Carne de porco é remosa? Atrapalha a cicatrização?

Especialista da área:
atualizado em 20/12/2021

Será que a carne de porco é remosa? A resposta é sim, a carne de porco é um dos alimentos que devem ser evitados durante qualquer tipo de cicatrização, já que seu consumo aumenta o risco de processos inflamatórios no organismo e prejudica a cura.

  Continua Depois da Publicidade  

Os alimentos remosos ou reimosos fazem parte da cultura popular brasileira, principalmente da região norte e nordeste, e esse termo é utilizado para os alimentos que possuem efeito inflamatório e que atrapalham a regeneração das feridas na pele.

A palavra “reimoso” vem da palavra grega “rhêuma” que significa escoamento, fluxo, se referindo aos líquidos que saem do corpo, e músculo dolorido, carne mole, dando origem à palavra “reumatismo”.

“Reima” também pode ser utilizado para se referir a um alergênico, ou seja, que causa reações alérgicas como diarreia, coceira, vermelhidão e até mesmo intoxicações mais sérias.

Por isso, é importante evitar alimentos remosos depois de passar por uma cirurgia, colocar um piercing ou fazer uma tatuagem. Nestes casos, optar por alimentos anti-inflamatórios é a melhor estratégia para uma recuperação mais rápida e saudável.

Carne de porco é remosa

Carne de porco
Carne de porco é remosa

Também chamados de “alimentos carregados”, os alimentos remosos costumam ter uma alta concentração de proteína e gordura animal.

A carne de porco causa inflamação na pele e prejudica o estágio final da cicatrização, pois estimula à produção exacerbada de colágeno, causando uma “supercicatrização” que pode resultar em queloide.

  Continua Depois da Publicidade  

No entanto, diferentemente do alimento portador de alergênicos, que desencadearia uma reação alérgica, independente do estado de saúde, o alimento remoso é considerado prejudicial apenas quando a pessoa possui uma doença infecciosa ou ferimentos que estão sujeitos a infecções.

Acredita-se que eles podem interferir no processo de cicatrização e retardar a cura.

Os alimentos remosos mais conhecidos são:  

  • Carne de porco, pato e carneiro
  • Fast food em geral
  • Chocolate ao leite
  • Frutos do mar em geral
  • Ovos
  • Bebidas alcóolicas e refrigerantes.

Existem evidências contrárias

Pesquisadores da Universidade do Estado do Pará utilizaram 30 ratos que foram submetidos a um procedimento de excisão cutânea (procedimento realizado para remover uma lesão da pele).

Eles foram divididos em dois grupos, o primeiro que foi alimentado com uma dieta convencional e o segundo com uma dieta composta por 50% de ração e 50% de carne suína.

Após o período de adaptação dos animais que foram cuidados de acordo com a legislação em vigor e princípios éticos do Colégio Brasileiro de Experimentação Animal (COBEA), eles foram submetidos a um ato operatório para a confecção da ferida cirúrgica e em seguida colocados em gaiolas individuais e distribuídos em dois grupos, cada um seguindo uma das dietas.

  Continua Depois da Publicidade  

O grupo de controle recebeu no pós-operatório a dieta convencional, e o segundo grupo recebeu a dieta remosa, ou seja, ração suplementada com carne suína proveniente da região do lombo de Sus Domesticus.

Os animais foram submetidos a uma nova anestesia após 7, 12 e 21 dias para que os tecidos cicatriciais recém-formados fossem retirados e estudados.

Para a surpresa, ao final do estudo, os pesquisadores chegaram à conclusão de que o grupo submetido à dieta suplementada com carne suína mostrou uma evolução favorável ao processo de cicatrização.

Ou seja, os resultados da pesquisa foram contrários à cultura popular de que a carne de porco é remosa. Entretanto, a pesquisa foi realizada em animais, e mais estudos são necessários para comprovar esse mesmo efeito em humanos.

O que se concluiu com a pesquisa é que dietas ricas em gordura saturada e hipercalóricas, se feitas de forma crônica, seriam desfavoráveis ao processo inflamatório cicatricial.

Alimentos remosos e cuidados com feridas e cicatrização

Alimentos remosos
Alimentos remosos

Há anos a humanidade se preocupa com o cuidado e cicatrização de feridas, afinal, trata-se de um processo complexo e que pode levar de meses a anos para que esteja completamente cicatrizada, e que pode até mesmo causar danos à saúde.

  Continua Depois da Publicidade  

Embora de acordo com cada região ocorra uma certa divergência acerca dos alimentos que são considerados remosos, grande parte da população acredita na necessidade de redução ou suspensão total do consumo de determinados alimentos em certos estados patológicos ou fisiológicos do organismo.

Em casos de gravidez, período de amamentação, ou quando as pessoas apresentam enfermidades crônicas ou agudas, é comum ser recomendada a suspensão total ou parcial de determinados alimentos.

Mesmo não havendo consenso sobre todos os alimentos considerados remosos, eles estão correlacionados com o consumo de carne de animais, e entre elas, está a do porco.

Foi baseado justamente nisso que os pesquisadores da Universidade do Pará decidiram realizar uma pesquisa.

Muito embora parte da população acredite que a carne de porco é remosa, há uma grande carência de dados a respeito da ação imunomoduladora da dieta remosa e qual a influência desses alimentos no processo da saúde e doença.

Benefícios da carne de porco

A carne de porco tem um valor nutricional maior do que você pode imaginar, pois contém muitas vitaminas e minerais essenciais.

  Continua Depois da Publicidade  

Apenas 90 gramas de carne de porco magra cozida supre mais de um terço das necessidades diárias de tiamina, niacina, selênio e vitamina B6. Além disso, é rica em vitamina B12, potássio, magnésio, ferro e zinco.

Uma xícara de carne de porco cozida oferece 36,64 gramas de proteína de alta qualidade.

Pesquisas sugerem que a carne de porco oferece benefícios especialmente para manter a massa muscular, principalmente no caso das pessoas que querem perder peso.

No entanto, é importante mencionar que quanto mais magro o corte, maior será a concentração de suas propriedades saudáveis.

Os cortes mais gordos e os produtos de carne de porco curada, como salsicha e bacon, possuem um alto teor de calorias, gordura saturada e sódio.

E, como visto anteriormente, alimentos remosos são algo que fazem parte da cultura popular, porém não estão ligados à ciência.

Vídeo: carne de porco faz mal?

Fontes e referências adicionais

Você já tinha ouvido falar que a carne de porco é remosa? Tem o costume de comer esse tipo de carne com frequência em sua dieta? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (12 votos, média 4,75)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é Nutricionista - CRN-RJ 0510146-5. Ela é uma das mais conceituadas profissionais do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition.

Deixe um comentário

6 comentários em “Carne de porco é remosa? Atrapalha a cicatrização?”

  1. Eu me chamo Marinez sou do Norte de MG mas moro em Jaboticabal sp a vida toda eu ouvi dizer que carne de porco faz mal mas a minha mãe uma senhora muito sábia sempre disse que : só se for de porca sem castrar (cuiúda) como eles chamam as porcas sem castrar. Porque lá só se come tudo de porco . E nem levava agente em médico quando se machucava .

    Responder
  2. Sim, eu gosto de carne de porco. porém sempre ouvir falar de que é remosa e que pode retardar a cura de processos inflamatórios e que outro efeito da carne de porco e vir a tona todo processo inflamatórios que estiver incubado no corpo

    Responder