Couve Tem Carboidrato? E Proteína? Tipos, Variações e Dicas

Você provavelmente conhece a couve como um alimento saudável que deve fazer parte das nossas refeições. Vamos conhecer um pouco melhor o perfil nutricional do alimento e verificar se a couve tem carboidrato, proteína, cálcio e ferro em sua composição e em que quantidades eles estão presentes.

A couve já foi associada a uma série de benefícios como ação anti-inflamatória, efeito antioxidante, auxílio à remoção de toxinas do organismo, ajuda à saúde do coração, contribuição com o desenvolvimento cerebral do feto no útero, colaboração com a prevenção de malformações congênitas e auxílio à saúde dos olhos.

Para começar: a couve tem carboidrato?

Sim, é verdade que a couve tem carboidrato, entretanto, a quantidade do nutriente que o alimento carrega não é elevada – uma xícara de couve picada apresenta somente 6,7 g de carboidratos.

Uma xícara de couve refogada pode conter 9,92 g de carboidratos.

Temos que considerar que a diferença dos valores pode surgir graças ao fato da couve manteiga refogada ser preparada ao lado de outros ingredientes – como azeite, óleo, alho, cebola e outros temperos – o que acaba acrescendo um pouco o teor de carboidratos do prato.

Bem, que a couve tem carboidrato e que a sua quantidade aumenta quando ela é preparada junto de outros ingredientes, a gente já sabe. Mas qual será o tipo de carboidrato que a couve carrega?

A couve entra no grupo dos vegetais ricos em fibras que são fontes de carboidratos complexos. No entanto, o que são carboidratos complexos?

Para entender isso, precisamos saber que os carboidratos são classificados nos grupos dos simples e dos complexos. Enquanto os simples surgem na forma de açúcar e, em alguns casos, amido, os complexos aparecem na forma de fibras e de alguns tipos de amido.

Os carboidratos simples são decompostos de maneira mais acelerada pelo organismo, sendo uma fonte de energia rápida; já os carboidratos complexos oferecem energia ao corpo por meio de um processo que é mais lento, porém, mais duradouro. Em outras palavras, os carboidratos complexos têm maior poder de saciar o corpo do que os carboidratos simples.

Outro ponto interessante é que os carboidratos complexos têm uma tendência menor de serem convertidos em gordura do que os carboidratos simples e eles não elevam tanto as taxas de glicose no sangue quanto os carboidratos simples.

Além disso, os carboidratos complexos, principalmente as fibras, estão associados a efeitos como níveis de colesterol mais baixos e a diminuição do risco de desenvolvimento de diabetes justamente devido ao fato deles não provocarem picos nos níveis de açúcar no sangue. 

Por outro lado, o consumo de muitos carboidratos simples ou processados está associado ao prejuízo da saúde cardiovascular.

A couve tem proteína?

Sim, a couve tem proteína também, mas a quantidade não é lá muito significativa – uma xícara de couve crua picada é composta por 2,2 g do nutriente.

Já uma xícara de couve manteiga refogada pode apresentar 3,43 g de proteínas. Mais uma vez, lembramos que esse teor do nutriente pode ser elevado por conta dos ingredientes utilizados para acompanhar e refogar o prato em seu preparo.

Segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, em média, uma mulher precisa de 46 g de proteínas diariamente e um homem necessita de 56 g do nutriente a cada dia. Ou seja, a contribuição da couve é pequena em relação ao teor de proteínas que uma pessoa precisa ingerir a cada dia.

Ainda de acordo com o que pesquisamos, a couve não é considerada uma proteína completa, ou seja, ela não contém todos os aminoácidos (elementos que constituem as proteínas) essenciais. Daí a importância de ter uma alimentação variada para contemplar todos esses aminoácidos.

As proteínas são fundamentais para o funcionamento do nosso organismo – elas estão presentes em todas as células do corpo humano, auxiliam a reparação e a formação de novas células, são especialmente importantes para o crescimento e o desenvolvimento de crianças e adolescentes e para a saúde das gestantes e vitais para a manutenção, desenvolvimento e reparação do tecido corporal.

Além disso, os músculos, os cabelos, os olhos e os órgãos são feitos do nutriente, que também atua na produção de alguns hormônios, forma anticorpos que auxiliam a prevenção de infecções e doenças, trabalha no transporte e no armazenamento de moléculas e pode ser utilizado como fonte de energia. As informações são do Centro Médico da Universidade de Maryland dos Estados Unidos.

Por isso, é essencial incluir diversos alimentos que sejam fonte das proteínas nas refeições como carnes, ovos, produtos laticínios e fontes vegetais do nutriente como grão-de-bico, feijões, aspargo, chia, quinoa, lentilhas e ervilhas, por exemplo.

A couve tem ferro?

O ferro é outro nutriente fundamental para o nosso organismo, porque participa da produção da hemoglobina, uma proteína encontrada nos glóbulos vermelhos que se liga ao oxigênio para transportá-lo aos diversos órgãos do corpo.

Outra tarefa do mineral é ser importante para a produção de mioglobina, uma substância que captura oxigênio para os músculos. Além disso, o ferro é necessário para a síntese de DNA, que é o alicerce de todas as células do organismo.

O nutriente também atua como um componente dos neurotransmissores, substâncias utilizadas pelas células cerebrais para que elas possam comunicar-se umas com as outras. O ferro também é importante para a saúde do sistema imunológico e faz parte do processo de produção do tecido conjuntivo do corpo.

Com tudo isso, vemos como o ferro é importante para o nosso organismo, não é mesmo? Mas será que a couve pode auxiliar a fornecer o mineral para o corpo? Uma xícara de couve crua picada contém 1,1 mg de ferro, o que corresponde a 6% da quantidade do nutriente que devemos consumir todos os dias.

A couve tem cálcio? 

Outro mineral que precisamos fornecer ao nosso organismo é o cálcio. Ele é essencial para o desenvolvimento e a manutenção dos ossos e dos dentes, auxilia o funcionamento adequado do coração, dos nervos e dos músculos e é conhecido por contribuir com a prevenção da osteoporose. As informações são do Centro Médico da Universidade de Maryland.

Uma xícara com 100 g de couve picada carrega 90,5 mg de cálcio, que correspondem a 9% da taxa diária do nutriente que uma pessoa precisa ingerir.

O Centro Médico da Universidade de Maryland esclareceu que para que o cálcio seja absorvido e utilizado, ele precisa de outros nutrientes como magnésio, fósforo e principalmente vitamina D e vitamina K.

O que a couve tem a ver com isso? É que ela é rica em vitamina K e também fornece os minerais magnésio e fósforo.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Você já tinha ouvido falar que a couve tem carboidrato? Consome este alimento com frequência em sua dieta? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Deixe um comentário