Lendo rótulo de produto

Como Entender os Rótulos de Alimentos

Quando chegamos ao supermercado, quase sempre optamos por nossas marcas de alimentos favoritas, que consumimos há muito tempo, confiáveis e tradicionais. É um hábito que fomos adquirindo ao longo da vida.

Algumas pessoas não se incomodam com esse detalhe. Compram pelo preço.

Independente de marca ou preço, há outras coisas que devem ser levadas em conta antes da compra: a rotulagem dos alimentos. É tão importante quanto a preferência pelo sabor ou o quanto se vai pagar pelo produto.

Nos rótulos de alimentos temos informações preciosas para entendermos o que estamos consumindo. Verdade seja dita, alguns rótulos de alimentos são muito difíceis de serem lidos, devido ao seu tamanho reduzidíssimo. Mesmo assim, vale a pena fazer um esforço e avaliar se o alimento oferece índices saudáveis em sua formulação.

Vamos entender melhor como funciona a rotulagem dos alimentos, a partir de uma tabela nutricional básica:

Tabela nutricional

Posição de cada ingrediente (lista de ingredientes)

A primeira coisa a ser entendida nos rótulos de alimentos é que os nutrientes em maior quantidade ocuparão os primeiros lugares na tabela, ou seja, quando aparecer gordura em primeiro lugar, isso significa que esse alimento tem mais gordura do que qualquer outra coisa. Atenção!

Porção

Indica a quantidade de alimento que foi utilizada como referência para o cálculo dos valores nutricionais. Pode estar em gramas, mililitros, unidades, ou medidas caseiras (colher, xícara, etc).

Algumas pessoas leem erroneamente os rótulos de alimentos e avaliam todas as informações nutricionais como válidas para todo o conteúdo da embalagem. Note bem que essas informações dizem respeito à porção indicada inicialmente pelo fabricante.

Valor Energético

É a quantidade de calorias fornecidas pelo alimento para cada porção.

Os rótulos dos alimentos costumam designá-las mais comumente por quilocalorias (kcal). Eventualmente podem estar representadas por quilojoules (kj).

Lembrando que cada kcal equivale a 4,2 kj.

Valores diários VD

Nesse campo há indicações das quantidades máximas diárias do consumo de cada nutriente. Esses valores são recomendados pela ANVISA, e são calculados porcentualmente.

Por exemplo, um alimento registrando 20% de proteína no rótulo. Como deve ser entendido esse valor?

Significa que, na porção indicada pelo fabricante, há 20% das proteínas que um adulto saudável deve consumir ao longo do dia.

Carboidratos

São fontes de energia para nosso organismo. São encontrados principalmente nos farináceos, tubérculos, massas e doces.

O consumo diário indicado para os carboidratos é de 300 gramas. Ultrapassar esses valores resultará em ganho de peso.

Proteínas

Encontradas nas carnes, derivados lácteos, feijão, soja e leguminosas em geral. São as construtoras de nossos tecidos, órgãos e células.

O consumo diário de proteínas recomendado é 75 gramas.

Gorduras totais

Indicam a somatória de todos os tipos de gorduras utilizados naquela porção. As gorduras ajudam na absorção de vitaminas, mas, devem ser consumidas com moderação. Não exceder 55 gramas diárias.

Gorduras saturadas

Essas gorduras são de origem animal. Estão nas carnes, derivados lácteos, etc.

Seu consumo deve ser bastante controlado, pois essas gorduras são as vilãs para o coração. Aumentam o colesterol ruim e entopem veias e artérias.

22 gramas diárias é o limite.

Gordura trans

Nomeada pela indústria como gordura vegetal hidrogenada, costuma ser utilizada em salgadinhos, sorvetes, recheios de biscoitos, etc.

Embora a ANVISA obrigue os fabricantes a informar a quantidade de gordura trans presente nos alimentos, a legislação de 2006 deixou uma brecha na lei, e quando esses valores forem inferiores a 0,2 gramas por porção, poderão ser omitidos. Por esse motivo, alguns alimentos apresentam ZERO de gordura trans em suas rotulações, e nem sempre isso é verdadeiro.

A mesma ANVISA estipula no máximo 2 gramas de gordura trans diariamente. Através dessa legislação de 2006, os consumidores podem estar ultrapassando esses valores, acreditando não haver esse ingrediente no alimento que estão ingerindo.

A gordura trans dá sabor e aumenta a validade dos alimentos, mas é extremamente prejudicial à saúde.

Fibra alimentar

Extremamente saudáveis, ajudam o bom funcionamento dos intestinos e causam saciedade, podendo ajudar no processo de emagrecimento.

Encontrada nos alimentos de origem vegetal. Deve se consumir 25 gramas diárias de fibras.

Sódio

Sal e sódio são a mesma coisa? Não! Essa é uma questão que a maioria das pessoas desconhece.

O sódio é um mineral. É um dos componentes do sal que utilizamos em nossa casa, cuja nomenclatura correta é cloreto de sódio. Em sua composição, o cloreto de sódio apresenta aproximadamente 40% de sódio e 60% de cloro.

O sódio é utilizado excessivamente pelas indústrias alimentícias. Ele dá sabor aos alimentos e ajuda a conservá-los. Está presente na grande maioria dos produtos industrializados que consumimos, incluindo alimentos diet, embutidos, bebidas e doces.

Para cada 9 gramas de sal que ingerimos, nosso organismo retém aproximadamente 1 litro de água!

O máximo que uma pessoa deve ingerir diariamente são 5 gramas.

Portanto, não basta reduzir o sal que utilizamos em nossas preparações diárias. É preciso observar os rótulos de alimentos que estamos ingerindo. Muitos deles podem estar elevando a pressão arterial dos consumidores, ou gerando maior retenção hídrica devido ao seu excesso.

O Ministério da Saúde assinou acordos voluntários com a indústria alimentícia buscando uma redução desses índices.

Vitaminas e minerais

As tabelas nutricionais também poderão informar a presença de vitaminas, minerais e outros elementos, seguindo os mesmos padrões.

Data de validade

Embora não faça parte da tabela de rotulagem dos alimentos, essa informação é fundamental. Esteja atento a essas datas, como também, evite comprar alimentos com embalagens sujas, abertas, enferrujadas, amassadas, deterioradas, etc.

Alimentos transgênicos

Brasília – O Tribunal Regional Federal da 1ª Região, negou recurso apresentado pela União e pela Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação (ABIA), mantendo a sentença que determinou que as empresas do ramo alimentício devem informar aos consumidores a existência de organismos transgênicos na composição dos alimentos, independentemente do percentual ou qualquer outra condicionante. “Percentual menor não elimina a violação ao direito de informação”, diz a decisão.

Considerações Finais

Como se vê, os rótulos de alimentos trazem muita informação importante. Pessoas com problemas de saúde devem ficar ainda mais atentos a esses valores. Embora não possamos ter certeza que essas informações sejam verdadeiras, queremos crer que as indústrias alimentícias brasileiras estejam cumprindo a legislação e nos informando corretamente.

Você costuma ler os rótulos de alimentos que compra no mercado? Que nutrientes ou informações já passa o olho logo de primeira? Comente abaixo por quê.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)


ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*