Disbiose intestinal: o que é, sintomas, causas e tratamento

Especialista da área:
atualizado em 26/10/2021

Você sabia que a saúde intestinal influencia o humor, a concentração e a imunidade? Até mesmo o sucesso no processo de emagrecimento pode depender da saúde do intestino

  Continua Depois da Publicidade  

A doutora Alanna Collen, em seu livro “10% humano”, explica que para cada célula humana, existem nove células de bactérias e fungos, totalizando 390 trilhões. A maioria habita o intestino, formando a flora intestinal

Mas, bactérias não são ruins? Na verdade, não. Esses pequenos organismos evoluíram juntamente com os seres humanos numa relação benéfica, chamada simbiose

Os problemas de saúde surgem quando há um desequilíbrio na flora intestinal, diminuindo o número de bactérias boas e aumentando as ruins, processo conhecido como disbiose intestinal

Além das bactérias e fungos, cerca de 80% das células responsáveis pela defesa do nosso corpo contra as doenças estão no intestino. Isto significa que a nossa imunidade depende de um ambiente equilibrado de bactérias na flora intestinal. 

Veja o que é, os sintomas, as causas e os tratamentos da disbiose intestinal. 

Disbiose intestinal – o que é?

bactérias da flora intestinal2
Flora intestinal é composta por bactérias

Já vimos que a disbiose intestinal é um desequilíbrio na quantidade e qualidade de bactérias boas e ruins, que formam a flora intestinal. 

  Continua Depois da Publicidade  

O intestino é o órgão que filtra o que pode e o que não pode ser absorvido, nos protegendo contra substâncias nocivas e permitindo a entrada de vitaminas e nutrientes da nossa alimentação. As bactérias são boas ajudantes nesse controle. 

Mas, em uma situação de disbiose intestinal, elas podem atrapalhar a absorção dos nutrientes e vitaminas, e causar algumas doenças, como:

Sintomas da disbiose intestinal

mulher com dor no estomago barriga

Os sintomas variam de acordo com o tipo, a quantidade e a localização das bactérias que foram afetadas. A condição de saúde da pessoa também influencia no desenvolvimento dos sintomas. 

Para saber quais tipos de bactérias estão causando a disbiose intestinal, o médico pode solicitar um exame de fezes. Com este exame, o diagnóstico fica mais detalhado e um nutricionista pode elaborar um plano alimentar que ajude a diminuir as bactérias ruins. 

Os sintomas são comuns, mas não devem ser ignorados. O tratamento é simples, mas se os sintomas não forem passageiros, podem evoluir para doenças mais sérias. 

Veja quais são os sintomas mais comuns:  

  Continua Depois da Publicidade  

  • Náuseas e vômitos;
  • Flatulência (gases em excesso);
  • Prisão de ventre;
  • Diarreia;
  • Distensão abdominal (inchaço);
  • Refluxo e arrotos;
  • Fadiga/cansaço constante;
  • Alterações de humor, ansiedade ou depressão;
  • Problemas de pele, como acne e dermatite;
  • Queda de cabelo e unhas fracas;
  • Candidíase de repetição;
  • Infecção urinária.

Causas da disbiose intestinal  

As causas da disbiose intestinal estão relacionadas com alguns hábitos alimentares e com o uso de substâncias tóxicas, como o álcool. O abuso de alguns medicamentos, como antibióticos e laxantes, também pode ser tóxico e prejudicial. O estresse é mais um vilão que pode desequilibrar a flora intestinal. 

Entenda os detalhes de cada uma das causas dessa condição: 

Dieta

Uma dieta rica em gorduras ruins e pobre em vegetais prejudica as bactérias boas do intestino. As fibras são compostos vegetais que não são digeridos pelo organismo, mas auxiliam no movimento intestinal, na composição das fezes e alimentam as bactérias boas, que impedem a ação de bactérias que produzem substâncias tóxicas. São também conhecidos como prebióticos.

Alimentos com fibras
Alimentos ricos em fibras são benéficos para a saúde intestinal

Ao contrário, o excesso de açúcar nos alimentos industrializados e refinados, como bolachas, pães e massas, beneficia o crescimento e a multiplicação das bactérias ruins, que acabam vencendo as bactérias boas, em quantidade. Essas bactérias aumentam a fermentação e a produção de gases intestinais. 

Este hábito também aumenta a dependência do açúcar, que é aquela necessidade descontrolada de comer um docinho. O açúcar é o alimento preferido das bactérias ruins e pode causar sérios problemas de saúde, como a diabetes.  

Proteínas em excesso também podem causar a disbiose intestinal, elas estão nas carnes, ovos, leites e queijo. A proteína não digerida acaba alimentando as bactérias que produzem compostos tóxicos, como o sulfato de hidrogênio. O acúmulo dessa substância pode causar câncer intestinal. 

  Continua Depois da Publicidade  

O primeiro passo para ter um intestino saudável é manter uma dieta equilibrada, sem excessos ou restrições de nutrientes. 

Medicamentos

Alguns medicamentos comuns no dia a dia podem causar a disbiose intestinal, se usados de maneira descontrolada e sem prescrição médica. 

Os mais comuns são: 

  • Antibióticos;
  • Antiácidos;
  • Laxantes;
  • Corticosteroides;
  • Pílulas contraceptivas;
  • Anti-inflamatórios.

O estômago contém um ácido natural, que é afetado pelo uso excessivo de antiácidos e alguns anti-inflamatórios, como o Ibuprofeno. O equilíbrio da flora intestinal é prejudicado com a diminuição da acidez estomacal. O uso constante de laxantes também altera esse delicado equilíbrio, porque muitas bactérias boas são eliminadas na diarreia. 

Outro problema muito comum é o uso incorreto de antibióticos. 

Os antibióticos são potentes no combate de infecções bacterianas, mas alguns erros comuns, como parar o tratamento antes da hora ou tomar antibióticos sem prescrição médica, podem desequilibrar a flora intestinal. Os antibióticos não matam apenas as bactérias ruins, mas também as boas. 

  Continua Depois da Publicidade  

O abuso de antibióticos pode favorecer a multiplicação de “superbactérias“, que são resistentes aos antibióticos disponíveis. Essa resistência das bactérias pode complicar um quadro de infecção antes simples e fácil de resolver, podendo levar a pessoa à morte. 

comprimidos de medicamentos diversos separados por dias da semana

Substâncias tóxicas 

A orientação de lavar bem as frutas, verduras e legumes também é válida, quando se trata de disbiose intestinal. O consumo de pesticidas, herbicidas e agrotóxicos presentes nesses alimentos pode desregular a flora intestinal.

O consumo excessivo de álcool faz mal à saúde, inclusive para as bactérias boas do intestino, resultando em diarreias. Beber duas ou mais doses de bebidas alcoólicas pode causar a disbiose intestinal e provocar úlceras no intestino. 

Estresse

Juntamente com os maus hábitos alimentares e o uso descontrolado de medicamentos, o estresse faz parte da nossa rotina moderna. 

O estresse é um fator emocional tóxico e impacta diretamente a composição da flora intestinal. Por exemplo, fazer uma apresentação em público, pode causar uma diarreia por ansiedade e estresse. 

Um estudo em animais publicado na revista Brain, behavior, and Immunity, mostrou que o estresse favorece o aumento de bactérias ruins, causadoras de doenças, e diminuiu a quantidade de bactérias boas, causando a disbiose intestinal

Tratamento da disbiose intestinal

Kefir probiótico
O kefir é rico em probióticos que favorecem a saúde da flora intestinal

O primeiro passo para melhorar o equilíbrio da flora intestinal é ajustar a alimentação, incluindo mais fibras, líquidos e probióticos, como os Lactobacillus. 

Você pode incluir alimentos ricos em: 

Considere evitar esses hábitos e alimentos 

  • Carnes processadas: linguiça, salsicha, bacon, mortadela, presunto, nuggets, salame e carnes enlatadas, como atum e sardinha;
  • Ricos em açúcar: sorvetes, chocolates, pães, massas e doces no geral;
  • Estresse e ansiedade: faça atividades prazerosas e benéficas para a saúde, como a meditação e a prática regular de exercícios físicos;
  • Ingestão de bebidas alcóolicas;
  • Uso de medicamentos sem orientação médica.

A eficiência do tratamento da disbiose intestinal também depende do diagnóstico correto. O gastroenterologista e o coloproctologista são profissionais capacitados para analisar o seu quadro clínico e realizar o diagnóstico.

Os tratamentos com medicamentos e suplementação com probióticos em cápsula podem ser prescritos pelos especialistas, juntamente com um plano alimentar elaborado por um nutricionista. 

Fontes e referências adicionais

Já teve disbiose intestinal alguma vez? Comente abaixo se você já sabia da importância de cuidar bem da nossa flora intestinal.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dr. Marcos Marinho

Dr. Marcos Marinho é especialista em Gastroenterologia, Endoscopia Digestiva e Ultrassonografia - CRM 52.104130-4. Formou-se em Medicina pela Universidade do Grande Rio (Unigranrio) e é pós-graduado em Gastroenterologia pelo IPEMED. Realizou cursos de ultrassonografia geral e intervencionista pela Unisom, ultrassonografia musculoesquelética e Doppler pelo CETRUS. Atualmente, é pós-graduando de Endoscopia Digestiva pela Faculdade Suprema de Juiz de Fora-MG. No momento, atua em vários municípios do estado do Rio de Janeiro como na capital, Niterói, Magé e Araruama. Dr. Marcos Marinho tem experiência em setores variados de sua especialização e continua em constante aprendizado e evolução para ser uma referência da área. Para mais informações, entre em contato através de seu Instagram oficial @drmarcosmarinho

Deixe um comentário