5 Remédios para Fibromialgia Mais Usados

Especialista:
atualizado em 11/08/2020

Saiba quais são os remédios para fibromialgia mais usados e descubra maneiras de aliviar o desconforto causado pela condição.

A fibromialgia é uma condição de saúde crônica que causa muita fadiga e dor nas articulações e músculos do corpo.

Segundo dados publicados pelo American College of Rheumatology (Colégio Americano de Reumatologia), a fibromialgia afeta entre 2 a 4% da população mundial, sendo que a maior parte desse grupo é composto por mulheres.

Pode ser desafiador encontrar o tratamento para a fibromialgia, já que não se sabe a causa exata da doença. Os pesquisadores acreditam que ela pode ser resultado de estresse emocional, lesões ou presença de vírus que alteram a percepção do cérebro em relação à dor.

Além disso, quem sofre de alguma doença autoimune como o lúpus e a artrite reumatoide tem uma chance maior de desenvolver a fibromialgia.

Geralmente, pessoas com fibromialgia precisam ser pacientes e testar diferentes remédios antes de encontrar aquele que funciona para eles.

As opções de remédios para fibromialgia podem incluir analgésicos, relaxantes musculares e até mesmo remédios para dormir e antidepressivos.

Remédios para fibromialgia

1. Analgésicos

Analgésicos comuns como o paracetamol e a aspirina podem aliviar as dores da fibromialgia. Anti-inflamatórios como o ibuprofeno e o naproxeno também podem ser úteis para algumas pessoas.

Remédios que combinam a ação analgésica com um efeito anestésico podem ser importantes em momentos de dor aguda. É o caso da codeína e do tramadol que são analgésicos opioides.

O uso desse tipo de analgésico deve ser indicado por um médico pois eles podem causar dependência química se usados em doses inadequados ou por longos períodos.

2. Relaxantes musculares

Em momentos de dor relacionada à fibromialgia, os músculos tendem a ficar doloridos e tensos. O uso de relaxantes musculares pode diminuir a tensão e, consequentemente, aliviar a dor local.

No caso da fibromialgia, o relaxante muscular mais eficaz é o tiocolchicosídeo (ou Coltrax).

3. Antidepressivos

Antidepressivos demonstram ser eficazes como remédio para fibromialgia em alguns pacientes. Segundo uma pesquisa publicada no periódico Frontiers in Medicine em 2017, baixos níveis de serotonina no cérebro podem deixar as pessoas mais vulneráveis à fibromialgia.

Por isso, antidepressivos da classe dos inibidores seletivos da recaptação da serotonina podem aumentar a quantidade de serotonina disponível e melhorar os sintomas da condição.

A duloxetina e o milnaciprano, por exemplo, são antidepressivos que foram aprovados em 2008 para o tratamento específico da fibromialgia pela FDA (Food and Drug Administration – Órgão americano responsável pela regulação de alimentos e fármacos).

Remédios como a fluoxetina e a amitriptilina também podem ser opções de tratamento.

Como muitas pessoas com fibromialgia também desenvolvem sintomas depressivos, o antidepressivo pode ser a opção mais adequada. No entanto, é indispensável usar o remédio na dose adequada e sob acompanhamento médico frequente.

4. Indutores do sono

É comum que pessoas com fibromialgia tenham problemas para dormir. Ter noites ruins de sono pode piorar a dor e por isso alguns médicos prescrevem remédios que induzem o sono para melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

Um exemplo clássico é o zolpidem, um remédio da classe das imidazopiridinas que tem ação hipnótica que induz o sono e prolonga a sua duração. Ansiolíticos como o diazepam e o lorazepam também podem relaxar o corpo e induzir o sono.

Vale lembrar que são remédios controlados que devem ser prescritos pelo médico quando outras medidas contra distúrbios do sono como ter uma rotina para dormir, um colchão confortável e uma alimentação leve antes de deitar não são capazes de melhorar a qualidade do mesmo.

5. Anticonvulsionantes

A pregabalina foi o primeiro remédio para fibromialgia específico aprovado em 2007 pela FDA para o tratamento da condição. Trata-se de um anticonvulsivo que pode reduzir a dor em pessoas com fibromialgia.

Um estudo publicado em 2017 na revista científica Pain Practice mostrou que pacientes que usam a pregabalina relatam menos dor e melhorias significativas no que diz respeito ao humor, ao sono e à qualidade de vida.

Apesar da sua eficácia, alguns efeitos colaterais podem ser observados como sonolência excessiva, visão embaçada, tontura, aumento de peso, inchaço nas mãos e nos pés, boca seca e dificuldade de concentração.

A gabalina é outro anticonvulsivo que atua reduzindo a dor nos nervos, mas seu uso como remédio para fibromialgia também pode causar efeitos adversos como ganho de peso, tontura, boca seca e inchaço.

Terapias complementares

Fisioterapia

Um fisioterapeuta é capaz de identificar as dificuldades e limitações físicas do paciente com fibromialgia e sugerir exercícios que ajudam a fortalecer os músculos e melhorar a amplitude de movimento.

O acompanhamento fisioterápico é muito importante para incluir a prática de atividades físicas no seu dia a dia com segurança.

Exercícios

Ainda que seja difícil praticar uma atividade física, é importante se movimentar e incluir exercícios (mesmo que leves) na rotina. O exercício físico tem o papel de aumentar a produção de endorfinas no cérebro, substâncias que contribuem para melhorar o sono e diminuir sintomas depressivos.

Pessoas com fibromialgia geralmente conseguem fazer caminhadas, pedalar, nadar e praticar atividades como yoga, pilates ou tai chi.

Massagens

Massagear o corpo pode ajudar a relaxar os músculos e diminuir a dor. A massagem terapêutica também pode melhorar a amplitude do movimento e contribuir para a redução do estresse e da ansiedade.

Dieta

Ter uma alimentação equilibrada e nutritiva e limitar o consumo de cafeína parece contribuir para reduzir os sintomas da fibromialgia.

As evidências são anedóticas, mas investir em uma dieta anti-inflamatória pode ser a chave para reduzir a inflamação e a dor relacionados à doença. Insira mais alimentos naturais na sua dieta e evite aqueles muito processados ou ricos em açúcar ou sal.

Psicoterapia

A psicoterapia, especialmente quando focada na terapia cognitivo-comportamental, ajuda a reduzir o sofrimento envolvido no tratamento da fibromialgia.

A terapia auxilia na identificação de pensamentos disfuncionais e no desenvolvimento de técnicas para lidar com esses pensamentos de uma forma mais realista e benéfica.

Acupuntura

Em algumas pessoas, a acupuntura pode aliviar a dor associada à fibromialgia. Os defensores da técnica afirmam que ela é capaz de alterar os níveis de neurotransmissores no cérebro e de melhorar o fluxo sanguíneo, contribuindo para a redução de dores crônicas.

Gerenciamento do estresse e da ansiedade

Procure aprender técnicas para lidar melhor com o estresse e a ansiedade – emoções que podem ser um gatilho por trás das crises de fibromialgia. Exercícios de respiração para ansiedade, atenção plena ou meditação podem ser grandes aliados.

Exercitar-se, ter um hobby, dormir bem e ingerir alimentos nutritivos também é essencial para ter um estilo de vida mais saudável e menos estressante.

Além de controlar os sintomas da fibromialgia com medicamentos, é importante cuidar da saúde mental. Ter um estilo de vida saudável que inclua a prática de exercícios físicos e uma boa dieta é essencial para manter corpo e mente saudável.

Viver com fibromialgia pode ser emocionalmente cansativo e buscar apoio da família, amigos e de um terapeuta pode fazer toda a diferença no gerenciamento da doença.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já precisou utilizar remédios para fibromialgia? Qual destes citados acima já experimentou e teve bons resultados? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Equipe Editorial MundoBoaForma

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Além disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário