Adoçante Culinário – O Que é e Qual Escolher

Especialista:
atualizado em 05/08/2020

Entenda o que é um adoçante culinário e como escolher o melhor para o seu paladar, para suas receitas, seus objetivos e sua saúde.

Para limitar o aumento de doenças relacionadas ao consumo excessivo de açúcar, os cientistas trabalharam no isolamento de compostos naturais e no desenvolvimento de adoçantes sintéticos.

A maioria dos adoçantes consiste em substâncias com um sabor doce intenso que são usados em pequenas quantidades.

Dessa forma, conhecer os diferentes tipos de adoçantes naturais e entender o que é melhor para a sua saúde – entre o açúcar e o adoçante – é importante para fazer a melhor escolha para a sua dieta.

O que é adoçante culinário

Um adoçante culinário é um aditivo alimentar que imita o efeito do açúcar em relação ao sabor, porém sem causar os efeitos negativos do açúcar para a saúde.

Geralmente, as pessoas optam por eles porque buscam por um sabor doce sem adicionar tantas calorias aos seus alimentos, ou então apenas por questões de saúde. Os adoçantes podem ser especialmente úteis no tratamento da obesidade ou da diabetes, por exemplo.

Tipos de adoçantes culinários

Nas últimas três décadas, o número de substâncias aprovadas aumentou substancialmente, o que permitiu que os fabricantes de alimentos pudessem escolher entre uma variedade de adoçantes.

Essa diferenciação não de dá apenas em relação à potência, mas também na sensação que causam na boca, sabor, duração da doçura, estabilidade e solubilidade.

Essas alternativas ao açúcar permitem que os fabricantes usem um ingrediente ou uma combinação de ingredientes mais adequados para um determinado produto, já que nenhum adoçante é perfeito para todos os usos.

De forma geral, temos três tipos de adoçantes culinários:

  • Adoçantes artificiais;
  • Adoçantes naturais;
  • Álcoois de açúcar.

Veja abaixo maiores informações sobre cada um deles.

Adoçantes artificiais

Os adoçantes artificiais são substitutos sintéticos do açúcar, mas podem ser derivados de substâncias naturais como ervas ou até mesmo o açúcar.

Eles também são conhecidos como adoçantes intensos porque muitas vezes são mais doces que o próprio açúcar.

Esses adoçantes culinários podem ser alternativas atraentes porque praticamente não adicionam calorias à dieta. Além disso, você irá precisar apenas de uma fração de adoçante culinário artificial em comparação com a quantidade de açúcar que normalmente usaria par obter a mesma doçura.

Tipos de adoçantes artificiais

Alguns dos tipos mais comuns de adoçantes culinários são:

Aspartame

É um adoçante culinário 200 vezes mais doce do que o açúcar comum. Não apresenta um gosto estranho, tem uma persistência de doçura moderada e é muito utilizado em bebidas, iogurtes, leites saborizados e na confeitaria.

Neotame

340 vezes mais doce do que o açúcar, este adoçante culinário é muito estável em sua forma sólida, apresenta uma doçura limpa e persistente, sem gostos estranhos. É muito utilizado em misturas de adoçantes, alimentos e bebidas.

Acessulfame K ou Acessulfame de Potássio

Cerca de 200 vezes mais doce do que o açúcar, esse adoçante culinário é muito estável em formas sólidas. É muito utilizado em bebidas, produtos de panificação, confeitaria, laticínios com sabor de frutas. Este adoçante não é decomposto através da digestão.

Sucralose

600 vezes mais doce do que o açúcar de mesa. Não apresenta sabor amargo, possui uma doçura que chega com um ligeiro atraso e é adequada para cozinhar, assar e misturar com alimentos e bebidas.

Ciclamato

50 vezes mais doce do que o açúcar, é muito estável em sua forma sólida, apresenta sabor amargo e levemente salgado. A doçura tem um início rápido e é prolongada. O ciclamato é muito utilizado em misturas de adoçantes, alimentos como assados, confeitos e bebidas.

Sacarina

700 vezes mais doce do que o açúcar de mesa, é muito estável na forma sólida e em solução. Sua doçura inicia rapidamente sem persistência significativa. Apresenta sabores amargos e metálicos e é muito utilizado nos alimentos, misturas de adoçantes e bebidas.

Usos para os adoçantes artificiais

Esses adoçantes são amplamente utilizados em alimentos processados, incluindo:

  • Doces;
  • Lacticínios;
  • Geleias;
  • Refrigerantes, misturas de bebidas em pó entre outras;
  • Comida enlatada.

Os adoçantes artificiais também são muito populares para o uso doméstico, sendo que alguns são usados para cozinhar e assar.

Diferente do açúcar, os adoçantes artificiais não fornecem volume e por isso certas receitas podem precisar de alguma modificação. Portanto verifique os rótulos para saber qual a maneira ideal de utilizá-los.

Possíveis benefícios dos adoçantes artificiais

Alguns dos possíveis benefícios dos adoçantes artificiais são:

  • Saúde bucal: Os adoçantes artificiais não contribuem para a formação de cáries e enfraquecimento dos dentes.
  • Diabetes: Os adoçantes culinários artificiais não são carboidratos e por isso não aumentam os níveis de açúcar no sangue. Antes de começar a usar qualquer substituto do açúcar, fale com o seu médico ou nutricionista.
  • Controle de peso: Esse tipo de adoçante não contém praticamente nenhuma caloria. Se você está tentando perder peso ou não quer engordar, eles podem ser uma opção interessante. No entanto, estudos já mostram que adoçantes artificiais podem fazer você sentir mais fome.

Possíveis problemas de saúde causados pelos adoçantes artificiais

Esse tipo de adoçante culinário pode causar uma variedade de problemas para a saúde, incluindo câncer. Isso foi evidenciado em estudos que datam da década de 1970, ligando a sacarina (um adoçante artificial) ao câncer de bexiga em ratos de laboratório.

Devido a esses estudos, a sacarina já carregou um rótulo em seus produtos que avisava que ele poderia ser prejudicial à saúde.

Mas de acordo com o Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos e outras agências de saúde, não há evidências científicas sólidas de que qualquer um dos adoçantes artificiais aprovados para o uso cause câncer ou outros problemas graves de saúde.

Numerosos estudos confirmam que os adoçantes artificiais quando consumidos em quantidades moderadas, geralmente são seguros, mesmo para as mulheres grávidas, e por isso o rótulo de advertência da sacarina foi descartado.

Os adoçantes artificiais são regulamentados pela ANVISA, e revisados e aprovados por ela antes de serem disponibilizados para venda.

Adoçantes naturais

Os adoçantes naturais geralmente são promovidos como opções mais saudáveis quando comparados ao açúcar ou outros substitutos processados e refinados.

Como o açúcar, produzem energia quando metabolizados pelo organismo, mas ao contrário do mesmo, têm algum valor nutricional em forma de vitaminas e minerais.

Tipos de adoçantes naturais

Estes abaixo são os tipos mais comuns de adoçantes culinários naturais:

Estévia ou Stévia

É uma planta da família dos girassóis que também é conhecida como folha de açúcar. 300 vezes mais doce do que o açúcar branco, suas partes mais doces são usadas na fabricação dos adoçantes.

Melaço

O melaço é feito através do processamento da cana de açúcar ou da beterraba e apresenta uma consistência espessa. Em algumas receitas, cerca de 1 1/3 de xícara de melaço pode ser substituído por 1 xícara de açúcar refinado.

O recomendado é não substituir mais da metade do açúcar refinado nas receitas por melaço, pois ele deixa o alimento com uma cor escura e um sabor forte.

Mel

Ele é mais doce e tem mais calorias do que o açúcar refinado. Contém algumas enzimas e minerais e pode ser usado em produtos de panificação, podendo aumentar levemente o tempo de crescimento da massa.

Xarope de bordo

O xarope de bordo natural contém minerais como potássio e cálcio. Existe também a opção que é fabricada através da combinação de xarope de milho, corantes e aromatizantes de bordo. Esta pode não conter o mesmo nível de minerais do natural e pode ser usado para fazer bolos, caldas e biscoitos.  

Néctar ou xarope de agave

Agave é uma planta que também é a fonte da tequila. Cerca de 1 ½ vezes mais doce do que o açúcar branco, se dissolve rapidamente e por isso pode ser usada em bebidas frias. Alguns ajustes nas receitas podem ser necessários quando for usado para cozinhar.

O agave é uma alternativa vegana para o mel, e por ter um efeito muito pequeno na glicose, é recomendado para dietas com baixo consumo de carboidratos.

Xarope de arroz integral

É produzido aquecendo o arroz integral com enzimas. Com um sabor suave caramelizado, possui cerca de metade da doçura do açúcar refinado e pode ser usado em bolos, biscoitos e como adoçante para chá gelado e leite de arroz.

Ele não contém glúten e é adequado para pessoas que seguem uma dieta vegana.

Açúcar de Tâmaras

Feito a partir de tâmaras pulverizadas, contém algumas fibras e minerais, e não se dissolve em líquidos nem derrete como os outros açúcares, portanto o seu uso é limitado.

Uma xícara de açúcar de tâmara é igual a cerca de 1 xícara de açúcar refinado, mas o seu sabor é forte e seu valor costuma ser mais alto do que os outros.

Xarope de sorgo

Este xarope contém ferro, potássio e cálcio e pode ser substituído nas receitas em quantidades iguais do mel. O xarope de sorgo pode tem um sabor distinto e por isso, em algumas receitas ele pode não ser o substituto adequado.

Usos para os adoçantes naturais

Esse tipo de adoçante culinário possui uma variedade de usos tanto em alimentos processados como caseiros. Há várias maneiras de substituir o açúcar por alternativas naturais.

Possíveis benefícios dos adoçantes naturais

Os substitutos naturais do açúcar podem parecer mais saudáveis do que ele, mas o seu conteúdo de vitaminas e minerais não são significativamente diferentes.

Por exemplo, o açúcar e o mel são nutricionalmente semelhantes e o corpo processa ambos em glicose e frutose.

Não há problema em escolher um adoçante natural com base no sabor e não visando maiores benefícios à saúde. Apenas tente usar com moderação.

Possíveis problemas dos adoçantes naturais

Os adoçantes naturais geralmente são seguros, porém não há vantagem para a saúde em relação ao açúcar. Por outro lado, o consumo excessivo de muitos deles como mel e melaço também pode levar a problemas como ganho de peso, cárie, má nutrição e aumento de triglicerídeos.

No entanto, este não é o caso da stévia – veja se o adoçante stévia faz mal em maiores detalhes.

O mel pode conter pequenas quantidades de esporos bacterianos que podem produzir a toxina do botulismo e não deve ser consumido por crianças com menos de 1 ano de idade.

Álcoois de açúcar

Os álcoois de açúcar (polióis) são carboidratos naturalmente presente em algumas frutas e vegetais, mas que também podem ser fabricados.

Apesar do nome, eles não são alcoólicos porque não contêm etanol e não são considerados intensos porque não são mais doces que o açúcar. De fato, alguns são menos doces que o açúcar.

Embora contenham calorias, são tão poucas que isso os torna uma alternativa bastante interessante.

Os principais tipos de álcoois de açúcar são o eritritol, o xilitol, o maltitol e o sorbitol.

Outros álcoois de açúcar que são comumente encontrados em alguns produtos alimentícios incluem isomalte, manitol, lactitol e hidrolisados de amido hidrogenado.

Tipos de Álcoois de Açúcar

A seguir você vai ver mais detalhes sobre cada um dos principais álcoois de açúcar:

Eritritol

O eritritol é produzido ao fermentar a glicose no amido de milho, seu sabor é considerado excelente e possui 70% da doçura do açúcar, porém apenas 5% das suas calorias.

Este adoçante culinário não tem os mesmos efeitos colaterais digestivos que a maioria dos outros polióis porque não atinge o intestino grosso em quantidades significativas.

A maior parte é absorvida pela corrente sanguínea e excretada de maneira inalterada através da urina.

Xilitol

O xilitol é considerado o álcool de açúcar mais comum e pesquisado, é um ingrediente comum das gomas de mascar e balas sem açúcar, e produtos para higiene bucal, como pasta de dente.

Ele é tão doce quanto o açúcar comum, porém com apenas 40% das calorias. Quando consumido em grandes quantidades, pode causar alguns sintomas digestivos, mas no geral é bem tolerado pelo organismo.

Maltitol

O maltitol é processado a partir da maltose açucarada, tem um sabor e causa uma sensação na boca muito semelhante ao açúcar. Ele é 90% tão doce quanto, porém com metade das calorias. O seu corpo absorve um pouco desse álcool causando picos de açúcar no sangue.

Sorbitol

O sorbitol é 60% tão doce quanto o açúcar, com apenas 60% das suas calorias, ele causa uma sensação suave e de frescor na boca. Este adoçante é muito usado em alimentos e bebidas sem açúcar, e tem muito pouco efeito sobre o açúcar e a insulina no sangue. Porém, pode causar problemas digestivos.

Usos para os álcoois de açúcar

Muito utilizados na preparação de alimentos caseiros e processados, eles adicionam doçura, volume e textura aos alimentos, além de ajudá-los a permanecerem úmidos.

Os álcoois de açúcar são frequentemente combinados com adoçantes artificiais para aumentar a doçura. Podem estar presente nos rótulos dos alimentos com o nome de “álcool açucarado” ou pelo seus nomes específicos.

Possíveis benefícios à saúde dos álcoois de açúcar

Bem como os adoçantes artificiais, eles não contribuem para cáries e também podem ajudar no controle de peso e na manutenção dos níveis adequados de glicose no sangue, o que é particularmente benéfico para os diabéticos.

Isso porque apesar dos álcoois de açúcar serem carboidratos, eles tem uma digestão lenta e um baixo índice glicêmico (IG). A consequência é que seu consumo não produz picos de açúcar no sangue, e com isso seu consumo é seguro para os diabéticos.

Com relação ao controle de peso, a absorção gradual dos carboidratos evita a acumulação de gordura no organismo, e além disso, apesar dos álcoois de açúcar terem calorias, elas estão muito menos presentes do que no açúcar comum.

Possíveis problemas de saúde causados pelos álcoois de açúcar

Quando consumidos em grandes quantidades, eles podem ter um efeito laxante, causando inchaço, diarreia e gases intestinais. Os rótulos dos produtos podem apresentar um aviso sobre esse possível efeito.

Qual adoçante culinário escolher, afinal?

Agora que você sabe o que é adoçante culinário e os principais tipos presentes no mercado, veja quais são as suas necessidades para saber qual escolher.

Vale a pena ser um consumidor consciente na hora da escolha, pois assim como muitos deles podem ajudar no controle de peso, eles devem ser usados com moderação.

Se você tem diabetes, opte por aqueles que não contêm carboidratos ou que não elevem o nível de açúcar e insulina. Consulte seu médico ou nutricionista e faça a melhor escolha.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já conhecia o que é um adoçante culinário? Costuma usar algum em sua rotina? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário