Amytril Engorda? Para Que Serve e Efeitos Colaterais

Especialista:
atualizado em 01/07/2020

Alguns pacientes relataram em suas experiências que o consumo de Amytril engorda, uma vez que um dos mais importantes efeitos colaterais é o aumento do apetite e, consequentemente o ganho de peso. Mas para que serve realmente este medicamento?

O Amytril (Amitriptilina) é um antidepressivo tricíclico, utilizado no tratamento de depressão mental, dor neurogênica e bulimia. É comercializado em comprimidos de 25mg em caixas com 20 comprimidos. Recomenda-se uma dose de 150 mg por dia para adultos, podendo chegar a 300 mg nos casos mais graves.

O medicamento age inibindo a recaptação da norepinefrina, aumentando, portanto, a disponibilidade deste neurotransmissor nas sinapses cerebrais. Devido à intensidade dos efeitos sedativos, a maior parte da dose deve ser administrada à noite.

O consumo de Amytril engorda mesmo?

Os antidepressivos tricíclicos são voltados para aumentar a atividade de determinados produtos químicos no cérebro como a norepinefrina e a serotonina, o que ajuda a melhorar o humor e a melhorar sintomas de depressão. Porém, em contrapartida, foi relatado por seus usuários que o Amytril engorda por estimular o apetite, e até por este motivo é indicado para pessoas que sofrem de bulimia e têm dificuldade em se alimentar corretamente.

Pessoas que começaram a ingerir o medicamento relataram um ganho de peso de 5 a 10 kg e podem ter dificuldades em emagrecer mesmo com uma dieta balanceada e a prática de atividades físicas.

Uma dieta rica em fibras pode solucionar o problema, uma vez que sacia a fome e não engorda, entretanto, em alguns casos específicos de pessoas que possuem predisposição a engordar pode ser que o problema não seja solucionado. Neste caso, não interrompa o medicamento por conta própria, converse com seu médico para uma possível substituição deste.

Alguns médicos afirmam que muitos medicamentos antidepressivos (na verdade, a grande maioria) têm como efeito colateral o ganho de peso, sendo este um dos principais incômodos dos pacientes; por isso, deve-se buscar por alternativas junto ao médico que solucionem um mal sem comprometer a saúde e a estética. Na maior parte dos casos, os sintomas desaparecem quando a medicação é suspensa, sendo fácil voltar ao peso normal.

Por que Amytril engorda?

O primeiro conceito é que a depressão é uma doença que pode levar a mudanças no peso influenciadas por fatores específicos da doença como alterações no apetite e na atividade física ou pelo uso de antidepressivos.

Algumas pesquisas indicaram que a mudança de peso atribuída ao tratamento com antidepressivos apresenta resultados controversos, sendo influenciada por fatores como o tempo de uso e dosagem do medicamento.

Porém, sabe-se que a prevalência da obesidade em pacientes psiquiátricos tratados farmacologicamente (não apenas deprimidos, mas esquizofrênicos, bipolares, etc) é 2 a 5 vezes maior do que na população geral.

A medicação pode levar ao aumento do peso geralmente durante a fase de manutenção.

Possíveis causas

Pode haver vários mecanismos psicofarmacológicos responsáveis pelo aumento do peso devido à ação dos antidepressivos:

  • Diminuição do neurotransmissor dopamina no hipotálamo que aumenta o apetite;
  • Redução da estimulação do receptor de serotonina 5HT2C;
  • Redução da estimulação do receptor histaminérgico H1, que leva a uma insensibilidade à ação da leptina (a leptina, do grego leptos = magro, é uma proteína secretada por adipócitos e que age no sistema nervoso central promovendo menor ingestão alimentar e incrementando o metabolismo energético), que causa aumento do apetite e ganho de peso;
  • Diminuição da estimulação do mensageiro químico cerebral acetilcolina (neurotransmissor).

Indicações do Amytril: Para que serve o Medicamento

O Amytril pode ser tomado com alimentos ou com o estômago vazio e pode levar até 30 dias para controlar os sintomas da depressão. O medicamento deve ser ingerido apenas com prescrição médica. Deve ser ingerido ininterruptamente, mesmo que o paciente se sinta bem, por isso, é importante não perder nenhuma dose para eficácia do tratamento.

Se um paciente esquecer a dose no horário de costume basta ingerir no horário que lembrar, exceto se estiver próximo ao horário da próxima dose, neste caso, é melhor pular a dose anterior e voltar ao esquema posológico regular. Não se deve tomar 2 doses de uma só vez. Qualquer dúvida quanto ao uso do medicamento pergunte ao seu médico para uma orientação mais segura.

Armazenamento do Amytril

Mantenha o medicamento à temperatura ambiente, abaixo de 30 °C em um recipiente bem fechado. Armazene longe do calor, umidade e luz. Não guarde no banheiro. Mantenha o remédio fora do alcance de crianças e longe de animais de estimação.

Informações gerais do medicamento

Não se deve utilizar Amytril se você for alérgico a qualquer um dos ingredientes presentes em sua composição, se você estiver consumindo um inibidor da monoamina oxidase (como por exemplo, fenelzina, selegilina) nos últimos 14 dias, se você estiver consumindo anti-histamínicos (por exemplo, difenidramina), cisaprida, droperidol, um cetólido (por exemplo, telitromicina), um macrólido (por exemplo, eritromicina), mibefradil ou pimozida ou ainda se você estiver se recuperando de um ataque cardíaco.

Contate o seu médico ou profissional de saúde imediatamente se algum destes casos se aplicar ao seu.

Algumas condições médicas podem interagir com o medicamento, como:

  • Em caso de gestantes ou lactantes;
  • Se estiver consumindo qualquer algum componente de preparação erbal ou de suplemento dietético;
  • Se você tem alergia a medicamentos, alimentos, ou outras substâncias;
  • Se você tem um histórico de doença mental (por exemplo, transtorno bipolar, mania, psicose maníaco-depressiva), ou ter considerado se suicidar;
  • Se você tem glaucoma, um batimento cardíaco irregular, doença cardíaca, dor no peito, doença hepática, problemas de próstata, doenças da tireoide ou possui retenção urinária;
  • Se você tem um histórico de convulsões, epilepsia ou porfiria.

Alguns medicamentos podem interagir com Amitriptilina. Informe o seu médico se estiver ingerindo outros medicamentos, principalmente:

  • IMAO (por exemplo, fenelzina, selegilina), porque eles podem causar reações graves, até de risco de vida;
  • Anticolinérgicos (por exemplo, escopolamina), bupropiona, cimetidina, fluconazol, fenotiazinas (por exemplo, clorpromazina), SSRIs (por exemplo, fluoxetina), terbinafina, ou ácido valpróico porque efeitos secundários como visão turva, dificuldade de micção, sonolência ou sedação, boca seca, ou tontura podem ocorrer;
  • Os anti-histamínicos (por exemplo, difenidramina), cisaprida, droperidol, quetólidos (por exemplo, telitromicina), macrolídeos (por exemplo, eritromicina), mibefradil, pimozida ou estreptograminas (por exemplo, quinupristina / dalfopristina) porque os efeitos secundários podem causar reações graves no coração, como por exemplo palpitações cardíacas, tonturas, desmaios, ritmo cardíaco anormal, levando à inconsciência e falta de batimentos cardíacos com risco de vida;
  • Carbamazepina, medicamentos da tireoide (por exemplo, a levotiroxina), ou estimulantes (por exemplo, albuterol, pseudoefedrina), porque os seus efeitos secundários podem ser aumentados por causa do medicamento;
  • Varfarina, que pode agravar alguns efeitos secundários como a hemorragia que é agravada com o Amytril;
  • Clonidina, guanetidina ou guanfacine, porque a eficácia desses medicamentos pode ser diminuída.

Informações de segurança

Amytril pode causar tonturas, desmaios, sonolência ou visão turva. Não se deve conduzir, utilizar máquinas ou fazer qualquer outra coisa que possa ser perigosa até saber a reação do seu corpo à amitriptilina. Ingerir o Amytril com outros medicamentos ou com álcool pode diminuir a sua capacidade de conduzir ou realizar outras tarefas potencialmente perigosas.

Evite beber álcool ou tomar outros medicamentos que causam sonolência (por exemplo, sedativos, tranquilizantes) ao mesmo tempo. O consumo de álcool, a exposição ao calor, a prática de exercícios ou febre podem aumentar os efeitos de tonturas e gerar desmaios. Para evitar que isso ocorra permaneça paradi por algum tempo. Sente-se ou deite-se ao primeiro sinal de algum destes efeitos.

Movimentos involuntários e incontroláveis podem se desenvolver em pacientes que ingerem Amitriptilina. A ocorrência é maior entre os idosos, especialmente mulheres. O risco de desenvolver esses movimentos involuntários e a probabilidade de eles se tornarem permanentes são aumentados com o uso à longo prazo e com doses elevadas. No entanto, é possível desenvolver esses sintomas após a utilização a curto prazo em doses baixas. Entre em contato com o seu médico se surgirem qualquer um dos seguintes sintomas: movimentos involuntários da língua, face, boca ou mandíbula, por vezes acompanhada por movimentos involuntários dos braços e pernas.

A Amitriptilina pode causar sensibilidade à luz solar. Evite a exposição prolongada ao sol e luzes ultravioletas (como por exemplo na exposição ao bronzeamento artificial). Use protetores solares e roupas de proteção ao sol intenso para evitar insolação.

Pacientes com diabetes podem ter o índice de açúcar no sangue alterado por causa do Amytril. Lembre-se de checar os níveis de açúcar no sangue com frequência. Pergunte ao seu médico antes de alterar a dose do seu medicamento para diabetes.

Se for se submeter a qualquer tratamento médico ou dentário, cuidados de emergência ou cirurgia, informe o médico ou dentista sobre a ingestão de Amitriptilina.

Deve-se ter um cuidado especial com idosos, pois eles podem ser mais sensíveis aos seus efeitos, especialmente tontura ao repousar; batimento cardíaco rápido; problemas respiratórios; dificuldade de micção; e prisão de ventre. Mulheres grávidas ou lactantes devem evitar o medicamento, uma vez que é eliminado pelo leite.

Efeitos Colaterais

Todos os medicamentos podem causar efeitos colaterais, mas muitas pessoas não têm ou apresentam em menor intensidade. Os principais são: visão embaçada; mudança no desejo sexual ou habilidade; prisão de ventre; diarreia; tonturas; sonolência; boca seca; dor de cabeça; perda de apetite; náuseas; cansaço; ganho de peso, problemas para dormir; fraqueza.

Outros efeitos secundários mais graves podem ocorrer em alguns casos. Se alguns destes sintomas se manifestarem procure um médico: reações alérgicas graves (urticária, coceira, dificuldade em respirar, aperto no peito, inchaço da boca, face, lábios ou língua); dor no peito; confusão; urina escura; delírios; dificuldade em falar ou engolir; desmaio; batimentos cardíacos rápidos ou irregulares; febre, arrepios, ou dor de garganta; alucinações; agitação ou agravamento, ansiedade, ataques de pânico, agressividade, impulsividade, irritabilidade, hostilidade, sentimento exagerado de bem-estar, agitação; dormência ou formigamento em um braço ou perna; fraqueza; convulsões; tontura ou dor de cabeça grave ou persistente; dificuldade persistente para dormir; fala arrastada; pensamentos ou ações suicidas; tremor; movimentos musculares descontrolados (por exemplo, da face, língua, braços, pernas); hemorragia; alterações mentais ou de humor incomuns ou graves; problemas de visão; amarelecimento da pele ou olhos.

O problema relatado de que o Amytril engorda é muitas vezes relatado como resultado da melhora do quadro depressivo pelo uso da droga, levando a mudanças no apetite e não, simplesmente, decorrente de um efeito colateral da medicação, por este motivo, é necessário avaliar cada caso em específico com um profissional de saúde.

Você já precisou tomar este medicamento e atestou que realmente o uso de Amytril engorda? Você precisava deste ganho de peso ou foi indesejado? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (138 votos, média: 4,00 de 5)
Loading...
Sobre Julio Bittar e Dra. Patricia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário