Truques para controlar o peso mesmo sem exercícios

Especialista:
atualizado em 11/11/2020

Os benefícios dos exercícios físicos para o emagrecimento não são novidade para ninguém. Isso sem contar os efeitos incríveis dos exercícios para o cérebro. Entretanto, existem períodos da vida em que simplesmente não dá para manter os treinamentos em dia.

Por exemplo, durante a pandemia do novo coronavírus alguns optam por não se arriscar na academia, mas também não conseguem treinar em casa na quarentena com tanta frequência. Além disso, há quem mesmo antes da pandemia já não tinha tempo para se exercitar.

Então, sem poder treinar não há como controlar o peso? Não é bem assim, pois existem alguns truques que ajudam a cuidar da boa forma enquanto não dá para praticar exercícios. São eles:

1. Procurar gastar mais calorias

Escada

Mesmo sem treinar, antes da pandemia dava para gastar mais calorias porque se saía mais de casa. Por exemplo, ao caminhar de casa até o ponto de ônibus ou subindo as escadas do escritório ou da faculdade.

Já atualmente, devido à pandemia, muitos se tornaram bem menos ativos, porque passaram a trabalhar de casa ou precisaram diminuir as saídas para se proteger.

Assim, ao se movimentar menos e gastar menos calorias, a pessoa pode perceber que, embora coma a mesma quantidade de alimento de antes da pandemia, o seu peso aumentou ou que parou de emagrecer.

Portanto, vale a pena adotar pequenas hábitos no dia a dia para gastar mais calorias mesmo em casa. Por exemplo, participar da limpeza da casa, usar as escadas no lugar do elevador, dançar e brincar de correr ou pular com as crianças já pode ajudar.

2. Incluir comidas ou bebidas termogênicas na dieta

Os alimentos termogênicos são aqueles que podem ajudar a aumentar o metabolismo e a queima de calorias por meio do reforço à termogênese.

Este é um processo no qual o corpo queima calorias para utilizar os alimentos que acabou de comer, convertendo essas calorias em calor. Pimenta, café, e gengibre são alguns dos exemplos de alimentos termogênicos.

Logicamente, os termogênicos não fazem milagres em termos de emagrecimento e nem vão anular os efeitos de uma dieta cheia de calorias, açúcar, e gorduras ruins. Entretanto, podem dar uma força em relação ao metabolismo e queima calórica.

Antes de usar um suplemento termogênico, consulte o médico, pois o produto tem contraindicações e efeitos colaterais.

3. Consumir o máximo possível de alimentos naturais

Vegetais

A recomendação aqui é dar preferência aos alimentos menos processados e evitar aqueles que são muito processados, como os industrializados. Usar um alimento integral e in natura sempre será melhor.

Em suma, a regra é: descascar mais é melhor do que desembalar. Ou seja, foque-se nos legumes, nas verduras, nos cereais e nas leguminosas, ao mesmo tempo em que evita a comida pronta.

A comida pronta é muito processada, contém muito mais calorias e gorduras e muito menos nutrientes. Portanto, ela contribui com o ganho de peso e faz mal para a saúde.

4. Ficar de olho na ingestão de proteínas

Algumas pessoas que treinavam antes, mas pararam ou não estão treinando com a mesma frequência ou intensidade, acabaram reduzindo drasticamente o consumo de proteínas.

No entanto, as proteínas também são um nutriente importante para o controle e a diminuição do peso. Isso porque elas contribuem com a saciedade e com a manutenção de massa muscular. Quanto mais músculos se tem, mais gorduras e mais calorias se queima.

Além disso, a proteína contribui com a imunidade e ajuda até mesmo os cabelos e a pele. Portanto, é necessário manter um bom e saudável consumo de proteínas. Mas atenção: sem exagerar na ingestão do nutriente, pois o excesso de proteínas também faz mal.

Recomenda-se consumir proteínas não apenas no almoço e no jantar, mas também no café da manhã e nos lanchinhos ao longo do dia, para ajudar a segurar a fome. Conheça sugestões de lanches proteicos rápidos e fáceis.

5. Não corte as gorduras por completo

Embora existam a gorduras ruins (gorduras trans e gorduras saturadas), cujo consumo devemos cortar, também há gorduras boas para a saúde.

As gorduras ruins são pró-inflamatórias, causam maior acúmulo de gordura abdominal, podem piorar a questão metabólica e aumentar a resistência à insulina.

Por outro lado, as gorduras saudáveis (monoinsaturadas, polinsaturadas e ômega-3) são anti-inflamatórias, ajudam a mobilizar mais gorduras e contribuem com a saciedade.

É mais interessante fazer um lanchinho com um pouco de gordura boa e proteínas, que vão saciar até a hora do jantar, do que comer algo muito leve que fará ter muita fome mais tarde e beliscar comidinhas não saudáveis.

Só não dá para exagerar na quantidade, pois os alimentos com gorduras boas ainda costumam conter uma quantidade significativa de calorias. Conheça alimentos ricos em gorduras boas.

No vídeo a seguir a nossa nutricionista também apresenta as dicas para emagrecer com menos exercícios:

Gostou das dicas?

Você já conhecia ou seguia alguma dessas dicas? Quais delas? Conte para nós nos comentários!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é Nutricionista - CRN-RJ 0510146-5. Ela é uma das mais conceituadas profissionais do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário