliar as condições gerais de saúde, além de níveis hormonais.

Se o médico achar necessário, ele pode solicitar exames mais específicos para analisar ovulação, anormalidades na cavidade uterina, espermatozoides, entre outros.

Depois que ambos tiverem uma avaliação e já houver um direcionamento do que precisa ser feito, é hora de começar a considerar as opções de tratamento. Conheça a seguir os remédios para engravidar mais usados e seus efeitos.

Remédios para engravidar

Felizmente, muitos casais conseguem reverter as dificuldades de engravidar usando soluções naturais, ou remédios caseiros, que é o termo mais popular. Isso é possível porque focar em determinados alimentos, evitar outros e aplicar mudanças no estilo de vida pode ajudar a aumentar a fertilidade em até 69%.

No entanto, em alguns casos é necessário realizar tratamentos com medicamentos que podem ser invasivos e que causam alguns efeitos colaterais, que veremos mais abaixo.

Remédios caseiros

1. Antioxidantes

Os antioxidantes são encontrados em vários alimentos e são conhecidos por promover a saúde de várias maneiras. Quando o assunto é fertilidade, não é diferente.

O folato e zinco são dois antioxidantes capazes de combater os radicais livres que danificam óvulos e também espermatozoides. Para analisar os seus efeitos, um estudo propôs que homens de diferentes idades consumissem 75 gramas de nozes diariamente, por um período determinado. Os resultados mostraram que houve uma melhora na qualidade do esperma, e esse fator estava associado ao fato deste alimento ser rico em antioxidantes.

Outro estudo acompanhou casais que se submeteram à fertilização in vitro. Eles foram orientados a tomar um suplemento antioxidante que mostrou ser capaz de aumentar o percentual de concepção em 23%.

2. Ômega-3

O ácido graxo ômega-3 é conhecido por diminuir os processos inflamatórios do corpo, e por isso pode ser um remédio caseiro interessante. Incluir alimentos como salmão e atum na dieta pode oferecer ao corpo boas doses de ômega-3 e ajudar a regular a ovulação, melhorar a qualidade dos óvulos e a longo prazo retardar o processo de envelhecimento dos ovários.

Vale reforçar que as maiores concentrações de ômega-3 estão presentes em peixes selvagens e você deve evitar consumir aqueles ricos em mercúrio.

3. Vitamina E e C

Vitaminas são fundamentais para nutrir o corpo e promover o funcionamento pleno dos órgãos reprodutivos. A vitamina E, por exemplo, é essencial para manter o equilíbrio de muitos hormônios e para o bom funcionamento do sistema endócrino.

Já a vitamina C estimula a ovulação nas mulheres e aumenta a quantidade de espermatozoides nos homens, além de ajudar o organismo a absorver melhor o ferro dos alimentos, um mineral fundamental para as mulheres que engravidam.

Incluir na dieta alimentos como pimentão vermelho, couve, frutas cítricas, goiaba, kiwi, laranja e limão são ótimas opções.

4. Folato

O folato é muito conhecido como ácido fólico, que é uma vitamina B. Ele ajuda o corpo a construir novas células e previne defeitos congênitos no feto. Geralmente, essa vitamina é recomendada como remédio caseiro antes mesmo da gravidez, para garantir um desenvolvimento saudável do bebê.

Alimentos como as verduras, frutas cítricas, feijão e germe de trigo são ricos em folato, mas as mulheres que estão pensando em engravidar são encorajadas a começar a ingestão da vitamina ainda na fase de planejamento.

5. Proteína vegetal

Substituir a proteína animal pela vegetal pode diminuir a infertilidade, segundo um estudo. As análises mostram que muita proteína proveniente da carne estava associada a um maior risco de desenvolver infertilidade ovulatória em 32%. Então, diminuir o consumo de carne de todos os tipos, peixe e ovos e aumentar a ingestão de feijões, lentilhas, vegetais, nozes e sementes pode proteger o corpo contra a infertilidade.

Estudos mostram que quando 5% do total de calorias tem origem da proteína vegetal, ao invés da animal, o risco de infertilidade ovulatória diminui em mais de 50%.

6. Ashwagandha

Ashwagandha é um remédio caseiro importante para mulheres que têm dificuldade de engravidar. Ela também é conhecida como ginseng indiano, e seus efeitos promovem o equilíbrio hormonal e o bom funcionamento dos órgãos reprodutivos. Outro aspecto interessante é que esta erva também ajuda a fortalecer o útero, evitando os riscos de abortos recorrentes.

7. Romã

A romã é uma fruta capaz de aumentar o fluxo sanguíneo para o útero e deixar mais espesso o revestimento uterino, o que também diminui as chances de aborto.

Em 2015, a Pharmacognosy Magazine publicou um estudo indicando a romã como um remédio caseiro capaz de aumentar a longevidade, a fertilidade e a taxa de crescimento. No entanto, é fundamental evitar os excessos para que não seja prejudicial.

8. Canela

A canela é um condimento muito conhecido, mas o que muitas pessoas desconhecem é que ela pode impulsionar o funcionamento do ovário e ajudar o tratamento da síndrome do ovário policístico (SOP), considerado uma das principais causas de infertilidade.

Um estudo publicado na revista Fertility and Sterility em 2007 confirmou que a canela pode ajudar a regular os ciclos menstruais de mulheres com SOP. Além disso, a canela também é indicada para tratar problemas como endometriose, miomas uterinos, amenorréia (ausência de períodos menstruais) e também para prevenir infecções fúngicas. Todos esses efeitos são eficazes e podem contribuir com a gravidez.

9. Chasteberry

Chasteberry é uma erva também conhecida como vitex. Sua ingestão pode ajudar a melhorar a ovulação nas mulheres e isso acontece porque ela tem altos níveis de prolactina. Assim como a canela, a erva também ajuda a controlar os sintomas da síndrome dos ovários policísticos.

Então, se as dificuldades para engravidar estão associadas a um desequilíbrio hormonal no corpo, um remédio caseiro e eficaz é o chasteberry.

10. Sono

Dificilmente as pessoas associam o sono à gravidez, mas saiba que ele é fundamental para a fertilidade. Segundo a National Sleep Foundation, não dormir uma quantidade de horas suficientes pode provocar dificuldades para engravidar.

Isso acontece porque o sono interfere nos níveis hormonais, então se você dorme pouco pode ter uma alteração no ciclo, na ovulação e níveis mais altos do hormônio do estresse, que também atrapalha a concepção.

O ideal é dormir mais de oitos horas por noite, e procurar manter além da quantidade, a qualidade também. Outro ponto importante é procurar fazer atividades para relaxar e diminuir o estresse e ansiedade.

11. Exercício para equilibrar hormônios

Praticar atividades físicas é fundamental para ajudar a equilibrar os hormônios e pode ser eficiente para ajudar a engravidar. Através do exercício regular é possível equilibrar os níveis hormonais, o que ajuda de várias maneiras. Os hormônios participam de quase todos os processos de concepção; por exemplo, ele interfere na liberação do óvulo, qualidade dos espermatozoides e até na capacidade de alcançar e fertilizar o óvulo.

Também é importante considerar que os exercícios ajudam o processo de emagrecimento, outro fator benéfico para impulsionar a gravidez. Na hora de escolher qual exercício fazer, escolha aqueles com intensidade moderada, pois segundo um estudo a atividade física em níveis muito altos ou muito baixos afeta negativamente a fertilidade, mas níveis moderados são benéficos.

Remédios para engravidar prescritos

Quando as mudanças e as substâncias naturais não apresentam os efeitos esperados, o médico pode prescrever medicamentos. Eles podem ser receitados de forma isolada, ou como parte de outros tratamentos para concepção.

Existem muitos remédios para engravidar diferentes, e a maioria está destinada às mulheres, pois é mais fácil induzir a ovulação do que aumentar a quantidade de espermatozoides. Veja abaixo os mais usados:

12. Hormônio Folículo Estimulante (FSH)

Um hormônio folículo estimulante (FSH) é produzido naturalmente pelo corpo feminino e sua função é fazer com que um dos óvulos gerados pelos ovários amadureçam, formando um folículo em torno durante o processo. Estas são etapas importantes que acontecem quando o órgão reprodutor se prepara para ovular, mas quando existe uma disfunção, o processo não acontece de forma eficaz, dificultando a gravidez.

Para tratar a condição e reverter o quadro, um remédio contendo FSH pode ser receitado. Ele é específico para casos em que as mulheres ovulam, mas os óvulos não amadurecem regularmente e seus efeitos induzem o corpo a realizar cada etapa de forma efetiva, para que a ovulação saudável aconteça e possibilite a gravidez.

Há dois principais remédios para engravidar que são prescritos com essa finalidade:

  • Liofilizado de urofolitropina: A urofolitropina é vendida como Bravelle e ela é feita a partir de FSH humana. A administração é feita por injeção subcutânea, aplicada na área gordurosa logo abaixo da pele;
  • Folitropina alfa liofilizado: Follistim AQ e Gonal-F são as marcas da folitropina e o medicamento é uma versão recombinante do FSH e também administrado por injeção subcutânea.

13. Clomifeno

O clomifeno é um remédio mais indicado para mulheres que têm síndrome do ovário policístico (SOP) ou outros problemas com a ovulação. Ele atua como um modulador seletivo do receptor de estrogênio, estimulando a glândula pituitária que é a responsável pela produção de hormônio folículo estimulante (FSH).

O clomifeno é vendido como comprimido e pode ser administrado sozinho ou combinado com outras drogas e tratamentos. Embora não seja comum, alguns casos de infertilidade masculina podem ser tratados com ele.

Entre 60% e 80% das mulheres que tomam clomifeno ovulam, e aproximadamente a metade costuma engravidar nos primeiros três “ciclos” de tratamento. Os efeitos colaterais mais comuns são dores de cabeça, ondas de calor e alterações de humor e um dos riscos do tratamento com clomifeno é a concepção de gêmeos ou de múltiplos, síndrome de hiperestimulação ovariana e distúrbios da visão.

14. Letrozole

Letrozole é comercialmente vendido como Femara e é uma alternativa ao clomifeno. Seu uso é indicado para estimular a ovulação, mas ele é uma opção recente, pois sua principal aplicação está relacionada ao tratamento de câncer de mama.

Algumas pesquisas foram realizadas para entender seus efeitos e evidenciaram que em alguns casos o Femara pode ser até mais eficaz que o clomifeno. Por exemplo, sua ingestão é mais eficiente nas mulheres que sofrem com Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) e naquelas em que o clomifeno não surtiu o efeito desejado.

Ele também é vendido como comprimido e ingerido por via oral. Pode ser usado sozinho ou associado a outros remédios para engravidar, e os efeitos colaterais são muito semelhantes ao do clomifeno – com uma diferença, ele não é seguro durante a gravidez.

15. Gonadotrofina coriônica humana (hCG)

A gonadotrofina coriônica humana tem algumas funções importantes no sistema reprodutivo. Ela é um hormônio naturalmente produzido pelo corpo para estimular a produção do folículo em um dos ovários para liberar um óvulo maduro. Além disso, ela condiciona os ovários a produzir progesterona, que é outro hormônio que ajuda, por exemplo, a preparar o útero para que um óvulo fertilizado seja implantado nele.

A forma farmacêutica da hCG é frequentemente utilizada com o clomifeno e outros, e costuma ser recomendada para mulheres com ovários funcionais, o que significa que não deve ser usado em mulheres com insuficiência ovariana prematura.

Gonadotrofina é administrada como injeção subcutânea aplicada no tecido adiposo na região do abdômen, coxas, nádegas ou braços. Os efeitos colaterais comumente experimentados são: náuseas, inchaço, dor de cabeça, sensibilidade mamária, alterações de humor e irritação no local que a injeção foi aplicada.

Embora as gonadotrofinas sejam usadas principalmente em mulheres, homens com hipogonadismo hipogonadotrófico podem receber prescrição para melhorar os níveis de testosterona e melhorar a saúde do sêmen. Gonadotrofinas mais comuns são:

  • Gonadotrofina coriônica humana recombinante (r-hCG): Ela é vendida como Ovidrel e geralmente antes de usar a mulher é orientada a realizar um “pré-tratamento” com outras drogas como FSH, por exemplo. A gonadotrofina coriônica humana recombinante (r-hCG) é administrada através de uma injeção subcutânea, aplicada uma única vez um dia após a última dose do pré-tratamento;
  • Gonadotrofina coriônica humana (hCG): Assim como a r-hCG, existe um pré-tratamento antes de usar e é administrada em apenas uma dose. Esta droga está disponível como um medicamento genérico e como os medicamentos de marca Novarel e Pregnyl;
  • Gonadotrofina menopáusica humana (hMG): A composição da droga é feita pelo hormônio folículo estimulante (FSH) e o hormônio luteinizante (LH). A gonadotrofina da menopausa humana é indicada para mulheres cujos ovários são basicamente saudáveis, mas não podem desenvolver óvulos, e não é recomendado para mulheres com insuficiência ovariana prematura. É vendida com a marca Menopur.

16. Agonistas da dopamina

Remédios para engravidar como os antagonistas da dopamina podem ser usados ​​para tratar uma condição chamada hiperprolactinemia. Seu principal efeito está relacionado à redução da quantidade de prolactina liberada pela glândula pituitária, pois o excesso impede a gravidez. Duas principais marcas são comercializadas com os agonistas da dopamina, esses incluem:

  • Bromocriptina: Está disponível como medicamento genérico e também com a marca Parlodel. Sua administração é feita via oral, pois o remédio é vendido como um comprimido;
  • Cabergolina: Esse é um medicamento comercializado apenas como genérico, e assim como a bromocriptina é um comprimido, ingerido por via oral.

Palavras finais

Engravidar pode não ser tão simples para algumas pessoas, e é comum nessa situação acreditar que existe algo errado ou muito sério. É claro que alguns fatores como a idade, principalmente para as mulheres, e doenças subjacentes podem dificultar a concepção, mas vale lembrar que existem outras variáveis que podem ser controladas, como a alimentação e os hábitos de vida, por exemplo.

No entanto, se as mudanças não forem suficientes, existem recursos disponíveis como alguns remédios para engravidar que citamos acima.

Se você está encontrando dificuldades, procure a ajuda de um profissional de saúde, ele será capaz de fazer uma avaliação adequada do casal para entender os impeditivos e, se possível, direcionar um tratamento ou um remédio para engravidar eficaz para solucionar seu problema.

Referências adicionais:

Você já precisou tomar remédios para engravidar, ou pensa em fazer isso por sentir dificuldade de conceber? Há quanto tempo tentar ter filhos e não consegue? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (11 votos, média: 4,00 de 5)
Loading...

10 comentários em “16 Remédios para Engravidar Mais Usados e Seus Efeitos”

  1. Tô tentando e gravidar a 1ano e 6 meses e não consigo já tenho 2 filhos,ms é do meu primeiro casamento agora meu esposo e eu não conseguimos engravidar.

  2. OLá. Fiquei muito interessado pelo seu post.Vou acompanhar ! Seu blog é TOP. Este tipo de conteúdo tem me agregado muito conhecimento.Grato !

  3. Já tenho um filho, mas já faz três anos que tento engravidar e não consigo, do meu filho eu engravidei tão rápido e até agora não consegui engravidar novamente

    • Sou tentante a 5 anos já fiz vários exames e não deu nada,já tomei maca peruana,induz,ácido fólico por um bom tempo e nada não sei mais o que fazer me dêem uma dica sonho muito em ser mãe.

    • Ola bom dias pessoais ..Quero uma ajuda como fasso pra mim engravidar ja faz 1 ano que tento maos nao consigo mecda algumas dica por favor? ?

Deixe um comentário