Inhame prende ou solta o intestino?

Especialista da área:
atualizado em 16/10/2021

O inhame é um tubérculo que é fonte de importantes nutrientes para o funcionamento do organismo. No entanto, ainda existem muitas dúvidas sobre algumas de suas características. Abaixo você vai descobrir se o inhame prende ou solta o intestino e as suas propriedades.

Também conhecido pelo nome de cará nas regiões Norte e Nordeste do Brasil, localidades onde o alimento é popular, o inhame proporciona vários benefícios para a nossa saúde e uma das suas principais características é ter uma ação desintoxicante e depurativa, auxiliando na eliminação das toxinas do sangue através da pele, rins e do intestino.

  Continua Depois da Publicidade  

Ele também contribui para o fortalecimento do sistema imunológico e para a saúde da visão. É rico em nutrientes como carboidratos, proteínas, fibras, cálcio, vitamina B1, vitamina B6, manganês, magnésio, potássio, cobre, zinco, ferro e vitamina C.

Além disso, o inhame tem propriedades antioxidantes que estão associadas à prevenção de alterações e degenerações celulares que podem causar o surgimento de algumas doenças crônicas e o envelhecimento precoce da pele.

O ingrediente pode ser utilizado em receitas de sopa, saladas, chips, purês, bolos salgados, nhoques, tortas e, inclusive, sucos.

O inhame prende ou solta o intestino?

inhame

O alimento ajuda a aliviar a prisão de ventre, também conhecida como intestino preso. Ou seja, isso significa que o inhame carrega certo efeito de soltar o intestino.

Isso acontece graças ao teor de fibras encontrados no alimento, já que ele apresenta 3,9 g do nutriente a cada porção de 100 g e 5,3 g de fibras em uma porção equivalente a uma xícara da sua versão crua em cubos.

  Continua Depois da Publicidade  

As fibras passam pelo sistema digestivo sem serem absorvidas, e descem para o cólon, onde alimentam as bactérias benéficas do intestino, favorecendo o equilíbrio da flora intestinal. Além disso, o nutriente absorve água, e com isso amolece e solta as fezes.

Além disso, as fibras adicionam volume às fezes e estimulam a movimentação intestinal, que é justamente o que oferece alívio ao intestino preso. Mas não é somente isso: a maior regularidade dessa movimentação intestinal também resulta na limitação de tempo em que o cólon é exposto a toxinas, ajudando a eliminá-las com maior eficiência.

Portanto o consumo regular de inhame pode promover a saúde digestiva, manter a regularidade intestinal e prevenir condições como prisão de ventre, doença inflamatória intestinal (DII) e diverticulite.

Cuidados exigidos pelo consumo de fibras em geral

A ingestão de fibras é benéfica para o nosso sistema digestivo, porém, ela também exige alguns cuidados.

Os alimentos fibrosos podem causar o intestino preso, condição conhecida como constipação, ou problemas digestivos, como inchaço e flatulência, se forem introduzidos em grande quantidades por quem não tem o hábito de consumi-los, por isso é necessário aumentar lentamente a ingestão desses alimentos.

Além disso, as fibras necessitam de água para passar pelo sistema digestivo e formar o bolo fecal, e quando você consome mais fibras, mas não ingere uma quantidade suficiente de água, pode ocorrer o agravamento de um quadro de intestino preso e ainda sofrer com dores abdominais.

  Continua Depois da Publicidade  

A ingestão de fibras sem a presença da água pode resultar ainda no ressecamento do intestino.

O excesso do consumo de fibras

Purê de inhame
Purê de inhame

Quando analisamos se o inhame prende ou solta o intestino, assim como qualquer outro alimento fonte de fibras, também precisamos saber o que acontece quando o nutriente é consumido de maneira exagerada.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a orientação para pessoas adultas consiste em consumir de 25 g a 35 g de fibras por dia. Quando um indivíduo ultrapassa esse limite e consome muitas fibras em um curto espaço de tempo, no lugar do alívio à prisão de ventre, o que pode ser observado é o agravamento do quadro do intestino preso.

No entanto, esse não é o único perigo. Isso porque quando as fibras alimentares são ingeridas de maneira excessiva, elas podem provocar fezes moles, movimentos intestinais frequentes e diarreia, que também pode vir acompanhada de desidratação. Isso ocorre porque o corpo mobiliza a água que o organismo necessita para eliminá-las.

Além desses problemas, o consumo exagerado deste nutriente pode comprometer a absorção de minerais e causar problemas abdominais como gases, inchaço e cólicas.

Obviamente, para chegar a ultrapassar o limite diário de ingestão de fibras em um curto período de tempo, seria necessário consumir muito inhame, não é mesmo? O que parece bastante inviável. Entretanto, precisamos levar em conta que o tubérculo não é o único alimento que serve como fonte do nutriente.

  Continua Depois da Publicidade  

Logo, se ele for consumido ao lado de outros alimentos que também oferecem as fibras, em grandes quantidades, existem sim chances de que esse limite seja ultrapassado em pouco tempo e que os problemas associados a esse excesso sejam experimentados.

Outros benefícios do inhame

Bom para a saúde feminina, ótimo na guerra contra o câncer, bom para o coração e muito mais. Você precisa aprender como o inhame atua no seu organismo. Leia os 6 benefícios do inhame, para que ele serve e suas propriedades.

Para quem está querendo perder uns quilinhos, é importante saber se inhame engorda ou emagrece.

Inconveniente e desagradável, a diarréia é uma condição médica em que se verificam ao menos 3 movimentos intestinais aquosos e pouco consistentes ao dia. Alguns alimentos podem ajudar nessa condição. Aprenda quais os melhores alimentos para diarreia.

Você imaginava que o inhame prende ou solta o intestino? Tem o costume de ingerir este alimento com frequência em sua dieta? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (28 votos, média 4,11)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é Nutricionista - CRN-RJ 0510146-5. Ela é uma das mais conceituadas profissionais do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition.

Deixe um comentário

1 comentário em “Inhame prende ou solta o intestino?”

  1. Eu acho que ele não prende o intestino eu estou com intestino preso vou começar a comer mais vezes por semana ver se melhora

    Responder