Alimentos com licopeno

Licopeno – O Que é, Para Que Serve, Benefícios e Alimentos Ricos

O licopeno é um pigmento vermelho vivo que não é produzido pelo corpo humano, mas é essencial para a saúde de órgãos como fígado, pulmões, pele, cólon, próstata, glândulas suprarrenais e sangue. Estudos em animais apontam que o licopeno pode ter efeito antioxidante e também bloquear o crescimento de células cancerígenas. No entanto, ainda há controvérsia se estes efeitos ocorrem também em seres humanos.

Publicidade

O licopeno é ingerido através de muitos alimentos, mas a maior concentração disponível na natureza está no tomate.

Este artigo explicará o que é o licopeno, indicará quais alimentos são ricos nessa substância, para que serve e seus benefícios.

O que é licopeno?

O licopeno é um carotenoide, um pigmento naturalmente vermelho que dá cor ao tomate e a outros frutos e vegetais vermelhos, amarelos e alaranjados como melancia, goiaba, mamão, uva, goji berry, cenoura, entre outros. Foi nesta última década que estudos passaram a apontar o licopeno como um protetor potencial contra certos tipos de câncer e doenças cardiovasculares.

Ele é um dos 600 carotenoides conhecidos encontrados em plantas e sua cor e suas propriedades devem-se à estrutura de sua composição química natural.

Atualmente as pessoas tomam licopeno para a prevenção de doenças do coração como aterosclerose, para tratar câncer da próstata, mama, pulmão, bexiga, ovários, cólon, e pâncreas. O licopeno também é usado no tratamento da infecção pelo vírus HPV, que é uma das principais causas de câncer do útero. Algumas pessoas também utilizam o licopeno para tratar a catarata e a asma.

O tomate é a principal fonte natural de licopeno

O licopeno é encontrado em quantidades particularmente elevadas em tomates e seus derivados. Para ter uma ideia, 85 por cento do licopeno da dieta dos norte americanos vêm de produtos derivados do tomate como suco ou polpa. No Brasil ainda não é comum tomar suco de tomate, mas vale saber que um copo de 240 ml de suco de tomate fornece cerca de 20 miligramas de licopeno, mais que a quantidade ideal recomendada por alguns estudos para ser consumida diariamente.

Outra informação interessante é que o cozimento dos tomates para fabricação de suco, polpa ou ketchup, por exemplo, transforma a estrutura química do licopeno em uma forma que é mais fácil de ser absorvida pelo nosso corpo, ou seja, o licopeno encontrado nos derivados de tomate ou em suplementos é tão ou mais fácil de ser usado pelo organismo quanto o licopeno ingerido diretamente dos alimentos.

Veja também: 9 Benefícios do Tomate – Para Que Serve e Propriedades

Licopeno e seu benefício como antioxidante

O licopeno é tido como o antioxidante mais eficaz entre os carotenoides que possuem betacaroteno. Pesquisas mostram que sua ação antioxidante é capaz de manter a força, a espessura e a fluidez das membranas das células. As membranas celulares funcionam como os guardiões protetores das células. Eles são responsáveis ​​pela seleção do que entra e do que sai das células e servem para permitir a entrada dos bons nutrientes e remover o lixo celular, livrando as nossas células das toxinas. Membranas celulares saudáveis são vitais na prevenção de muitas doenças.

A absorção de licopeno pelo organismo

Nos seres humanos, a absorção do total de licopeno ingerido varia entre 10 e 30 por cento do consumo, o restante é excretado. Esta baixa absorção ocorre por causa do formato das ligações químicas dos carotenoides e também porque os carotenoides estão ligados a outras moléculas, tais como proteínas vegetais, que limitam a sua absorção.

Os carotenoides são absorvidos pelo corpo como as gorduras, difundindo-se passivamente através da membrana celular na mucosa intestinal, onde são então absorvidos e transportados pelo sistema linfático para o fígado. Uma vez que o licopeno é absorvido e transportado para o fígado, ele pode entrar novamente na circulação sanguínea.

O licopeno dos derivados de tomate é absorvido melhor e traz mais benefícios

É comum que o calor e a gordura adicionados ao processamento de certos vegetais esgotem os seus nutrientes, no caso do licopeno presente no tomate este processo é inverso.

De acordo com o investigador do Centro de Câncer do Estado de Ohio e professor de ciência e tecnologia de alimentos no Estado, Steven Schwartz, o licopeno presente no tomate cru está em uma configuração química caracterizada pela sua forma linear. Diferente da formação química do licopeno em circulação no sangue humano, onde ela tem um formato curvo. “As propriedades químicas são as mesmas, apenas a configuração das moléculas são diferentes”. Afirma Schwartz.

O pesquisador explica que o que descobriram foi que ao aquecer o tomate vermelho em combinação com óleo, a forma molecular de licopeno muda para a forma curva e neste formato elas são capazes de encontrar o seu caminho mais facilmente durante a digestão e são mais susceptíveis de serem transportadas para o sangue.

Neste caso, os derivados de tomate que são aquecidos e combinados com algum tipo de gordura são absorvidos melhor e potencialmente mais benéficos à saúde.

O licopeno e o câncer de próstata

Um grande número de estudos demonstrou que os homens que recebem mais licopeno na sua dieta têm menos risco de câncer de próstata.

Em um artigo publicado pela Endocrine-Related Cancer, especializada na publicação de estudos sobre o câncer no sistema endócrino, discute-se que tanto estudos feitos em roedores quanto em humanos indicaram que o licopeno pode prevenir ou retardar a progressão do câncer de próstata.

Um dos estudos relata que 32 pacientes diagnosticados com câncer de próstata foram suplementados com 30mg de licopeno diariamente através da ingestão de molho de tomate. Em três semanas de suplementação os pacientes haviam aumentado o índice de morte das células cancerosas em comparação com pacientes não suplementadas. Com isso, os autores concluíram que o consumo de molho de tomate pode inibir a progressão de câncer da próstata em alguns pacientes.

Através de outro estudo feito em 1995, pela Universidade de Harvard, realizado com 47.894 homens, os pesquisadores descobriram que a ingestão de 10 ou mais porções por semana de produtos derivados de tomate pode reduzir o risco de câncer de próstata em até 34 por cento.

Em laboratório, o licopeno foi capaz de suprimir o crescimento de células cancerígenas humanas, e proteger contra infecções bacterianas. Também inibiu o crescimento de tumores do cérebro, além de reduzir o tamanho e a quantidade de tumores malignos induzidos.

A associação do licopeno com câncer de próstata tem recebido grande atenção da mídia, em parte, a dois grandes estudos feitos pela Harvard Medical School onde um total de 62.000 homens foi envolvido. Um destes estudos indicou que consumir tomates e molho de tomate mais do que duas vezes por semana conseguiu diminuir o risco de câncer de próstata entre 21 e 34 por cento.

O licopeno e outros tipos de câncer

Mais de 72 estudos epidemiológicos já foram realizados sobre o licopeno. Em 57 desses estudos houve alguma associação entre o seu consumo e a melhora na condição dos pacientes. Os benefícios mais evidentes foram encontradas entre licopeno e a melhora nos casos de câncer da próstata, do pulmão e do estômago. Os benefícios mais moderados foram associados ao câncer de boca, pâncreas, esôfago e do colo do útero. Não foram encontradas relações entre o alto consumo de licopeno e a prevenção em relação ao desenvolvimento de câncer.

Eventuais benefícios do licopeno para a saúde cardiovascular

A revista europeia Maturitas, especializada em estudos da maturidade revisou 12 estudos investigativos sobre os efeitos do consumo de licopeno sobre o colesterol e a pressão arterial.

Verificou-se que uma dosagens de licopeno de pelo menos 25 miligramas por dia pode reduzir significantemente os níveis totais de colesterol e também o colesterol LDL (conhecido como o “mal colesterol”). No entanto, estudos usando doses mais baixas não apontaram nenhum efeito. Por outro lado, todos os estudos afirmaram que o consumo de licopeno reduziu a pressão arterial sistólica. Os autores concluem que o consumo de licopeno protege contra doenças cardíacas, mas afirmam que ainda são necessárias investigações mais aprofundadas.

Licopeno e seus benefícios para a pele

A utilização de licopeno em conjunto com outros nutrientes como betacaroteno, vitamina C e vitamina E tem se mostrado como um meio possível para proteger a pele dos danos causados ​​pelo sol.

O licopeno também oferece benefícios à pele por causa das suas propriedades antioxidantes. A exposição da pelke à luz do sol provoca a formação de livres. Os radicais livres danificam as células que produzem colágeno e elastina na pele e também ativam enzimas que quebram o colágeno. Este é um mecanismo pelo qual a exposição solar provoca o envelhecimento prematuro e o câncer da pele.

O licopeno atua como um antioxidante e um potente inibidor de radicais livres e pode reduzir este tipo de dano. O licopeno funciona melhor em ambientes ricos em lípidos, por isso é adequado para proteger as células da pele.

Outros benefícios do licopeno

Sabe-se que comer cinco porções de frutas e vegetais por dia pode melhorar a saúde em vários aspectos. Aumentar a ingestão diária de frutas e legumes ricos em licopeno como melancia, cenouras, uva, papaia e tomate pode trazer benefícios para a saúde em longo prazo.

Os idosos também podem se beneficiar de uma dieta rica em licopeno através da simples ingestão de dois copos de suco de tomate diariamente para ajudar na prevenção da degradação das células ósseas e, consequentemente, à osteoporose. Esta doença causa desgaste, dores e fraturas nas articulações quando não tratada.

O ideal é aumentar a ingestão de licopeno no início da vida para garantir uma saúde mais prolongada aos ossos.

Alimentos ricos em licopeno e vitamina A como as cenouras, podem ser de grande benefício para aqueles que estão enfrentando degeneração macular relacionada à idade quando ingeridos diariamente. Eles também previnem o envelhecimento da pele e mantêm a aparência mais jovem uma vez que atuam como um protetor solar interno e protegem a pele contra queimaduras solares.

Algumas pesquisas ainda sugerem que o licopeno pode ajudar no tratamento da infertilidade. Os resultados dos testes mostraram que ele pode aumentar a concentração de espermatozoides nos homens.

Consequências da ingestão demasiada de licopeno

Alguns estudos defendem que a quantidade diária ideal para ingestão de licopeno é de cerca de 20 miligramas. Outros preferem não definir quantidades. O fato é que dependendo do organismo, a ingestão de quantidades exageradas pode resultar em efeitos colaterais como inchaço, gases, diarreia, cólicas, vômitos e náuseas.

Uma dieta sobrecarregada em licopeno pode causar dificuldade de funcionamento ao sistema imunológico, diminuindo a capacidade do organismo de combater infecções e se proteger.

Comer alimentos que contenham doses exageradas de licopeno vermelho durante um longo período de tempo também pode provocar alterações na pele.

É importante ressaltar ainda que algumas pessoas são alérgicas ao licopeno. Os efeitos colaterais em pessoas alérgicas podem ser: urticária, prurido, erupções cutâneas que cobrem o corpo, bem como dores no peito. Se você tiver qualquer um desses sintomas, procure imediatamente ajuda médica.

Estudos a cerca dos suplementos de licopeno

Muitos estudos sugerem possuir altos níveis de licopeno no organismo ou ingerir alimentos ricos em licopeno pode levar a um baixo risco de contrair câncer, doenças cardíacas e doenças oculares relacionadas à idade. No entanto, o que tem sido estudado é a ingestão de licopeno baseada no consumo tomates e derivados e não sobre a utilização de suplementos de licopeno. Uma vez que tomates também contêm outros nutrientes como vitamina C e potássio, os potenciais benefícios do licopeno sozinhos ainda foram pouco estudados.

Cuidado! Os suplementos antioxidantes semelhantes ao licopeno podem interferir com radiação e quimioterapia. Para pacientes submetidos a tratamentos como estes o ideal é utilizar somente fontes naturais de licopeno.

Onde encontrar licopeno

O licopeno não é produzido pelo organismo humano, portanto só é possível obter seus benefícios pela ingestão de alimentos ricos nesta substância.

Alguns alimentos com teor significativo de licopeno são:

  • Tomate cozido
  • Melancia
  • Mamão
  • Grapefruit ou Toranja
  • Pimentão vermelho cozido – Repolho roxo
  • Gogi berry
  • Manga
  • Cenoura

Veja mais: 11 Alimentos Ricos em Licopeno

Como comprar e possíveis efeitos colaterais

O licopeno é vendido como um suplemento em formulações mistas com outras substâncias ou puro. Ele é normalmente comercializado na forma de capsulas de gel à base de óleo.

Atualmente não há efeitos colaterais relatados nem pela ingestão de alimentos ricos em licopeno nem causados por suplemento de licopeno se seguida a dosagem recomendada por um especialista médico, ou pelo fabricante do suplemento.

O licopeno é uma substância que pode oferecer muitos benefícios à saúde e a maioria dos especialistas em saúde incentiva o aumento da ingestão de alimentos com altos níveis de carotenoides incluindo o licopeno.

Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)

Publicidade

Você costuma ingerir alimentos que contenham boas quantidades de licopeno? Qual deles você está mais acostumado a ter em sua dieta? Você gosta da sopa ou do suco de tomate? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (10 votos, média: 4,00 de 5)
Loading...


RECOMENDADOS PARA VOCÊ

Publicidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Um comentário

  1. O licopeno é melhor absolvido quando estiver dissolvido em óleos comestíveis; como os que estão em capsulas gelatinosas produzidas laboratórios farmacêuticos. também em molhos de tomate cosidos com bastante óleos comestíveis.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*