Carnes vermelhas

Cortar Carne Vermelha Apenas um Mês Reduz o Risco de Doença Cardíaca em 10 Vezes

Um excesso de carne vermelha não é nada bom para nós. E sabemos disso. Mas uma recente pesquisa descobriu que você pode reverter os danos em apenas um mês se as eliminar da dieta.

Cientistas do Centro de Clínicas de Cleveland para Microbiomas e Saúde Humana descobriram que o consumo regular de carne vermelha pode elevar seu nível de uma substância química causadora de doenças cardíacas em mais de 10 vezes.

O composto orgânico é conhecido como TMAO (N-óxido de trimetilamina) e seus altos níveis estão associados ao aumento do risco de acidente vascular cerebral, ataques cardíacos e morte prematura. Os resultados foram publicados no European Heart Journal.

O estudo de Cleveland descobriu que os níveis desse composto perigoso aumentam três vezes após apenas um mês comendo carne vermelha.

Em comparação com pessoas que comiam carne branca ou refeições vegetarianas, os consumidores de carne vermelha tinham um risco dez vezes maior.

O estudo incluiu 113 participantes que receberam planos de refeições, incluindo carnes vermelhas, carnes brancas ou fontes de proteína vegetariana.

Após um mês da dieta com carne vermelha, a grande maioria dos participantes do estudo experimentou uma elevação nos níveis de TMAO no sangue e na urina.

Em média, os níveis de TMAO no sangue e na urina aumentaram aproximadamente três vezes durante a dieta de carne vermelha, em comparação com as dietas de carne branca ou sem carne, com alguns pacientes apresentando um aumento de dez vezes.

No entanto, depois que os pacientes pararam a dieta de carne vermelha, os níveis de TMAO no sangue e na urina caíram novamente no mês seguinte.

“Este é o primeiro estudo de nosso conhecimento para mostrar que os rins podem mudar a eficácia com que expelem diferentes compostos, dependendo da dieta que se come – além de sais e água”, disse o Dr. Stanley Hazen, da clínica.

“Sabemos que os fatores do estilo de vida são críticos para a saúde cardiovascular e essas descobertas se baseiam em nossa pesquisa anterior sobre a ligação do TMAO com doenças cardíacas.

“Eles fornecem mais evidências de como as intervenções dietéticas podem ser uma estratégia de tratamento eficaz para reduzir os níveis de TMAO e reduzir o risco subsequente de doença cardíaca”.

A mesma equipe de cientistas também analisou como a doença cardiovascular poderia ser evitada, visando uma via microbiana intestinal que converte a carnitina em TMAO.

A carnitina – também usada em bebidas energéticas e suplementos – pode induzir a produção de TMAO mesmo para veganos e vegetarianos que continuam comendo suas dietas normais.

Os cientistas compararam como uma dose diária de pílulas de carnitina funcionou em comedores de carne e vegetarianos.

Os vegetarianos ainda mostraram que mal conseguiam produzir TMAO mesmo quando tomavam as pílulas, enquanto os comedores de carne viam seus níveis dispararem imediatamente.

Hazen disse: “É notável que veganos e vegetarianos mal possam fazer TMAO a partir da carnitina da dieta. A nova e impressionante descoberta sobre o caminho induzido pela ingestão de carnitina – mesmo que apenas fornecida como um suplemento em forma de cápsula – fornece informações importantes sobre novas intervenções para inibir a TMAO, o que pode ajudar a reduzir os riscos de doenças cardiovasculares.”

“Ao descobrir esse novo caminho, podemos desenvolver novos tratamentos para interromper esse processo antes do desenvolvimento e progressão das doenças cardiovasculares”.

Você já experimentou ficar um tempo sem comer carne vermelha? O que acha da ideia de fazer um mês de dieta sem ela? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (4 votos, média: 4,50 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)



ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*