Diabético pode comer fubá de milho?

Especialista da área:
atualizado em 11/10/2021

O fubá de milho é um daqueles ingredientes que não faltam no armário ou despensa de muitos brasileiros. Isso porque ele serve como base de muitas receitas populares como bolo de fubá, polenta, mingau, tortas, broas, sopas, caldos, empanados, bolinhos, pães, biscoitos e panquecas, por exemplo. Entretanto, ele como fonte de carboidratos, pode preocupar quem tem diabetes.

A diabetes exige modificações na dieta, normalmente abrindo mão daqueles alimentos ricos em carboidratos, especialmente os simples, que tem um maior índice glicêmico, e provocam maior alteração nos índices de glicemia da pessoa.

  Continua Depois da Publicidade  

Será que o diabético pode comer fubá de milho?

bolo de fubá de milho

A resposta é que moderadamente, e dentro de uma refeição balanceada, não há problema em quem tem diabetes comer o fubá de milho. Entretanto, além da quantidade consumida do alimento, devem ser levados em consideração os acompanhamentos bem como as características individuais do portador de diabetes. Entenda porque a seguir.

Conforme explicou a Escola de Saúde Pública TH Chan, da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, quando uma pessoa consome um alimento com carboidratos, o seu sistema digestivo decompõe eles na forma de açúcar que, por sua vez, entra na corrente sanguínea.

No mesmo sentido, de acordo com o site do projeto Liga Interdisciplinar de Diabetes (Lidia) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), o nutriente que mais afeta a glicemia pós-prandial, ou seja, que resulta em um maior impacto na elevação na glicose sanguínea depois de uma refeição, é o carboidrato.

O fubá é um produto obtido através do milho seco e moído e, analisado de forma isolada, deve ser consumido muito moderadamente por aqueles que sofrem com a diabetes. Isso porque quase 80% de sua composição é de carboidratos. Veja abaixo as informações de macronutrientes por 100 gramas do alimento, considerando uma média dos produtos vendidos nos mercados.

ComponentePor porção de 100 g
Calorias357 kcal
Carboidrato total79,7 g
Proteína7,06 g
Gorduras totais2,03 g
Gorduras saturadas0,46 g
Gorduras monoinsaturadas0,95 g
Gorduras poli-insaturadas1,41 g
Gorduras transNA
Fibra alimentar4,38 g
Fonte: Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TACO)

Para piorar, o índice glicêmico do fubá é alto (> 85), o que significa que ele é composto por um tipo de carboidrato chamado de simples, que é rapidamente absorvido pelo organismo, podendo causar alterações bruscas nos níveis de açúcar no sangue e picos de insulina, o que não é nada bom para os diabéticos.

  Continua Depois da Publicidade  

A composição nutricional das refeições

Não custa enfatizar que o fubá de milho não costuma ser ingerido isoladamente. Isso porque ele aparece em receitas com outros ingredientes e essas receitas podem ser acompanhadas por outros alimentos e bebidas em uma refeição, que por sua vez, podem apresentar diferentes tipos e quantidades de carboidratos, bem como de outros macronutrientes, como proteínas, gorduras e fibras, tornando mais complicado montar uma refeição saudável para um diabético por conta própria.

Um exemplo de macronutriente benéfico para os diabéticos são as fibras alimentares, que ajudam a diminuir a velocidade de absorção dos carboidratos. Alguns desses alimentos são a chia, linhaça, aveia, grão-de-bico, abacate, lentilha, ervilha, feijão preto e alcachofra. Conheça aqui 20 alimentos ricos em fibras para sua dieta. Portanto, consumir o fubá junto a outros alimentos ricos em fibra é uma boa estratégia para quem tem diabetes.

A hora em que se consome o fubá de milho

O momento em que se ingere carboidratos, como o fubá de milho, em relação à prática de atividades físicas faz toda a diferença. Isso porque o carboidrato é um nutriente importante tanto para fornecer energia para a prática de atividades físicas, como para ajudar o corpo a se recuperar depois dos treinos, e nesse aspecto, ele não irá causar alterações significativas na glicemia do diabético.

A presença da contagem de carboidratos na dieta do diabético

pessoa medindo a taxa de glicose

Como acabamos de ver, os carboidratos são um tanto quanto “sensíveis” para a alimentação de um diabético. Por isso é tão importante controlar a quantidade ingerida.

De acordo com a Associação Americana de Diabetes, a contagem de carboidratos é uma das diversas alternativas de dieta que podem ser utilizadas para controlar os níveis de glicose no sangue dos diabéticos, empregada com maior frequência por pessoas que tomam insulina duas ou mais vezes ao dia.

O método consiste em contar a quantidade em gramas de carboidratos de cada refeição, combinando com a dose de insulina, explicou a organização. Segundo a instituição, com o equilíbrio correto da prática de atividades físicas e do uso de insulina, essa dieta com contagem de carboidratos pode auxiliar a controlar as taxas de glicose no sangue.

  Continua Depois da Publicidade  

No entanto, é necessário ressaltar que a associação alertou que a quantidade de carboidratos que cada diabético pode consumir em cada refeição deve ser definida em conjunto com o médico e nutricionista responsáveis pelo tratamento. Ou seja, o limite é individualizado e determinado pelo profissional de saúde conforme as necessidades de cada paciente.

Portanto, ao conhecer o limite de carboidratos que pode ingerir por refeição, o diabético poderá (e deverá) usar essa informação como base para calcular a porção de de fubá de milho a ser consumida, sem deixar de levar em conta, conforme já mencionado anteriormente, o teor de carboidratos totais daquela refeição na hora de fazer esse cálculo.

Lembre-se ainda de que este artigo serve unicamente para informar e jamais pode substituir as recomendações profissionais e qualificadas do médico e do nutricionista.

Aproveite para conhecer algumas receitas de bolo de fubá low carb e receitas de bolo de fubá diet.

Conheça melhor a diabetes

A doença é caracterizada pelo desenvolvimento de glicose alta (hiperglicemia) no sangue. Essa substância é a maior fonte de energia para o nosso organismo e é oriunda dos alimentos que consumimos nas refeições.

A insulina é o hormônio responsável por levar a glicose até as células do organismo, para ser utilizada como fonte de energia, e quando ela não está presente em quantidade suficiente, ou não funciona adequadamente, isso faz com que a glicose permaneça na corrente sanguínea.

  Continua Depois da Publicidade  

Ao descobrir que sofre com a doença, é fundamental que o paciente não perca tempo e obedeça a todas as orientações que forem passadas pelo médico para o seu tratamento.

Até porque, com o passar do tempo, ter níveis elevados de glicose no sangue pode gerar uma série de complicações como doenças cardiovasculares, acidente vascular cerebral (AVC), doença nos rins, problemas nos olhos, doenças dentárias, danos nos nervos e problemas nos pés. As informações são do Instituto Nacional de Diabetes e Doenças Digestivas e Renais (NIDDK, sigla em inglês) dos Estados Unidos.

Fontes e referências adicionais

Você já tinha ouvido falar que diabético pode comer fubá de milho? Possui a condição e evita consumir o alimento? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (8 votos, média 4,88)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é Nutricionista - CRN-RJ 0510146-5. Ela é uma das mais conceituadas profissionais do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition.

Deixe um comentário

5 comentários em “Diabético pode comer fubá de milho?”

  1. Minha mãe e diabética A e adora farinha mas foi cortado da alimentação então gostaria de saber se ela pode consumir a polenta de fubar todos os dias nós almoço e a tarde um mingau de fubar com adoçante boa noite obgd

    Responder
  2. Tenho pré diabetes, tomo 2 comprimidos de glifage de 500mg e evito qualquer produto a base de fubá de milho, alguns dizem que exagero mas confesso que tenho receios. Muito bom o artigo. Saudações dr patriPatrícia Leite

    Responder
    • Olá João. Fizemos uma revisão neste artigo, veja se agora você consegue tirar sua dúvida melhor. Obrigado pelo feedback.

      Responder