Red Bull Engorda ou Emagrece?

Especialista:
atualizado em 17/12/2019

“Red Bull te dá aaaasas”. Você provavelmente deve se recordar desse comercial animado que faz a promoção do Red Bull, uma bebida energética que promete oferecer energia e disposição para atletas, estudantes que precisam se dedicar aos livros por muito tempo ou profissionais que precisam aguentar uma jornada muito grande de trabalho.

E se na hora do aperto, em que o cansaço bate, mas ainda assim é necessário manter-se acordado e firme na execução de algum tipo de tarefa ou obrigação, a bebida pode ser útil, não dá para negar aqui que ao consumi-la corre-se o risco de sofrer com algum tipo de efeito colateral.

Entre as reações adversas mais conhecidas do produto estão o aumento do nervosismo e da ansiedade. Entretanto, para quem já consumiu ou pensa em utilizar a substância um dia e se preocupa com a manutenção da boa forma, surge a dúvida: será que o Red Bull engorda? Ou será que não há problema algum em tomá-lo e ele pode até mesmo ajudar no emagrecimento?

É exatamente isso o que nós vamos tentar desvendar hoje!

Red Bull engorda?

Primeiro é importante lembrar que existem duas versões da bebida: a versão tradicional com açúcar e a versão “sugar free”, ou diet, que não tem açúcar.

Uma lata de Red Bull na versão tradicional com açúcar possui 110 calorias. Se levarmos em consideração o fato que ingerimos a bebida apenas esporadicamente, não seria correto afirmar que Red Bull engorda. Não são 110 calorias de vez em quando que irão fazer você engordar.

Na versão sem açúcar, são apenas 10 calorias. Então, analisando puramente por quantidade de calorias, não seria correto culpar a bebida pelo aumento do peso.

Quando o Red Bull engorda

No entanto, vale a pena citar quando o Red Bull engorda de fato e porque isso acontece.

Em primeiro lugar, a versão tradicional é a mais consumida. E muitas pessoas consomem mais de uma lata por vez e algumas vezes por semana. Neste cenário, estamos falando de um possível aumento de 500 a 1000 calorias a mais por semana. Isso pode sim prejudicar seus esforços para controlar o peso corporal.

É claro que nessa situação, a resposta definitiva para esse questionamento depende muito também da qualidade da alimentação do usuário do produto e se ele tem ou não o hábito de praticar algum tipo de atividade física.

Obviamente, quem leva uma vida mais saudável, com uma dieta equilibrada e uma vida ativa costuma ter uma tendência menor para acumular quilos em excesso do que quem se empanturra de fast food e guloseimas e tem hábitos sedentários.

Em segundo lugar, muitas pessoas consomem o Red Bull comendo salgadinhos. Então, tecnicamente a bebida leva a culpa por conta de outro alimento. No entanto, o hábito de bebê-la traz o costume de consumir salgadinhos calóricos e isso faz a pessoa engordar. Essa observação vale tanto para a versão tradicional de Red Bull quando a versão sugar free.

Em terceiro lugar, muitas pessoas tomam Red Bull junto com bebidas alcoólicas como whisky e vodka. Neste caso, além das calorias do produto, há calorias do álcool, que podem ser muitas.

A composição importa 

Não é simplesmente o número de calorias que determina se o Red Bull engorda ou não, a sua composição também importa.

Segundo a Escola de Direito da Universidade de Harvard, em apenas uma lata da bebida é possível encontrar 27 g de açúcar. A essa altura do campeonato, você já deve ter o conhecimento de que o açúcar é uma espécie de carboidrato simples, que não fornece vitaminas ou minerais ao organismo.

E por mais que a substância traga benefícios em relação à obtenção de energia e para a saúde da pele, ter uma alimentação rica em açúcar torna bastante difícil adquirir todos os nutrientes que o corpo necessita para o seu bom funcionamento por meio da dieta, sem sofrer com o aumento de peso. Uma grande quantidade de açúcar em uma mesma refeição provoca picos de insulina, uma situação que provoca o acúmulo de gordura se não vier acompanhada da prática de alguma atividade física.

Red Bull emagrece? Nem a versão sem açúcar?  

Nós acabamos de ver aqui que por conta das calorias e da taxa de açúcar que abriga, o Red Bull pode colaborar sim com o aumento do peso. A versão sem açúcar pode não ser tão problemática a nível de calorias, mas também não é correto afirmar que esta versão do Red Bull emagrece por conta disso.

De acordo com os especialistas da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, nem mesmo a versão que não contém teor de açúcar de bebidas energéticas, grupo no qual o Red Bull está incluído, é indicada para quem deseja e/ou precisa se livrar de uns quilinhos em excesso.

Mesmo que a ideia por trás da intenção de perder peso com o auxílio do energético seja a de que a cafeína, presente na composição da bebida, pode causar a aceleração do metabolismo, o que também gera uma queima de gorduras mais rápida, é importante registrar aqui que o efeito demora a ser concretizado e nem é tão vantajoso assim.

É que por mais que uma pessoa consuma uma quantidade suficiente de cafeína para estimular o seu metabolismo, ainda seria necessário um mês para que ela eliminasse míseras 450 g de gordura. Isso porque essa aceleração resulta apenas em uma perda abaixo de 100 calorias (sim, são somente 10 calorias por lata) diariamente e o efeito cessa assim que a pessoa para de ingerir essa quantia significativa de cafeína.

Ainda conforme o que os especialistas da Universidade de Columbia explicaram, o Red Bull sem teor de açúcar possui 100 calorias a menos que a versão tradicional do produto. Nesse sentido, ela se mostra mais vantajosa para quem deseja manter a boa forma, já que grande parte das calorias do produto são eliminadas.

No entanto, isso significa apenas que a versão sugar free do Red Bull engorda menos que a normal, ou seja, atrapalha menos a manter o peso ideal, mas não contribui com o emagrecimento. Isso porque ainda não existem conclusões científicas que indiquem que o adoçante artificial utilizado em versões lights do produto realmente podem auxiliar a perda de peso.

Enquanto alguns estudos até mostram que os adoçantes podem colaborar com o emagrecimento, outras pesquisas indicam que essas substâncias causam o aumento de peso e podem inclusive aumentar o risco de desenvolver alguns tipos de câncer. 

A questão da saúde

E apesar de haver a possibilidade de uma pessoa obter uma perda maior de peso no começo de seu consumo maior de cafeína, isso pode acontecer por conta do efeito diurético que a substância causa. Algo que nem sempre é saudável, tendo em vista que a falta de água no organismo pode causar problemas como perda de sono e memória, câimbra e formigamentos, indisposição para realizar atividades físicas, queda de cabelo, ressecamento da pele, intestino preso e perda da coordenação motora.

Outro ponto que mostra que aumentar o consumo de cafeína por meio das bebidas energéticas para melhorar o metabolismo e ganhar uma forcinha na hora de perder peso é que a ingestão exagerada da substância – o ideal é não passar das 400 mg de cafeína por dia, o que corresponde a cinco latas de Red Bull – não vale a pena correr o risco dos efeitos colaterais que esse excesso pode trazer.

Entre eles estão o vício, o nervosismo, a irritabilidade, a insônia e dificuldade para dormir, a ansiedade, as dores de cabeça, as palpitações no coração, as úlceras, a doença de refluxo gastroesofágico e contração dos músculos.

Fica também o alerta para as pessoas que sofrem de hipertensão, já que a taurina e a cafeína presentes nas bebidas energéticas aumentam a pressão arterial em 10%. Por mais que isso não seja algo tão problemático para pessoas saudáveis, para os portadores dessa condição o efeito é perigoso, tendo em vista que pode aumentar o risco de doença no coração ou derrame.

Por isso, se você realmente precisa estudar, trabalhar ou realizar qualquer outro tipo de atividade que exija que você fique acordado por muito tempo, vale a pena conversar com o médico e descobrir se realmente vale a pena consumir um energético como o Red Bull e qual a quantidade máxima que deve ser ingerida do produto, para não gerar danos muitos graves tanto à saúde quanto à boa forma.

Você conhece alguém que tome Red Bull para ajudar no emagrecimento por conta da cafeína? Com que frequência você consome este energético? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (6 votos, média: 4,17 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário

3 comentários em “Red Bull Engorda ou Emagrece?”

  1. Mas e os altos níveis de Cafeína presentes na bebida, consideramos que a Cafeína seja um dos melhores thermogênicos, isso nao compenssa os 27g de açucar?