Óleo de rícino é laxante?

Especialista da área:
atualizado em 28/04/2022

Talvez você já tenha usado o óleo de rícino nos cabelos, como um poderoso hidratante capilar. Mas, será que o óleo de rícino também pode ser usado como laxante, para tratar constipação e prisão de ventre? 

Veja por que o óleo de rícino pode ser usado como laxante, como tomar e os cuidados que você deve ter ao usá-lo. 

  Continua Depois da Publicidade  

Óleo de rícino: o que é?

Óleo de rícino
O óleo de rícino é extraído das sementes de mamonas e tem diversas aplicações

O óleo de rícino, ou óleo de mamona, é extraído das sementes de mamona. Apesar das sementes serem tóxicas, o óleo de rícino é seguro, pois a substância tóxica ricina é separada do óleo, no processo de extração.

O óleo de rícino possui propriedades de interesse do setor cosmético, industrial e medicinal. O processo de extração do óleo difere em alguns pontos, dependendo da aplicação pretendida. 

Algumas aplicações do óleo de rícino são:

  • Industriais: fabricação de tintas, vernizes, plásticos, colas, e como matéria-prima de náilon e lubrificantes. 
  • Hidratação da pele e do couro cabeludo: o óleo de rícino é adicionado a loções, maquiagens, cremes e condicionadores. Veja aqui 13 benefícios do óleo de rícino para a pele e como usar
  • Cicatrização de feridas: adição do óleo de rícino a pomadas cicatrizantes.
  • Anti-inflamatório tópico: adicionado a géis anti-inflamatórios, para reduzir a dor e o inchaço. Pode ser muito útil para pessoas com artrite reumatoide e psoríase. Conheça os 7 remédios mais usados para tratar a psoríase
  • Antibacteriano: por ser eficiente contra algumas bactérias que causam inflamações na pele, pode ser usado para tratar a acne.  
  • Antifúngico: eficiente contra o fungo causador da candidíase oral. 

Óleo de rícino como laxante

O óleo de rícino é indicado como um laxante natural de ação rápida, para ser usado no tratamento da prisão de ventre e na preparação para exames de colonoscopia e procedimentos cirúrgicos, que necessitem do esvaziamento do intestino.

O óleo de rícino atua aumentando os movimentos intestinais, o que facilita a eliminação das fezes paradas no intestino. Esse efeito é decorrente de sua digestão e absorção no intestino, que resulta na liberação do ácido ricinoleico, responsável pelo forte efeito laxante. 

  Continua Depois da Publicidade  

Você encontra o óleo de rícino em farmácias e lojas de produtos naturais, na forma de solução oral, com o nome comercial “Laxol®”

Óleo de rícino: como tomar

Para usar o óleo de rícino, basta medir 15 mL da solução, que é equivalente a uma colher de sopa, e tomar. O efeito pode ocorrer dentro de uma até 3 horas, resultando em uma evacuação aquosa. 

O ideal é que você tome o óleo de rícino com o estômago vazio. Para melhorar o sabor, tome o laxante com água gelada ou um suco de sua preferência. Não tome o óleo de rícino com leite, pois a combinação pode irritar o seu estômago ou duodeno. 

Evite tomar o óleo de rícino antes de dormir, pois seu efeito é rápido e pode atrapalhar o seu sono. 

Os idosos podem tomar o óleo de rícino para aliviar a constipação, inclusive estudos mostraram que a substância é bastante benéfica para este grupo, já que demanda a realização de menos esforço para a evacuação e diminui a sensação de tenesmo, que é a impressão de evacuação incompleta.

As crianças abaixo de 2 anos podem tomar de 1 a 5 mL de óleo de rícino e, acima de 2 anos, podem tomar de 5 a 15 mL do laxante.

  Continua Depois da Publicidade  

Cuidados ao usar o óleo de rícino como laxante

Papel higiênico
Se usado em grandes quantidades, o óleo de rícino pode provocar diarreia, cólicas e outros efeitos colaterais

Os efeitos colaterais do óleo de rícino podem ocorrer se o produto for usado em grandes quantidades ou de modo crônico, e incluem:

  • Diarreia
  • Dor abdominal
  • Cólica
  • Náuseas
  • Irritação do cólon
  • Redução de potássio no sangue
  • Desidratação

O óleo de rícino não deve ser usado como um tratamento rotineiro de prisão de ventre. Ele é recomendado para limpeza do intestino antes de exames diagnósticos e procedimentos cirúrgicos. Confira algumas opções de laxantes naturais caseiros

O óleo de rícino é contraindicado para gestantes, pois pode induzir o parto, lactantes e para pessoas que tenham algum problema inflamatório no intestino, como: 

O óleo de rícino pode interagir com alguns medicamentos diminuindo sua ação ou produzindo efeitos colaterais. 

Então, consulte seu médico ou médica antes de usar o óleo de rícino, se você fizer tratamento com suplemento de potássio ou diurético poupador de potássio, pois o óleo pode diminuir a ação dessas substâncias. 

Se você tomar o óleo de rícino juntamente com um antiácido ou algum antagonista dos receptores H2 da histamina, como cimetidina, famotidina, nizatidina e ranitidina, pode ficar com irritação no estômago ou no duodeno. 

  Continua Depois da Publicidade  

Fontes e referências adicionais

Você já usou o óleo de rícino para qual objetivo? Pensa em usá-lo como laxante natural? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dr. Marcos Marinho

Dr. Marcos Marinho é especialista em Gastroenterologia, Endoscopia Digestiva e Ultrassonografia - CRM 52.104130-4. Formou-se em Medicina pela Universidade do Grande Rio (Unigranrio) e é pós-graduado em Gastroenterologia pelo IPEMED. Realizou cursos de ultrassonografia geral e intervencionista pela Unisom, ultrassonografia musculoesquelética e Doppler pelo CETRUS. Atualmente, é pós-graduando de Endoscopia Digestiva pela Faculdade Suprema de Juiz de Fora-MG. No momento, atua em vários municípios do estado do Rio de Janeiro como na capital, Niterói, Magé e Araruama. Dr. Marcos Marinho tem experiência em setores variados de sua especialização e continua em constante aprendizado e evolução para ser uma referência da área. Para mais informações, entre em contato através de seu Instagram oficial @drmarcosmarinho

Deixe um comentário