Triglicerídeos Alto – Causas, Sintomas, Dieta e Dicas

Especialista:
atualizado em 22/01/2020

Os triglicerídeos são as reservas de energia do seu corpo. Eles têm a função de fornecer o combustível para que os músculos trabalhem de forma objetiva. Porém, quando não são utilizados, são armazenados no seu tecido adiposo em forma de gordura. Abaixo você descobrirá quando você está com triglicerídeos alto, a influência deles no seu colesterol, quais as causas e seus sintomas.

Junto com o colesterol alto e a hipertensão, um nível alto de triglicerídeos no sangue é uma das principais causas de doenças cardíacas. Eles ficam na corrente sanguínea e são usados para levar energia para todo o corpo. Porém, quando os níveis são muitos altos, eles podem causar doenças arteriais e cardíacas.

Triglicerídeos alterados – exame e como diminuir

Para ter certeza das suas taxas de triglicérides, é importante que se faça um exame. Você precisa entender como é o exame de triglicerídeos, quais os valores de referência e como ler o resultado. Isso é essencial para que você possa dar os seus próximos passos na resolução desse problema.

Se você tem suspeita, ou já está certo, de que as suas taxas de triglicerídeos estão altas, já deve ter recebido a orientação de que precisa cuidar imediatamente da sua alimentação. Sendo assim, você vai gostar de conhecer uma dieta e um cardápio para baixar os triglicerídeos. E, para acompanhar a sua alimentação, faça uma dessas 5 receitas de suco para baixar os triglicerídeos.

E, caso a sua alimentação não seja suficiente, você ainda poderá conhecer os remédios mais usados para triglicerídeos alto. Além de serem uma opção, eles certamente serão recomendados pelo seu médico em casos mais alarmantes.

Assim como o colesterol, na maioria dos casos é possível manter os triglicerídeos em um nível saudável com uma dieta adequada e atividade física. Porém, há algumas diferenças que são importantes ressaltar.

O que são exatamente?

Os triglicerídeos são gorduras que podem ser produzidas pelo corpo ou ingeridas pela comida e são fonte de energia para as células de todo o corpo. Cerca de 95 por cento de todas as gorduras da dieta são triglicerídeos, que são importantes para a saúde.

Quando comemos, o corpo transforma as calorias que não precisamos usar no momento em triglicerídeos que ficam na corrente sanguínea à disposição para distribuir energia para todas as células. Quando o corpo precisa de energia, essa gordura é utilizada.

A mólecula do triglicerídeo é uma forma química do glicerol que contém três ácidos gordos. Essas moléculas são desfeitas no intestino delgado e depois são reagrupadas para circular no sangue.

Quando a pessoa constantemente come mais calorias do que o necessário, principalmente através de carboidratos, o nível de triglicerídeos aumenta. Isso pode causar acúmulo de placas de gordura nas artérias que podem levar a um ataque cardíaco, acidente vascular cerebral e doença arterial periférica, além de doeça hepática e pancreatite.

O que é considerado normal?

O mesmo teste de sangue que identifica os níveis de colesterol irá informar o nível de triglicerídeos no sangue. Menos de 150mg/dL é considerado normal, até 199 mg/dL é considerado moderado-alto, até 499 mg/dL é considerado alto e acima de 500 mg/dL é muito alto.

O nível de triglicérideos recomendado pela American Heart Association (AHA) como “ótimo” é de 100 mg / dL (1,1 mmol / L) ou menos. De acordo com a instituição, este nível melhora a saúde de coração. Porém, a AHA não recomenda usar medicamento para alcançar esse objetivo, apenas adapte o estilo de vida, comendo melhor e fazendo exercício regulares.

Como depois que comemos o nível de triglicerídeos aumenta, é preciso fazer jejum antes de realizar o teste. O ideal é que este exame seja feito regularmente, inclusive em pessoas jovens e magras.

O que triglicerídeos e colesterol tem a ver?

Colesterol e triglicerídeos são identificados no mesmo exame pois ambos são lipídios que circulam no sangue e o teste feito é, na verdade, um perfil lipídico.

Enquanto os triglicerídeos são responsáveis por armazenar energia não utilizada pelo copo, o colesterol é usado para construir células e hormônios. Como nenhuma das duas substâncias se dissolve no sangue, eles são carregados na corrente sanguínea por proteínas.

Ambos são essenciais para o funcionamento do corpo, mas podem causar sérios problemas quando são encontrados em excesso.

Triglicerídeos alto

Especialistas acreditam que níveis altos de triglicerídeos no sangue aumenta o risco de doenças cardíacas, multiplicando os problemas causados pelo nível de colesterol alto, pressão alta e diabetes. Segundo uma pesquisa publicada em 2011 na revista científica Circulation, os triglicerídeos são importantes fontes de energia para o corpo, mas em altos níveis eles podem elevar o risco de desenvolver doenças cardíacas. Os triglicerídeos em excesso ajudam a bloquear as artérias, causando problemas como ataque cardíaco e derrame.

Estudos apontam que mulheres são mais afetadas por triglicerídeos alto do que homens, porém, ambos devem cuidar os indicadores.

Um nível de alto de triglicerídeos pode ser sinal de diabetes 2 não controlada, doenças no fígado e no rim ou ainda uma condição genética rara que afeta como o corpo transforma a gordura em energia.

Os triglicerídeos alto está associado também à síndrome metabólica, que aumenta o risco de desenvolver diabetes, sofrer um ataque cardíaco e doenças do coração. Uma pessoa tem síndrome metabólica quando ela possui pelo menos três destes fatores: excesso de gordura abdominal, hipertensão, nível alto de glicose no sangue, pouco colesterol bom (HDL) e alto nível de triglicerídeos. Então, se você tem excesso de triglicerídeos, fique atento.

Sintomas

Um nível alto de triglicerídeos na corrente sanguínea não tem sintomas. Quem não faz exames regularmente pode descobrir que possui um nível alto apenas depois de sofrer algum problema cardíaco.

Apenas quem tem excesso de triglicerídeos em função de uma condição genética pode apresentar sintomas visíveis: os xanthomas – manchas amareladas e avermelhadas na pele que são depósitos de gordura. Em casos mais raros, os triglicerídeos alto pode levar a pancreatite.

Causas

O excesso de triglicerídeos pode ser causado por fatores como diabetes tipo 2 não controlada, doença genética, hipotireoidismo, doença renal, obesidade, consumo excessivo de álcool e uma alimentação não saudável.

Quando é motivado pela alimentação, o problema é que a pessoa está ingerindo mais calorias do que precisa, fazendo com que o corpo armazene o excesso. Além da quantidade de calorias, o tipo de alimento importa.

Além disso, alguns remédios como tamoxifen, esteróides, beta-bloqueadores, diuréticos, estrogênio e pílulas anticoncepcionais também podem ser uma das causas.

Como reduzir o nível de triglicerídeos alto

A seguir você verá diversas dicas que impactam o nível de triglicerídeos do corpo:

Coma melhor

O fator mais importante é equilibrar a sua alimentação para que você não consuma mais calorias do que gasta. Porém, diminuir o consumo de alguns alimentos e aumentar o de outros é fundamental para reduzir a quantidade da substância no sangue. Confira algumas dicas:

– Diminua o consumo de gordura saturada e trans

Quando for fazer compras, confira nas informações nutricionais dos alimentos se eles não têm grandes quantidades dessas gorduras. Se sim, evite.

– Coma menos carboidratos e açucares

Diminua a quantidade de comidas açucaradas e preparadas com farinha branca na dieta. Elas engordam, oferecem pouquíssimos nutrientes e aumentam a quantidade de triglicerídeos no sangue.

– Beba álcool moderadamente

O consumo de álcool também pode aumentar o nível de triglicerídeos ao fazer o fígado produzir mais ácidos gordos. Porém, se consumido em moderação (um porção de bebida por dia), pode ajudar a balancear o nível de triglicerídeos e aumentar o nível de colesterol bom.

– Invista em gorduras saudáveis

Gordura é importante para o corpo. Procure fontes de gordura monossaturada e poli-insaturadas que são encontradas em azeite de oliva, amendoim, girassol, milho, abacate, amêndoas, sementes como de abóbora e gergelim e peixes ricos em ômega-3.

– Coma mais fibras

Fibras ajudam a diminuir o nível de triglicerídeos e colesterol naturalmente. Elas desaceleram a digestão, ajudando o corpo a transformar comida em energia e não em gordura, além de reduzir a absorção de gorduras saturadas.

– Cuidado com a frutose

Grandes quantidades de frutose podem aumentar os triglicerídeos para níveis insalubres. Estudos apontaram que participantes que consumiram grandes quantidade de frutose concentrada tiveram um aumento no nível de triglicerídeos. Porém, não é preciso evitar frutas. Apesar da frutose ser o principal açucar das frutas, é uma quantidade moderada e saudável. E as fibras encontradas nas frutas ajudam a diminuir o triglicerídeos alto. Os produtos açucarados industrializados é que são os maiores vilões de frutose, como as caldas e xarope de milho.

Faça exercício e perca peso

Para baixar o nível de triglicerídeos, você precisa parar de consumir mais calorias do que gasta. Isso porque quando você ingere mais calorias do que o seu corpo precisa, o excesso de energia é convertido em triglicerídeos que são armazenados nas células adiposas. Ao consumir menos calorias do que o necessário, é possível parar de armazenar triglicerídeos e até reduzir o estoque de gordura no corpo.

Há varias dicas para fazer isso, inclusive aumentar a quantidade que você gasta através de exercícios. Apenas 30 minutos de exercícios quatro vezes por semana pode baixar o nível de triglicerídeos e aumentar a quantidade de colesterol bom. Os exercícios aeróbicos como corrida, caminhada, natação e ciclismo são os melhores tipos de atividade para reduzir os níveis de triglicerídeos no sangue.

Estudos como o publicado em 2011 no periódico Diabetes Cares apontam que perder entre 5% e 10% do seu peso pode diminuir o excesso de triglicerídeos de maneira significativa. Fique atento: gordura na região abdominal também está associada a níveis altos da substância.

Pare de fumar

Se você fuma, o seu risco de desenvolver doenças cardíacas é maior do que o das outras pessoas. Ao parar de fumar, os níveis de triglicerídeos pode diminuir assim como o seu risco de ter problemas no coração.

O tabagismo causa inflamação no corpo e pode contribuir para o surgimento de coágulos de sangue, dificuldade respiratória, aterosclerose e ataque cardíaco.

Procure um médico caso você queira parar de fumar e esteja enfrentando dificuldades para largar o cigarro.

Se você tem colesterol alto, triglicerídeos alto, ou pressão alta, o tabagismo só irá aumentar o perigo de doenças cardíacas. Fumar cigarros causa inflamação em todo o corpo, o que pode contribuir para a aterosclerose, coágulos de sangue e o risco de ataque cardíaco. Fumar todos os dias piora todos os indicadores de saúde cardíaca.

Medicamentos

Se mesmo com a mudança de estilo de vida os seus triglicerídeos continuam altos, pode ser o caso de usar medicação. Os remédios sempre devem ser prescritos por um médico, que também irá analisar o seu nível de colesterol.

Os medicamentos mais comuns são:

Estatinas: São usadas por quem sofre com baixo nível de bom colesterol (HDL), alto nível de colesterol ruim (LDL) e triglicerídeo alto. O médico ainda pode indicar uma combinação de remédios. Porém, fique atento a dores musculares, náuseas, diarréia ou constripação – se você sentir algum desses sintomas, avise o seu médico.

Fibratos: São usado para diminuir os triglicerídeos. Eles funcionam melhor em pessoas que tem níveis acima de 500 mg/dL. Porém, tem que ser usado com cuidado por quem também utiliza estatinas. Antes de iniciar o tratamento, tenha certeza que o seu fígado e rins estão funcionando bem. A combinação dos dois medicamentos, principalmente quando estes órgãos não estão bem, pode causar um problema chamado rabdomiólise que pode levar a falha dos rins.

Suplemento de ômega-3: Quem precisa baixar os triglicerídeos precisa consumir bastante ômega-3. Porém, pode ser difícil conseguir a quantidade necessária de omega-3 apenas pela dieta. Por isso, o médico pode indicar um suplemento. Tome cuidado ao tomar este tipo de medicamento por conta própria, pois ele pode afetar os efeitos de outros remédios.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Fontes e Referências Adicionais:

  1. Miller, Michael, et al. “Triglycerides and cardiovascular disease a scientific statement from the American Heart Association.” Circulation 123.20 (2011): 2292-2333.
  2. Skulas-Ray, Ann C., et al. “Dose-response effects of omega-3 fatty acids on triglycerides, inflammation, and endothelial function in healthy persons with moderate hypertriglyceridemia.” The American journal of clinical nutrition 93.2 (2011): 243-252.
  3. Stanhope, Kimber L., et al. “Consumption of fructose and high fructose corn syrup increase postprandial triglycerides, LDL-cholesterol, and apolipoprotein-B in young men and women.” The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism 96.10 (2011): E1596-E1605.
  4. David Wang, D., et al. “Effect of fructose on postprandial triglycerides: A systematic review and meta-analysis of controlled feeding trials.” Atherosclerosis 232.1 (2014): 125-133. Site:
  5. Wierzbicki, Anthony S., et al. “Triglycerides: a case for treatment?.” Current opinion in cardiology 27.4 (2012): 398-404.
  6. Collins, M. W., et al. “Association between triglyceride and high-density lipoprotein cholesterol change following fibrate therapy.” Diabetes & Metabolic Syndrome: Clinical Research & Reviews (2014).

Você já constatou o nível de triglicerídeos alto em seu exame? Seu médico passou alguma dieta, alimentos e exercícios específicos para o caso? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (109 votos, média: 4,28 de 5)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco se formou em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na área de transplantes na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2010. Dr Lucio Pacheco é um profundo estudioso na área de doença hepática e escreveu dezenas de livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico - cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D´Or e do Hospital Copa D´Or. É diretor médico do Instituto de Transplantes. Tem vasta experiência na área de Medicina, com ênfase em Transplante hepático, atuando principalmente nos seguintes temas: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia,e transplante de fígado. Dr. Lucio é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos e diversos. Para mais informações, entre em contato com ele.

Deixe um comentário

67 comentários em “Triglicerídeos Alto – Causas, Sintomas, Dieta e Dicas”

  1. Fui ao médico ele fez exame constatou que meu triglicérides estava 546 muito alto me passou um medicamento em uma dieta estou fazendo tudo corretamente só que tá me dando diarreia será que é normal? E é só com exame de sangue que agente sabe se o triglicerídeos estão baixando

  2. Meu triglicerídeos está 323 no último exame q tirei, más o colesterol está abaixo de 200…gostei muito das dicas dadas pelo site….

  3. O meu triglicerídeos está em 760 o médico me receitou os medicamentos cupidez e sinvastatina,mas não orientou-me a fazer dietas específicas,Eu gostaria de saber quais fibras melhores para ser adicionados à alimentação; Gostei muito do comentário da sra:MARIA FRAZÃO me ajudou e bem esclarecedor…