Antibiótico Dá Sono?

Especialista:
atualizado em 04/08/2020

Confira se tomar antibiótico dá sono ou se essa não precisa ser uma das preocupações de pessoas que precisam usar esse tipo de medicamento.

Quem nunca ouviu alguém reclamar e atribuir toda a sua sonolência e falta de disposição ao uso de determinado medicamento? Entretanto, antes de culpar um remédio ou outro é necessário saber se a substância em questão realmente pode causar a sonolência.

Pensando nisso, vamos investigar se tomar antibiótico dá sono. Vale a pena saber isso porque ficar sonolento o dia todo prejudica a disposição para realizar tarefas corriqueiras e importantes do dia a dia como estudar, trabalhar, cuidar da casa e dos filhos, socializar, praticar exercícios físicos e preparar refeições saudáveis com cuidado.

Então, vamos lá descobrir se o uso de um antibiótico pode ser uma das causas da sonolência excessiva? Fora isso, você pode se interessar em saber também se antibiótico engorda ou emagrece.

Sobre os antibióticos

Antes que as bactérias possam multiplicar-se e provocar sintomas, o sistema imunológico costuma conseguir matá-las. Os glóbulos brancos atacam a bactéria maligna e, mesmo se surgirem sintomas, o sistema imunológico geralmente dá conta de lidar e combater a infecção.

No entanto, em alguns casos, a quantidade de bactérias prejudiciais é excessiva e o sistema imunológico não consegue combatê-las. É justamente aí que o uso dos medicamentos antibióticos torna-se útil.

Em outras palavras, os antibióticos são remédios que servem para combater as infecções bacterianas. Eles atuam matando a bactéria ou impedindo que elas se reproduzam ou multipliquem.

Por outro lado, é preciso tomar cuidado com os antibióticos – eles fazem mais mal do que bem no caso de infecções provocadas por vírus. Além disso, quando usados inapropriadamente ou sem necessidade podem contribuir com a resistência antibiótica, que acontece quando uma bactéria se transforma e torna-se capaz de resistir aos efeitos de um antibiótico.

Isso pode se dar quando os micróbios são expostos a uma dose não letal do remédio. Alguns profissionais de saúde acreditam que o abuso desse tipo de medicamento contribui com o número crescente de infecções bacterianas que se tornam resistentes aos antibióticos.

É por isso que uma pessoa jamais deve automedicar-se com antibióticos, guardá-los para mais tarde ou usar a receita médica de outra pessoa. Ao receber a prescrição médica para usar esse tipo de medicamento é essencial seguir todas as instruções do médico.

O tratamento deve ser finalizado conforme a duração estabelecida pelo médico mesmo se o paciente sentir-se melhor e os horários de uso do antibiótico devem ser rigorosamente respeitados.

Existe ainda a preocupação de que o tratamento com antibióticos possa matar parte das bactérias boas que habitam naturalmente o nosso organismo e são importantes para a saúde. Por isso, ao finalizar um tratamento com antibiótico, pergunte ao médico o que fazer para repor esses micro-organismos do bem e recuperar a flora intestinal.

E então, será que um antibiótico dá sono?

A sonolência não costuma ser um efeito colateral associado aos antibióticos. Por outro lado, a insônia ou dificuldade para dormir pode ser uma das reações adversas mais comuns provocadas por uma classe de antibióticos, a das fluoroquinolonas (quinolonas), que é composta por medicamentos como ciprofloxacino (Cipro), gemifloxacino (Factive), levofloxacino (Levaquin), moxifloxacino (Avelox) e oflaxacino.

Além disso, especialistas apontam a dificuldade para dormir como um dos efeitos colaterais menos comuns de outro antibiótico, a amoxicilina.

Vale registrar que a dificuldade para dormir, também conhecida como insônia, pode envolver problemas para pegar no sono ao se deitar, acordar muito cedo pela manhã ou despertar frequentemente ao longo da noite.

Por sua vez, a dificuldade para dormir é classificada como um dos efeitos colaterais da amoxicilina que quando são experimentados costumam apresentar uma expressão menos severa.

Isso significa que uma pessoa jamais vai experimentar a sonolência durante o tratamento com um antibiótico? Não necessariamente. A sonolência não é um sintoma comum pelo uso de amoxicilina. No entanto, se a pessoa está em uso de amoxicilina é porque existe um quadro infeccioso, e o próprio quadro pode causar a sonolência.

Além disso, os medicamentos que podem ser prescritos junto com a amoxicilina na receita podem contribuir para o sono. Se a sonolência for intensa e você perceber outros sintomas diferentes, é recomendado voltar ao médico.

Da mesma forma, se a insônia ou dificuldade para dormir durante o tratamento com o antibiótico for muito expressiva, ao ponto de prejudicar o descanso, também vale a pena procurar o auxílio médico para saber o que fazer em relação a isso.

Enfatizamos aqui que você não deve tomar a decisão de interromper um tratamento com antibióticos antes de consultar o médico porque isso pode ser bastante perigoso para a saúde.

Outros efeitos colaterais dos antibióticos

Uma vez que já discutimos se um antibiótico dá sono, vamos conhecer na lista a seguir outras reações adversas que podem ser provocadas por este tipo de medicamento:

  • Vômito;
  • Náusea;
  • Diarreia;
  • Inchaço;
  • Indigestão;
  • Dor abdominal;
  • Cólica;
  • Perda de apetite;
  • Sensibilidade à luz;
  • Febre;
  • Infecção fúngica na vagina – os sintomas incluem: vagina dolorida, coceira vaginal, ardor ao urinar, dor ou ardor no ato sexual, vermelhidão, erupção cutânea e liberação de uma substância cinza-esbranquiçada e grumosa da vagina;
  • Descoloração nos dentes;
  • Dor nas articulações, músculos ou tendões;
  • Formigamento;
  • Dormência;
  • Problemas no sangue;
  • Problemas cardíacos como pressão baixa ou batimento cardíaco irregular;
  • Tendinite ou ruptura nos tendões;
  • Convulsões;
  • Síndrome de Stevens-Johnson – distúrbio raro, porém, sério que afeta a pele e as membranas mucosas, causando sintomas como febre, tosse, dor na boca e garganta, bolhas, erupções dolorosas que se espalham, dor na pele, urticária e inchaço no rosto e língua;
  • Reação alérgica com sintomas como erupção cutânea com coceira, tosse, chiado no peito e aperto na garganta, que pode provocar dificuldades de respiração;
  • Anafilaxia – reação alérgica severa e potencialmente fatal que se trata de uma emergência médica e envolve sinais como sensação de vertigem ou desmaio, dificuldades para respirar, inchaço, chiado no peito, batimento cardíaco rápido, confusão, ansiedade, perda de consciência, tontura, confusão, transpiração, queda na pressão, erupção cutânea, náusea, vômito e pulso rápido e fraco.

Ao experimentar algum dos efeitos colaterais mencionados acima ou qualquer outro tipo de reação adversa, não somente porém especialmente as mais graves, procure rapidamente o auxílio médico. Isso é importante para verificar a real seriedade do problema em questão e receber o tratamento necessário.

Fontes e Referências Adicionais:

Você imaginava que tomar antibiótico da sono? Percebeu esse efeito quando precisou tomar um? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Equipe Editorial MundoBoaForma

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Além disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário