12 Remédios para Estresse Mais Usados

Quem gosta de se sentir estressado? Ninguém, não é mesmo? Mas como evitar esse problema em um mundo em que parece que todo mundo anda na correria e pressionado por conta das obrigações e compromissos do dia a dia, referentes à família, estudo, trabalho, relacionamentos e tantas outras coisas?

E por mais corriqueiro que o estresse pareça ser, não é nada saudável que a gente se acostume com ele. Isso porque o estresse pode interferir na maneira pela qual uma pessoa se sente, se comporta, pensa e, inclusive, a forma de funcionamento do seu organismo, tendo em vista que a mente e o corpo estão em constante interação.

Mesmo que todo mundo precise de certa medida de estresse, porque a falta dele indica que o corpo está pouco estimulado, o estresse muito intenso ou prolongado faz com que o corpo libere hormônios relacionados ao problema durante um longo período.

Isso faz com que o risco de desenvolvimento de problemas físicos como dores de cabeça, perturbações estomacais, pressão alta, ataque cardíaco e acidente vascular cerebral seja elevado. Isso sem contar que o estresse também gera problemas de ordem psicológica como sensações de descrédito, raiva, ansiedade e medo.

A condição também está associada ao desenvolvimento de distúrbios de ansiedade e depressão. Mas não é somente isso – o estresse em longo prazo pode causar danos ao sistema imunológico.

Além disso, uma pesquisa realizada por cientistas dos Estados Unidos e do Canadá e divulgada no ano de 2012, sugeriu que a condição aumenta as chances de desenvolvimento de infecções virais. Já um estudo feito por um pesquisador de Londres e divulgado em 2006 indicou que o estresse eleva o risco de desenvolvimento da síndrome metabólica.

A síndrome metabólica é descrita pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) como um conjunto de fatores de risco que se manifestam em uma pessoa e aumentam as suas chances de sofrer com doenças cardíacas, derrames e diabetes.

12 opções de remédios para estresse

Antes de usar qualquer um dos medicamentos, inclusive os naturais, citados abaixo, consulte o seu médico. Automedicar-se pode trazer perigos severos para a saúde e é uma atitude que deve ser evitada a qualquer custo e mesmo os produtos naturais podem trazer contraindicações e efeitos colaterais

1. Medicamentos sedativos (depressor do sistema nervoso central)

Este tipo de remédio para estresse desacelera ou inibe a atividade do sistema nervoso central e causa uma sensação de relaxamento, sonolência, respiração mais lenta e diminuição da ansiedade e da tensão.

No entanto, esses remédios exigem cuidados e devem ser usados com acompanhamento médico já que em doses maiores podem provocar efeitos como fala arrastada, prejuízos à habilidade para andar, discernimento fraco e diminuição dos reflexos.

A superdosagem dos medicamentos sedativos também pode trazer inclusive efeitos potencialmente letais.

Um dos grupos de sedativos mais comumente prescritos são os chamados benzodiazepínicos, que incluem medicamentos como: Xanax, Valium, Ativan (lorazepam), Halcion (triazolam), Restoril (temazepam) e Libium.

Os benzodiazepínicos são considerados relativamente seguros com um potencial letal relativamente baixo. Entretanto, vale lembrar que a segurança do uso de qualquer medicamento é mantida quando o remédio em questão é utilizado conforme as indicações do médico e qualquer tipo de automedicação ou desobediência às recomendações médicas pode ser bem perigosa.

2. Buspar

Trata-se de um medicamento antiansiedade que trata sintomas como tensão corporal, tontura e coração disparado. Como é prescrito geralmente como um remédio de curto prazo para a ansiedade, ele não é uma boa opção de estratégia para diminuir o estresse em longo prazo.

Algumas pesquisas sugerem que o remédio afeta a serotonina e a dopamina, substâncias químicas que atuam no cérebro e no sistema nervoso e influenciam o humor.

Buspar não é anticonvulsivo, não é sedativo e nem traz efeitos de relaxamento aos músculos. Ele também não é viciante, porém, demora de uma a três semanas para que o paciente comece a experimentar o alívio da ansiedade.

3. Antidepressivos

Esses remédios são usados para tratar a depressão e condições associadas a ela, porém, também possuem propriedades antiansiedades e, em diversos casos, podem ser utilizados como remédios para estresse.

São particularmente os antidepressivos chamados de inibidores seletivos da recaptação de serotonina que são os remédios pertencentes à classe que costumam ser prescritos para o combate ao estresse.

Em suma, o que esses remédios fazem é desacelerar o processo de recaptação da serotonina, de modo que ela permaneça por mais tempo na sinapse, que é o espaço entre dois neurônios. Maiores níveis de serotonina podem melhorar parcialmente o humor e diminuir os sentimentos de ansiedade.

No entanto, apesar de os inibidores seletivos da recaptação de serotonina não serem viciantes no sentido clássico, eles podem causar efeitos colaterais como náusea, tontura, boca seca, perturbações do sono e uma variedade de problemas sexuais.

4. Betabloqueadores

Apesar de serem normalmente usados para controlar a pressão arterial alta e tratar alguns tipos de problemas no coração, esses medicamentos podem ser usados como remédios para estresse em algumas pessoas.

Entre os possíveis efeitos colaterais desses remédios, estão: pés e mãos frias, cansaço e perturbação do sono (mais comuns), além de impotência, tontura, chiado, problemas do trato digestivo, erupção cutânea e olhos secos (menos comuns).

5. Exercícios físicos

O exercício é uma das melhores maneiras de aliviar o estresse porque faz com que haja a liberação de endorfina, que funciona como uma espécie de analgésico e “melhorador” do humor no organismo.

Pesquisas sugerem que indivíduos inativos aparentam experimentar os efeitos negativos do estresse de maneira mais exacerbada.

6. Acupuntura

O método é utilizado para tratar uma série de condições associadas ao estresse como distúrbios psiquiátricos, doenças autoimunes ou associadas ao sistema imunológico, infertilidade, ansiedade e depressão.

Um estudo feito por um pesquisador americano e demais colegas indicou que a técnica é uma das melhores formas de aliviar o estresse em pacientes que se encontram em recuperação de doenças cardíacas porque ela ajuda a regular o sistema nervoso, tendo, portanto, efeitos positivos no que se refere à pressão arterial, circulação e hormônios.

7. Ervas adaptogênicas e óleos essenciais

Tantos essa classe de ervas quanto os óleos já mostraram serem capazes de melhorar a ansiedade por meio da redução dos efeitos do estresse e do cortisol (conhecido como o hormônio do estresse no corpo).

Ervas adaptogênicas como ginseng, rhodiola, manjericão santo e cacau são classificas como um grupo de plantas com propriedades curativas que equilibram, restauram e protegem o corpo, fazendo com que seja mais fácil lidar com o estresse por meio da regulação hormonal e das funções fisiológicas.

Por sua vez, óleos essenciais como lavanda, mirra, olíbano e bergamota são conhecidos por reduzir a inflamação, melhorar a imunidade, equilibrar os hormônios e auxiliar o sono e a digestão.

8. Infusão de folhas de laranja amarga

Acredita-se que as folhas de laranja amarga proporcionem ação tranquilizante, aliviem a tensão muscular e promovam uma leve sedação.

9. Banho de melissa, lavanda e menta

A dica deste remédio para estresse natural é misturar essas plantas para ter um banho relaxante. Funciona assim: ferver 5 litros de água, adicionar 100 g de melissa, 100 g de flores de lavanda e 100 g de menta piperita, deixar repousar durante 15 minutos e coar. Depois é só despejar essa água em uma banheira e tomar banho com ela antes de ir dormir.

10. Valeriana

A valeriana é um fitoterápico que possui efeito relaxante muscular, moderador do humor, facilitador do sono e ansiolítico, ou seja, de diminuição da ansiedade e da tensão.

11. Passiflora 

É a flor da mesma árvore do maracujá, a fruta conhecida por deixar a gente mais calmo. E é justamente essa flor que fornece o chamado efeito ansiolítico. Este remédio para estresse natural pode ser tomado em cápsulas ou chá.

12. Raiz de ouro

O extrato da flor raiz de ouro é conhecido por possuir propriedades moduladoras em relação à resposta ao estresse. A substância atua contra causas do estresse físico como os radicais livres, o frio e a atividade física intensa, além de ser definido como um calmante natural. 

Cuidados com os remédios para estresse

Como vimos mais acima, ainda que seja visto como habitual, o estresse serve como porta de entrada para uma série de problemas graves de saúde. Portanto, ao perceber que está estressado, é importante buscar formas de tratar o problema de modo que ele não seja agravado.

No entanto, antes de escolher um dos remédios para estresse que listamos, vale a pena consultar-se com um médico para saber qual método de tratamento é o mais indicado para você. Pode ser que medidas mais leves, sem o uso de medicamentos, sejam suficientes, porém, pode ser que seja necessário recorrer a eles.

E nesse caso é fundamental que o remédio para estresse em questão (seja uma droga, seja um suplemento, seja uma erva, seja um óleo essencial) seja determinado pelo médico, que pode escolher qual medicamento é mais indicado para o seu quadro, sem que haja contraindicações ou interações perigosas ou prejudiciais com outros remédios que você já esteja utilizando.

A ida ao médico também serve para verificar se o estresse já não levou ao aparecimento de alguma outra condição e, se for esse o caso, dar início ao tratamento para o problema em questão.

Você já utilizou remédios para estresse por conta da pressão que o dia a dia exerce? Qual deles teve melhor resultado? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (51 votos, média: 3,78 de 5)
Loading...

2 comentários em “12 Remédios para Estresse Mais Usados”

  1. Eu me dou muito bem.com valeriana. Comecei a tomar para ajudar a tratar a gastrite e foi muito bom quando tive crises de ansiedade. Comecei a fazer uso do antidepressivo Cloridrato de Amitriptilina para tratar enxaqueca e foi maravilhoso, melhorou meu sono que é muito leve e tratou mesmo a enxaqueca. Como estou a umas semanas se conseguir comprar ele porque minha receita está vencida, tenho me sentido muito, muito mal. Mas tento seguir a recomendação médica: beber muita água e fazer exercícios, que também fazem muito efeito.

Deixe um comentário