Progesterona Alta ou Baixa – Sintomas, Causas e Dicas

Os hormônios estrogênio e progesterona desempenham um papel importante no organismo, principalmente no que diz respeito à saúde das mulheres. Um desequilíbrio entre esses hormônios pode dar indícios de alterações normais no organismo ou de algum problema de saúde, dentre eles problemas diretamente relacionados à fertilidade, saúde óssea, o risco de câncer ou a estabilidade emocional.

A progesterona é um hormônio presente no organismo, principalmente das mulheres, que, dentre diversas funções, ajuda a controlar a espessura do revestimento do útero, chamado de endométrio. Quando não há fertilização, os níveis de progesterona caem e o sangramento menstrual ocorre. Assim, a progesterona tem um papel essencial na menstruação e na gravidez.

Mulheres que apresentam baixos níveis de progesterona podem sangrar demais na menstruação, enquanto que mulheres com progesterona alta também podem sofrer alguns efeitos indesejados. Vamos mostrar o que significa a progesterona alta ou baixa e discutir seus sintomas e causas.

Progesterona

A progesterona é um hormônio anti-inflamatório essencial quando as mulheres estão tentando engravidar, portanto, a deficiência de progesterona pode estar diretamente associada a problemas de fertilidade.

Trata-se de um hormônio anti-inflamatório produzido na ovulação para aumentar a possibilidade de engravidar. Qualquer desvio significativo entre os níveis de progesterona e estrogênio pode resultar em uma série de sintomas desagradáveis ​​causados ​​pela dominância rápida do estrogênio.

Durante o período de gestação, a partir do final do primeiro trimestre até o nascimento do bebê, a placenta também produz altos níveis de progesterona, que são cerca de 10 vezes maiores do que em uma mulher que não está grávida. Alguns tipos de câncer também são responsáveis por alterar os níveis de progesterona em homens e mulheres.

Um teste de progesterona mede a quantidade do hormônio presente no sangue. Geralmente, esse teste pode servir para:

  • Descobrir a causa de problemas de infertilidade;
  • Monitorar o sucesso de medicamentos contra a infertilidade;
  • Monitorar o efeito de tratamentos com uso de progesterona como em terapias hormonais;
  • Determinar se a ovulação está ocorrendo normalmente;
  • Avaliar risco de aborto espontâneo;
  • Monitorar a função dos ovários e placenta durante a gravidez;
  • Diagnosticar problemas com glândulas suprarrenais e alguns tipos de câncer;
  • Diagnosticar osteoporose ou outros problemas nos ossos.

Para evitar interferências no teste, pode ser necessário que o paciente pare de tomar medicamentos, inclusive as pílulas anticoncepcionais, que contêm os hormônios estrogênio ou progesterona por até 4 semanas antes do exame.

No caso de mulheres com problemas no ciclo menstrual ou com dificuldades para engravidar, pode ser necessário colher sangue uma vez por dia por vários dias seguidos para ajudar a investigar a causa do problema.

Abaixo, temos algumas tabelas mostrando os níveis normais considerados em um intervalo de referência. Um resultado de exame que mostra níveis de progesterona no intervalo de referência indicado abaixo é considerado normal. Lembrando que podem ter pequenas alterações desses valores de acordo com o laboratório e as condições em que o exame é realizado.

Níveis de progesterona durante o ciclo menstrual

Dias 1-14< 1 ng/mL ou 0,5-2,3 nmol/L
Dias 15-282-25 ng/mL ou 6.4-79.5 nmol/L

Níveis de progesterona durante a gravidez

1º trimestre10-44 ng/mL ou 32.6-140 nmol/L
2º trimestre19.5-82.5 ng/mL ou 62-262 nmol/L
3º trimestre65-290 ng/mL ou 206.7-728 nmol/L

Níveis de progesterona em homens

Valor normal< 1 ng/mL ou 3.2 nmol/L

Níveis de progesterona após a menopausa na mulher

Valor normal< 1 ng/mL ou 2 nmol/L

Progesterona alta

Ao fazer um teste que indica níveis mais altos de progesterona do que o considerado normal, é preciso investigar a causa da alteração. Valores altos de progesterona podem ser causados por diversos fatores e apresentar sintomas específicos, que serão elencados nos próximos tópicos

Sintomas de progesterona alta

Os principais sintomas de progesterona alta incluem:

  • Pele “apagada” ou sem brilho;
  • Inchaço devido à retenção de líquido;
  • Dor nas mamas;
  • Dificuldades para atingir o orgasmo durante o sexo;
  • Aumento do apetite;
  • Aumento da temperatura corporal;
  • Efeito sedativo;
  • Fraqueza muscular;
  • Ressecamento vaginal;
  • Fadiga ou cansaço sem motivo aparente.

Altos níveis de progesterona costumam enviar sinais ao cérebro para diminuir mensagens de alguns receptores presentes no organismo. Isso pode causar um efeito sedativo e fazer com que algumas mulheres se sintam muito cansadas e sem energia. É por esse motivo que a progesterona é usada em algumas drogas para epilepsia com o intuito de diminuir as convulsões vivenciadas por pacientes com a doença.

Causas de progesterona alta

  • Cistos no ovário ou nas glândulas adrenais: A quantidade de progesterona afeta o equilíbrio no útero da mulher e seu ciclo menstrual. Quando há muita progesterona, o excesso do hormônio pode fazer com que cistos do ovário cresçam. Como outras causas podem estar relacionadas ao desenvolvimento de cistos ovarianos, o médico geralmente pede um exame para saber se é a progesterona que está causando o problema ou há outra causa além de sua presença em excesso.
  • Indicativo de gravidez ou gravidez múltipla: Níveis de progesterona costumam aumentar durante a gravidez. E são ainda maiores no caso de uma gravidez múltipla, como no caso de gêmeos ou trigêmeos, do que durante uma gravidez com apenas um feto.
  • Superprodução de hormônios pelas glândulas adrenais.
  • Risco aumentado de desenvolver câncer de mama.
  • Ovulação: Quando os ovários produzem um ovo, o nível de progesterona é alto. Assim, dependendo de quando o exame é feito, a progesterona alta pode indicar apenas que a mulher está na fase fértil.
  • Menopausa: Mulheres na menopausa podem apresentar níveis mais elevados de progesterona, pois nesta fase, o corpo está encerrando o seu estágio reprodutivo e não produz mais a mesma quantidade de hormônios. Isso pode causar um desequilíbrio progesterona/estrogênio.
  • Terapias hormonais: Algumas mulheres podem precisar de terapias hormonais, como as que estão na fase da menopausa ou mulheres grávidas que apresentam progesterona baixa. Assim, mulheres fazendo uso de suplementação hormonal também podem apresentar desequilíbrios hormonais.

Progesterona baixa

Como já mencionado, a progesterona é muito importante para mulheres em idade fértil. Isso porque se você não tiver progesterona suficiente, podem ocorrer problemas para ficar grávida e manter o feto. A progesterona ajuda o útero a preparar a camada protetora, chamada de endométrio, para receber um ovo fertilizado. Se tal camada não for suficientemente grossa, a implantação não ocorre.

Níveis baixos de progesterona no sangue podem trazer alguns sintomas desagradáveis e ser causados pelas causas listadas abaixo.

Sintomas de progesterona baixa

Os sintomas mais comuns incluem:

  • Mudanças no apetite;
  • Irregularidades no ciclo menstrual;
  • Alterações no humor como sintomas de depressão ou ansiedade;
  • Perda de libido;
  • Insônia;
  • Problemas para manter uma gravidez saudável ou problemas para engravidar;
  • Ressecamento vaginal.

Mulheres que passam pela fase da menopausa passam por mudanças indesejadas relacionadas à idade como o ressecamento vaginal. A causa desse problema é geralmente a mudança na proporção natural de estrogênio e progesterona, que resulta em alterações na pele incluindo o ressecamento. Tal problema é resolvido com terapias de reposição hormonal para restaurar o equilíbrio natural entre os hormônios.

Sintomas menos comuns para de progesterona baixa são:

  • Dores de cabeça ou enxaqueca;
  • Mudanças de humor e problemas como ansiedade ou depressão;
  • Baixo interesse sexual;
  • Irregularidades no ciclo menstrual e sangramento intenso;
  • Endometriose;
  • Problemas na vesícula;
  • Dinfunção tireoidiana;
  • Infertilidade;
  • Incontinência e infecções urinárias;
  • Problemas de pele como desenvolvimento de acne e pele gordurosa e/ou ressecamento da pele e unhas frágeis;
  • Metabolismo mais lento resultando em ganho de peso e/ou alterações nos níveis de açúcar;
  • Dores de cabeça;
  • Sensibilidade nos seios.

Causas de progesterona baixa

  • Possibilidade de aborto espontâneo: Para gestantes, os níveis de progesterona aumentam muito com o passar da gravidez. Se, mesmo grávida, seus níveis de progesterona forem baixos, é possível que seu útero não seja capaz de suportar o bebê, o que pode ser a causa de abortos espontâneos. Para evitar que isso ocorra, ao ser diagnosticada a progesterona baixa na gestante, pode ser iniciado um tratamento com o uso de progesterona para prolongar a gravidez e evitar partos prematuros ou aborto. Sintomas específicos incluem manchas e dor abdominal.
  • Mau funcionamento dos ovários: Podem ocorrer sangramento uterino anormal e/ou períodos irregulares ou ausentes de menstruação, o que pode indicar ovários que funcionam de modo inadequado e baixos níveis de progesterona. Pode ocorrer também a síndrome do ovário policístico, quando o ovário é incapaz de liberar um ovo durante a ovulação.
  • Problemas na ovulação: Ao longo do período menstrual, os níveis de progesterona flutuam. De acordo com especialistas, cerca de uma semana antes do início da menstruação, a mulher atinge seu nível mais alto de progesterona, período este conhecido como ovulação em que a mulher pode apresentar níveis de até 20 ng/mL de progesterona. Se nesse período for detectado por um exame que a mulher não apresenta níveis elevados de progesterona, pode ser que ela tenha dificuldades para engravidar. Assim, os níveis baixos de progesterona podem indicar problemas na ovulação ou de infertilidade, por exemplo.
  • Falta de atividade física e nutrição inadequada: Uma dieta equilibrada e exercícios regulares desempenham um papel fundamental na produção de progesterona. As glândulas produtoras do hormônio tendem a ficar num modo de “dormência” e parar de produzir progesterona. A falta de atividade física aliada a uma alimentação ruim levam ao aumento do risco de obesidade, excesso de estrogênio e menor produção de progesterona.
  • Resistência à insulina: Esta é uma condição patológica na qual o corpo não é capaz de usar a insulina que produz. Quando os níveis de glicose no sangue se tornam muito baixos ou muito altos, as células não conseguem absorver a progesterona. Além disso, tudo o que leva a picos nos níveis de insulina, nomeadamente carboidratos refinados e açúcares, pode causar uma queda nos níveis de progesterona. A resistência à insulina pode coexistir com obesidade, diabetes ou síndrome do ovário policístico.
  • Estresse crônico: O estresse estimula o aumento da produção de cortisol, o hormônio do estresse. Quando os níveis de cortisol permanecem altos por um longo período de tempo, a produção de progesterona é reduzida devido ao bloqueio dos receptores de progesterona no organismo, inibindo sua atividade.
  • Medicamentos: Alguns medicamentos, como os usados em terapias hormonais e os esteróides, podem afetar os níveis de progesterona. Além disso, muitos anticoncepcionais orais funcionam diminuindo os níveis de progesterona para prevenir uma gravidez não planejada. Outros medicamentos podem bloquear a capacidade do corpo de absorver efetivamente a progesterona.
  • Câncer de endométrio: Mulheres que apresentam câncer de endométrio geralmente exibem um desequilíbrio entre os hormônios estrogênio e progesterona, apresentando níveis altos de estrogênio e progesterona alta. A abundância de estrogênio causa danos no DNA e pode ser uma das causas do câncer de endométrio, cujos sintomas incluem sangramento vaginal e dor pélvica.
  • Câncer de mama: Mulheres com câncer de mama ou com risco de desenvolver a doença também apresentam níveis altos de estrogênio e progesterona baixa. Uma pesquisa publicada em 2009 na revista Breast Cancer mostrou que os pacientes com câncer de mama têm esse desequilíbrio hormonal mencionado anteriormente por um período prolongado. Tal alteração, assim como no caso do câncer de endométrio, leva a mutações no DNA que causam o câncer de mama.
  • Dano no pâncreas: Mulheres que tomam medicamentos contendo estrogênio geralmente apresentam níveis elevados de triglicerídeos. Tais gorduras circulam por todo o organismo e podem contribuir com o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Também é possível que os triglicerídeos possam causar outras complicações graves. Um estudo publicado no Journal of Clinical Lipidology em 2008 mostrou que anticoncepcionais orais e tratamentos de fertilidade aumentam os níveis de estrogênio, causando um desequilíbrio entre os hormônios estrogênio e progesterona. Ao longo do tempo, o excesso de estrogênio e baixa quantidade de progesterona podem danificar o pâncreas e causar pancreatite, cujos sintomas são dor abdominal superior, naúseas e vômitos.
  • Domínio do estrogênio: Outra razão pela qual mulheres podem apresentar progesterona baixa é devido ao excesso de estrogênio no corpo. O domínio do estrogênio pode ocorrer devido a fatores como: consumo de carnes e produtos lácteos que contem grandes quantidades de estrogênio; poluição que contém partículas que imitam o estrogênio nos receptores do hormônio; ingestão de produtos de soja processados que também podem imitar o estrogênio; problemas de saúde como endometriose que também desencadeam uma ação de dominância de estrogênio.

Dicas

Vale lembrar que homens também necessitam de progesterona. Organismos masculinos também criam o hormônio e o utilizam para ajudar no equilíbrio com o estrogênio. Além disso, a progesterona é um precursor da testosterona, o hormônio sexual masculino.

Os resultados dos exames podem ser afetados por alguns fatores descritos abaixo:

  1. Uso de hormônios na forma de pílulas anticoncepcionais, por exemplo, que contenham estrogênio ou progesterona;
  2. Uso de medicamentos como ampicilina e clomifeno;
  3. Hora do dia em que o exame é realizado, já que os níveis de progesterona flutuam durante o dia;
  4. Ter sido submetido a algum teste que utilizada substâncias radioativas como em uma varredura da tireoide ou raios X em até uma semana antes do exame de sangue;
  5. Menstruação.

Os níveis de progesterona variam muito durante o ciclo menstrual, por esse motivo é importante que, ao solicitar um exame, o médico saiba o primeiro dia do seu último período menstrual para evitar interferências nos resultados. Se o seu médico verificar que os níveis de progesterona são inferiores ao normal, ele pode recomendar que você faça uma substituição convencional usando o hormônio sintético.

Ter pouca progesterona pode não causar nenhum sintoma e talvez nem seja necessário tratar a condição, exceto se você está tentando ter um bebê. Nesse caso, a terapia hormonal para aumentar a progesterona pode ajudar a engrossar seu revestimento uterino e aumentar suas chances de ter uma gravidez saudável.

Além da menopausa, irregularidades menstruais e sangramento anormal também podem ser melhorados através da terapia hormonal. As opções de tratamento incluem cremes e géis, que podem ser usados ​​topicamente ou medicamentos orais. A terapia hormonal na menopausa pode aliviar sintomas como ondas de calor, suores noturnos e ressecamento vaginal. Para algumas mulheres, pode também melhorar o humor e o estado de espírito, além de um efeito calmante.

Porém, existem riscos associados à terapia hormonal, pois há relatos de que pode aumentar o risco de AVC, coágulos sanguíneos e problemas de vesícula biliar. Mulheres com história de doença hepática, coágulos sanguíneos ou acidente vascular cerebral não devem ser expostas à terapia hormonal. Antes de adotar qualquer medida para progesterona alta ou baixa, consulte seu médico e sempre certifique-se de discutir toda as opções e considerar os possíveis efeitos colaterais. 

Referências adicionais:

Você já foi diagnosticada com progesterona alta ou baixa? Quais sintomas sentia e que causas seu médico apresentou como prováveis? Como foi o tratamento? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (21 votos, média: 3,95 de 5)
Loading...

3 comentários em “Progesterona Alta ou Baixa – Sintomas, Causas e Dicas”

  1. No meu caso sinto dor no quadril e as vezes na perna esquerda, o médico apertou próximo do quadril e doeu, eu durmo demais e ele falou que estou com progesterona baixa! Pediu um raio-X e passou um remédio pra tomar de 12 em 12 horas por causa da dor que sinto no quadril do lado esquerdo.

  2. Fui à consulta com queixa de falta de energia, cansaço extremo, sonolência, apatia, quadro de depressão. Progesterona alta.

Deixe um comentário