Fígado é Remoso?

Apesar de muita gente virar a cara quando é servido um bife de fígado, não dá para negar que existem propriedades saudáveis na composição do alimento. Veja a seguir se fígado é remoso ou se o consumo desse órgão do boi nunca faz mal para a nossa saúde.

Podemos encontrar no fígado bovino nutrientes como ferro, cobre, vitamina A, colina (vitamina do complexo B), vitamina B2, vitamina B9 e vitamina B12, além de proteínas de alta qualidade.

Aproveite para conferir nossa análise e entender se bife de fígado engorda ou não para que, se você estiver fazendo uma dieta para emagrecer ou manter o peso, decida se vale a pena mantê-lo no cardápio.

O que são alimentos remosos?

Para entender se o fígado é remoso, é necessário saber o que caracteriza e define um alimento remoso, não é mesmo?

Pois bem, de acordo com o dicionário, a expressão remoso significa “capaz de prejudicar a saúde, que faz mal à saúde, especialmente ao sangue […]”. O termo ainda pode sofrer uma pequena variação e ser chamado de reimoso.

Já o termo reimoso não se trata de uma classificação científica, mas é uma expressão antiga, associada à sabedoria popular, que também pode definir os alimentos que podem provocar inflamação na pele, em decorrência de uma reação alérgica.

Chama-se popularmente de reima, algo que pode ser considerado um alergênico e que causa reações como coceira, diarreia e intoxicações mais sérias em algumas pessoas.

Os alimentos remosos ou reimosos também são conhecidos pela alcunha de “alimentos carregados” e essas comidas costumam apresentar quantidades elevadas de proteína e gordura animal.

E então, o fígado é remoso?

Não encontramos propriamente o fígado em alguma lista séria e/ou confiável de alimentos remosos ou reimosos, mas isso não significa necessariamente que ele não possa provocar problemas para a saúde.

Por exemplo, você sabia que o fígado de boi é prejudicial para a saúde das mulheres que estão grávidas?

De acordo com os nutricionistas, o fígado possui altas quantidades de vitamina A, um nutriente que se for consumido em excesso pode provocar malformações no feto, principalmente durante o primeiro trimestre da gestação.

A recomendação é que as gestantes evitem o consumo de fígado e outros órgãos de animais, ingerindo pequenas quantidades somente nos casos em que aquele típico desejo de grávida bater. Aproveite para conhecer também todos os alimentos perigosos que grávidas devem evitar.

“Precisa-se de apenas 30 g de fígado bovino para atingir o nível máximo tolerável de ingestão de vitamina A durante a gravidez. Essa é um volume muito pequeno, então as quantias precisam ser monitoradas. Embora seja seguro comer uma pequena quantidade de fígado ocasionalmente durante a gravidez, é necessário ser cauteloso”, afirmou a nutricionista Alexandra Rowles.

É nosso dever relembrar aqui da importância das futuras mamães consultarem e questionarem o médico a respeito de como toda a sua alimentação deve ser durante todo o período da gestação e do aleitamento. Portanto, se você está grávida, consulte o seu médico para saber qual o limite de bife de fígado que você pode ingerir.

Agravamento dos sintomas da gota

O fígado é rico em proteínas que possuem as purinas, substâncias responsáveis pela elevação do ácido úrico no organismo e, por conta disso, o alimento colabora com o agravamento dos sintomas da gota.

A gota é uma condição que é provocada justamente pelo acúmulo de cristais de ácido úrico nas articulações. Caso você já tenha sido diagnosticado com a doença, converse com o seu médico a respeito de como deve funcionar a sua alimentação.

Entretanto, se você não sofre de gota, comer o fígado não vai necessariamente causá-la. Enquanto um número de fatores pode aumentar o seu risco de desenvolver a gota, os fatores alimentares contam somente por aproximadamente 12% dos casos.

De qualquer forma, fica aí um motivo para não exagerar na ingestão do bife de fígado. E se você costuma consumir o alimento em suas refeições, fique atento ao seu corpo para ver se os sintomas da doença não aparecem – alguns deles são: dor, rigidez e inchaço nas articulações.

Caso experimente esses problemas, procure a ajuda do médico para receber o diagnóstico e o tratamento apropriado, caso seja necessário.

Toxinas e metais pesados

Outra preocupação apresentada pelos nutricionistas é em relação à presença de toxinas no fígado. Graças ao fato do fígado ser o local de onde são filtradas e retiradas as toxinas do organismo, o órgão acaba armazenando uma boa parcela dessas substâncias.

Os fígados de animais ainda podem trazer as toxinas oriundas de produtos da alimentação ou criação de animais como grãos processados, antibióticos, vacinas, pesticidas para o capim, água contaminada e hormônios.

O fígado dos animais acumula metais pesados como mercúrio, chumbo, arsênio e cádmio, que podem contaminar e prejudicar o organismo.

Segundo encontramos, essas substâncias causam danos ao funcionamento dos pulmões e das articulações. Além do fígado, esses metais pesados podem estar presentes no músculo, no coração e nos rins de vacas, cavalos e frangos, principalmente nos casos de animais que crescem em locais que ficam próximos a fábricas de metais ou de produtos químicos.

Por outro lado, a nutricionista Alexandra Rowles defendeu que o fígado não armazena toxinas e que o trabalho do órgão é processá-las e torná-las seguras ou transformá-las em alguma coisa que possa ser removida seguramente do corpo. Para Rowles, as toxinas no fígado não representam um problema.

Recomendações quanto ao consumo do fígado de animais

Recomenda-se escolher fígado de bezerro no lugar do bife de fígado bovino porque é provável que existam menos toxinas nos fígados de animais mais jovens. Alertamos também para a importância de escolher fígados de animais criados organicamente, que têm menores chances de contar com a presença de pesticidas, hormônios ou resíduos de antibióticos.

Para quem não gosta do bife de fígado, aqui vai uma boa notícia: não existem motivos convincentes no que se refere à saúde para incluir o alimento na dieta se a pessoa não gostar dele.

Já para as pessoas que gostam do bife de fígado, a orientação é de consumir o alimento no máximo uma vez por semana, e fazer uma alimentação equilibrada, que seja rica em frutas e vegetais, itens que fornecem antioxidantes e auxiliam a desintoxicação do organismo.

O fígado deve ser comprado de produtores orgânicos, dando preferência ao órgão que vem de animais que não tenham sido tratados com antibióticos e hormônios.

Você já tinha ouvido falar que bife de fígado é remoso? Consome com frequência? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Deixe um comentário