10 alimentos que protegem contra ataque cardíaco, segundo a ciência

Especialista da área:
atualizado em 15/01/2021

Se “doenças cardiovasculares” é um termo que assusta, “ataque cardíaco” é um nome que pode trazer ainda mais temor. Isso porque a palavra se refere a um problema grave, que surge quando o fluxo sanguíneo ao coração é bloqueado.

  Continua Depois da Publicidade  

Esse bloqueio se dá principalmente devido a um acúmulo de colesterol, gorduras e outras substâncias. Elas formam uma placa nas artérias coronarianas, que são as responsáveis por fornecer sangue ao músculo cardíaco.

Eventualmente, essa placa se rompe e forma um coágulo. Então, a interrupção do fluxo sanguíneo ao coração provocada por ela pode danificar ou até mesmo destruir parte do músculo cardíaco.

O papel da alimentação na prevenção do ataque no coração

Saúde

O tratamento para o ataque cardíaco melhorou com o passar dos anos, mas o problema ainda pode ser fatal. Portanto, não dá para correr riscos: o melhor mesmo é fazer tudo o que tiver em mãos para se prevenir.

E quando se trata da prevenção, a resposta está no estilo de vida. Peso saudável, dieta boa para o coração, não fumar, praticar exercícios, reduzir o estresse e controlar as condições que podem resultar no ataque cardíaco, como pressão alta, colesterol alto e diabetes, é importante.

No artigo de hoje, vamos falar do papel da alimentação na prevenção do enfarte agudo do miocárdio. Além disso, vamos conhecer os alimentos que, segundo a ciência, diminuem os riscos de desenvolver um ataque no coração e auxiliam a melhorar a saúde cardiovascular.

1. Peixes gordurosos

Eles são ricos em ômega-3 e ajudam a diminuir a inflamação do organismo. Ao mesmo tempo, contribuem com a prevenção da arritmia e da aterosclerose, que é o acúmulo de gorduras, colesterol e outras substâncias nas artérias.

  Continua Depois da Publicidade  

Embora peixes gordos como o salmão e o arenque sejam mais caros, opções mais acessíveis como a sardinha e o atum também são peixes gordos e saudáveis.

Mas, atenção: recomendação é introduzir esses peixes de duas a três vezes por semana na alimentação, em preparações saudáveis. Ou seja, nada de receitas fritas ou empanadas.

2. Aveia

Já comprovou-se cientificamente que os benefícios da aveia incluem o auxílio à diminuição dos níveis de colesterol. Por causa da quantidade elevada de fibras solúveis e fibras insolúveis presentes no alimento, com destaque para a fibra betaglucana.

3. Frutas vermelhas (frutas silvestres)

Frutas vermelhas
Framboesa e amora são exemplos de frutas vermelhas

Por exemplo, grupo é composto pelas frutas vermelhas pequeninas como morango, amora, framboesa, mirtilo e groselha.

Elas podem colaborar com a diminuição da pressão arterial e com a dilatação dos vasos, favorecendo assim a boa passagem do sangue. Aliás, a pressão alta é um dos fatores de risco para o desenvolvimento do ataque cardíaco.

Ademais, as frutas vermelhas também possuem muitas fibras – o que inclui as fibras solúveis que podem diminuir a absorção de colesterol na corrente sanguínea.

  Continua Depois da Publicidade  

4. Chocolate amargo

Atenção: para ser digno de fazer parte desta lista, o chocolate precisa ter um teor de no mínimo 70% de cacau. Caso contrário, ele terá uma quantidade elevada de açúcar, o que anulará os benefícios do chocolate amargo.

O chocolate amargo ajuda a amenizar o estresse – outro fator de risco para o ataque cardíaco -, a melhorar os níveis de pressão arterial e a relaxar os vasos.

5. Nozes e oleaginosas

As nozes e as oleaginosas de uma maneira geral são compostas por quantidades altas de antioxidantes e vitamina E. Algumas versões como a castanha-do-pará ainda são fonte de selênio.

Tanto a vitamina E quanto o selênio substâncias antioxidantes. Os antioxidantes bloqueiam parte dos danos provocados pelos radicais livres, que podem favorecer o desenvolvimento de doença no coração, câncer e artrite.

Ao mesmo tempo, o acúmulo dos radicais livres ao longo do tempo também é um dos responsáveis pelo processo de envelhecimento.

  Continua Depois da Publicidade  

Entretanto, como o valor calórico desses alimentos é bastante alto, eles precisam ser consumidos com moderação. Assim, o ideal é consumir entre duas a três unidades diariamente.

Por outro lado, o consumo excessivo pode favorecer o aumento de peso, o que não é desejável já que a obesidade também é um dos fatores de risco para o ataque no coração.

6. Azeite de oliva extra virgem

Azeite

O azeite de oliva é conhecido por contribuir com a diminuição do risco de doenças cardíacas.

No entanto, é fundamental que o azeite de oliva seja realmente da variedade extra virgem. É isso que garante que o produto contenha todos os antioxidantes necessários.

A versão extravirgem do azeite de oliva também apresenta uma grande quantidade de ômega-9, uma gordura saudável para o coração. O azeite de oliva tem destaque na dieta Mediterrânea, associada à longevidade e à melhoria do sistema cardiovascular.

  Continua Depois da Publicidade  

7. Chá verde

Considera-se o chá verde uma ótima bebida para o coração, devido aos seus antioxidantes e compostos bioativos. Mas atenção! O ideal é consumir o chá verde logo após o preparo e não adoçar, para aproveitar bem os seus benefícios.

8. Vegetais crucíferos

O grupo dos vegetais crucíferos inclui exemplos como brócolis, a couve-flor, a couve-de-bruxelas. Eles são benéficos para o sistema cardiovascular porque são muito ricos em fibras e em antioxidantes. Ao mesmo tempo, possuem bem poucas gorduras e calorias.

9. Abacate

A fruta é rica em gorduras monoinsaturadas, que são bastante saudáveis para o coração. Como se não bastasse, o abacate também apresenta uma quantidade elevada de fibras.

Além disso, o alimento é muito bom também para contribuir com a saciedade e, consequentemente, com o controle do apetite. Conforme já aprendemos, manter um peso saudável é parte importante da prevenção contra o ataque cardíaco.

10. Alho

O rei dos temperos culinários pode auxiliar a dilatação dos vasos sanguíneos a melhorar a pressão arterial e o fluxo sanguíneo.

Mas, para ter uma melhor disponibilidade do composto bioativo responsável por boa parte dos benefícios do alho, a alicina, há um segredo. O truque é amassar o alimento e esperar 15 minutos para utilizá-lo.

Aliás, a nossa nutricionista também lista no vídeo abaixo os alimentos que reduzem os riscos de ataque no coração. Não perca!

Fontes e Referências Adicionais

Gostou das dicas? Vai começar a segui-las? Então, conte para nós nos comentários e compartilhe com quem você conhece!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é Nutricionista - CRN-RJ 0510146-5. Ela é uma das mais conceituadas profissionais do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário