O Que é um Protetor Hepático? Para Que Serve? Como Usar?

Especialista:
atualizado em 23/03/2020

Saiba o que é um protetor hepático, para que serve esse tipo de suplemento e como usar para proteger o seu fígado contra danos. Será que isso funciona mesmo?

Você sabe qual é a função do fígado e por que ele é tão importante para a nossa saúde? O fígado é um dos órgãos vitais do organismo humano e é essencial preservar a sua integridade. Bons hábitos e cuidados com a alimentação são fundamentais para manter a saúde em dia, incluindo o bom funcionamento de órgãos como o fígado.

Os remédios para o fígado são indicados quando já existem sintomas de problemas no fígado. Já os protetores hepáticos podem evitar que o órgão se sobrecarregue e diminuir o risco de desenvolver doenças no fígado.

Entenda melhor como um protetor hepático pode contribuir para a saúde do seu fígado e veja se o uso desse tipo de suplemento para o fígado pode te proteger de doenças como vários tipos de hepatite ou doença do fígado gorduroso.

O que é um protetor hepático e para que serve

Um protetor hepático é um tipo de suplemento usado para proteger e desintoxicar o fígado. Tais produtos prometem melhorar o funcionamento do fígado sem sobrecarregar o órgão. Aprenda também como fazer uma limpeza natural do fígado.

Mas será que protetores hepáticos podem mesmo proteger o fígado contra danos?

Alguns estudos já mostraram que alguns ingredientes podem ser benéficos para o fígado de pessoas que sofrem de doenças como a esteatose hepática, mas nada se fala sobre o uso de protetores hepáticos para pessoas saudáveis.

Entenda abaixo como o fígado funciona e o que dizem os estudos científicos sobre esse tipo de suplemento.

Função do fígado

O fígado é um dos maiores e mais importantes órgãos do organismo. Dentre as diversas funções do fígado, podemos citar a sua:

  1. Atuação como um filtro natural que remove toxinas e resíduos do sangue;
  2. Capacidade de produzir bile para digerir e armazenar ou utilizar a energia dos alimentos;
  3. Atuação no metabolismo do açúcar que ajuda a controlar os níveis de glicose no sangue.

Suplementos para o fígado

A maioria dos suplementos para o fígado encontrados no mercado é composta pela combinação de 3 ingredientes naturais feito à base de plantas:

  1. Cardo de leite;
  2. Raiz de dente de leão;
  3. Folha de alcachofra.

De acordo com os fabricantes de protetores hepáticos, esses suplementos são capazes de desintoxicar e regenerar o fígado. Além disso, é mencionado que tais produtos podem:

  • Promover a função hepática e a saúde do fígado;
  • Desintoxicar o fígado;
  • Melhorar o fluxo sanguíneo;
  • Estimular o crescimento de novas células hepáticas;
  • Proteger as células hepáticas contra danos.

Alguns fabricantes alegam ainda que protetores hepáticos podem fornecer mais energia, fortalecer o sistema imunológico, melhorar o humor e ajudar na perda de peso.

Saiba mais sobre o que dizem as pesquisas envolvendo cada um desses ingredientes a seguir.

1. Cardo de leite

O cardo de leite ou cardo mariano é um ingrediente usado há mais de 2.000 anos para tratar problemas no fígado. A silimarina é a substância ativa responsável pelos benefícios do cardo de leite.

Um estudo de 2002 feito em laboratório e conduzido pelo National Cancer Institute mostra que a silimarina pode regenerar o tecido hepático, diminuir a inflamação e proteger as células hepáticas de danos. No entanto, os dados de estudos feitos com seres humanos indicam resultados conflitantes.

Um estudo de revisão publicado no periódico científico Cochrane Database Systematic Reviews em 2007 mostrou que o suplemento de cardo mariano não foi mais eficaz do que um placebo em relação à função hepática.

Por outro lado, uma análise de diversos estudos publicada em 2017 na revista World Journal of Gastroenterology atestou que a silimarina diminuiu a quantidade de algumas enzimas hepáticas e de marcadores de lesão hepática em pessoas com doença no fígado.

Esses e outros estudos sobre o cardo de leite e seus benefícios para o fígado mostram que mesmo com alguns resultados promissores, ainda não é possível saber se o suplemento é realmente bom para o órgão.

2. Raiz de dente de leão

As evidências sobre os benefícios da raiz de dente de leão são escassas. Um estudo de 2006 publicado no Journal of Ethnopharmacology sugere que a raiz pode ser benéfica para tratar doenças do fígado, mas ainda é preciso conduzir mais estudos sobre o tema.

3. Folha de alcachofra

Dentre os benefícios da alcachofra estão as propriedades antioxidantes que podem proteger o fígado. Segundo uma pesquisa feita com animais publicada em 2015 no periódico Plant Food Human Nutrition, a folha de alcachofra pode promover a regeneração de células do fígado.

Duas pesquisas publicadas em 2016 no International Journal of Hepatology e em 2018 na revista Phytotherapy Research demonstraram que a folha de alcachofra diminuiu os marcadores de danos hepáticos em pessoas com doença hepática gordurosa não alcoólica.

Outros ingredientes

Outros compostos em fase de estudo que também parecem ter potencial para proteger o fígado contra danos e odem aparecer em um protetor hepático incluem:

– Acetilcisteína

A acetilcisteína é um antioxidante precursor da glutationa importante para a saúde do fígado. Em casos de emergência, a acetilcisteína é usada para reverter overdoses de medicamentos como o acetaminofeno.

Segundo um estudo de 2017 publicado no periódico Cell Journal, trata-se de uma substância muito eficaz para a desintoxicação do fígado devido à ingestão excessiva de álcool, medicamentos ou poluentes em geral.

– Raiz da doca amarela

A raiz da doca amarela é uma raiz desintoxicante que ajuda a eliminar toxinas do fígado por meio do estímulo ao sistema linfático.

O efeito diurético da erva aumenta a frequência de micção, o que também promove a eliminação de toxinas. Além disso, a raiz regula os movimentos intestinais e também ajuda a aumentar a secreção de muco e água acumulados no cólon.

– Raiz de açafrão-da-terra

Chamada no Brasil de cúrcuma, a raiz de açafrão-da-terra apresenta propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes que reduzem o risco de doença hepática gordurosa causada por estresse.

Uma pesquisa de 2015 publicada no Archives of Animal Nutrition mostrou que vacas em condições estressantes sofriam alterações fisiológicas no fígado, o que contribuía para o desenvolvimento de gordura no fígado. Porém, ao serem alimentadas com uma mistura de chá verde com cúrcuma, foi observada uma redução nos marcadores de irritação no fígado e um risco mais baixo de desenvolver problemas como gordura no fígado e até alguns tipos de câncer.

– Beterraba

Além de ser uma ótima fonte de fibras e nutrientes como o ácido fólico, o potássio e o manganês, a beterraba é muito usada como um agente desintoxicante.

A fibra pectina encontrada na beterraba é essencial para estimular a limpeza do fígado e promover a remoção de toxinas. Os antioxidantes presentes no vegetal também ajudam a reduzir a inflamação no organismo.

– Gengibre

As propriedades anti-inflamatórias do gengibre ajudam a proteger o fígado. Um estudo de 2016 do periódico Hepatitis Monthly indica que suplementos de gengibre reduzem os níveis de marcadores inflamatórios envolvidos na doença hepática gordurosa não alcoólica, o que pode ajudar tanto no tratamento da doença como também na redução das chances de desenvolver a condição.

– Molibdênio

O molibdênio atua como um catalisador de enzimas envolvidas na quebra e metabolização de toxinas. Ele também inibe condições de saúde como a fibrose pulmonar e a fibrose hepática. Além disso, o nutriente pode evitar danos no fígado causados pelo excesso de acetaminofeno.

– Selênio

Um estudo de 2012 publicado no The Saudi Journal of Gastroenterology sugere que o selênio é vital para a preservação do tecido hepático graças as suas propriedades antioxidantes.

O nutriente também melhora a elasticidade do tecido do fígado, o que ajuda no tratamento da doença hepática crônica, em que o paciente pode ficar com tecidos e vasos sanguíneos rígidos.

– Colina

A colina é um nutriente essencial para o transporte adequado de gordura do fígado para outras células do corpo. A remoção de gordura do fígado reduz as toxinas do órgão e permite que essa gordura possa ser usada por outros sistemas que precisam delas, como o cérebro, por exemplo.

Há ainda outros compostos que podem ajudar a proteger a saúde do fígado, mas os estudos sobre a eficácia deles ainda são escassos. São eles:

  • Baga de espinheiro;
  • Raiz mexicana selvagem;
  • Chanca piedra.

Como usar um protetor hepático

Como você pode observar, existem muitos suplementos que podem ajudar a proteger o fígado contra danos, mas não existe uma forma padronizada de usá-los.

O indicado é seguir a orientação de um médico sobre a necessidade ou não de suplementação com um protetor hepático e adotar a dosagem indicada por ele.

No rótulo desse tipo de suplemento, também é possível encontrar a sugestão de dose diária. Use sempre como indicado para evitar efeitos colaterais e danos adicionais ao organismo.

Dicas para manter o fígado saudável

Como a pesquisa sobre os hepatoprotetores ainda é escassa, o ideal mesmo é cuidar da saúde do seu fígado diariamente através de hábitos melhores. Algumas dicas práticas são:

1. Limitar a ingestão de gordura na dieta

Uma dieta rica em gorduras e doces pode promover o ganho de peso. O sobrepeso e a obesidade aumentam o risco de várias doenças, inclusive de doença hepática gordurosa não alcoólica. Assim, limitar a ingestão de gordura e manter um peso saudável é ideal para ter um fígado mais saudável.

Veja quais são os alimentos ruins para o fígado e limite a ingestão deles em sua dieta.

2. Evitar toxinas

Certas toxinas presentes em produtos químicos como alguns produtos de limpeza e inseticidas podem ser prejudiciais para o seu fígado. As toxinas presentes no cigarro também entram nessa lista.

Se possível, evite o uso desses produtos, mantenha distância da poluição em geral e não fume.

3. Limitar o uso de álcool

O álcool em excesso danifica as células hepáticas, podendo causar complicações como a cirrose hepática. Você não precisa parar de tomar bebidas alcoólicas, mas é prudente que isso seja feito com moderação.

3. Não usar substâncias ilícitas

Assim como é importante evitar o cigarro e o álcool em excesso, você também deve se manter distante de drogas ilícitas. Além de viciar e fazer mal para a saúde, substâncias como a heroína, por exemplo, podem danificar o fígado.

4. Nunca misturar álcool e medicamentos

Misturar bebidas alcoólicas com medicamentos pode prejudicar ainda mais o fígado. Veja na bula se esse é o caso do remédio que você toma e se encontrar uma informação dizendo que não é seguro combinar o medicamento com álcool, evite a combinação.

5. Praticar exercícios físicos

O exercício físico ajuda na manutenção do peso e na qualidade de vida. A prática regular de atividade física é essencial não só para evitar problemas no fígado como também para preservar a boa saúde geral.

6. Evitar o uso de paracetamol

O uso crônico de certos medicamentos como o paracetamol e alguns esteroides também pode prejudicar a integridade do fígado. Por isso, o uso constante de qualquer remédio deve ser monitorado por um médico.

Confira se o paracetamol faz mal ao fígado mesmo e como o medicamento pode ser usado com segurança. Vale a pena ver também que estudo com ratos mostrou que ibuprofeno altera o metabolismo do fígado.

Devo usar um protetor hepático?

Não use suplementos para o fígado sem orientação médica. O cuidado diário com a saúde ainda é a melhor forma de manter a saúde do fígado e de outros órgãos.

Assim, mesmo que os ingredientes mencionados neste artigo possam ajudar a reduzir a inflamação e proteger o fígado contra lesões, não existem dados contundentes o suficiente para atestar a eficácia e a segurança deles.

Fontes e Referências adicionais:

Você já sabia o que é um protetor hepático? Conhece alguém que faz uso ou já foi indicado para você por um médico? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco se formou em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na área de transplantes na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2010. Dr Lucio Pacheco é um profundo estudioso na área de doença hepática e escreveu dezenas de livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico - cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D´Or e do Hospital Copa D´Or. É diretor médico do Instituto de Transplantes. Tem vasta experiência na área de Medicina, com ênfase em Transplante hepático, atuando principalmente nos seguintes temas: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia,e transplante de fígado. Dr. Lucio é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos e diversos. Para mais informações, entre em contato com ele.

Deixe um comentário