Home » Suplementos » Falta de Vitamina B1 – Sintomas e O Que Fazer

Falta de Vitamina B1 – Sintomas e O Que Fazer

Vitamina B1

As vitaminas do complexo B são um grupo de vitaminas solúveis em água que participam de diversas reações químicas do organismo. É deste grupo que faz parte a vitamina B1, que também é conhecida pelo nome de tiamina.

  Continua Depois da Publicidade  

Entre os benefícios da vitamina B1 e suas funções no organismo, ela é responsável por auxiliar as células a transformar os carboidratos em energia. Vale ressaltar que a principal função dos carboidratos é justamente o fornecimento de energia para o corpo, principalmente o cérebro e o sistema nervoso.

A vitamina B1, que também é classificada como uma coenzima, participa da contração muscular e da condução de sinais nervosos e é utilizada para manter a função apropriada dos nervos e do coração.

O nutriente é usado em praticamente todas as células do organismo e é considerado especialmente importante para apoiar os níveis de energia do corpo e a saúde do metabolismo.

Ao lado das outras vitaminas do complexo B, a vitamina B1 trabalha na regulação de importantes funções do sistema cardiovascular, do sistema endócrino e do sistema digestivo.

  Continua Depois da Publicidade  

A levedura nutricional e alimentos como alga marinha, sementes de girassol, nozes de macadâmia, feijão preto, lentilha, grãos de soja orgânicos, feijão branco, ervilhas partidas verdes, feijão rajado, feijão mungo (feijão da china), bife de fígado, aspargo e couve-de-Bruxelas se destacam como fontes do nutriente na dieta.

A falta de vitamina B1

A deficiência de tiamina ou falta de vitamina B1 não é muito comum de ser encontrada em países ocidentais e desenvolvidos. Entretanto, isso não significa que ela não exista.

Por exemplo, ela pode ser desenvolvida quando uma pessoa falha em fornecer a quantidade de vitamina B1 que o seu corpo necessita.

A listinha a seguir, baseada em dados Office of Dietary Supplements (Agência de Suplementos Alimentares) dos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos, apresenta a quantidade recomendada diária do nutriente para diferentes grupos de pessoas:

  • Meninos e meninas do nascimento aos seis meses de idade: 0,2 mg de vitamina B1 por dia;
  • Meninos e meninas dos sete aos 12 meses de idade: 0,3 mg de vitamina B1 por dia;
  • Meninos e meninas de um a três anos de idade: 0,5 mg de vitamina B1 por dia;
  • Meninos e meninas dos quatro aos oito anos de idade: 0,6 mg de vitamina B1 por dia;
  • Meninos e meninas dos 9 aos 13 anos de idade: 0,9 mg de vitamina B1 por dia;
  • Adolescentes do sexo masculino de 14 a 19 anos de idade: 1,2 mg de vitamina B1 por dia;
  • Adolescentes do sexo feminino de 14 a 19 anos de idade: 1 mg de vitamina B1 por dia;
  • Adolescentes do sexo feminino de 14 a 19 anos de idade que estejam grávidas ou amamentando: 1,4 mg de vitamina B1 por dia;
  • Homens de 19 a 50 anos de idade: 1,2 mg de vitamina B1 por dia;
  • Mulheres de 19 a 50 anos de idade: 1,1 mg de vitamina B1 por dia;
  • Mulheres de 19 a 50 anos de idade que estejam grávidas ou amamentando: 1,4 mg de vitamina B1 por dia;
  • Homens a partir dos 51 anos de idade: 1,2 mg de vitamina B1 por dia;
  • Mulheres a partir dos 51 anos de idade: 1,1 mg de vitamina B1 por dia.

Existe ainda uma condição chamada de síndrome de Wernicke-Korsakoff, que também é conhecida como a falta de vitamina B1 em alcoólatras.

A maioria dos alcoólatras diagnosticados com a doença relata não consumir muitos alimentos, ao mesmo tempo em que ingere bebidas alcoólicas em excesso, o que é um fator que contribui bastante com a falta de vitamina B1.

  Continua Depois da Publicidade  

Acredita-se que o nutriente possa não ser absorvido apropriadamente por pessoas que ingerem muitas bebidas alcoólicas e por quem sofre com problemas no fígado.

Além disso, os taninos presentes no café e nos chás podem reagir com a vitamina B1, fazendo com que ela ganhe uma forma que é difícil de ser absorvida adequadamente pelo organismo, trazendo o risco de desenvolvimento de problemas digestivos e da deficiência de tiamina.

Entretanto, a maioria dos pesquisadores acredita que isso não deve ser motivo de preocupação, a não ser que a dieta seja pobre em vitamina B1 e vitamina C. A vitamina C aparenta prevenir a interação entre a tiamina e os taninos do café e dos chás.

  Continua Depois da Publicidade  

Pesquisas apontaram ainda que o peixe cru de água doce e os mariscos podem conter substâncias químicas que destroem a vitamina B1. Isso foi observado em pessoas que consomem muito peixe cru, porém, peixes e frutos do mar cozidos não causam o mesmo problema.

Existem ainda estudos que indicaram que as chamadas nozes de areca podem modificar quimicamente a vitamina B1, fazendo com que ela não funcione como deveria.

A falta de vitamina B1 pode provocar fraqueza, fadiga crônica, complicações cardíacas, psicose, danos nos nervos e um distúrbio conhecido pelo nome de beribéri, em que ocorre o desgaste dos músculos e problemas cardiovasculares graves como o coração dilatado (cardiomegalia).

Os sintomas da falta de vitamina B1

A lista de sintomas da falta de vitamina B1 inclui:

  • Anorexia;
  • Perda de peso rápida;
  • Colite (reação inflamatória no cólon);
  • Problemas digestivos contínuos como a diarreia;
  • Danos nos nervos;
  • Inflamação nos nervos (neurite);
  • Diminuição da memória de curto prazo;
  • Fadiga;
  • Confusão;
  • Irritabilidade;
  • Fraqueza muscular;
  • Mudanças mentais como apatia ou depressão;
  • Problemas cardiovasculares.

O que fazer se acho que sofro com a falta de vitamina B1

Se você experimenta ou já experimentou alguns dos sintomas mencionados acima, é fundamental conferir se sofre com a deficiência da vitamina ou não. E não tem outro jeito: para ter certeza de que é esse o caso, você precisa consultar-se com o médico, que o examinará, ouvirá os sintomas que você apresenta e fará o diagnóstico.

Uma vez que o diagnóstico for confirmado, o médico indicará o tratamento adequado, especificando se o problema pode ser revertido somente com o aumento da ingestão de alimentos com vitamina B1 ou se existe a necessidade de utilizar suplementos.

Mas não é apenas por esses motivos que é necessário ir ao médico – a consulta também é importante para que a origem da falta de vitamina B1 seja investigada, descoberta e tratada e para verificar se a deficiência do nutriente não causou algum outro tipo de problema de saúde.

Como acontece com todos os nutrientes, é melhor tentar fornecê-los ao organismo por meio dos alimentos e não com o uso de suplementos, sempre que for possível.

Não comece a tomar um suplemento de vitamina B1 sem antes consultar o médico e obter a permissão do profissional. Se você acha que tem deficiência do nutriente, antes do dia da consulta, o que pode tentar fazer é comer mais alimentos que sirvam de fonte de tiamina em suas refeições.

É essencial iniciar o uso do suplemento somente depois de conversar com o médico para que o profissional verifique se o produto é realmente indicado para você, se não poderá lhe fazer mal ou se não pode interagir com algum medicamento, suplemento ou planta medicinal que você utilize.

Além disso, a dosagem de um suplemento precisa ser definida pelo médico de acordo com as características e necessidades de cada paciente. Isso é necessário para não acabar com doses excessivas de tiamina no organismo ou utilizar uma dosagem que seja ineficaz para tratar a falta de vitamina B1.

De acordo com o doutor em biologia molecular Matthew Busse, a superdosagem de vitamina B1 é rara, porém, a ingestão excessiva de tiamina pode provocar perturbação estomacal.

Segundo Busse, ingerir muito de apenas uma vitamina do complexo B, como a tiamina, pode provocar um desequilíbrio em relação aos níveis de vitaminas do complexo B, o que em casos severos pode causar deficiência de outras vitaminas do complexo B.

“Em casos raros, os suplementos de vitamina B1 podem provocar uma reação alérgica. O sintoma mais comum é a irritação na pele, resultando em secura, coceira na pele ou erupção cutânea”, completou o doutor em biologia molecular.

Conforme Busse, também pode ocorrer uma reação mais severa com náusea, vertigem, dificuldade de respiração e inchaço das mãos, da face, da boca ou da garganta, apesar disso ser raro.

“Se você ou alguém que você conhece experimentar um inchaço severo na face e tiver dificuldade para respirar, contacte o serviço médico de emergência imediatamente”, orientou o doutor em biologia molecular.

Em frente a qualquer efeito colateral decorrente do uso de um suplemento de vitamina B1, recomendamos que você procure a ajuda médica para checar a gravidade do problema e verificar se ele não exige tratamento.

Atenção

Este artigo serve somente para informar e jamais pode substituir o diagnóstico e a orientação de um médico. Para diagnosticar e tratar a falta de vitamina B1, você precisa consultar o médico.

Você já foi diagnosticado com falta de vitamina B1 ou sente os sintomas que foram descritos acima? Que tipo de tratamento foi recomendado pelo médico? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (5 votos, média: 4,60 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite
  Continua Depois da Publicidade  


ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*