O Que Acontece Quando Se Faz Somente Uma Refeição por Dia Ao Longo de Um Mês?

Especialista:
atualizado em 06/04/2020

Você provavelmente já ouviu falar do jejum intermitente, aquele tipo de dieta em que em que a pessoa intercala períodos em que consome alimentos com períodos em que permanece em jejum, com o objetivo de emagrecer e obter benefícios para a saúde.

Dentro do programa alimentar, geralmente nenhum alimento é permitido durante a janela de jejum, mas a pessoa pode tomar água, café, chá e algumas outras bebidas não alcoólicas. Entretanto, existem formas de jejum intermitente que permitem pequenas quantidades de alimentos de baixas calorias durante o período de jejum.

Entre as variedades do jejum intermitente, uma que chama bastante atenção é a do jejum de 24 horas – isso mesmo, que prevê ficar um dia inteiro sem comer, fazendo somente uma refeição por dia. A pessoa faz uma refeição como o almoço ou jantar e só come outra vez no almoço ou jantar do dia seguinte.

Mas o que será que acontece com alguém que segue esse método? Isso realmente pode ser benéfico? Será que essa abordagem mais radical do jejum intermitente não pode gerar problemas para a saúde?

O emagrecimento

Sim, ao fazer uma única refeição diária a pessoa perde peso. Isso porque geralmente a quantidade de calorias consumidas diariamente vai ser muito menor do que o normal. Mas só dá para esperar que isso aconteça quando a refeição for equilibrada e composta por legumes, verduras, frutas, cereais integrais, gorduras boas e proteínas de alto valor biológico.

Se a pessoa exagerar e ingerir muitas massas, gorduras, guloseimas e outros alimentos calóricos nessa única refeição, será difícil obter alguma diferença, tendo em vista que consumirá todo o valor calórico normalmente ingerido em um dia de uma única vez. Na realidade, a única diferença será que ela ingeriu todas as calorias referentes a um dia de uma vez no lugar de dividir todo esse aporte calórico em várias refeições ao longo do dia.

Liberdade

Fazer uma única refeição por dia traz a liberdade de não precisar dedicar tempo para planejar e organizar várias refeições, basta pensar e montar apenas uma.

Além disso, o jejum de 24 horas permite que de vez em quando a pessoa se dê ao luxo de consumir algo que goste como um docinho ou uma comida um pouco mais pesada, pois o impacto não será tão forte, uma vez que será dentro de uma única refeição diária equilibrada.

Mas ressaltamos que isso não significa consumir apenas essas guloseimas ou junk foods que gosta na refeição e nem fazer isso de maneira exagerada – esse agrados devem ocorrer com equilíbrio e moderação.

Como vimos acima, abusar desses tipos de comidas não vai trazer benefícios em termos de economia de calorias e será péssimo para a saúde, já que a única refeição do dia não abrangerá os nutrientes essenciais ao funcionamento adequado e saudável do organismo.

Economia

Passar de seis, cinco ou quatro refeições por dia para uma única refeição diária resultará em menos gastos com alimentação e, consequentemente, em uma economia nas finanças.

Diminuição do apetite

Ao ficar tantas horas por dia sem se alimentar, são secretados hormônios diferentes e o organismo passa a entender o novo padrão alimentar que foi adotado. É como se ele compreendesse que só terá comida novamente depois de 24 horas e se acostumasse a isso. Então, o apetite e a fome são diminuídos.

Efeitos colaterais

Entretanto, calma lá: nem tudo são flores no jejum intermitente de 24 horas. Para algumas pessoas, o ato de ficar tantas horas sem ingerir alimento algum pode provocar reações adversas como fraqueza, tontura, mal-estar, hipoglicemia (baixa nos níveis do açúcar no sangue) e pressão baixa, principalmente para quem já sofre com alguma condição de saúde preexistente.

Embora acredite-se que com o passar do tempo o apetite diminua, no início do jejum intermitente de 24 horas algumas pessoas podem sentir muita fome, ao ponto de sofrer com dor de estômago e não dar conta de passar dos primeiros dias da dieta.

Baixa de energia

Consumir uma única refeição diariamente também vai resultar em uma diminuição nos níveis de energia no corpo, uma vez que haverá uma redução muito expressiva na ingestão diária de calorias. Resultado: a pessoa fica letárgica, muito sonolenta, com muito cansaço e sem disposição para fazer as tarefas do dia a dia.

Isso não é interessante para quem trabalha o dia inteiro ou tem um dia a dia muito ativo, além de poder atrapalhar os treinamentos, já que eles exigem energia e disposição para serem realizados. Portanto, é necessário discutir essa questão com o nutricionista e o educador físico antes de tomar a decisão de seguir um jejum intermitente de 24 horas.

Lado antissocial

Períodos de lazer e relaxamento com a família e/ou os amigos são parte importante da vida de qualquer pessoa – afinal, o ser humano é um ser social e todos precisamos desses momentos de interação, conversa e diversão para aliviar a rotina pesada do dia a dia.

A questão é que esses momentos costumam vir acompanhados de comidas e bebidas e é justamente aí que o lado antissocial do jejum intermitente de 24 horas se apresenta: se a pessoa só faz uma refeição por dia, ela não poderá aproveitar os almoços, jantares e outras refeições com seus familiares e/ou amigos.

Mesmo que compareça a esses eventos, haverá sempre aquele esforço e tensão de não poder comer ou beber enquanto o resto do pessoal curte a refeição e o momento de socialização sem maiores preocupações.

Atenção: o jejum intermitente não serve para todas as pessoas

Por isso, antes de iniciar qualquer variedade do jejum intermitente, especialmente uma tão radical quanto o jejum de 24 horas, é fundamental consultar o médico para saber se o programa não é contraindicado para você e se não pode te fazer mal.

Da mesma forma, para garantir a segurança e a eficácia do método, é essencial que ele seja realizado sob a orientação de um nutricionista. É ele o profissional indicado para ajudar a montar um cardápio que forneça os nutrientes e a energia necessários para o organismo funcionar apropriadamente e aguentar os períodos de jejum e que ajude a não ser tão sofrido passar pelo programa alimentar.

O jejum intermitente é contraindicado em casos de pressão baixa, diabetes, gravidez, mulheres que amamentam, histórico de distúrbio alimentar, problemas para dormir bem e estresse crônico.

O jejum intermitente também não está autorizado para as mulheres grávidas, mulheres que amamentam, pessoas com histórico de distúrbio alimentar, que não dormem bem e que sofrem com estresse crônico.

Além disso, o programa alimentar não deve ser seguido por quem está abaixo do peso, pelas mulheres que sofrem com problemas de fertilidade e/ou estejam tentando engravidar e pelas pessoas que são iniciantes no mundo da dieta e exercícios.

A recomendação de consultar o médico antes de começar o jejum intermitente de 24 horas deve ser seguida por todas as pessoas, especialmente importante para aqueles que já sabem que sofrem com problemas de saúde como gastrite, dificuldades com o controle do açúcar no sangue, histórico de amenorreia (ausência de menstruação) e para as pessoas que fazem uso de medicamentos.

Para quem não consegue ou não pode fazer o jejum intermitente, existe uma excelente notícia: ele não é a única solução para a saúde e boa forma. Também é possível ter bons resultados, por exemplo, ao seguir uma dieta mais anti-inflamatória, evitar alimentos de baixa qualidade, consumir bastante água, dormir bem, meditar e controlar o estresse, por exemplo.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Fontes e Referências adicionais:

Você já sabia o que acontece quando se faz somente uma refeição por dia ao longo de um mês? Conhece alguém que já experimentou isso? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (7 votos, média: 4,86 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário

1 comentário em “O Que Acontece Quando Se Faz Somente Uma Refeição por Dia Ao Longo de Um Mês?”