Como Plantar Limão em Casa – Passo a Passo e Cuidados

Especialista:
atualizado em 03/03/2020

Aprenda como plantar limão em casa com um passo a passo desde o plantio e cultivo à colheita, além de dicas e cuidados para obter os melhores resultados.

Já pensou em ter um pé de limão bem no quintal da sua casa e poder colher a fruta fresquinha para preparar uma limonada refrescante, uma salada de frutas suculenta ou temperar os pratos que prepara na cozinha? Existem inúmeras receitas com limão saudáveis que você pode aproveitar.

Uma porção de meia xícara ou 100 g da fruta é conhecida por servir como fonte de vitamina B6, carboidratos, fibras, potássio e vitamina C, propriedades responsáveis pelos tantos benefícios do limão para a saúde e boa forma.

Para ter o seu pé de limão, aprenda como plantar limão em casa

Por isso, separamos para você alguns métodos que ensinam como plantar limão em casa; dê só uma conferida:

Como plantar limão siciliano em vaso

  1. Selecionar um vaso de no mínimo 80 cm x 70 cm de altura ou com uma capacidade de 100 litros. O recipiente deve permitir que as raízes e que o caule da planta se desenvolvam de maneira confortável;
  2. Forrar o vaso com uma tela mosquiteira coberta pedra cinasita ou brita e uma manta bidim;
  3. Colocar de 2 cm a 3 cm de areia bem grossa em cima da manta. Acrescentar um substrato composto por 30% de massa vegetal, 20% de areia grossa e 50% de terra de boa qualidade;
  4. Abrir um buraco no centro do vaso, colocar a muda de limão siciliano e cobrir com mais terra para plantar. Na hora em que for plantar a muda da fruta, é necessário tomar cuidado para não cobrir o colo da planta, ou seja, a base antes da raiz. Isso porque o colo necessita ficar exposto para que haja um bom desenvolvimento do vegetal;
  5. Fazer a primeira rega. Regar novamente quando perceber que a terra encontra-se seca.

Como plantar limão em vaso para perfumar e decorar a casa

  1. Você vai precisar de: sementes de limão, terra, vaso, água, copinho para lavar as sementes e pinça para remover a pele das sementes;
  2. Separar as melhores sementes de limão que encontrar e deixa-las de molho durante algumas horas – isso facilitará na hora de retirar a pele que envolve as sementes;
  3. Passado esse período, remover as peles das sementes muito cuidadosamente, com o auxílio de uma pinça. A retirada das peles das sementes de limão é necessária para que a planta germine melhor;
  4. Uma vez que as peles tiverem sido removidas, colocar as sementes novamente na água para germinar um pouquinho – o que pode demorar entre horas até dias;
  5. Quando as sementes já se encontrarem na fase de germinação, encher um vasinho com terra e adicionar as sementes por cima. Acrescentar algumas pedrinhas e pedregulhos para decoração;
  6. Deixar o vaso regularmente no sol para que a planta cresça e permaneça saudável;
  7. Regar sempre que perceber que a terra está seca.

Mais dicas e dados sobre como plantar limão em casa

  1. O limoeiro tem uma produtividade maior quando conta com acesso a uma boa quantidade de água;
  2. Recomenda-se escolher solos férteis e arejados com pH entre 5,5 e 6,5 para cultivar o limão;
  3. O solo para o plantio do limoeiro necessita ser mantido úmido, entretanto, não pode ficar encharcado;
  4. O local escolhido para o cultivo do limoeiro deve ser ensolarado e protegido contra as correntezas do vento;
  5. A árvore do limão se dá bem em localidades com temperaturas entre 23º C a 32º C, principalmente nas regiões em que há uma alta umidade relativa do ar, o que torna os frutos do limoeiro mais suculentos;
  6. É importante certificar-se de manter uma boa drenagem no cultivo do limão. Para isso, é necessário que o vaso tenha furinhos no seu fundo e a terra empregada no cultivo não pode ser densa e deve ser arenosa e argilosa;
  7. A orientação é que a poda do limoeiro seja realizada durante o inverno, período no qual a quantidade de água fornecida à planta pode sofrer uma diminuição;
  8. Outro conselho é oferecer alta luminosidade ao limoeiro, que deve receber sol diretamente durante no mínimo quatro horas por dia.

Outro belo motivo para aprender como plantar limão em casa

É a possibilidade de controlar todos os estágios do cultivo e ter acesso a alimentos orgânicos e livres de agrotóxicos. Mas por que isso é tão importante?

Bem, de acordo com o portal do Ministério da Saúde, o uso contínuo, indiscriminado e inadequado dessas substâncias é considerado um relevante problema ambiental e de saúde pública.

Ainda segundo o site, “os efeitos à saúde humana, decorrentes da exposição direta ou indireta aos agrotóxicos podem variar de acordo (com) a toxicidade, tipo de princípio ativo, dose, tempo de exposição e via de exposição”.

Crianças, gestantes, mulheres que amamentam, idosos e pessoas com a saúde debilitada são considerados os grupos mais susceptíveis aos efeitos dessas substâncias, completou o portal.

Vale a pena conferir todas as doenças causadas por agrotóxicos e conhecer os alimentos com mais agrotóxicos no Brasil.

Além disso, estudos realizados pelo aluno de doutorado em Saúde Pública e Meio Ambiente da Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz (Ensp/Fiocruz), Cleber Cremonese, indicaram que parte dos agrotóxicos pode desregular o sistema endócrino, alterando os níveis de hormônios sexuais e provocando efeitos prejudiciais, especialmente para o sistema reprodutor.

Essas reações podem incluir câncer de mama, câncer de ovário, câncer de testículo, câncer de próstata, desregulação do ciclo menstrual, infertilidade, baixa na qualidade do sêmen e malformação de órgãos reprodutivos.

Em suas pesquisas, Cremonese avaliou moradores de Farroupilha (RS) – em um primeiro estudo, ele trabalhou com homens e mulheres adultos, trabalhadores rurais e seus familiares, que tinham entre 18 a 69 anos; no segundo ele analisou jovens das zonas rurais e urbanas com idade entre 18 a 23 anos.

Para chegar aos resultados apontados, o doutorando coletou amostras de sangue e sêmen e aplicou questionários.

Ele concluiu que seus estudos sugerem que as exposições crônicas aos agrotóxicos interferem na regulação dos hormônios sexuais nos adultos e na qualidade do sêmen dos jovens nas regiões onde o estudo foi conduzido.

Cleber afirmou ainda que o uso dos agrotóxicos já foi associado a outros problemas de saúde como doenças neurodegenerativas como Parkinson, distúrbios cognitivos, transtornos psiquiátricos, alterações respiratórias e imunológicas, problemas no fígado e nos rins e complicações na gestação como aborto, malformações congênitas e baixo peso ao nascer.

O doutorando defende intervenções de curto, médio e longo prazo para diminuir ou minimizar os problemas causados pelos agrotóxicos à saúde dos grupos de risco em relação aos efeitos dessas substâncias. As informações são do site do Governo do Brasil, em publicação de 2014, e da Fundação Oswaldo Cruz.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já sabia como plantar limão em casa? Pretende começar a cultivar seu próprio limão? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário