Como Identificar Qual Sorvete Faz Mal

Especialista:
atualizado em 20/12/2019

Quem não gosta de tomar um sorvete bem geladinho e saboroso, especialmente nos dias mais quentes em que o Sol não dá sossego? Uma delícia, não é mesmo? Pois é, mas quem se importa com a saúde e boa forma precisa ficar atento quanto ao tipo de sorvete que consome para que toda essa gostosura não resulte em malefícios para o organismo.

Qual tipo de sorvete faz mal? 

Calma, não estamos falando para você deixar o sorvete de lado. O que queremos dizer é que é importante saber reconhecer qual tipo de sorvete faz mal e dar preferências às alternativas saudáveis do quitute.

Por exemplo, existem versões do sorvete, como as industrializadas, que podem aparecer lotadas de açúcar, que corresponde à maior parte do conteúdo de carboidrato do produto. E esse é um dos tipos de sorvete que devemos evitar.

Isso porque o excesso de açúcar está associado a problemas como o aparecimento de cáries dentárias, o aumento dos níveis de triglicerídeos, a sobrecarga do fígado, pressão alta, aumento dos níveis de glicose no sangue, elevação do colesterol ruim (LDL) e aumento dos níveis de ácido úrico, que é um fator de risco para problemas nos rins e no coração.

Consumir muito açúcar também está associado ao aumento de peso. Isso porque quando há muito açúcar no organismo, o excedente da substância vira ácidos graxos que são enviados para a corrente sanguínea. De lá, eles seguem para outras regiões do corpo e são armazenados em forma de gordura em áreas como a barriga, as mamas, os quadris e o bumbum.

Em relação ao teor de açúcar, a preocupação não deve ficar somente em relação ao sorvete, mas também no que se refere aos ingredientes utilizados como acompanhamento, como caldas, coberturas, chocolates, balas e cremes que também apresentam doses significativas do composto.

O que fazer na hora de comprar: Na hora que for escolher o sorvete no mercado, compare a quantidade de carboidratos presentes na informação nutricional do produto. Já existem versões com 50% a menos de carboidratos. Isso torna o sorvete muito menos “engordativo”. Não é por isso também que você vai abusar, ne?

O teor de gordura 

Um sorvete faz mal também se tiver um teor muito alto de gorduras. Segundo a Universidade de Guelph, do Canadá, um sorvete apresenta mais de 10% de gordura do leite, porém é possível encontrar versões com uma dose de 16% da substância.

A gordura do leite corresponde, em sua maioria, à presença de colesterol. Quando há muito colesterol no organismo, pode ocorrer o acúmulo de depósitos de gorduras nas artérias.

O resultado disso é que acontecem interferências no fluxo sanguíneo, o que aumenta as chances de desenvolvimento de problemas no coração e de acidente vascular cerebral (AVC).

O que fazer na hora de comprar: Já existem versões com quantidade de gordura reduzida. Mais importante até do que a quantidade de gordura total é comparar a quantidade de gordura saturada. Esta é a mais maléfica.

Os aditivos 

Outro perigo em relação às versões industrializadas dos sorvetes são os aditivos, substâncias químicas, estabilizantes e emulsificantes que são adicionados à composição do produto.

Entre os aditivos que podem aparecer no sorvete que compramos no supermercado está o glicol dietílico (diethyl glycol), que já foi associado à morte de 25 crianças em Bangladesh ao ser usado incorretamente no remédio paracetamol, foi apontado por autoridades de saúde como tóxico para crianças e pessoas com problemas renais e hepáticos e classificado pela Food and Drug Administration (Administração de Alimentos e Drogas, tradução livre, FDA, sigla em inglês) como inadequado em qualquer quantidade para a composição de pastas de dente.

Outro aditivo que aparece na composição de sorvetes industrializados é o piperonal, listado no banco de dados de substâncias perigosas da Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos como moderadamente tóxico e um composto irritante para a pele humana.

É possível encontrar ainda o acetato de benzilas nos sorvetes. É conhecido por ser cancerígeno para roedores, causando tumores nos pulmões, fígado e órgãos gastrointestinais.

Acredita-se que a chance de que os mesmos efeitos sejam repetidos nos seres humanos é de 0,1% ainda que existam poucos dados e estudos de longo prazo para basear a crença.

O monoesterato é considerado tóxico, assim como propilenoglicol, que de acordo com a Agency for Toxic Substances and Disease Registry (Agência de Substâncias Tóxicas e Registro de Doenças, tradução livre) dos Estados Unidos afeta a pele, os rins e os sistemas digestivo e urinário.

Outra substância que pode ser adicionada ao sorvete é o benzoato de sódio, que consegue privar as células de ter oxigênio e está associado a problemas como envelhecimento precoce, falha do sistema imunológico, doenças neurodegenerativas e doença de Parkinson.

A FDA ainda determina que alimentos que contêm o aditivo não podem ser misturados com fontes de vitamina C ou vitamina E, já que isso causa a formação dos chamados benzenos, que causam o câncer.

O denominado polissorbato 80 é aplicado nos sorvetes para fazer com que eles resistam e não derretam. O problema é que o composto está relacionado a prejuízos como o enfraquecimento do sistema imunológico, reações alérgicas graves como choque anafilático, infertilidade, anormalidade no ritmo cardíaco, câncer, crescimento de tumores, ataque no coração e AVC.

Para aumentar o tempo de vida na prateleira, os produtores podem adicionar sorbato de potássio ao sorvete, um aditivo cujo consumo contínuo pode acarretar reações alérgicas como náusea e diarreia e causar a perda de nutrientes dos alimentos.

O que fazer na hora de comprar: Procure os sorvetes com menores listas de ingredientes. Geralmente, esses são os que contêm menor quantidade de aditivos. Sorvetes naturais, ou orgânicos, geralmente também são melhores para a saúde.

Outras alternativas de sorvete 

Já que aquele delicioso sorvete faz mal, para não ficar sem a gostosura, a saída é ir atrás de alternativas mais saudáveis de sorvete. Uma alternativa é sair em busca dos chamados sorvetes orgânicos. Por exemplo, a empresa La Naturelle produz um sorvete orgânico que é feito sem leite e sem gordura.

Caso seja difícil encontrar um sorvete orgânico e natural em sua cidade, a opção pode ser preparar um sorvete natural em sua própria casa. Segue abaixo uma receita para você se inspirar:

1. Sorvete caseiro de manga com gengibre

Ingredientes: 

  • 2 mangas rosas ou palmer bem maduras lavadas, descascadas e cortadas;
  • 2 inhames médios descascados, lavados e cortados;
  • 2 cm de gengibre picado.

Modo de preparo:

  1. Colocar as mangas, em seguida o inhame e depois o gengibre no liquidificador;
  2. Bater bem e colocar o conteúdo em um recipiente de plástico;
  3. Levar ao congelador durante oito horas ou até congelar. Retirar e servir-se. Adicionar um pouquinho de mel orgânico caso deseje deixar o sorvete um pouco mais docinho.

Veja também: 10 Receitas de Sorvete Caseiro Para Emagrecer.

Você já imaginava que a maioria dos tipos de sorvete faz mal? O tipo que você consome geralmente está nessa lista? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (7 votos, média: 4,43 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário