16 Remédios para Enxaqueca Mais Usados

Especialista:
atualizado em 13/09/2019

As enxaquecas são dores de cabeça severas e debilitantes que normalmente são caracterizadas por uma intensa pulsação em uma área da cabeça. Ao sentir enxaqueca, uma pessoa também pode experimentar sintomas desagradáveis como alta sensibilidade à luz, som e cheiro, distúrbios visuais e até mesmo sentir náuseas ou vômitos.

Atualmente, não há cura para enxaquecas, embora uma série de tratamentos estejam disponíveis para ajudar a aliviar os sintomas. A enxaqueca é muito mais que uma dor de cabeça forte e pode afetar muito a vida cotidiana de quem sofre com crises constantes. Pensando nisso, vamos listar os remédios para enxaqueca mais usados, além de alguns suplementos que podem ser utilizados para aliviar a condição.

Enxaqueca

As enxaquecas são comumente tratadas com medicação. Existem duas categorias de remédios para enxaqueca:

  1. Tratamento agudo, em que são tratados a dor e outros sintomas durante uma enxaqueca;
  2. Tratamento preventivo, para reduzir a frequência e gravidade das enxaquecas.

Pode levar algum tempo para descobrir qual o melhor tratamento para você. Talvez seja necessário tentar diferentes tipos ou combinações de medicamentos antes de encontrar os mais eficazes. Se você achar que não pode administrar suas enxaquecas usando medicamentos que podem ser comprados sem receita médica, seu médico de clínica geral pode prescrever algo mais forte.

Muitos dos remédios para enxaqueca também podem apresentar efeitos colaterais. Alternativas mais naturais como certas vitaminas, minerais e outros suplementos também podem influenciar na frequência ou gravidade de suas enxaquecas.

Sintomas

A enxaqueca podem incluir qualquer combinação dos seguintes sintomas:

  • Dor de um lado da cabeça;
  • Sensação latejante na cabeça;
  • Sensibilidade à luz ou sons;
  • Visão turva ou mudanças visuais, que são referidas como “aura”;
  • Náusea;
  • Vômito.

Causas

Ainda não está clara a causa das enxaquecas, mas provavelmente existe a contribuição de um fator genético, além de fatores ambientais como dieta, mudanças hormônios, uso de álcool e estresse. Em casos raros, as dores podem ser um sintoma de um tumor cerebral.

Tratamento

Tomar um remédio para tratamento agudo de enxaqueca muitas vezes por mês pode causar efeitos colaterais indesejados como outras dores de cabeça que resultam do uso excessivo do medicamento. Neste caso, é recomendado que a pessoa vá até o médico e converse sobre um tratamento preventivo.

– Tratamento agudo

Neste tratamento, os medicamentos são receitados para parar uma enxaqueca, às vezes chamados de medicamentos abortivos, que podem ser medicamentos com ou sem prescrição. Se você tomar o remédio no primeiro sinal de enxaqueca, é possível que a dor de cabeça pare imediatamente.

– Tratamento preventivo

No tratamento preventivo são receitados medicamentos para prevenir enxaquecas chamados de medicamentos preventivos. Neste caso, você recebe uma receita médica e toma os medicamentos todos os dias ou de acordo com a orientação médica.

Encontrar a combinação certa de medicamentos para você pode levar algum tempo. Portanto, trabalhe em estreita colaboração com seu médico para tentar medicamentos e doses diferentes até acertar o tratamento.

Na maioria dos casos, o médico irá primeiro prescrever um medicamento que cause o menor efeito colateral. Além disso, os remédios podem ser prescritos com base em seu tipo específico de enxaqueca.

Remédios para enxaqueca mais usados

Medicamentos para tratamento agudo

Esses medicamentos são tomados no início de sintomas de enxaqueca ou para aliviar a dor de cabeça ou reduzir sua gravidade. A maioria dos médicos recomenda que você tente esses medicamentos primeiro, porque eles podem ter menos efeitos colaterais do que medicamentos preventivos.

– Analgésicos

Alguns analgésicos de venda livre são comumente usados ​​para enxaqueca, mas muitos só estão disponíveis quando prescritos. Além do acetaminofeno, um analgésico que só alivia a dor, há medicamentos anti-inflamatórios não esteróides (AINEs), que aliviam a dor e reduzem a inflamação, como:

  1. Aspirina;
  2. Diclofenaco (Cataflam);
  3. Ibuprofeno (Advil, Motrin);
  4. Ketorolac (Toradol);
  5. Naproxeno (Aleve).

Muitos medicamentos de venda livre comercializados especificamente para enxaqueca ou dores de cabeça em geral combinam um ou mais medicamentos acima com uma pequena quantidade de cafeína, o que pode fazê-los funcionar de forma mais rápida e eficaz, especialmente para enxaquecas não recorrentes e mais leves.

Possíveis efeitos colaterais do uso PROLONGADO de AINEs incluem:

  • Risco de ataque cardíaco;
  • Acidente vascular encefálico;
  • Danos nos rins;
  • Úlceras estomacais.

– Ergotaminas

As ergotaminas foram a primeira classe de remédios para enxaqueca usada especificamente para esse tratamento. Elas fazem com que os vasos sanguíneos ao redor do cérebro se contraiam, aliviando a enxaqueca em questão de minutos.

Elas estão disponíveis nas mais diversas formas como pílulas, comprimidos que se dissolvem na língua, pulverizações nasais, supositórios e injeções.

Geralmente, são tomadas no primeiro sinal de sintomas da enxaqueca, e alguns têm a opção de tomar doses adicionais a cada 30 minutos se a dor de cabeça continuar. Algumas ergotaminas são:

  1. Dihidroergotamina (DHE-45, Migranal);
  2. Ergotamina (Ergomar);
  3. Ergotamina combinada com cafeína (Cafatine, Cafergot, Cafetrate, Ercaf, Migergot, Wigraine);
  4. Metisergida (Sansert) metilergonovina (Methergine).

Alguns efeitos colaterais perigosos das ergotaminas incluem:

  • Defeitos de nascimento e problemas cardíacos;
  • Toxicidade em altas doses;
  • Interação com outros medicamentos como antifúngicos e antibióticos.

Se a paciente estiver grávida ou amamentando ou sofrer de uma doença cardíaca, não deve tomar ergotaminas.

– Triptanos

Triptanos é uma classe mais recente de remédio para enxaqueca que aumenta os níveis de serotonina em seu cérebro, reduzindo a inflamação e contraindo os vasos sanguíneos, fazendo com que a enxaqueca desapareça.

Triptanos estão disponíveis na forma de pílulas, pulverizações nasais, injeções e comprimidos que se dissolvem sob sua língua e trabalham rapidamente para parar a enxaqueca. Alguns triptanos incluem:

  • Almotriptan (Axert);
  • Eletriptan (Relpax);
  • Frovatriptan (Frova);
  • Naratriptan (Amerge);
  • Rizatriptano (Maxalt, Maxalt-MLT);
  • Sumatriptano (Imitrex);
  • Sumatriptano e naproxeno (Treximet);
  • Zolmitriptan (Zomig).

Possíveis efeitos colaterais dos triptanos incluem:

  • Formigamento ou entorpecimento nos dedos dos pés;
  • Sonolência;
  • Tontura;
  • Náusea;
  • Aperto ou desconforto no peito ou na garganta.

Pessoas com problemas cardíacos ou que estão em risco de AVC devem evitar usar triptanos. Eles também podem causar a síndrome de serotonina potencialmente fatal, se tomado com outros medicamentos que aumentam a serotonina, como antidepressivos, por exemplo.

– Medicamentos Antináusea

Essas drogas reduzem a náusea e o vômito que podem acompanhar enxaquecas severas. Eles geralmente são usados ​​junto com um analgésico, pois não reduzem a dor. São eles:

  1. Dimenhidrinato (Gravol);
  2. Metoclopramida (Reglan);
  3. Proclorperazina (Compazine);
  4. Promethazine (Phenergan);
  5. Trimetobenzamida (Tigan).

Todos esses medicamentos podem causar sonolência e deixá-lo menos alerta ou tonto.

– Opióides

Se a dor da enxaqueca não responde a outros analgésicos e você não pode tomar ergotaminas ou triptanos, seu médico pode prescrever opióides, uma classe de analgésicos muito mais poderosos. Muitas drogas de enxaqueca são uma combinação de opióides e analgésicos. Alguns opióides são:

  • Codeína;
  • Meperidina (Demerol);
  • Morfina;
  • Oxicodona (OxyContin).

Porém, os opióides apresentam um risco sério de dependência, e só são prescritos em casos extremamente necessários.

Medicamentos para tratamento preventivo

Se você sente enxaquecas com frequência, seu médico pode prescrever um medicamento preventivo para reduzir a frequência e a intensidade das dores. Esses medicamentos são tomados regularmente, geralmente diariamente, e podem ser prescritos sozinhos ou em combinação com outros medicamentos. Pode levar várias semanas ou meses para que eles comecem a surtir efeito.

Geralmente, medicamentos preventivos podem ser solicitados se você está usando medicamentos para tratamento agudo para parar a enxaqueca mais de duas vezes por semana ou se sua enxaqueca é debilitante, impedindo-o de fazer suas atividades diárias.

– Betabloqueadores

Comumente prescritos para hipertensão arterial, os betabloqueadores diminuem os efeitos dos hormônios do estresse no coração e nos vasos sanguíneos e podem ajudar a reduzir tanto a frequência como a intensidade das enxaquecas. Alguns tipos comerciais do medicamento incluem:

  1. Atenolol (Tenormin);
  2. Metoprolol (Toprol XL);
  3. Nadolol (Corgard);
  4. Propranolol (Inderal);
  5. Timolol (Blocadren).

Os efeitos colaterais dos betabloqueadores incluem:

  • Fadiga;
  • Náusea;
  • Tonturas quando em pé;
  • Depressão;
  • Insônia.

– Bloqueadores de canais cálcio

Os bloqueadores de canais de cálcio são medicamentos também para pressão arterial que moderam a contração e a dilatação dos vasos sanguíneos, o que desempenha também um papel no alívio da enxaqueca. Entre os medicamentos disponíveis, temos:

  1. Diltiazem (Cardizem, Cartia XT, Dilacor, Tiazac);
  2. Nimodipina (Nimotop);
  3. Verapamil (Calan, Covera, Isoptin, Verelan).

Os efeitos colaterais dos bloqueadores dos canais de cálcio incluem:

  • Pressão sanguínea baixa;
  • Ganho de peso;
  • Tontura;
  • Prisão de ventre.

– Antidepressivos

Os antidepressivos são capazes de afetar os níveis de vários compostos químicos cerebrais, incluindo a serotonina. Um aumento da serotonina pode reduzir a inflamação e restringir os vasos sanguíneos, ajudando a aliviar as enxaquecas. Alguns antidepressivos utilizados para tratar enxaquecas são:

  1. Amitriptilina (Elavil, Endep);
  2. Fluoxetina (Prozac, Sarafem);
  3. Imipramina (Tofranil);
  4. Nortriptilina (Aventyl, Pamelor);
  5. Paroxetina (Paxil, Pexeva);
  6. Sertralina (Zoloft);
  7. Venlafaxina (Effexor).

Os efeitos colaterais dos antidepressivos incluem ganho de peso e diminuição da libido, dentre outros.

– Anticonvulsivos

Anticonvulsivos previnem convulsões causadas por epilepsia e outras condições. Eles aliviam os sintomas da enxaqueca acalmando os nervos hiperativos em seu cérebro. Alguns medicamentos incluem:

  1. Divalproex sódico (Depakote, Depakote ER);
  2. Gabapentina (Neurontin);
  3. Levetiracetam (Keppra);
  4. Pregabalina (Lyrica);
  5. Tiagabina (Gabitril);
  6. Topiramato (Topamax);
  7. Valproato (Depakene);
  8. Zonisamida (Zonegran).

Os efeitos colaterais dos anticonvulsivos incluem:

  • Náusea;
  • Vômito;
  • Diarréia;
  • Ganho de peso;
  • Sonolência;
  • Tontura;
  • Visão embaçada.

Suplementos

Às vezes, remédios para enxaqueca que funcionam para uma pessoa fornecem pouco alívio para outra. Eles podem até tornar sua enxaqueca pior. É por isso que é tão importante trabalhar com o seu médico. Ele pode ajudar a desenvolver um plano de tratamento que realmente funciona para você.

Nenhuma vitamina ou combinação de vitaminas foi comprovada para ajudar a aliviar ou prevenir enxaquecas em todos. Isso ocorre em parte porque os disparadores são únicos para cada indivíduo. Mesmo assim, alguns suplementos nutricionais foram comprovados por ajudar algumas pessoas.

– Extrato de manteiga

Trata-se de uma erva que pode ajudar algumas pessoas a evitar enxaquecas. Um estudo publicado na revista Neurology descobriu que o extrato de manteiga é mais eficaz do que um placebo para prevenir enxaquecas. Também foi bem tolerado pelos participantes do estudo.

Os participantes da pesquisa tomaram 75 mg de extrato de manteiga diariamente, dosagem que seria apropriada para a maioria das pessoas de acordo com os cientistas envolvidos no estudo. Foi observado que o extrato de manteiga forneceu alívio a alguns de seus pacientes, mas não parece ajudar tanto quanto a riboflavina.

– Riboflavina (Vitamina B2)

Mais conhecida como vitamina B2, a riboflavina pode tornar as enxaquecas menos frequentes e menos severas para algumas pessoas. É encontrada naturalmente em alimentos como:

  • Carne;
  • Ovos;
  • Leite;
  • Verduras verdes;
  • Nozes;
  • Farinha Enriquecida.

E como muitas das outras vitaminas B, também é encontrada em suplementos vitamínicos. A riboflavina desempenha um papel fundamental no metabolismo, o processo pelo qual nossos corpos produzem energia. Uma pesquisa mostrou que pessoas com enxaquecas podem ter uma falha nesse processo. Essa falha poderia ser responsável pelas dores de cabeça.

A riboflavina é considerada provavelmente segura para a maioria das pessoas, mas pode deixar sua urina com uma cor alaranjada.

Para ajudar a prevenir enxaquecas, você deve tomar cerca de 400 miligramas de riboflavina por dia. Isso é muito mais do que o que está em um multivitamínico. Não tome em excesso, pois pode causar problemas.

Se você está tomando antibióticos, especificamente antibióticos de tetraciclina, a riboflavina pode interagir com eles.

– Matricária

Esta planta, que parece uma margarida, tem uma longa história no tratamento de febre, bem como de dores devido a processos inflamatórios.

Pesquisas também mostram que a matricária pode tratar e prevenir enxaquecas.

Nenhum dos estudos realizados mostrou efeitos colaterais sérios com o uso da planta.

É recomendado que se inicie com uma dose baixa de cerca de 50 mg por dia. Pode levar alguns meses para ver quaisquer resultados.

Não use matricária se você tomar algum medicamento anticoagulante.

– Magnésio

De acordo com a Associação de Distúrbios da Enxaqueca, doses diárias de magnésio podem reduzir os sintomas de enxaqueca em até 50% para cerca de metade das pessoas que experimentam enxaquecas. A dose típica é de 400 mg por dia.

Uma pesquisa sobre a eficácia do magnésio para a prevenção da enxaqueca foi publicada no jornal “Pain Physician”. Os autores observaram que crises de enxaqueca têm sido associadas à deficiência de magnésio em algumas pessoas. Eles descobriram que dar magnésio por via intravenosa pode ajudar a reduzir ataques agudos de enxaqueca e também relataram que as doses orais de magnésio reduzem a frequência e a intensidade das enxaquecas.

Ao procurar um suplemento de magnésio, observe a quantidade contida em cada comprimido para tomar a dose sugerida de 400 mg por dia. Se você notar fezes soltas depois de tomar esta dose, você pode tentar tomar menos. Além disso, é possível obter magnésio da dieta através da ingestão de verduras escuras como o espinafre, grãos integrais e nozes.

Magnésio em excesso pode trazer efeitos colaterais, incluindo:

  • Náusea;
  • Cólicas;
  • Diarréia.

Os suplementos de magnésio também podem interferir com alguns antibióticos

– Vitamina D

Os pesquisadores ainda estão começando a investigar como a vitamina D pode trabalhar nas enxaquecas. Um estudo que foi publicado no Journal of Research in Medical Sciences sugere que a suplementação de vitamina D pode ajudar a reduzir a frequência de crises de enxaqueca.

Os participantes da pesquisa receberam 50 mil U.I. de vitamina D por semana. Pergunte ao seu médico quanto de vitamina D é adequado para o seu corpo.

– Coenzima Q10

Não há muita evidência de pesquisa científica disponível sobre a eficácia da coenzima Q10 para prevenir enxaquecas. Mas, de acordo com a Associação de Distúrbios da Enxaqueca, alguns estudos já sugerem que a coenzima Q10 é mais eficaz do que os placebos para reduzir a frequência de enxaquecas.

Em um pequeno estudo, cerca de 30 pessoas com enxaqueca receberam coenzima Q10. Mais de 60% deles tiveram uma queda de 50% no número de dias que tiveram um episódio de enxaqueca.

A coenzima Q10 pode interagir com certos medicamentos ou suplementos. É importante verificar com o seu médico antes de iniciar um novo regime de vitamina com coenzima Q10.

Assim como a riboflavina, a coenzima Q10, às vezes chamada coQ10, faz parte do metabolismo. Alimentos como fígado, grãos integrais e peixes oleosos como o salmão são as principais fontes de alimento para esta vitamina.

CoQ10 não tem muitos efeitos colaterais graves, embora você possa ter um estômago irritado ou sentir náuseas. A dosagem típica é de até 100 mg de coenzima Q10 tomada até três vezes por dia.

Doses superiores a 300 mg por dia podem afetar seu fígado. E se você tomar um anticoagulante de varfarina, o uso de coQ10 pode torná-lo menos efetivo.

– Melatonina

A melatonina, um hormônio natural, é semelhante à indometacina, um fármaco anti-inflamatório usado para tratar dores, dores e enxaquecas.

Algumas pesquisas mostram que quem sofre com enxaqueca crônica tem níveis muito baixos de melatonina.

Em um estudo, as pessoas receberam 3 mg de melatonina 30 minutos antes de dormir durante 3 meses. Para mais de 75% das pessoas, o número de enxaquecas diminui em pelo menos 67%. Outro estudo comparou a melatonina com a amitriptilina (um medicamento utilizado na prevenção da enxaqueca) e com um placebo. Os resultados desse estudo mostraram que a melatonina foi melhor do que um placebo na prevenção de enxaquecas. Também teve menos efeitos colaterais do que o medicamento amitriptilina.

A melatonina geralmente funciona bem com seu corpo, mas também pode causar sonolência diurna. Em casos raros, pode causar desconforto abdominal e até pequenas crises de depressão.

Além disso, se você tomar um anticoagulante, um imunossupressor, medicamentos para diabetes ou pílulas anticoncepcionais, fale com seu médico, pois pode haver interação com esses medicamentos. 

Vídeos:

Gostou das dicas?

Fontes e Referências Adicionais:

Você já precisou usar remédios para enxaqueca? Quais deles foram receitados pelo seu médico? Há quanto tempo sofre com a condição? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (16 votos, média: 3,75 de 5)
Loading...
Sobre Julio Bittar e Dra. Patricia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário