Bebendo água

8 Dicas de Como Prevenir Pedra nos Rins

A medicina oriental adota como primeiro passo para remissão de doenças a alimentação saudável e adaptada a diferentes tipos de organismos, categorizando-os em grupos, como também estilos de vida. A medicina Ayurveda enfatiza a desintoxicação do organismo, intestinal e hepática, antes de se iniciar qualquer tratamento. Existem medidas amplamente conhecidas para aprender como prevenir pedra nos rins que vamos conhecer mais abaixo.

O que são pedras nos rins

O tamanho das pedras nos rins varia, pode ser semelhante a um grão de areia, ou tão grande como uma bola de golfe, consideradas as proporções. Elas são formadas quando os minerais da urina se cristalizam, daí o termo pedra. Esses minerais podem ser cálcio ou ácido úrico, abundantes, dificultando sua diluição pela urina.

A forma que o corpo, individualmente, absorve e elimina o cálcio e outras substâncias é que determina as condições da formação de pedras, ou não.

Outras vezes, as causas subjacentes são desordens metabólicas, ou uma doença renal. Medicações como furosemida, topiramato e xenical também podem ser responsáveis por formação de pedras, ou cálculos renais, segundo alguns especialistas.

Muitas vezes pode ser uma combinação de fatores, que criam um ambiente favorável à formação desses cálculos.

Dessa forma, a maioria das pedras nos rins contém uma multiplicidade de tipos. E se conseguirmos identificar qual o tipo predominante, facilitará o tratamento.

– Pedras de cálcio: são o tipo mais comum (ocorre em 4 de 5 casos) na forma de oxalato de cálcio, que se encontra em algumas frutas e vegetais. Porém, o fígado é o órgão que produz a maioria dos oxalatos do corpo. Por isso, evite alimentos ricos em oxalatos, como folhas de alguns vegetais crus por exemplo

– Pedras de ácido úrico: estas são subprodutos do metabolismo de proteínas e podem ser resultado de alguns fatores genéticos e desordens de tecidos produtores de sangue. Porém, a frutose também eleva o ácido úrico, existem evidências de que o consumo de frutose contribui para elevar as taxas de doenças nos rins.

– Pedras cistinas: representam apenas uma pequena porcentagem de cálculos, e são o resultado de cistinuria, uma doença hereditária.

As mudanças em seu estilo de vida podem fazer com que você reduza o risco de formá-las em seu organismo. Confira algumas dicas importantes de como prevenir pedra nos rins se você sofre com essa condição:

1. Beba muita água

O fator de risco número um para a formação de cálculos renais é não beber água o suficiente. Simplesmente porque haverá maiores concentrações das substâncias, que podem formar pedras. Uma forma bem fácil de constatar se você está bebendo o suficiente é observar a cor de sua urina, que deverá ser um amarelo claro.

Cada pessoa tem uma necessidade de consumo diferente, dependendo de vários fatores. Porém, a dose recomendada por dia no caso de pessoas com pedra nos rins é de 2 litros e meio. Em lugares quentes e secos, a quantidade deve ser pouco maior do que essa, mesmo caso quando aumentar sua atividade física.

Caso você beba em excesso, como 5 litros, por exemplo, podem ocorrer graves distúrbios, porque o organismo não é capaz de absorver tamanha quantidade.

Caso esteja ingerindo algum suplemento vitamínico, ou suplemento de vitamina B, que contenha B2 (riboflavina), a cor de sua urina será brilhante, quase um amarelo fluorescente, e isto não vai permitir que você utilize a cor de sua urina como parâmetro para sua hidratação.

2. Evite alimentos ricos em oxalatos

Os alimentos ricos em oxalatos são ruibarbo, beterraba, espinafre (cru), queijo cheddar, batata doce, nozes, chá, chocolate, e soja e derivados.

Recomenda-se esta dica de como prevenir pedra nos rins especialmente para aqueles que têm pedras formadas por oxalato de cálcio, ou propensão.

3. Dieta pobre em sal e proteína animal

Reduza a quantidade de sal que você consome, e alimente-se de fontes de proteína não animais, como legumes, e substitua o sal por temperos.

4. Evite açúcar, frutose e refrigerantes

Uma dieta rica em açúcar pode iniciar o processo de formação de cálculos renais. O açúcar interfere nas relações minerais do corpo, inclusive na absorção de magnésio e cálcio. O consumo de açúcares não saudáveis e refrigerante pelas crianças é um fator determinante, e explica porque crianças de 5 a 6 anos hoje estão começando a desenvolver pedras nos rins.

5. Ingestão de cálcio (cuidado com os suplementos)

Os suplementos de cálcio, quando ingeridos em excesso, estão ligados ao risco do aumento de pedras nos rins, porque o corpo só é capaz de absorver 500 mg de cálcio por refeição.

Ingerir mais do que o necessário, seja na forma de suplemento, ou pelos alimentos, pode desenvolver pedras. Os suplementos também não devem ser ingeridos com alimentos ricos em ferro, como fígado e espinafre, por razões de absorção diferenciada do organismo.

No passado, os pacientes com pedras nos rins eram recomendados a evitarem alimentos ricos em cálcio, porque o cálcio é o componente principal na maioria das pedras nos rins. Porém, agora existem evidências de que evitar o cálcio pode prejudicar os rins, ao invés de beneficiá-los.

A Escola de Saúde Pública de Harvard conduziu um estudo com mais de 45.000 homens, e aqueles que tinham dietas ricas em cálcio apresentaram um terço do risco de pedras nos rins, comparados aos que tinham dietas pobres em cálcio.

O que acontece é que uma dieta rica em cálcio bloqueia, de fato, a ação química que causa a formação das pedras. Ele se combina com os oxalatos (dos alimentos) no intestino, o que previne ambos de serem absorvidos pelo sangue, e posteriormente são transferidos para os rins. Portanto, os oxalatos urinários podem contribuir mais na formação dos cristais de oxalato de cálcio das pedras nos rins, do que o cálcio urinário.

O problema com os cálculos renais é que, mesmo tendo sido removidos, existe a probabilidade de 70 a 80% de se formarem novamente, no futuro. Por isso, assim como a maioria das doenças, saber como prevenir pedra nos rins é o melhor caminho. Este fato não deve ser ignorado, e na maioria dos casos, a solução é permitir que a pedra passe sozinha. Isto pode levar dias, semanas, em alguns casos.

A maioria dos cálculos renais passarão por si, sem intervenção médica, mas em alguns casos, se uma pedra bloquear o fluxo da urina, podem ocorrer danos nos tecidos do rim, então será necessário um tratamento mais agressivo. Porém, os riscos são altos, e os médicos geralmente evitam esses procedimentos ao máximo, a não ser que não haja outra escolha.

6. Quantidade adequada de magnésio

O magnésio é responsável por mais de 300 reações bioquímicas no corpo. A deficiência desse mineral está ligada à pedras nos rins. Ele também exerce uma papel importante na absorção e assimilação de cálcio, de forma que se você consumir muito cálcio, sem a quantidade correspondente de magnésio, o excesso de cálcio pode, de fato, se tornar tóxico e contribuir para condições de saúde como pedras nos rins. O magnésio impede que o cálcio se combine com o oxalato que é o tipo de pedra mais comum encontrada nos rins.

Folhas verdes, como espinafre, são fontes excelentes de magnésio, e uma das formas mais simples de consumi-las é na forma de sucos, assim como feijões, nozes, amêndoas, sementes de gergelim e abacates.

Se você decidir usar suplementos de magnésio, é importante entender que seu complementar é o cálcio. Portanto, use os dois. A proporção é de 2:1, magnésio e cálcio.

7. Evite soja não fermentada

Os grãos de soja ou alimentos derivados da soja podem promover pedras nos rins naqueles que têm suscetibilidade, porque ela pode conter altos níveis de oxalato.

Se você estiver interessado em se aprofundar sobre os benefícios da soja para a saúde, escolha soja fermentada, porque após um longo processo de fermentação, o fitato (que bloqueia a ingestão de minerais essenciais) e os níveis de anti-nutrientes dos grãos de soja (incluindo oxalatos) são reduzidos, e suas propriedades benéficas se tornam disponíveis para seu sistema digestivo.

8. Exercícios

O sedentarismo por períodos longos pode levar à formação de pedras, pois, em parte, a atividade limitada pode fazer com que os ossos liberem mais cálcio. Os exercícios também auxiliam a solucionar problemas de alta pressão arterial, uma condição que duplica o risco de pedras nos rins.

Referências adicionais:

O que você achou dessas dicas de como prevenir pedra nos rins que separamos acima? Você sofre muito com essa condição crônica? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (11 votos, média: 4,36 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)


ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*