Especialista da Área:

Páprica Defumada Faz Mal?

Confira se é verdade que a páprica defumada faz mal em determinadas circunstâncias ou se não precisamos ter cuidado com o consumo desse tempero.

Você certamente já deve ter escutado falar na páprica, uma especiaria originária da América Central, que costuma ser bastante utilizada na culinária oriental e aparecer com frequência na cozinha húngara.

O condimento é derivado do pimentão ou da pimenta, que são secos e moídos até atingirem a forma de um pó fino, e serve para conceder um sabor mais picante e/ou uma coloração mais vibrante a uma série de preparações culinárias como arroz, batata assada, frutos do mar, batata frita, frango, carnes, peixes, aves, ovos, canapés, tortas salgadas, sopas, legumes e molhos, por exemplo.

Entretanto, essas não são as únicas funções ou benefícios da páprica: ela já foi apontada como rica em antioxidantes e é fonte de nutrientes e benefícios da vitamina A, vitamina E e ferro, componentes importantes para o organismo humano funcionar apropriadamente.

É verdade que a páprica defumada faz mal para a saúde?

De acordo com informações, a páprica defumada é uma versão da especiaria na qual as pimentas (ou pimentões) que dão origem ao condimento foram desidratadas sob o fogo a lenha com o objetivo de fornecer justamente um sabor defumado.

Mas você já ouviu falar que a páprica defumada faz mal? Será que isso tem algum fundamento ou não passa de uma afirmação sem base?

Bem, um artigo publicado indicou a páprica defumada como uma das especiarias que pode ser utilizada na culinária não somente para dar uma diversificada nos pratos como também para acrescentar benefícios para a saúde.

A justificativa apresentada é que o condimento é composto pela capsaicina (veja o que é e benefícios). Ela não é simplesmente a substância que concede ardência à páprica: além disso, é classificada como um antioxidante, ou seja, um composto que contribui com a proteção das células do organismo contra danos.

De olho nos insetos

Por outro lado, pode ser fácil ver a sua páprica defumada virar abrigo de insetos indesejáveis, tornando-a inapropriada e até perigosa para o consumo, dependendo do animal que a atacar e o que ele depositar na especiaria.

Tudo porque a páprica é um dos condimentos mais suscetíveis à infestação de insetos que vivem quase imperceptíveis na cozinha. Isso acontece porque o ingrediente é à base de pimenta, o que ganha a preferência dos insetos – tanto a páprica doce quanto a defumada.

A entomologista (cientista que estuda os insetos) Jody Green afirmou que a páprica e a pimenta caiena apresentam uma prevalência elevada de dejetos de insetos quando comparadas a outros condimentos.

De acordo com a especialista, esses bichinhos gostam particularmente de pimentas secas como a páprica e a caiena, tendo em vista que a família das pimentas oferece os requisitos nutricionais necessários para a perpetuação de várias gerações desses pequenos seres.

  Continua Depois da Publicidade  

A páprica defumada pode ser especialmente vulnerável a esse tipo de infestação caso fique esquecida em um cantio da cozinha e seja visualizada e utilizada apenas de vez em quando.

A boa notícia é que Green deu algumas sugestões que podem auxiliar interromper o ciclo de vida desses indesejáveis invasores que podem aparecer na páprica defumada:

  • Inspecionar o produto no ato da compra: confirmar se a embalagem encontra-se intacta e procurar por larvas e besouros caso ela seja transparente;
  • Deixar os condimentos no congelador durante quatro dias – o eletrodoméstico deve estar em pelo menos 17,8º negativos – antes de armazenar no armário;
  • Caso tenha comprado as especiarias em grande quantidade, dividir a porção total em vidrinhos bem selados e guardar no congelador;
  • Sempre utilizar os condimentos mais velhos antes. Para facilitar isso, armazenar os mais novos no fundo;
  • Manter as superfícies da cozinha sempre limpas.

Estudos sobre a páprica feitos em animais não acharam malefícios significativos

Um estudo de 13 semanas realizado no Instituto Nacional de Ciências da Saúde em Tóquio serviu uma dieta composta por até 5% de páprica a ratos. Resultado: foram desenvolvidos maiores níveis de colesterol sanguíneo correlacionados à quantidade de páprica administrada aos animais.

Entretanto, ainda assim, essa quantia de até 5% de páprica na dieta dos animais foi considerada segura e não provocou qualquer problema de saúde significativo nos ratos.

Outro estudo conduzido no Instituto Nacional de Ciências da Saúde em Tóquio não encontrou toxicidades associadas à páprica durante um experimento de longo prazo.

A pesquisa testou diversas quantidades de páprica na alimentação de ratos ao longo de um período de dois anos e apontou que o condimento resultou em níveis mais elevados na formação de compartimentos cheios de água nas células, que são conhecidos pelo nome de vacúolos, no fígado de ratos do sexo masculino que seguiram uma dieta composta por 5% de páprica.

No entanto, não foram observados efeitos toxicológicos nos animais do sexo masculino ou feminino, relacionados ao peso corporal ou de órgão, taxas de sobrevivência ou parâmetros bioquímicos séricos ou hematológicos pelo estudo, que foi divulgado na publicação Food and Chemical Toxicology (Toxicologia Alimentar e Química, tradução livre).

Observe que os experimentos mencionados foram conduzidos em animais – não em seres humanos – e que não foi especificado se a páprica defumada foi utilizada nos estudos ou se ela teria os mesmos efeitos que a versão da especiaria empregada nas pesquisas.

Portanto, não dá para bater o martelo apenas baseando-se nesses experimentos e afirmar que a páprica defumada faz mal ou não para a saúde do organismo – seja defumada ou qualquer outra versão do ingrediente.

A questão da alergia

Algo que precisa ser levado em consideração quando queremos entender se a páprica defumada faz mal são as alergias alimentares.

De acordo com informações, os registros de reações alérgicas ao condimento são bem poucos, entretanto, como acontece com qualquer alimento, as alergias são sim um risco em potencial.

Por conta disso, vale ser cauteloso e procurar a ajuda do médico imediatamente caso perceba qualquer sintoma de alergia como inchaço na boca ou nos lábios ou dermatite de contato nas mãos (erupção ocasionada pelo contato com determinada substância) depois de ingerir ou manusear a especiaria.

  Continua Depois da Publicidade  

Essa recomendação também deve ser seguida quando aparecer qualquer outro tipo de sintoma após o consumo ou manuseio do condimento, por mais leve ou insignificante que ele aparente ser.

Isso é importante para verificar qual é a real seriedade do problema, receber o tratamento apropriado e saber direitinho se pode continuar a usar a páprica defumada ou em outra versão.

Referências Adicionais:

Você já tinha ouvido falar que páprica defumada faz mal? Consome com frequência na sua dieta? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo muito solicitada para palestras, consultoria a empresas e atendimento personalizado para atletas, pessoas com condições especiais de saúde e pessoas que desejam melhorar a forma física de forma saudável. É a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España). É também membro da International Society of Sports Nutrition. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma. Dra. Patricia Leite é uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário