Especialista da Área:

Maionese é Remoso?

Você já ouviu falar que maionese é remoso? Sabe o que são alimentos remosos e por que muitas pessoas os evitam na dieta? Vamos conferir isso tudo agora.

A maionese é um ingrediente cremoso que pode ser utilizado para incrementar sanduíches e saladas ou como base ou coadjuvante de receitas como patês, pastinhas, molhos, cremes, salpicão, lasanhas, tortas e salgados em geral, por exemplo.

Mas será que, em prol da nossa saúde, não devemos nos preocupar com a quantidade e frequência nas quais consumimos a maionese? Será que maionese engorda ou maionese faz mal à saúde, por exemplo?

Será que maionese é remoso?

Antes de começarmos a entender se a maionese é remoso ou não, precisamos saber o que remoso significa, não é mesmo?

Pois bem, de acordo com o dicionário remoso significa “capaz de prejudicar a saúde, que faz mal à saúde, especialmente ao sangue […]”. O termo ainda pode sofrer uma pequena variação e ser chamado de reimoso.

Segundo informações, o termo reimoso não se trata de uma classificação científica, mas é uma expressão antiga, associada à sabedoria popular, que também pode definir os alimentos que podem provocar inflamação na pele, em decorrência de uma reação alérgica.

Chama-se popularmente de reima, algo que pode ser considerado um alergênico e que causa reações como coceira, diarreia e intoxicações mais sérias em algumas pessoas.

Os alimentos remosos ou reimosos também são conhecidos pela alcunha de “alimentos carregados” e essas comidas costumam apresentar quantidades elevadas de proteína e gordura animal.

Mas então, maionese é remoso ou não?

Se o fato de um alimento ser remoso ou reimoso está associado à inflamação, vale a pena saber que, de acordo com especialistas, condimentos processados como a maionese, o ketchup e o molho barbecue podem possuir aditivos químicos como aromatizantes, corante e conservantes que sobrecarregam o fígado e irritam o intestino, favorecendo a inflamação.

No mesmo sentido, uma matéria apontou que os óleos vegetais que podem ser encontrados na maionese podem conter uma concentração elevada do ômega-6, uma gordura que é considerada inflamatória.

Enquanto as moléculas de gorduras produzidas pelo organismo a partir do ômega-6 são pró-inflamatórias, aquelas que são feitas do ômega-3 são consideradas anti-inflamatórias.

Os pesquisadores de uma revisão publicado no Journal of Nutrition and Metabolism (Jornal de Nutrição de Metabolismo, tradução livre) explicaram que a proporção ideal de ômega-6 e ômega-3 no organismo é de 1 para 4.

Condimentos como a maionese e molhos de salada oleosos podem derrubar essa proporção ideal ente o ômega-6 e o ômega-3.

É importante enfatizar que o problema com o ômega-6 está associado ao fato das pessoas o ingerirem muito, ao mesmo tempo em que não consomem uma quantidade suficiente de ômega-3, ressaltou a nutricionista Aglaee Jacob.

“Essa proporção não saudável, com a qual a maionese comercial e outros alimentos processados contribuem, aumenta os riscos de desenvolver doenças cardíacas, alguns cânceres, diabetes do tipo 2 e osteoporose, assim como doenças inflamatórias e autoimunes como artrite reumatoide. Mesmo a maionese que é rotulada como contendo azeite de oliva, uma gordura mais saudável e com menos ômega-6, contém somente uma pequena porção de gorduras do azeite de oliva – a maioria desses óleos ainda vem do óleo de soja ou outros óleos ricos em ômega-6”, afirmou a nutricionista.

Uma dica importante para saber qual tipo de óleo consumirá ao comer sua maionese é a de checar a lista de ingredientes na embalagem do produto. Nessa lista, os nomes que aparecem primeiro são os que estão presentes em maior quantidade no produto.

Caso você experimente sintomas de reação alérgica ou qualquer outro tipo de efeito colateral ao consumir uma receita ou prato com maionese, procure rapidamente o auxílio médico, mesmo que os sinais em questão não aparentem ter gravidade.

Isso porque é na ida ao médico que é possível verificar a seriedade dos sintomas em questão, receber o tratamento apropriado, caso seja necessário, e descobrir se o problema realmente pode estar associado à maionese e checar como deve ser o consumo do ingrediente nas refeições a partir de então.

Consumo da maionese deve ser moderado

Em entrevista, a Dra. Rosana Perim, do Hospital do Coração, afirmou que a maionese até pode fazer parte de uma dieta equilibrada, já que novos métodos de fabricação do produto fizeram com que ele se tornasse mais saudável, possuindo uma quantidade menor de gorduras trans.

Entretanto, a maionese continua sendo um alimento calórico e gorduroso. O endocrinologista especialista em medicina ortomolecular e autor do livro “Fazendo as Pazes com seu Peso”, Wilson Rondó Júnior, também alertou que, por se tratar de um alimento industrializado, a maionese não deve ser ingerida em uma quantidade elevada durante a semana.

Confira algumas receitas de salada de maionese light para aproveitar as pequenas quantidades que pode consumir na sua dieta.

Recomenda-se ainda que passemos longe das maioneses de lanchonetes que aparecem sem rótulos e das versões do produto que não trazem a diminuição dos teores de gorduras saturadas e de calorias em sua receita.

Você já tinha ouvido falar que maionese é remoso? Consome bastante no seu dia a dia? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Deixe um comentário