Alimentos com gorduras trans

15 Alimentos Com Gorduras Trans

A gordura trans ou hidrogenada foi desenvolvida pela indústria para dar aos alimentos mais durabilidade, impedindo que estraguem facilmente quando deixados sem refrigeração. O processo também transforma o estado da gordura em semissólido, impedindo que os alimentos percam consistência quando deixados em temperatura ambiente.

A gordura hidrogenada é muito mais barata do que a manteiga, a banha ou outras gorduras e demora muito mais para ficar rançosa, tornando-a o óleo de fritura favorito dos restaurantes.

O problema é que todas estas vantagens para a indústria custam muito para a saúde das pessoas que consomem os alimentos com gordura trans. Este tipo de gordura é muito difícil de ser processada pelo nosso organismo e por isso se acumula elevando os níveis de colesterol LDL, nocivo para a saúde.

Ingerir alimentos com gorduras trans aumenta o risco de desenvolver doenças cardíacas e derrame. Seu consumo também está associado a um risco maior de desenvolver diabetes tipo 2.

O que é exatamente gordura trans?

Este tipo de gordura é criado através da adição de hidrogênio à estrutura química de uma gordura, geralmente óleo vegetal, em altas temperaturas e pressões. Isso converte o estado do óleo de líquido para semissólido ou sólido (dependendo do grau de hidrogenação).

Esta substância se tornou amplamente utilizada em inúmeros alimentos processados em larga escala até os anos 90, quando estudos começaram a alertar sobre os malefícios que os alimentos com gordura trans podem causar à saúde.

Walter Willett e outros epidemiologistas da Harvard School of Public Health estimaram que a gordura trans estivesse causando na ordem de 50.000 mortes prematuras por ataque cardíaco por ano nos Estados Unidos naquela década. 

Quais são os tipos de gorduras trans?

Existem dois grandes tipos de gorduras trans encontradas em alimentos: as que ocorrem naturalmente e gorduras trans artificiais.

Alguns ácidos trans são produzidos naturalmente no intestino de alguns animais, e alimentos feitos a partir destes animais (leite e derivados e produtos à base de carne) podem conter pequenas quantidades dessas gorduras.

Ainda não há estudos suficientes para determinar se essas gorduras trans que ocorrem naturalmente têm os mesmos efeitos negativos sobre os níveis de colesterol como as gorduras trans fabricadas industrialmente.

Os alimentos com gorduras trans (ou óleos vegetais com adição de hidrogênio) têm na lista de ingredientes nas suas embalagens o ítem “óleos parcialmente hidrogenados”.

Em novembro de 2013 o FDA (Food and Drug Administration), departamento que controla a comercialização de alimentos e remédios nos EUA, determinou que os óleos parcialmente hidrogenados não são seguros para fazerem parte da alimentação humana e que a indústria alimentar terá de banir este ingrediente até 2018.

No Brasil, o Ministério da Saúde e a Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (ABIA) estabeleceram, em 2008, que o percentual de gorduras trans nos alimentos seja reduzido a um limite de 2% do total de gorduras.

Quais são os alimentos com gordura trans?

As gorduras trans podem ser encontradas em muitos alimentos processados industrialmente, incluindo alimentos fritos e produtos assados como bolos, massas de tortas, biscoitos, pizzas congeladas, sorvetes, coberturas, biscoitos de água e sal e recheados, margarinas, iogurtes e patês.

Você pode determinar a quantidade de gorduras trans nos alimentos olhando o painel de informações nutricionais na embalagem. No entanto, existe uma lei que permite que produtos que contiverem menos de 0,5 gramas de gordura trans por porção podem ser listados como “0 gramas de gordura trans”.

Portanto, é preciso estar atento. Se houver algum ingrediente do tipo “gordura parcialmente hidrogenada”, com certeza aquele alimento irá conter gordura trans. Mesmo que em pequenas quantidades.

15 Alimentos com gorduras trans 

As marcas estão autorizadas a arredondar para zero a quantidade de gordura trans descrita na embalagem dos alimentos se estes contiverem menos de meio grama deste ingrediente. Portanto, verifique se há algum ingrediente parcialmente hidrogenado. Se positivo, há gorduras trans no produto. Existem versões de alguns alimentos abaixo sem gordura trans, é preciso ficar atento na hora de consultar o rótulo.

  1. Frituras: O óleo parcialmente hidrogenado dura mais tempo sem ficar ranço, por isso é o preferido de muitos restaurantes e marcas de salgadinhos industrializados e congelados. A maioria dos restaurantes de redes franqueadas usa gordura trans no preparo dos seus hambúrgueres e batatas fritas;
  2. Comida pronta congelada: A gordura trans é usada em molhos, carnes, temperos, sopas, ensopados e massas para serem congelados porque ajuda na conservação e na manutenção do sabor dos alimentos por mais tempo;
  3. Margarina: A margarina é basicamente o óleo vegetal que foi convertido em um sólido através da hidrogenação, portanto todas as margarinas são alimentos com gordura trans. Desta forma, é melhor optar pela manteiga, que acaba sendo uma escolha melhor;
  4. Óleos vegetais: Um estudo norte-americano analisou diferentes marcas de óleos de soja e canola vendidos em supermercados e descobriram que de meio a mais de 4% das gorduras encontradas em todas as marcas eram gorduras trans. Nenhuma das marcas, entretanto, trazia qualquer indicação na embalagem da presença deste tipo de gordura;
  5. Sorvetes: Alguns sabores de sorvete, incluindo nozes, café, passas ao rum, chá verde e até mesmo baunilha contêm meio gramas de gordura trans por porção. Mas nem sempre isto está expresso na lista de ingredientes. Isso pode acontecer porque produtos lácteos podem conter pequenas concentrações de gorduras trans ou porque não há controle do uso deste tipo de gordura por este segmento da indústria alimentícia;
  6. Balas e chicletes recheados: Geralmente cada unidade de bala ou chiclete recheado contém meio grama de gordura trans;
  7. Gordura Vegetal: A gordura vegetal foi criada para substituir a gordura animal na indústria de alimentos, mas não se contava com os malefícios à saúde que ela pudesse trazer. Várias marcas de gordura vegetal são comercializadas livremente nos supermercados sem que haja menção dos seus malefícios;
  8. Misturas prontas para bolos e bolachas: As gorduras trans garantem a textura leve e a durabilidade dos preparos para panquecas, bolos, bolachas e pudins que encontramos nas prateleiras dos supermercados, mas é preciso saber que cada porção destas misturas possui, em média, 1,5 gramas de gordura trans, o que torna suas calorias vazias ainda menos desejáveis para uma dieta saudável;
  9. Pizzas congeladas: Pizzas congeladas são o maior exemplo de quando a conveniência não vale o dano. Com cerca de um grama de gordura trans por fatia, elas dependem de gordura trans para manter a massa crocante e a textura do recheio;
  10. Macarrão semipronto (miojo): Todos os tipos de macarrão semipronto, vendido em pacotinhos com porções individuais ou em copos de sopa para micro-ondas, são alimentos com gordura trans previamente fritos nesta para conservação. Cada meio copo dessas delícias contém em média 1,5 gramas de gordura trans. O tempero em pó que acompanha os pacotes de macarrão também são carregados de gordura trans usado como conservante e para realçar o sabor;
  11. Iogurtes e pudins embalados: As gorduras trans ocorrem naturalmente em gorduras de origem animal, porém, em pequenas quantidades. Os iogurtes e pudins industrializados, no entanto, mesmo que feitos com leite desnatado, estão longe de serem saudáveis pois são alimentos com gordura trans na calda e nas frutas que trazem. Não são todos os iogurtes que têm gorduras trans, apenas fique atento na hora de comprar;
  12. Pipoca de micro-ondas: O sabor de manteiga da pipoca de micro-ondas não passa de óleo hidrogenado com aroma artificial, o que adiciona 15 gramas de gordura trans a cada saco de pipoca. Não são todas as pipocas que têm gorduras trans, apenas fique atento na hora de comprar;
  13. Biscoitos recheados: A fim de manter os bicoitos e o recheio na prateleira por tanto tempo sem estragar e sem que fiquem rançosos, a estratégia é utilizar óleos parcialmente hidrogenados. Eles são mais baratos e garantem sabor e vida muito mais longa a alimentos que seriam rapidamente deteriorados fora da geladeira;
  14. Biscoitos salgados e de água e sal: Biscoitos não poderiam durar nas prateleiras ou nas despensas das nossas casas se não fossem alimentos com gordura trans. Ela os mantém frescos como se tivessem sido produzidos no dia anterior;
  15. Achocolatados e vitaminas prontas: Se você já se perguntou como é possível um produto à base de leite permanecer tanto tempo sem refrigeração e não estragar, encontrou a resposta: eles são alimentos com gordura trans. Este ingrediente é um dos principais conservantes e espessante destes produtos. Meio litro de achocolatado pode conter de 9 a 15 gramas de gordura trans.

Por que algumas empresas usam gorduras trans? 

Gordura hidrogenada é fácil de usar, barata de produzir e tem grande durabilidade. Ela ainda dá aos alimentos sabor e textura desejável. Por este motivo, muitos restaurantes e marcas de alimentos industrializados usam gorduras trans.

Os óleos com gorduras trans podem ser reutilizados muitas vezes em fritadeiras comerciais.

Originalmente vista como uma alternativa à gordura saturada animal, a gordura trans ganhou popularidade na década de 1940 e ainda tem muitos usos na indústria alimentar moderna. Desde 2006, no entanto, as empresas foram obrigadas a incluir a quantidade de gorduras trans nos rótulos dos alimentos e desde então, cada vez mais países têm tentado restringir e até banir o seu uso devido aos malefícios que ela pode causar à saúde das pessoas.

Os efeitos dos alimentos com gorduras trans na nossa saúde 

Uma dieta rica em alimentos com gorduras trans pode levar à pressão arterial alta, obesidade e doenças cardíacas. Estudos também indicaram que o aumento do consumo de gordura trans pode levar à doença de Alzheimer, câncer de próstata e de mama, diabetes tipo 2, disfunção hepática, infertilidade, depressão, e até mesmo a comportamentos agressivos.

Gorduras Trans e o risco de doença cardíaca

Nas últimas décadas, inúmeros estudos clínicos acerca da gorduras trans têm mostrado que pessoas que se alimentam com gorduras trans apresentam fatores de risco para doenças cardíacas como colesterol alto.

De acordo com estes estudos, a ingestão de gordura trans aumenta significativamente o LDL (o colesterol prejudicial), mas não aumenta o HDL (o “bom” colesterol), ao contrário do que ocorre com a maioria das outras gorduras, que tendem a aumentar tanto o LDL quanto o HDL.

Pesquisas também mostraram que as gorduras trans podem danificar o revestimento interno dos vasos sanguíneos, causando uma condição conhecida como disfunção endotelial.

No entanto, médicos acreditam que a ingestão de alimentos com gordura trans vai além de fatores de risco apenas, há também muitos estudos observacionais que ligam as gorduras trans a um risco aumentado de várias doenças do coração e a um aumento dos processos inflamatórios, especialmente em pessoas que estão com sobrepeso ou obesos.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Referências adicionais:

Você tem dificuldades de largar estes alimentos com gorduras trans, mesmo sabendo que eles fazem muito mal à saúde? Quais são os seus pontos fracos? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)



ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*