Açaí é Remoso?

Especialista:
atualizado em 02/03/2020

Veja a seguir se o açaí é remoso ou se essa fruta não causa nenhum problema inflamatório em nenhum tipo de pessoa em determinada situação.

Naturalmente, o açaí é uma frutinha que vem de uma palmeira conhecida pelo nome de açaizeira que cresce na região amazônica, local de onde o alimento é considerado típico.

A frutinha roxa é conhecida como uma das melhores frutas fontes antioxidantes e por ser portadora de efeito anti-inflamatório, além de ser classificada como uma ótima fonte de energia para o organismo.

Além disso, o açaí serve como fonte de alguns nutrientes importantes para o funcionamento apropriado do nosso organismo como carboidratos, fibras, potássio, cálcio, ferro, fósforo, vitamina B1 e vitamina C. A fruta também possui vitamina A, vitamina E, vitamina K, vitamina B2 e magnésio em sua composição. Veja todos os benefícios do açaí, para que serve e suas propriedades em detalhes.

Entretanto, é bem verdade que também encontramos com facilidade em lanchonetes e sorveterias das cidades versões mais artificiais do açaí, carregadas de açúcar e acompanhadas de guloseimas como chocolate, leite condensado, leite ninho, mousses, entre outras.

Mas será que a fruta não pode ser prejudicial para a nossa saúde? Você já ouviu falar que o açaí é remoso?

Mas o que exatamente são alimentos remosos?

Para entendermos se o açaí é remoso, precisamos conhecer o que significa um alimento ser remoso, não é mesmo?

Pois bem, a expressão remoso significa “capaz de prejudicar a saúde, que faz mal à saúde, especialmente ao sangue […]”. O termo ainda pode sofrer uma pequena variação e ser chamado de reimoso.

O termo reimoso não se trata de uma classificação científica, mas é uma expressão antiga, associada à sabedoria popular, que também pode definir os alimentos que podem provocar inflamação na pele, em decorrência de uma reação alérgica.

Chama-se popularmente de reima algo que pode ser considerado um alergênico e que causa reações como coceira, diarreia e intoxicações mais sérias em algumas pessoas.

É importante saber oque são alimentos remosos pois são “alimentos carregados” e essas comidas costumam apresentar quantidades elevadas de proteína e gordura animal.

Os alimentos remosos ou reimosos também podem interferir no processo de cicatrização.

E então, será que o açaí é remoso?

Se os alimentos remosos estão associados de certo modo a uma inflamação, é importante saber que uma pesquisa conduzida na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), no Rio Grande do Sul, pela bióloga e geneticista Ivana da Cruz e sua equipe classificou o açaí dentro de uma lista de 40 alimentos que apresentam grande poder anti-inflamatório, de acordo com informações de uma matéria do ano de 2017 do site do Globo Repórter.

Conforme a publicação, para chegar a esse resultado, a bióloga e seus colegas testaram no laboratório da universidade gaúcha frutas, verduras, legumes e temperos que estão presentes no dia a dia dos brasileiros.

Os outros 39 alimentos classificados como donos de grande poder anti-inflamatório ao lado do açaí foram: uva, abacate, limão, maçã, abacaxi, coco, manga, caju, guaraná, alho, gengibre, pimenta vermelha, alecrim, açafrão-da-terra, sálvia, orégano, cravo, canela, louro, brócolis, pimentão vermelho, cebola, tomate, abóbora, beterraba, espinafre, rúcula, batata doce roxa, manjericão, lentilha, ervilha, feijão, aveia, cevada, centeio, cereais de milho, amendoim, arroz (nas variedades preto, vermelho e integral) e soja.

Veja em detalhes uma relação de poderosos alimentos anti-inflamatórios.

Entretanto

É importante saber que por mais que o açaí seja reconhecidamente um alimento com propriedades anti-inflamatórias, pesquisas realizadas no Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP) constataram que nas bebidas comerciais da fruta, que recebem a adição de xarope de glicose (açúcar), os ganhos metabólicos dos seus nutrientes são perdidos.

A pesquisadora e professora associada do ICB-USP, Marília Seelaender, contou que isso foi identificado na primeira etapa do estudo, em que foram testadas bebidas de açaí encontradas em supermercados como suplemento para a dieta de ratos sadios.

Seelaender relatou à publicação que durante essa primeira fase do experimento, ela e seus colegas identificaram ainda um início de fígado gorduroso, a diminuição de enzimas relacionadas ao metabolismo da glicose e o aumento de peso e acúmulo de gordura.

Houve, porém, uma segunda parte da pesquisa, em que o xarope de glicose foi substituído por mel orgânico, informou a Revista Exame. Conforme a publicação, a pesquisadora contou que nessa segunda vez ela e sua equipe notaram que a ingestão do suco fez com que a propriedade anti-inflamatória do açaí fosse manifestada em animais sadios e em bichinhos que tinham tumor.

Por outro lado, vale a pena registrar que quando os pesquisadores testaram se o suco de açaí com o mel reduziria o estresse oxidativo associado à caquexia – inflamação crônica dos órgãos que provoca desnutrição e muita perda de peso -, eles verificaram que a receita provocou um aumento expressivo na massa tumoral em animais doentes.

Devido a esses resultados, a professora da ICB-USP disse à publicação que ela e seus colegas pesquisadores não recomendam a suplementação com açaí como parte do tratamento da caquexia relacionada ao câncer.

Logicamente, para quem sofre com qualquer tipo de câncer e complicações associadas à doença, é fundamental sempre obedecer às recomendações médicas e específicas ao seu caso, em particular, e conversar com os médicos antes de tomar qualquer decisão ao respeito do seu tratamento.

Não precisamos lembrar que o câncer é uma doença grave, que precisa ser tratada com muita seriedade e com um acompanhamento médico individualizado e qualificado.

Alergia

De acordo com o Colégio Americano de Alergia, Asma e Imunologia (ACAAI, sigla em inglês), precisamos identificar os sintomas de uma alergia alimentar pois ela acontece quando o organismo tem uma reação exagerada a um alimento ou a uma substância presente nele e pode se tornar uma situação grave.

Com isso, o corpo identifica a comida ou o composto em questão como perigoso e aciona uma espécie de resposta protetiva, completou a organização.

A ACAAI explicou ainda que os sintomas de uma reação alérgica podem afetar a pele, o trato gastrointestinal, o sistema cardiovascular e o sistema respiratório, podendo incluir sinais como:

  • Vômito;
  • Cólicas estomacais;
  • Dificuldade para respirar;
  • Chiado no peito;
  • Tosse repetitiva;
  • Choque;
  • Urticária – lesão na pele com manchas ou placas vermelhas que causa coceira;
  • Colapso circulatório;
  • Garganta apertada;
  • Rouquidão;
  • Dificuldade para engolir;
  • Inchaço na língua, afetando a habilidade para conversar ou respirar;
  • Pulso fraco;
  • Pele pálida ou azul;
  • Tontura;
  • Sensação de desmaio;
  • Anafilaxia – trata-se de uma emergência médica potencialmente fatal, que pode fazer com que o corpo entre o choque e envolver sintomas como perda de consciência, queda na pressão, dificuldade grave em respirar, erupção cutânea, vertigem, náusea, vômito e pulso rápido e fraco, segundo informações da Mayo Clinic, organização da área de serviços médicos e pesquisas médico-hospitalares dos Estados Unidos.

Caso você experimente um ou mais dos sintomas apresentados acima ou ainda qualquer outro sinal de reação alérgica depois que consumir o açaí, procure imediatamente o auxílio médico mesmo que o problema em questão não aparente ser muito grave.

Isso é fundamental para verificar a seriedade do sintoma, receber o tratamento apropriado, descobrir se realmente tem alergia ao açaí ou não e saber quais precauções precisa ter em relação à fruta.

É importante considerar que a reação alérgica também pode ser provocada por outro ingrediente que tenha sido adicionado ou usado como complemento do açaí.

Referências Adicionais:

Você já tinha ouvido falar que açaí é remoso? Consome com frequência o açaí em sua dieta? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é Nutricionista - CRN-RJ 0510146-5. Ela é uma das mais conceituadas profissionais do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário