Dieta para gastrite – Alimentos, cardápios e dicas

Especialista da área:
atualizado em 21/07/2021

A gastrite consiste numa inflamação da mucosa que reveste as paredes internas do estômago que pode ser causada por alimentação inadequada, uso excessivo de álcool e tabaco, uso prolongado de anti-inflamatórios, estresse crônico, refluxo de bile e por uma infecção causada pela bactéria Helicobacter pylori, ou qualquer outra causa que afete o funcionamento deste órgão.

  Continua Depois da Publicidade  

Além disso, a gastrite pode ser uma condição autoimune em que o sistema imunológico ataca erroneamente as células que revestem o estômago. A evolução dessa doença pode até se tornar uma úlcera dolorosa, com sangramento no estômago, causando complicações mais sérias.

Quando a pessoa sofre com esta condição, torna-se imprescindível diminuir o consumo de alimentos que aumentam a acidez do estômago, como comidas picantes e gordurosas, bebidas alcóolicas, refrigerantes e café.

Portanto, além de identificar as principais causas e modificar seu estilo de vida, o cuidado com a alimentação, adotando uma dieta para gastrite, é parte fundamental para tratar ou evitar a condição, já que está comprovado que uma dieta indevida pode agravar os sintomas ou até mesmo impedir a cura da doença.

Entendendo a gastrite

gastrite queimação estomago

Como o sufixo –ite sugere, a gastrite é um termo utilizado para descrever uma série de condições que têm em comum a inflamação da mucosa (parede) do estômago. Quando ocorre de maneira súbita, a gastrite é chamada de aguda, e quando os sintomas se acumulam ao longo do tempo, é denominada gastrite crônica.

Como já mencionado acima, a gastrite pode ser causada por diversos fatores, entre eles a atuação da bactéria H.pylori. Uma pesquisa publicada em 2010 na revista científica Clinical Microbiology Reviews indica que a bactéria é uma das principais causas da gastrite e que pode estar presente em até 50% da população mundial.

Um em cada sete brasileiros está infectado com a H.pylori, bactéria que se aloja no estômago e que não é afetada pela acidez do órgão. A presença da bactéria no estômago não significa necessariamente o desenvolvimento da doença, mas quando combinada com maus hábitos alimentares e outras condições estressantes para o estômago, a H.pylori pode se proliferar e desencadear os sintomas da gastrite.

Ainda não se sabe com toda certeza se a bactéria causa a doença ou se ela se desenvolve quando a mucosa estomacal já está comprometida. De qualquer maneira, quando não tratada, a condição pode até evoluir para uma úlcera, que é uma ferida na parede do estômago.

Além de causar hemorragia, a úlcera também pode levar ao desenvolvimento de câncer de estômago.

A importância da alimentação

A dieta pode ser tanto uma grande vilã como a principal aliada de quem sofre com gastrite. Manter o hábito de uma alimentação equilibrada fará com que o organismo se mantenha saudável e que o sistema imune esteja fortalecido para combater as inflamações estomacais. O consumo abusivo de álcool, por exemplo, pode irritar as paredes estomacais e causar gastrite. 

  Continua Depois da Publicidade  

E, tão importante quanto evitar uma série de alimentos e bebidas que podem agravar o quadro inflamatório, é incluir na dieta opções que podem acelerar o processo de cicatrização. Confira abaixo quais são esses alimentos para gastrite e como incluí-los no cardápio de sua dieta.

Probióticos x Alimentos ácidos x Alimentos alcalinos 

Estudos como o publicado no Clinical Microbiology Reviews indicam que alimentos probióticos podem ajudar a combater a H. Pylori e evitar a infecção no sistema digestivo que ela causa e que pode evoluir para uma gastrite ou para uma úlcera.

Caso você não saiba exatamente o que são alimentos probióticos, tratam-se de alimentos ou bebidas que contêm bactérias ou leveduras ativas, e alguns exemplos incluem o iogurte, o kombucha, e kefir, o chucrute e o kimchi.

Além dos probióticos, outros alimentos também contribuem para evitar ou tratar a gastrite, de acordo com o seu nível de acidez (pH).

Nesse sentido, os alimentos podem ser divididos em alcalinos e ácidos. A dieta para gastrite deve conter uma proporção de 4:1 destes alimentos, ou seja, cerca de 80% da sua dieta deve ser composta por alimentos alcalinos.

Exemplo de alimentos alcalinos: arroz integral, banana, cenoura, quinoa, abacate, pepino, ervilha, semente de abóbora, couve e salsa. E, ao contrário do que se pensa, o limão é também um alimento alcalinizante, podendo ser utilizado para diminuir a acidez estomacal e acalmar as dores da gastrite.

Já os alimentos acidificantes incluem o açúcar, queijos, carnes gordurosas, chá preto e café, chocolates, manteiga, bebidas alcóolicas, farinha de trigo branca, biscoitos, pizzas e frituras. 

alimentos alcalinos vs ácidos

Alimentos que pioram a gastrite

Acidificantes, os alimentos abaixo devem ser consumidos apenas de maneira esporádica levando em consideração a gravidade do quadro. Geralmente, são alimentos ricos em gordura que podem piorar a inflamação ou alimentos que irritam o estômago. Os exemplos incluem:

  Continua Depois da Publicidade  

  • Bebidas alcoólicas;
  • Café;
  • Chá ou outras bebidas com cafeína;
  • Sucos ácidos;
  • Tomates;
  • Alimentos gordurosos ou fritos;
  • Alimentos picantes;
  • Bebidas carbonatadas;
  • Alimentos que causam alergia.

Veja com mais detalhes que alimentos são esses que você deve ficar longe para aliviar os sintomas da gastrite.

Alimentos gordurosos

Fast-food

Estudos demonstraram que o consumo de alimentos ricos em gordura aumentam as inflamações da parede do estômago. Isso porque, além de ficarem mais tempo no estômago, as moléculas de gordura também exigem que o estômago produza mais ácido para sua digestão, situação que em longo prazo vai irritando a mucosa gástrica e aumenta a disposição à gastrite.

E não é só nas frituras que há excesso de gordura: embutidos, queijos amarelos, chocolates, chantilly, margarina e manteiga, fast food e doces também estão saturados de ácidos graxos.

Farinha branca e açúcar

O consumo de açúcar e farinha de trigo branca (refinada) também deve ser evitado na dieta para gastrite, já que também pode causar irritação no estômago.

Além disso, estes alimentos passam por um processamento que praticamente elimina todos seus benefícios, deixando-os somente com calorias “vazias”, ou seja, sem valor nutricional.

A dica, portanto, é optar pelo pão e macarrão integrais, e somente consumir bolo feito com farinha integral e muito pouco açúcar.

Alimentos picantes e molhos

alimentos picantes

Aquela sensação de queimação no estômago que muitas pessoas sentem logo após comer pimenta se deve à irritação da parede estomacal causada pela capsaicina, o composto que confere o sabor picante à pimenta.

O mesmo sintoma ainda pode ocorrer com o consumo de mostarda (que contém vinagre) e molhos fortes, como o catchup, shoyu e tabasco, que contêm açúcar e gordura entre seus principais ingredientes.

Frutas cítricas, exceto o limão, e legumes ácidos como o tomate, por exemplo, também devem ser evitados em molhos e outras receitas, pois eles são pouco tolerados por pessoas com gastrite devido à irritação que eles provocam no estômago. Maçãs, abóboras e cenouras são alimentos que não têm toda essa acidez e que podem ser ingeridos normalmente em uma dieta para gastrite.

Cafeína

Presente no café, em alguns tipos de chá (como o preto e o verde) e em suplementos para queimar gordura, a cafeína irrita a mucosa do estômago e pode até lesioná-la em caso de consumo elevado e prolongado.

Algumas pessoas com gastrite conseguem tomar chá com cafeína ou um pouco de café, mas geralmente tratam-se de casos leves de gastrite. De forma geral, é melhor evitar o café e deixar para tomar bebidas descafeinadas e esquecer os refrigerantes e energéticos.

Suplementos de cafeína também não são indicados devido à alta concentração da substância que pode irritar o estômago. Assim, é melhor ficar longe de termogênicos, de pré-treinos e de qualquer outro suplemento que seja rico em cafeína. 

Álcool

bebidas alcóolicas

O consumo excessivo de álcool é uma das principais causas da gastrite, e sua ingestão deve ser evitada por completo numa dieta para quem tem gastrite. O álcool irrita a mucosa, e o resultado é semelhante ao que ocorre quando colocamos álcool sobre um machucado (arde e dói ainda mais).

Mesmo pequenas doses podem conter alto teor alcoólico e irritar o seu estômago. Dessa forma, é melhor manter distância de bebidas alcoólicas como vinhos, cervejas, vodka e drinks.

Refrigerantes

O mesmo efeito irritante da cafeína também pode ser provocado por refrigerantes, já que o gás dessas bebidas leva a um aumento na secreção de gastrina, hormônio que por sua vez estimula a produção de ácido clorídrico.

Além disso, refrigerantes de cola e de guaraná podem conter quantidades altas de cafeína que são extremamente prejudiciais para quem tem gastrite. Esse tipo de bebida também é rica em açúcar, que não é um alimento indicado para tratar a sua gastrite.

Frutas e legumes

A maioria das verduras, legumes e frutas é bem tolerada por quem tem gastrite, a exceção ficando por conta da cebola, alho e, para algumas pessoas, o tomate.

Frutas cítricas também podem causar mal-estar em quem sofre de gastrite e por isso é importante procurar vegetais pouco ácidos para a sua dieta. Optar por frutas e vegetais ricos em fibras também é bom para melhorar o processo digestivo geral. 

Laticínios

laticínios

Todos os derivados do leite contém cálcio, mineral que alcaliniza o estômago e obriga o órgão a produzir mais ácido gástrico para combater esse efeito.

Portanto, numa dieta para gastrite deve-se evitar ao máximo o consumo de leite, queijos e demais produtos lácteos.

Alimentos que ajudam a aliviar os sintomas da gastrite

Estes alimentos devem obrigatoriamente fazer parte de uma dieta para gastrite, pois podem ajudar a aliviar os sintomas e ainda trazem outros tantos benefícios à saúde. Confira:

Couve manteiga

couve manteiga

A couve é um dos melhores alimentos para gastrite, pois possui ação cicatrizante e atua na regeneração da mucosa estomacal. A couve manteiga também contém carotenoides e bioflavonoides que combatem as inflamações e podem ajudar na prevenção do aparecimento do câncer.

A melhor maneira de consumir a couve para aliviar os sintomas da gastrite é na forma de sucos preparados somente com água ou água de coco. Dê preferência à couve orgânica, para evitar sobrecarregar o fígado e os demais órgãos digestivos com resíduos químicos.

Chia

Ao entrar em contato com água ou outro líquido no estômago, a chia se transforma em um gel, que protege a parede do estômago contra a ação do ácido clorídrico. A sementinha também tem ação anti-inflamatória e aumenta o bolo alimentar, ajudando no controle das porções consumidas durante as refeições. E quanto menor a quantidade de alimentos, menor será a secreção de ácidos pelo estômago. 

Deixe uma colher de chia descansando em um copo de água mineral e tome após 30 minutos.

Biomassa de banana verde

Produzida a partir da fruta cozida, a biomassa de banana verde possui um tipo de amido (conhecido como resistente) que não é digerido pelo organismo. Ao chegar ao intestino, esse amido constitui-se em um excelente probiótico, estimulando o crescimento de bactérias benéficas ao sistema digestivo.

A biomassa de banana verde ainda é fonte de magnésio, zinco, potássio e sódio, minerais que são alcalinizantes e atuam como neutralizadores dos ácidos estomacais.

Geleia real

geleia real benefícios saúde

A secreção produzida por abelhas jovens é rica em sais minerais, lipídios, aminoácidos e vitaminas, sendo indicada na dieta para gastrite graças ao seu potencial cicatrizante e antibactericida.

Uma única colher de café (cerca de 3 g) de geleia real, ainda em jejum, já é suficiente para obter todos os benefícios da substância.

Folhas verdes escuras

Além da couve, o espinafre, brócolis, rúcula e outras folhas escuras também não podem faltar na dieta para gastrite, pois são boas fontes de ferro e das vitaminas A, C, K, nutrientes que atuam na cicatrização da gastrite e das úlceras estomacais.

Todos eles são ricos em fibras e, segundo um estudo publicado em 2014 na revista Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva, alimentos fibrosos são importantes para o bom funcionamento intestinal e para auxiliar no tratamento de problemas digestivos. 

Hortelã, camomila e alecrim

Essas três ervas são aliadas da boa digestão e ajudam a acalmar o estômago, diminuindo a produção dos ácidos. Consuma-as na forma de chá, sempre sem açúcar e adoçante.

Tais ervas também tem propriedades anti-inflamatórias que ajudam no tratamento da gastrite, além de serem livres de cafeína, o que também é importante para evitar ainda mais irritação na parede estomacal.

Suco de aloe vera

aloe vera

Também conhecida como babosa, a Aloe Vera tem ação cicatrizante e pode ajudar a curar a irritação e até mesmo as feridas estomacais. É possível encontrar o suco já pronto em casas de produtos naturais.

As propriedades anti-inflamatórias da babosa são importantes para controlar a inflamação. Além do mais, a babosa melhora a digestão, remove toxinas e é repleta de vitaminas, minerais e outros nutrientes importantes para o organismo.

Espinheira santa

O chá de espinheira santa tem propriedades anti-inflamatórias e pode ajudar a cicatrizar a mucosa do estômago. A planta medicinal também atua no combate à H.pylori e diminui a secreção de ácido gástrico.

Para prevenir ou para curar a gastrite, tome uma xícara de chá de espinheira santa 30 minutos antes das principais refeições.

Opções de cardápio

A dieta para quem tem gastrite deve concentrar o máximo possível de alimentos cozidos e de fácil digestão. Na dúvida entre comer repolho cru ou cozido, por exemplo, prefira a segunda opção.

Ao preparar os alimentos da dieta para gastrite, adicione o mínimo possível de sal e óleo, ainda que seja azeite ou outro óleo “saudável”.

Café da manhã

  • 1ª opção: 1 fatia de bolo integral + 1 xícara de chá de camomila + omelete com duas claras;
  • 2ª opção: 1 copo de suco de couve + ½ xícara de cerejas + 2 torradas integrais;
  • 3ª opção: 1 copo de leite de soja + 1 banana amassada com 1 colher de farinha de linhaça;
  • 4ª opção: 1 fatia de melão + 1 fatia de pão integral + 1 fatia de tofu;
  • 5ª opção: ½ mamão papaia + 1 xícara de chá de hibisco + 1 tapioca recheada com 2 colheres de espinafre com tofu.

Lanche da manhã

  • 1ª opção: 1 fruta de sua preferência;
  • 2ª opção: 1 copo de iogurte de soja (ou eventualmente iogurte tradicional desnatado);
  • 3ª opção: 2 castanhas do Pará + 1 copo de água de coco;
  • 4ª opção: 1 copo de suco de mamão preparado com água;
  • 5ª opção: 1 colher de uva passa.

Almoço

  • 1ª opção: 1 prato pequeno de salada de couve + 3 colheres de arroz integral + ½ concha de feijão + 1 pires de legumes no vapor + 1 filé pequeno de peixe grelhado ou assado;
  • 2ª opção: 3 colheres de sopa de purê de abóbora + salada de alface com acelga + 3 colheres de lentilha + 1 bife pequeno sem gordura;
  • 3ª opção: 3 colheres de repolho cozido + 1 filé de frango + salada de palmito  + 3 colheres de arroz integral;
  • 4ª opção: 3 colheres de grão-de-bico + 2 fatias finas de tofu + salada de folhas verdes + couve cozida;
  • 5ª opção: 1 lata de atum light (em água) + 3 colheres de purê de mandioquinha + salada verde + 3 colheres de ervilha cozida no vapor.

Lanche da tarde

  • 1ª opção: 1 fatia de pão integral com patê de soja light;
  • 2ª opção: 1 copo de suco de cenoura com 1 colher (de café) de mel;
  • 3ª opção: ½ xícara de uvas + 2 nozes;
  • 4ª opção: 1 banana + 1 copo de água de coco natural;
  • 5ª opção: 3 ameixas secas.

Jantar

  • 1ª opção: 1 prato de sopa de abóbora com espinafre;
  • 2ª opção: 1 pires (porção pequena) de couve refogada + 1 filé de peixe pequeno;
  • 3ª opção:: 2 colheres de sopa de purê de batata + 1 filé de peito de frango sem pele + salada verde;
  • 4ª opção: 1 pires de brócolis cozido + ½ batata doce cozida ou assada;
  • 5ª opção: 1 prato de sopa de legumes com pouco sal.

Dicas

  1. Fazer a dieta para gastrite por um curto período e voltar a se alimentar com frituras, doces, refrigerantes e café em excesso poderá trazer todos os sintomas indesejados de volta. Portanto, a dica para quem sofre há muito tempo com a gastrite é fazer modificações nos hábitos alimentares e tentar incorporar esta dieta como um estilo de vida, apenas fazendo alterações no cardápio para variar os tipos de frutas, verduras e legumes, mas sem acrescentar alimentos acidificantes;
  2. Não tome medicamentos sem indicação médica, uma vez que muitas fórmulas podem irritar ainda mais a parede do estômago e piorar a gastrite;
  3. Beba água de coco durante as crises mais fortes, e tente se possível evitar o consumo de alimentos sólidos (dando preferência para sopas e caldos leves) até que as dores tenham diminuído;
  4. Consuma alimentos ricos em flavonoides, que podem evitar o crescimento da H.pylori. Maçã, salsão, abóbora, mirtilo e cereja são alguns exemplos de alimentos com alta concentração de antioxidantes naturais;
  5. No caso da gastrite causada pelo estresse, a caminhada, yoga, alongamento, tai chi chuan e até mesmo a meditação podem ser de grande auxílio, uma vez que acalmam a mente e podem reduzir a secreção de ácido clorídrico;
  6. Evite comer muito de uma única vez. Para facilitar a digestão e também para não ficar com o estômago vazio por muito tempo, divida sua alimentação em 4-5 refeições menores ao longo do dia;
  7. Não consuma nada que contenha vinagre, pimenta, picles e pimentão;
  8. Faça sua última refeição no máximo 2 horas antes de ir para cama. E lembre-se de não consumir alimentos pesados e que prejudicam a digestão (como carne vermelha com gordura, lanches com queijo e frituras);
  9. Coma devagar, mastigando bem e dando preferência a fazer as refeições em lugares mais calmos;
  10. Evite a água com gás, pois os gases da bebida podem causar irritação à parede estomacal;
  11. A couve é um dos melhores alimentos para gastrite, e se consumida logo pela manhã, melhor ainda. Experimente começar o dia com um suco feito com 2 folhas de couve e 1 copo de água;
  12. Troque os sucos industrializados por chá de camomila ou de erva doce, água de coco e suco de frutas frescas;
  13. A última refeição do dia deve ser a mais leve, e nunca deverá conter gordura ou açúcar em excesso, já que além de piorar a gastrite, esses alimentos ainda podem provocar refluxo (azia);
  14. Apesar de todos os benefícios do azeite para a saúde, seu consumo deve também ser feito com muita moderação na dieta para gastrite, já que também pode retardar a digestão e levar a um aumento na produção de ácidos estomacais;
  15. Pratique atividades físicas pelo menos quatro vezes durante a semana. Estudos comprovam que aqueles que seguem uma rotina de exercícios tendem a adotar hábitos mais saudáveis à mesa, o que pode ajudar a melhorar os sintomas da gastrite;
  16. Pesquisas recentes indicam que o consumo de cúrcuma (açafrão) pode ser altamente benéfico na prevenção de úlceras. Experimente colocar regularmente uma colher de chá do tempero no preparo do arroz integral ou então da sopa de legumes;
  17. Como o tabagismo também pode piorar o quadro de gastrite, inclua o cigarro na lista de hábitos que devem ser abandonados para cicatrizar a parede do estômago;
  18. Não tome líquido durante as refeições, já que a distensão gástrica provocada pelo aumento do bolo alimentar irá irritar ainda mais a mucosa estomacal;
  19. A dieta para gastrite deve conter muita fibra, para facilitar a digestão e acelerar a passagem dos alimentos até a porção final do intestino;
  20. Procure um médico caso você não note uma melhora dos sintomas mesmo após ter modificado seus hábitos e ter feito a dieta para gastrite.

Vídeos

Fontes e referências adicionais

Você já adotou alguma dieta para gastrite? Sentiu alguma melhora nos sintomas? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (80 votos, média 4,05)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é Nutricionista - CRN-RJ 0510146-5. Ela é uma das mais conceituadas profissionais do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário

64 comentários em “Dieta para gastrite – Alimentos, cardápios e dicas”

  1. Obrigada doutora to tomando omeprazol ate conseguir a endoscopia para investigar o que é seu artigo ajudou bastante já que eu não tenho condições pra pagar uma nutricionista e pedir através do sus ia demorar uma eternidade

    Responder
  2. Chá de espinheira santa com hortelã moído e bom para gastrite? Pois tomo o chá me da uma ardência.

    Responder