Calabresa é Remoso?

Especialista:
atualizado em 27/12/2019

Você já ouviu falar que calabresa é remoso? Já sentiu algum efeito alérgico depois de consumir esse tipo de linguiça? Vamos conferir se isso é verdade ou não.

A calabresa é um tipo de linguiça que é preparada a partir de carne de porco curada, que pode ser ou não ser defumada, e que passa pelo chamado processo de estufagem.

A diferença da linguiça calabresa para os outros tipos de linguiça reside no fato dela receber a adição da pimenta calabresa, que lhe concede não somente o nome como também um gostinho mais picante. Se você segue também uma dieta low carb, vale a pena saber se a linguiça tem carboidrato, por exemplo. Confira também se a linguiça engorda mesmo ou não.

Essa linguiça mais apimentada vai bem como petisco e como ingredientes de receitas de pizza, por exemplo.

Mas o que significa dizer que algo é remoso?

Para que possamos analisar se calabresa é remoso, precisamos antes conhecer o que esse termo significa, não é mesmo?

Pois bem, de acordo com o dicionário, remoso significa “capaz de prejudicar a saúde, que faz mal à saúde, especialmente ao sangue […]”. O termo ainda pode sofrer uma pequena variação e ser chamado de reimoso.

Segundo encontramos, o termo reimoso não se trata de uma classificação científica, mas é uma expressão antiga, associada à sabedoria popular, que também pode definir os alimentos que podem provocar inflamação na pele, em decorrência de uma reação alérgica.

Chama-se popularmente de reima algo que pode ser considerado um alergênico e que causa reações como coceira, diarreia e intoxicações mais sérias em algumas pessoas.

Os alimentos remosos ou reimosos também são conhecidos pela alcunha de “alimentos carregados” e essas comidas costumam apresentar quantidades elevadas de proteína e gordura animal.

E então, calabresa é remoso?

De acordo com o que encontramos, a linguiça – ao lado de outras carnes processadas como a salsicha e o presunto e das bebidas alcoólicas – faz parte do grupo de alimentos que possuem alto poder inflamatório.

Tanto que recomenda-se que eles não sejam consumidos depois de fazer uma tatuagem por poderem atrapalhar a cicatrização. Confira aqui uma lista de alimentos inflamatórios que devem ser evitados principalmente nessas situações.

“O consumo excessivo desses alimentos aumenta a inflamação e dificulta o processo de cicatrização da pele, podendo também levar a outros problemas de saúde como dores de cabeça, colesterol elevado e diabetes. O ideal é que esses alimentos não façam parte da rotina alimentar, e que não sejam consumidos pelo menos por 1 semana após a tatuagem”, escreveu uma nutricionista.

Como já vimos acima, a linguiça calabresa é feita a partir da carne de porco. Os alimentos remosos ou reimosos são definidos como aqueles que podem provocar inflamação na pele, em decorrência de uma reação alérgica, e as proteínas de origem animal como a carne de porco entram na categoria de alimentos classificados como muito alergênicos.

Portanto, se você sofrer alguma reação alérgica ou qualquer tipo de efeito colateral depois de comer a linguiça calabresa, procure imediatamente o auxílio do médico para receber o tratamento necessário.

Linguiças são embutidos e prejudiciais à saúde

Além de saber se a calabresa é remoso, vale a pena conhecer quais outros perigos o alimento pode trazer para a saúde.

Os embutidos – grupo ao qual as linguiças como a calabresa pertencem, acompanhada de outros alimentos como salsicha, mortadela, presunto e salame – são conhecidos como alguns dos piores alimentos para a nossa saúde.

Um dos motivos se dá porque os corantes encontrados nos embutidos podem provocar alergias e problemas no estômago. Eles são conhecidos por conterem conservantes como o nitrito e o nitrato, substâncias que dentro do nosso organismo são convertidas em compostos potencialmente cancerígenos.

Nutricionistas ressaltam ainda que os embutidos apresentam um teor de gorduras saturadas mais elevado do que as carnes naturais.

O problema com as gorduras saturadas

Um artigo do site da Escola Médica de Harvard classificou as gorduras saturadas como as gorduras do “meio termo”, nem boas nem ruins. Segundo a publicação, uma dieta rica em gorduras saturadas pode elevar os níveis totais de colesterol e aumentar o colesterol ruim, também chamado de LDL, que incita a formação de bloqueios nas artérias do coração e outros locais do corpo.

Segundo a Escola Médica de Harvard, é por esse motivo que a maioria dos especialistas em nutrição recomenda limitar o consumo de gorduras saturadas a um teor correspondente a menos de 10% das quantidades consumidas diariamente.

Uma meta-análise de 21 estudos indicou que não existem evidências suficientes para concluir que a gordura saturada aumenta o risco de ter doenças cardíacas, mas que trocar as gorduras saturadas pelas gorduras poli-insaturadas – que são consideradas gorduras boas – pode sim diminuir as chances de ter doença cardíaca, completou a publicação.

Ainda de acordo com o artigo da Escola Médica de Harvard, outros dois grandes estudos concluíram que trocar a gordura saturada pela gordura poli-insaturada ou por carboidratos ricos em fibras é a melhor forma de diminuir os riscos de desenvolvimento de doença no coração, mas que substituir a gordura saturada por carboidratos altamente processados poderia gerar o efeito contrário.

Segundo a Associação Americana no Coração, é preciso limitar o consumo de gorduras saturadas para 13 g diariamente em uma dieta de 2 mil calorias diárias.

A questão do sódio

Uma porção de quatro rodelas ou 50 g da linguiça calabresa defumada da marca Sadia contém 1198 mg de sódio, enquanto cinco fatias ou 50 g de linguiça calabresa da marca Perdigão apresentam 750 mg de sódio.

Ainda que o corpo humano necessite do sódio para o controle da pressão arterial e do volume do sangue e para o funcionamento adequado dos músculos, a ingestão de uma quantidade elevada do nutriente não é nada boa para o organismo.

De acordo com a instituição, os adultos saudáveis não devem consumir mais do que 2,3 mil mg de sódio diariamente, indivíduos com pressão arterial alta não devem ingerir mais do que 1,5 mil mg do mineral e quem tem insuficiência cardíaca congestiva, cirrose do fígado e doença renal podem precisa consumir quantias muito menores do que essas.

A Associação Americana do Coração recomenda que os adultos limitem a sua ingestão de sódio para 1,5 mil mg do nutriente por dia.

A Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, alertou que o excesso de sódio pode provocar problemas como retenção de líquidos, endurecimento dos vasos sanguíneos, pressão arterial alta, ataque cardíaco, acidente vascular cerebral (AVC) e insuficiência cardíaca.

Você já tinha ouvido falar que calabresa é remoso? Tem o hábito de consumi-la rotineiramente? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário