7 Melhores Opções de Laxante Natural Caseiro

Especialista:
atualizado em 02/10/2019

A constipação é um desconforto comum que afeta pessoas de qualquer idade. Muitas vezes, o problema pode ser tratado com mudanças simples na dieta e com alterações no estilo de vida. Pensando nisso, listamos as melhores opções de laxante natural caseiro para que você possa obter alívio para a sua constipação de forma natural e segura.

Constipação

Sem dúvidas, a adoção de uma dieta mais saudável e rica em fibras é a melhor solução para a constipação, não só por ser um jeito natural de tratar o problema como também por essa mudança de hábito fornecer outros nutrientes importantes para o corpo.

Os laxantes são substâncias que estimulam os movimentos intestinais e facilitam a evacuação. É preciso, no entanto, tomar cuidado com o uso especialmente daqueles vendidos em farmácias, pois eles podem causar efeitos adversos desagradáveis. Além disso, é importante ter certeza de que há necessidade de tomar um laxante para ajudar o seu intestino.

Alguns sinais claros de constipação são:

  • A pessoa ficar vários dias sem evacuar – menos de 3 vezes por semana;
  • O indivíduo tem dificuldade e precisa fazer muita força para evacuar;
  • As fezes têm aparência seca, dura, granulosa e escura.

Também é comum sentir dor de estômago, dor ao evacuar ou sensação de inchaço e mal-estar.

A constipação crônica é caracterizada pela persistência dos sintomas mencionados acima por várias semanas.

Antes de procurar um laxante, faça um balando dos seus hábitos diários para verificar se algum hábito ruim não está prejudicando o seu processo digestivo.

Algumas das causas mais comuns de prisão de ventre são muito fáceis de tratar e incluem:

  • Ingestão insuficiente de fibras dietéticas solúveis e insolúveis;
  • Pouca prática de exercícios físicos ou sedentarismo;
  • Dieta inadequada;
  • Idade avançada;
  • Problemas hormonais ou de tireoide;
  • Alterações de rotina como viagens e “jet lag”;
  • Efeito colateral de alguma medicação como os opioides;
  • Ingestão insuficiente de água e outros líquidos;
  • Ansiedade, estresse ou depressão;
  • Sono insuficiente ou de baixa qualidade;
  • Deficiência de magnésio;
  • Ignorar a vontade de ir ao banheiro.

Nos casos mencionados acima, alguns ajustes na rotina, na alimentação, no nível de atividade física e na ingestão de água já podem ser de grande ajuda para quem sofre de constipação. O diagnóstico de problemas emocionais como o estresse e a ansiedade seguido do tratamento adequado também pode auxiliar na evacuação.

Laxante natural caseiro

Laxantes encontrados em farmácias são medicamentos que não devem ser utilizados sem prescrição médica e nem por longos períodos de tempo. Um laxante só é indicado em casos em que a pessoa realmente não consegue evacuar por muitos dias. Ainda assim, o produto serve apenas para resolver uma emergência e a real causa da constipação deve ser investigada e tratada com o auxílio de um médico.

Como os laxantes sintéticos costumam causar efeitos colaterais, indicamos aqui alguns laxantes naturais que podem ser preparados em casa. Além de mais seguros, eles são baratos e podem te ajudar no momento que você mais precisa.

O objetivo de alimentos ou produtos que atuam como laxante é de ajudar a estimular os movimentos intestinais, além de hidratar o sistema digestivo.

1. Cereais ricos em fibras

O aumento da ingestão de fibras na dieta é uma das soluções mais simples para a constipação. Isso pode ser feito através do consumo logo pela manhã de um café da manhã rico em fibras.

De acordo com uma pesquisa publicada em 2012 no periódico científico World Journal of Gastroenterology, as fibras aumentam os movimentos intestinais e melhoram a consistência das fezes, facilitando a passagem das mesmas.

Uma boa opção é combinar farinha de linhaça com aveia, por exemplo, que são ricas em fibras solúveis e nutrientes. Também é possível adicionar alguns frutos secos como as uvas passas que também contêm bastante fibra. Se você misturar tudo isso com um iogurte natural, terá um laxante natural caseiro extremamente eficaz.

As fibras solúveis que são encontradas em cereais como a aveia, a cevada e as farinhas derivadas de sementes são capazes de absorver água e formar uma pasta de consistência gelatinosa que facilita a evacuação. Fibras insolúveis também devem fazer parte da dieta, mas há estudos – como o publicado em 2013 na revista American Journal of Gastroenterology – que mostram que elas podem piorar a prisão de ventre, principalmente em indivíduos com constipação crônica ou síndrome do intestino irritável.

A hidratação é muito importante quando a ingestão de fibras é aumentada, já que a fibra precisa de água para conseguir percorrer o trato digestivo com facilidade. Assim, não se esqueça de beber bastante água também.

Segundo estudo de 2015 publicado no periódico Nutrition Today, um homem saudável deve ingerir 38 gramas de fibras e uma mulher saudável deve ingerir 25 gramas de fibras todos os dias.

Ao consumir cereais que contenham fibras solúveis todos os dias e caprichar na ingestão de água diariamente, a melhora deve ser observada em poucos dias.

2. Óleo de rícino

O óleo de rícino pode ter um gosto desagradável, mas não podemos negar que ele é um ótimo laxante natural.

O alívio da constipação é observado em tempo recorde. Cerca de 2 a 6 horas após o consumo do óleo, a evacuação já acontece.

Para disfarçar um pouco o gosto do óleo de rícino, é possível manter o óleo armazenado em um recipiente na geladeira e tomar a dose do produto com um copo de suco de laranja, formando um potente laxante natural caseiro.

A dose indicada para um adulto pode variar de 15 a 60 mililitros de óleo de rícino. Recomendamos iniciar com a dose mais baixa para observar os resultados e só aumentar a quantidade se houver necessidade.

Outras alternativas são o óleo de fígado de bacalhau e o óleo de linhaça. O óleo de fígado de bacalhau é um remédio tradicional para o alívio da constipação. O indicado é ingerir 1 colher de sopa do óleo com cerca de 1 xícara de suco de cenoura. A combinação estimula os movimentos intestinais e ajuda na evacuação.

3. Probióticos

Muitas pessoas que sofrem de constipação crônica apresentam um desequilíbrio de bactérias intestinais. O consumo de alimentos ou suplementos probióticos pode ajudar a melhorar tal equilíbrio, promovendo um efeito laxativo natural.

Segundo artigo científico publicado em 2011 no periódico Canadian Journal of Gastroenterology, os probióticos criam um ambiente saudável na micloflora intestinal que ajuda a evitar desconfortos gastrointestinais como a diarreia e a constipação.

Em 2015, um estudo publicado no Journal of Neurogastroenterology and Motility atestou que os probióticos ajudam no tratamento da constipação através da produção de ácido lático e de ácidos graxos de cadeia curta, que melhoram os movimentos intestinais e facilitam a passagem das fezes. De acordo com uma pesquisa publicada em 2014 no American Journal of Clinical Nutrition, a consistência das fezes também pode ser melhorada devido ao consumo de probióticos.

Alguns probióticos que podem ser incluídos na dieta são iogurtes, kefir, chucrute, kombucha, kimchi ou outros suplementos probióticos.

4. Prebióticos

De acordo com um estudo publicado em 2013 no periódico científico Nutrients, assim como os probióticos, os prebióticos também ajudam a promover o equilíbrio das bactérias intestinais. Isso acontece porque os prebióticos servem de alimento para bactérias saudáveis encontradas no intestino, melhorando o processo digestivo como um todo.

Prebióticos como os galacto-oligossacarídeos são ótimos para amaciar as fezes e aumentar a frequência dos movimentos intestinais, segundo artigo científico publicado em 2007 na revista Food & Nutrition Research.

Alimentos ricos em prebióticos que são ótimas opções de laxante natural caseiro e podem ser facilmente incluídos na dieta são a cebola, a banana e o alho.

5. Frutos secos

Frutos secos como as ameixas secas são ótimos para a digestão. Se você ingerir uma boa porção de frutos secos de uma só vez, o efeito será semelhante ao de um laxante.

As ameixas secas, em especial, contêm o sorbitol em sua composição, que atua como um laxante natural. De acordo com um estudo clínico publicado em 2011 no periódico Alimentary Pharmacology & Therapeutics, a dose de 50 gramas – equivalente a cerca de 7 ameixas médias – por dia é a ideal para aliviar a constipação.

Apesar de as ameixas serem as frutas mais populares em relação ao efeito laxativo, outras frutas secas como damascos, uvas passas e figos também podem ser utilizadas. A ideia é ingerir uma porção generosa de frutos secos junto com o café da manhã ou em 2 porções divididas ao longo do dia.

6. Citrato de magnésio

Uma pesquisa publicada em 2005 no periódico Clinics in Colon and Rectal Surgery indica diversos tratamentos para a constipação, e um deles é o citrato de magnésio, que pode atuar como um laxante natural caseiro.

Suplementos de magnésio como o citrato de magnésio podem ajudar no alívio da constipação e podem ser obtidos sem a necessidade de receita médica. Sua eficácia é tão grande que ele é usado até para limpar o intestino antes de procedimentos cirúrgicos.

Além dos suplementos, o magnésio pode ser encontrado em abundância em vegetais verdes.

7. Sementes

Vários tipos de sementes ajudam a evitar e a tratar a constipação. A semente de chia, por exemplo, é capaz de atuar como um laxante natural caseiro. Ao ser combinada com um líquido, essas sementes formam uma substância gelatinosa que se movimenta com facilidade através do intestino. Além disso, elas absorvem água e são uma ótima fonte de fibras.

Segundo uma pesquisa publicada em 2015 no periódico Journal of Ethnopharmacology, as sementes de linhaça também auxiliam o sistema digestivo a funcionar corretamente, aliviando não só a constipação como também a diarreia. A semente de linhaça é uma ótima fonte de fibras que também adicionam volume as fezes, o que ajuda na passagem por meio dos intestinos.

Outras soluções

– Hidratação

Beber bastante água é crucial para estimular os movimentos intestinais e evitar que as fezes fiquem secas e duras. Quando uma pessoa bebe pouca água, o intestino começa a absorver água dos próprios resíduos intestinais, o que deixa as fezes desidratadas e dificulta sua eliminação.

Estudos mostram que pessoas que sofrem de constipação idiopática crônica ou síndrome do intestino irritável podem se beneficiar do consumo de água com gás.

A água de coco também é uma ótima opção, já que além de hidratar ela fornece eletrólitos importantes para a saúde.

Também há relatos de que a ingestão de líquidos quentes como os chás de ervas ajuda a estimular a digestão.

– Atividade física

As pesquisas nessa área ainda mostram dados confusos. Alguns estudos como o publicado em 2006 no periódico BMC Geriatrics mostram que o exercício não interfere na frequência dos movimentos intestinais, enquanto outros, como o publicado em 2011 no American Journal of Gastroenterology, sugerem que se exercitar pode reduzir sintomas da síndrome do intestino irritável como a constipação.

Ainda que os resultados não sejam conclusivos, praticar exercícios físicos não faz mal a ninguém e vale a pena não só para tentar aliviar a prisão de ventre como para melhorar a saúde em geral.

– Cafeína

Em algumas pessoas, o café promove um efeito diurético que facilita a ida ao banheiro. Isso ocorre porque a cafeína presente no café estimula alguns músculos do sistema digestivo.

Um estudo já antigo publicado em 1998 no periódico European Journal of Gastroenterology & Hepatology provou que o café é capaz de estimular o intestino da mesma forma que ocorre quando fazemos uma refeição.

Além disso, o café pode apresentar uma pequena quantidade de fibras solúveis que ajudam a prevenir a constipação e a manter o equilíbrio das bactérias que vivem no intestino.

– Aloe vera

O Aloe vera ou babosa apresenta propriedades laxantes que vêm sendo estudadas há muito tempo. Isso acontece porque o Aloe vera é rico em enzimas, vitaminas e minerais que trazem benefícios para o intestino. As antraquinonas presentes no Aloe vera, por exemplo, são compostos que ajudam a aumentar a quantidade de água no intestino e que, consequentemente, aumentam as contrações musculares que auxiliam na evacuação.

A substância também apresenta efeito anti-inflamatório, que ajuda na redução do inchaço e na melhora da função dos órgãos envolvidos na digestão. Por fim, o Aloe vera também regula o pH, contribuindo para o crescimento de bactérias saudáveis importantes para a digestão. 

– Pectina

A pectina é uma fibra insolúvel que ajuda a aumentar o volume das fezes, o que facilita a passagem delas pelo sistema digestivo. Tal fibra é encontrada em frutos como as maçãs e as peras ou na forma de suplementos.

– Redução da ingestão de produtos lácteos

Uma pesquisa publicada em 2012 no Iranian Journal of Pediatrics indica que crianças com intolerância à proteína do leite (caseína) e adultos com intolerância ao açúcar do leite (lactose) podem sofrer de constipação.

Assim, ao suspeitar de que sofre de uma intolerância alimentar a laticínios, é importante reduzir ou eliminar o consumo desses alimentos.

– Psyllium

Psyllium é um suplemento rico em fibras que ajuda no processo digestivo, principalmente quando combinado com água ou algum líquido. Isso porque a substância adiciona volume as fezes além de estimular as contrações musculares intestinais.

– Diminuição no consumo de alimentos que podem piorar o problema

Alguns alimentos podem piorar a constipação. Tratam-se de alimentos que apresentam poucos nutrientes e ausência de fibras. Isso inclui alimentos açucarados, processados e fritos.

Também é recomendado limitar a ingestão de álcool, que pode promover a desidratação, piorando a constipação.

– Controle do estresse

Além de estar relacionado com vários problemas de saúde, o estresse também pode ser o responsável pela constipação. Para amenizar o problema, atividades como meditação, prática de exercícios físicos e inclusão de atividades relaxantes e prazerosas no dia a dia são importantes.

Considerações

Em geral, o nosso organismo é naturalmente capaz de corrigir problemas digestivos como a constipação desde que sejam fornecidos os nutrientes adequados e uma boa quantidade de fluidos hidratantes.

Uma solução melhor do que procurar um laxante é investir na mudança de hábitos, incluindo a adoção de uma dieta mais saudável para regular o sistema digestivo e promover benefícios a longo prazo.

Se nenhum laxante natural caseiro sugerido neste artigo e nem a adoção de hábitos mais saudáveis forem suficientes para aliviar a sua prisão de ventre, pode ser que você esteja lidando com um problema mais sério. Nesse caso, é recomendado procurar um médico.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Fontes e Referências Adicionais:

Você já testou alguma dessas opções de laxante natural caseiro que listamos acima? Pretende adotar algum? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (5 votos, média: 4,00 de 5)
Loading...
Sobre Felipe Santos e Dra. Patrícia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário