Exame de triglicerídeos – Valores de referência para alterado, normal e dicas

Especialista da área:
atualizado em 04/10/2021

O exame de triglicerídeos é muito útil como parte de uma avaliação dos níveis de gordura no organismo. Dependendo dos resultados, o exame pode prever o risco de alguém desenvolver doenças cardiovasculares e outros problemas de saúde como a obesidade.

  Continua Depois da Publicidade  

Conheça como é o exame, quais são os valores de referência considerados normais e dicas para normalizar os triglicerídeos e ter uma vida mais saudável.

Triglicerídeos

Os triglicerídeos ou triglicérides são a principal fonte de gordura no organismo. A maior parte dos triglicerídeos é produzida pelo próprio fígado. O restante é obtido por meio do consumo de carboidratos e gordura.

Todas as calorias consumidas e que não são imediatamente utilizadas, são convertidas em triglicerídeos, e armazenadas nas células de gordura. Com isso, os triglicerídeos ficam estocados no tecido adiposo como uma fonte de energia para serem usados em momentos em que o corpo não tem outras fontes imediatas para realizar suas funções. Isso pode ser necessário entre as refeições, por exemplo, ou em períodos de jejum.

Assim, ter níveis saudáveis de triglicerídeos é importante para que o corpo tenha de onde obter energia sempre que precisar.

No entanto, todo excesso é ruim. Ao exceder o consumo de calorias, especialmente provenientes de carboidratos e gorduras, os níveis de triglicérides podem aumentar mais do que deveriam.

Ainda não se sabe o motivo real, mas esse excesso dele aumenta o risco do aparecimento das seguintes condições de saúde:

  Continua Depois da Publicidade  

Valores de referência para o perfil lipídico

É muito comum que as pessoas se perguntem qual é o valor de referência para triglicerídeos e qual o médico que cuida de triglicérides.

Segundo a Sociedade Brasileira de Análises Clínicas, esse é o perfil lipídico ideal, incluindo os níveis de triglicerídeos bem como o de colesterol:

Valores para adultos acima de 20 anos

LipídiosCom jejum (mg/dL)Sem jejum (mg/dL)Categoria referencial
Colesterol total*< 190< 190Desejável
HDL-C> 40> 40Desejável
Triglicérides**< 150< 175Desejável
Categoria de risco
LDL-C< 130< 130Baixo
< 100< 100Intermediário
< 70< 70Alto
< 50< 50Muito alto
Não-HDL-C< 160< 160Baixo
< 130< 130Intermediário
< 100< 100Alto
< 80< 80Muito alto
* CT>310 mg/dL há probabilidade de HF.
** Quando os níveis de triglicérides estiverem acima de 440 mg/dL (sem jejum) o médico solicitante fará outra prescrição para avaliação de TG com jejum de 12 h e será considerado um novo exame de triglicérides pelo laboratório clínico.
Fonte: SBAC (Sociedade Brasileira de Análises Clínicas)

Valores para crianças e adolescentes

LipídiosCom jejum (mg/dL)Sem jejum (mg/dL)
Colesterol total*< 170< 170
HDL-C> 45> 45
Triglicérides (0-9a)**< 75< 85
Triglicérides (10-19a)**< 90< 100
LDL-C< 110< 110
Não-HDL-C< 120< 120
* CT>230 mg/dL há probabilidade de HF.
** Quando os níveis de triglicérides estiverem acima de 440 mg/dL (sem jejum) o médico solicitante fará outra prescrição para avaliação de TG com jejum de 12 h e será considerado um novo exame de triglicérides pelo laboratório clínico.
Fonte: SBAC (Sociedade Brasileira de Análises Clínicas)
  • Um adulto saudável com triglicerídeos normais deve apresentar um nível menor que 175 mg/dL sem jejum ou 150 mg/dL com jejum;
  • Aqueles que apresentam níveis maiores que 175 mg/dL sem jejum ou 150 mg/dL com jejum devem se preocupar, pois isso significa que os triglicerídeos já estão acima do valor recomendado;
  • Níveis acima de 440 mg/dL requer a prescrição de novo exame com jejum de 12 horas para validar essa alteração.

O que é triglicerídeos alto?

exame de sangue triglicerídeos

Como podemos ver nos valores de referência, triglicérides acima de 150 mg/dL já representam um risco à saúde de adultos.

Os níveis altos de triglicérides, especialmente quando associados a níveis baixos de colesterol “bom” (HDL) e níveis altos de colesterol “ruim” (LDL), podem representar um maior risco de desenvolver doenças cardiovasculares. Pessoas com diabetes também estão em um risco mais alto.

Quando os níveis passam de 440 mg/dL (sem jejum) já é considerado que o paciente está em grande risco de sofrer complicações cardiovasculares. Neste caso, o médico irá pedir um novo exame para fazer a confirmação do resultado.

Qual especialista procurar?

O clínico geral é o médico mais indicado para cuidar de triglicérides alterados. Em seguida, pode ser necessário o acompanhamento por um cardiologista em caso de risco de doenças cardíacas e de um nutricionista para ajudar a adequar a dieta para normalizar os níveis. Em casos em que há obesidade e outros problemas, o endocrinologista também pode ajudar.

  Continua Depois da Publicidade  

Dessa forma, não existe apenas um médico especialista e sim uma equipe capacitada que pode atuar em diversos campos.

Exame de triglicerídeos

O exame de triglicérides pode ser solicitado sozinho ou como parte de um painel de colesterol em que também serão medidos o colesterol total e o colesterol do tipo LDL (“ruim”) e HDL (“bom”), que é o mais comum de acontecer. Esse tipo de exame mais completo é chamado de perfil lipídico.

O exame tem resultados mais precisos quando um jejum entre 8 a 12 horas é respeitado. Isso porque os níveis de triglicerídeos tendem a aumentar após as refeições, podendo interferir no exame.

Para que serve o exame triglicérides

O exame de triglicerídeos é muito usado para monitoramento de rotina, para controle de doenças cardíacas pré-existentes e também para diagnosticar problemas relacionados à obesidade e a doenças cardiovasculares, como o colesterol alto, a pressão arterial elevada e o risco de problemas cardíacos como derrames e infartos.

Pessoas que apresentam fatores de risco para desenvolver doenças cardíacas devem fazer o exame com mais frequência. Tais fatores incluem:

  Continua Depois da Publicidade  

  • Ser fumante;
  • Ter hábitos pouco saudáveis;
  • Histórico familiar de doença cardíaca;
  • Sedentarismo;
  • Diabetes;
  • Ser homem com mais de 45 anos ou uma mulher com mais de 50 anos de idade;
  • Pressão arterial elevada.

Como e quando é feito o exame?

O exame consiste em retirar uma amostra de sangue de uma veia do braço para posterior análise.

A American Heart Association indica que todas as pessoas maiores de 21 anos façam um exame de perfil lipídico ao menos a cada 5 anos.

As crianças também devem ser examinadas, principalmente se existir um histórico familiar de um distúrbio lipídico no sangue chamado de hipercolesterolemia familiar.

Sempre que houver alguma alteração nos níveis de triglicérides ou de colesterol, é prudente repetir o exame para confirmar os resultados e monitorar a condição anualmente.

É muito importante que esse exame seja feito com regularidade, já que normalmente não são observados sintomas quando os triglicerídeos estão altos.

  Continua Depois da Publicidade  

Dicas para controlar os níveis alterados de triglicerídeos

comidas gordurosas e ricas em carboidrato aumentam os níveis de triglicerídeos

O mais sensato a fazer quando se tem triglicérides elevados é alterar a dieta e praticar mais atividades físicas. Algumas dicas específicas incluem:

Exercite-se frequentemente

O exercício moderado praticado pelo menos 5 vezes por semana ajuda muito a melhorar a saúde, especialmente se você tem problemas com a obesidade, além de aumentar o colesterol “bom”. A prática de atividades físicas ajuda a eliminar a gordura em excesso no organismo e a restabelecer o equilíbrio nos níveis de triglicérides.

Limite o consumo de álcool

Estudos mostram que consumir bebidas alcoólicas pode aumentar os níveis de triglicerídeos. Isso é explicado pelo fato de o álcool ser rico em calorias e açúcar. Assim, o melhor é reduzir o seu consumo.

Cuidado com o peso corporal

Pessoas acima do peso ideal podem ter problemas com os triglicerídeos devido ao acúmulo de gordura no organismo. Dessa forma, é indicado adotar medidas para reduzir e controlar o peso para evitar complicações de saúde.

Lembre-se de que os triglicérides são estocados nas células adiposas através do consumo de calorias em excesso. Assim, ao cortar calorias, é muito provável que os triglicérides também diminuam.

Consuma menos gordura

A gordura é essencial para a nossa saúde, mas é importante escolher boas fontes desse macronutriente. Para controlar os níveis de triglicerídeos, o ideal é reduzir o consumo de gordura trans, gordura saturada e de alimentos ricos em colesterol da dieta e optar por quantidades controladas de gordura saudável, como é o caso do ômega 3.

Confira as diretrizes da OMS (Organização Mundial de Saúde) para uma dieta balanceada.

Ingerir menos carboidratos de alto índice glicêmico também pode ajudar a evitar o acúmulo de triglicérides no tecido adiposo. O consumo de carboidratos simples e açúcar pode aumentar os triglicerídeos. Além disso, esses alimentos são muito pouco nutritivos e devem ser trocados por alimentos mais saudáveis na dieta.

Recomendações para níveis muito altos de triglicerídeos

A hipertrigliceridemia grave é o nome que se dá a níveis extremamente altos de triglicerídeos no sangue. Se o colesterol também estiver alto, a condição é chamada pelos médicos como hiperlipidemia.

Apresentar excesso de triglicerídeos e colesterol pode aumentar a inflamação no organismo e levar ao endurecimento e espessamento das paredes arteriais, o que é conhecido como arteriosclerose. Esses fatores contribuem para aumentar o risco de doenças cardíacas, infartos e acidente vascular cerebral (AVC), por exemplo. Níveis muito altos também podem indicar pancreatite.

Portanto, além do consumo de calorias em excesso e de uma dieta rica em carboidratos de fácil digestão e gordura, o excedente de triglicérides sanguíneo pode ser causado por vários outros fatores, que incluem:

  • Hipotireoidismo;
  • Diabetes mal controlado;
  • Predisposição genética;
  • Doença renal;
  • Cirrose ou esteatose hepática;
  • Abuso de álcool;
  • Síndrome metabólica;
  • Uso de medicamentos como antipsicóticos, corticosteroides, diuréticos, anticoncepcionais e betabloqueadores;
  • Praticar pouca atividade física.

Desta forma, é importante avaliar se alguma dessas condições está influenciando os níveis de triglicerídeos para adotar o tratamento correto.

Em casos de valores muito altos detectados no exame de triglicerídeos, é preciso iniciar o tratamento imediatamente e, além das medidas recomendadas acima, provavelmente será necessário:

  • Seguir uma dieta muito restrita em gordura;
  • Perder uma quantidade significativa de peso;
  • Usar medicamentos para reduzir os triglicerídeos;
  • Tratar a causa subjacente (como uma diabetes ou uma doença renal, por exemplo).

Vale lembrar que triglicerídeos muito baixos também podem indicar problemas de saúde, como: hipertireoidismo, desnutrição, dieta com baixa ingestão de gorduras e síndrome da má absorção.

Uso de medicamentos

medicamentos dois frascos

Embora também possam ocorrer problemas com níveis baixos de triglicérides, o mais comum é que os níveis altos causem problemas de saúde. Quando os níveis de triglicérides são perigosamente altos, pode ser necessário que o médico prescreva remédios que vão trabalhar em conjunto com a mudança de hábitos.

Os medicamentos mais comumente prescritos para controlar o colesterol e os níveis altos de triglicerídeos são:

  • Fibratos: os fibratos ajudam a reduzir os níveis de colesterol, limitando a produção de triglicerídeos pelo fígado, mas não devem ser usados em casos de hepatite grave ou doença renal. Alguns exemplos de fibratos incluem o Lopid e o TriCor.
  • Ácido nicotínico, niacina ou vitamina B3: a niacina é indicada para diminuir os triglicerídeos e também o colesterol do tipo LDL. Ela atua reduzindo a atividade de um composto necessário para a produção dos triglicerídeos no organismo. Porém, é importante ficar atento pois podem ocorrer interações medicamentosas com outros suplementos ou remédios que o paciente esteja tomando no momento.
  • Ômega 3: esse ácido graxo é indicado como um suplemento para aumentar a absorção de gorduras saudáveis que ajudam a reduzir os triglicérides elevados.
  • Estatinas: as estatinas são usadas para reduzir os níveis de colesterol e de triglicérides. Medicamentos como o Lipitor e o Crestor são alguns exemplos de estatinas que ajudam a controlar a condição.

É sempre essencial seguir as orientações médicas e tomar as doses indicadas nos horários certos, além de relatar qualquer problema ou efeito colateral indesejado ao profissional da saúde assim que possível.

Recomendações importantes

Os níveis altos em um exame de triglicérides geralmente são acompanhados de alterações no colesterol. Assim, é indispensável que as alterações no estilo de vida e, principalmente, na dieta sejam levadas a sério.

Se precisar de ajuda na elaboração do cardápio, consulte um nutricionista e faça as mudanças necessárias para evitar problemas cardiovasculares por meio do controle do colesterol e dos triglicerídeos.

Consulte um médico de confiança e relate todo e qualquer tipo de sintoma observado nos últimos meses. Isso com certeza fará a diferença para que tudo volte ao normal rapidamente.

Fontes e referências adicionais

Você já teve problemas nos níveis de triglicerídeos? Que tipo de tratamento foi seguido? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média 4,00)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco é Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral - CRM 597798 RJ/ CBCD. Formou-se em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na área de transplantes na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2010. Dr. Lucio Pacheco é um profundo estudioso na área de doença hepática e escreveu dezenas de livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico-cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D´Or e do Hospital Copa D´Or. Além disso é diretor médico do Instituto de Transplantes. Suas áreas de atuação principais são: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia, e transplante de fígado. Dr. Lucio é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos e diversos. Para mais informações, entre em contato com ele.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário