7 Remédios para Circulação Mais Usados e Seus Efeitos

🕐 4/09/2019

Problemas de circulação sanguínea podem causar muitos desconfortos físicos. A restrição do fluxo de sangue pode causar complicações de saúde e aumentar muito o risco de desenvolver doenças cardiovasculares.

Vamos conferir quais são os principais remédios para circulação mais usados atualmente, além de mostrar os seus efeitos no organismo.

Má circulação

A má circulação sanguínea é uma condição que afeta as artérias e pode restringir o fluxo sanguíneo normal e prejudicar a saúde cardiovascular.

Uma das principais causas da má circulação é o acúmulo de placas gordurosas e degenerativas nas paredes das artérias que pode levar ao estreitamento das artérias, resultando na doença arterial conhecida como aterosclerose, que é mais recorrente em pessoas que já sofrem de diabetes. A aterosclerose nas artérias do coração pode causar um ataque cardíaco. Se o problema ocorrer nas artérias carótidas do pescoço, que alimentam o nosso cérebro, pode resultar em um acidente vascular cerebral.

Outra causa da má circulação sanguínea pode ser o estresse oxidativo, que envolve a formação de radicais livres e gorduras oxidadas que bloqueiam as paredes das artérias.

Vamos mostrar quais são os remédios para circulação mais usados e seus efeitos no organismo, além de citar possíveis efeitos colaterais de cada um deles.

Remédios para circulação mais usados

1. Anticoagulantes

Os anticoagulantes são muito prescritos para tratar problemas de circulação e existem diversos tipos disponíveis nas farmácias. Dentre os mais comuns estão a heparina, a fondaparinux e a varfarina.

Os antiocoagulantes atuam garantindo que o sangue permaneça no estado líquido e evitando a formação de coágulos que possam bloquear o fluxo sanguíneo. Assim, melhoram a circulação no sangue e previnem problemas nas artérias.

Efeitos colaterais

Os principais efeitos colaterais desses remédios para circulação são hematomas na pele e o risco de sangramento através da urina, de ferimentos não cicatrizados ou de hemorragia interna após uma cirurgia, por exemplo.

2. Aspirina

Aspirina é um medicamento de ação anti-inflamatória de venda livre muito usado para tratar problemas comuns de saúde como resfriados. A aspirina também tem ação anticoagulante, que evita o estreitamento das artérias, ajudando a melhorar a circulação sanguínea.

Efeitos colaterais

Alguns efeitos colaterais que podem ser observados por quem usa aspirina são: náusea, vômito, desconforto estomacal e azia.

3. Diosmina + hesperidina

Uma das combinações mais eficazes para problemas que afetam o sistema cardiovascular é de diosmina com hesperidina. Os nomes comerciais que contêm esses princípios ativos incluem Daflon, Venaflon, Perivasc, Flaveno, Velunid e alguns outros. Esse medicamento é muito indicado para tratar insuficiência venosa crônica e outros problemas que atingem a saúde das veias.

Os princípios ativos atuam protegendo as veias e aumentando sua resistência além de diminuir inchaços e relaxar os vasos sanguíneos, melhorando toda a circulação sanguínea.

Efeitos colaterais

Os efeitos adversos mais comuns incluem problemas gastrointestinais como diarreia, náusea e vômitos e outros sintomas como mal estar, dor de cabeça e tontura.

4. Varicell

O Varicell é um medicamento comumente indicado para tratar inflamações como hemorroidas e varizes. No caso do sistema circulatório, o remédio atua diretamente sobre as veias diminuindo o inchaço e dor na região da má circulação.

Efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns do Varicell são dor de cabeça, problemas estomacais e intestinais leves, gases, náusea e vômito.

5. Antistax

O Antistax é um medicamento prescrito para tratar sintomas de varizes e outros problemas relacionados às artérias. Ele atua através de uma ação anti-inflamatória que ajuda a proteger a parede das veias e a aumentar a sua permeabilidade.

Efeitos colaterais

Os principais efeitos colaterais relacionados ao uso desse medicamento incluem desconforto abdominal, problemas gastrointestinais, enjoo e alterações na pele incluindo coceira e descamação.

6. Novarrutina

A novarrutina é um remédio para circulação cujo princípio ativo é a castanha da índia. Ele é indicado principalmente para o tratamento de insuficiência venosa crônica e problemas de má circulação.

O efeito do medicamento se dá pela tonificação da parede das veias, que as deixa mais resistentes e mais permeáveis. Isso facilita a circulação do sangue.

Efeitos colaterais

Alguns efeitos colaterais que podem ser observados são problemas gastrointestinais, espasmos musculares, tontura, dor de cabeça, hipoglicemia, náusea e coceira.

7. Losartana potássica

A losartana potássica é comumente prescrita para tratamento de pressão arterial elevada. Porém, pode ser prescrita também para melhorar problemas de circulação sanguínea. O medicamento funciona ajudando o coração a bombear mais sangue para o resto do organismo, o que ajuda a melhorar a circulação e a reduzir o risco de complicações cardiovasculares.

Efeitos colaterais

Os principais efeitos colaterais da losartana potássica incluem tontura, erupções na pele, urticária, cansaço, vômitos e aumento da sensibilidade ao sol.

Remédios para circulação naturais 

– Ginkgo Biloba

Ginkgo biloba é uma erva muito antiga que está entre os remédios herbais mais vendidos no mundo. De acordo com o Centro Médico da Universidade de Maryland (University of Maryland Medical Center) nos EUA, um componente dessa erva parece atuar melhorando a circulação sanguínea e dilatando os vasos.

Apesar dessas evidências, essa erva pode apresentar alguns efeitos colaterais sérios e seu uso precisa ser feito com cautela. 

– Castanha-da-índia

A castanha-da-índia é capaz de reduzir o tamanho das veias dilatadas devido à sua ação vasoconstritora. Assim como a vasodilatação, esse processo também ajuda na ativação da circulação sanguínea.

Através disso, a castanha apresenta alto teor de niacina, o que promove um aumento da resistência das veias, prevenindo o desenvolvimento de problemas causados pela má circulação como as varizes. 

– Casca de salgueiro

Segundo informações da Universidade de Maryland, a casca do salgueiro apresenta salicina, um composto químico muito parecido com a aspirina que é usado há muito tempo para tratar inflamações e dor. A casca de salgueiro é basicamente uma versão natural da aspirina. Ela atua afinando o sangue e promovendo uma melhor circulação.

Porém, poucos estudos foram realizados sobre a casca de salgueiro e podem ocorrer alguns efeitos colaterais como formação de úlceras no estômago, sangramento e interações medicamentosas.

– Pimenta caiena

A pimenta caiena pura bem, como o seu suplemento em forma de cápsula, pode ajudar no estímulo de uma melhor circulação sanguínea através da ativação do sistema cardiovascular.

A presença de capsaicina ajuda no bom funcionamento das plaquetas no sangue, que são responsáveis por processos como a coagulação do sangue, que previne a perda do fluido em casos de lesões, por exemplo. Além disso, ela evita o endurecimento das artérias, que pode causar condições como a aterosclerose. 

– Raiz de gengibre

O gengibre atua como um anticoagulante natural que pode ser usado para remover coágulos sanguíneos e para reduzir a pressão arterial elevada.

Além disso, o gengibre é capaz de limitar a quantidade de colesterol absorvida no sangue e no fígado, o que reduz risco de complicações cardiovasculares que podem afetar a circulação.

– Boldo

Segundo o Centro de Saúde McKinley da Universidade de Illinois em Urbana-Champagin (McKinley Health Center at the University of Illinois at Urbana-Champaign) nos EUA, o boldo é muito indicado para o tratamento de diarreia mas também pode ser usado para melhorar a circulação sanguínea e ajudar a diluir o sangue.

De acordo com a Universidade de Maryland, existem poucos estudos sobre a ação do boldo na circulação sanguínea. Porém, na Europa, a planta já é usada como um dos remédios para circulação naturais em alguns casos de insuficiência venosa crônica, que ocorrem quando as veias das pernas ficam danificadas e não conseguem bombear sangue suficiente de volta ao coração.

Suplementos

Pessoas que ingerem uma alta quantidade de substâncias antioxidantes como vitaminas podem apresentar um risco reduzido de desenvolver doenças nas artérias do coração. Além disso, a suplementação com algumas vitaminas como as presentes no complexo B, como o ácido fólico e a niacina, parecem ser úteis no tratamento da má circulação e na melhoria da função arterial como um todo, além de promover um melhor fluxo sanguíneo.

– Vitaminas antioxidantes

Flavonoides, vitaminas C e E, assim como alfa e betacaroteno, são substâncias antioxidantes que ajudam na redução do estresse oxidativo nas paredes das artérias. Estudos clínicos realizados sobre os efeitos do uso dessas vitaminas como suplementos dietéticos para tratar doenças arteriais mostraram resultados conflitantes.

Em alguns casos, a suplementação diária com 272 UI (unidades internacionais) de vitamina E combinadas com 500 miligramas de vitamina C por um período de 6 anos resultou em um retardo do desenvolvimento de placa gordurosa nas artérias carótidas. Tal estudo foi publicado na revista científica Circulation em 2003.

Já um estudo publicado em 2004 pelo Journal of American College of Cardiology concluiu que o suplemento diário à dieta de 800 UI de vitamina E junto com 1000 miligramas de vitamina C durante um período de 6 meses não melhorou a função arterial de pessoas com aterosclerose.

Apesar de serem estudos distintos e com períodos muito distintos de avaliação, a American Heart Association acredita que ainda não está claro o benefício dessas vitaminas quanto a uma redução no risco de doenças cardiovasculares e uma melhoria na circulação do sangue.

– Ácido fólico

Problemas nas artérias podem causar uma perda de flexibilidade da artéria e uma capacidade reduzida de expansão ou dilatação com o aumento do fluxo sanguíneo. Estudos feitos com tecidos preservados fora do corpo sugerem que o ácido fólico é capaz de aumentar a produção de óxido nítrico, que pode ajudar as artérias a dilatar, em resposta a um eventual aumento de fluxo no sangue.

O ácido fólico também é capaz de ajudar a reduzir o estresse oxidativo causado no tecido arterial associado à aterosclerose.

Um estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition em 2007 analisou 14 estudos clínicos sobre o assunto e concluiu que doses altas de ácido fólico de cerca de 5 a 10 gramas por dia pelo menos 4 vezes durante a semana podem melhorar a dilatação das artérias.

– Niacina

Doses também altas de niacina (vitamina B3) estão sendo investigadas sobre o benefício para tratamento de doenças arteriais. Um estudo publicado em 2009 pelo Journal os American College of Cardiology relatou que a ingestão de 2 gramas de niacina por dia durante um período de 12 meses foi capaz de reduzir a formação de placas nas artérias carótidas de pessoas que também faziam uso de estatinas.

De acordo com estudo publicado em 2010 na revista científica Circulation, pessoas com diabetes do tipo 2 que também tomavam estatinas e doses de 1,5 gramas de niacina por dia durante 3 meses apresentaram melhora na função de dilatação das artérias do punho.

Outras dicas para melhorar a circulação

1. Manter peso saudável

O peso saudável ajudar a promover uma boa circulação sanguínea. Estar acima do peso pode ser um fator de risco para o desenvolvimento de má circulação.

2. Correr

A prática de exercícios aeróbicos que estimulam a função cardiovascular como a corrida é uma boa dica para melhorar a circulação do sangue.

3. Praticar yoga

Para aqueles que não podem realizar exercícios mais intensos ou de alto impacto, a yoga é uma boa saída, já que se trata de um exercício de baixo impacto para as articulações. Além disso, a yoga envolve movimento de flexão, alongamento e torção que ajudam na compressão e descompressão das veias, ajudando a melhorar a circulação.

4. Aumentar a ingestão de ômega 3

O consumo de peixes gordurosos e outros alimentos ricos em ômega 3 podem ajudar a melhorar a saúde cardiovascular bem como a circulação sanguínea. Exemplos de peixes ricos nesse nutriente incluem o salmão, a sardinha, o atum e a cavalinha.

5. Tomar chás e alimentos ricos em antioxidantes

Substâncias antioxidantes ajudam a melhorar a saúde cardiovascular e a melhorar a circulação. Chás ricos em compostos antioxidantes incluem o chá verde e o chá preto.

6. Aumentar a ingestão de ferro

O ferro é essencial para o sistema circulatório, já que atua como componente da hemoglobina que participa do transporte de oxigênio e nutrientes através do sangue para todo o organismo. Assim, manter níveis adequados de ferro no organismo pode ajudar em uma boa circulação do sangue. Alimentos ricos em ferro incluem a carne vermelha e vegetais como o espinafre.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já precisou tomar algum destes remédios para circulação que listamos acima? Ele conseguiu melhorar a condição e trouxe bons resultados? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (25 votos, média: 4,16 de 5)
Loading...

2 comentários em “7 Remédios para Circulação Mais Usados e Seus Efeitos”

  1. Estou em tratamento no momento com perivasqu e gingko biloba uns 2 dias ainda observa pouco efeito sinto desconforto nas veias dor e firmamento leva moderado

Deixe um comentário