A Dieta Cetogênica – Como Funciona, Cardápio e Dicas

Especialista:
atualizado em 01/04/2020

A dieta cetogênica consiste em aumentar a quantidade de cetose no seu organismo. Ela propõe reduzir gradativamente a quantidade de carboidratos consumidos e aumentar em um número considerável o consumo de gorduras e elevar um pouco a ingestão de proteínas. Estas mudanças são realizadas com o objetivo da perda de peso.

A dieta cetogênica tem recebido bastante visibilidade. Fazer essa dieta significa entrar em um estado de cetose, ou onde seu corpo queima gordura ao invés de carboidratos como combustível. Para chegar lá, você precisa limitar seus carboidratos a cerca de 20 gramas (o número exato varia de pessoa para pessoa). E, para saber mais sobre dieta cetogênica, aprenda o que pode e o que não pode comer na dieta cetogênica. 

Poucos sabem, mas além de perder peso, a dieta cetogênica pode causar outros impactos positivos para a saúde. Durante os períodos de jejum, o fígado produz algumas substâncias chamadas de corpos cetônicos. Em um organismo saudável, estes compostos são utilizados para fornecer a energia necessária para às células funcionarem adequadamente. Descubra quais são os benefícios e cuidados da dieta cetogênica.

A dieta da cetose não foca apenas na eliminação dos carboidratos, mas também está ligada nas restrições dos carboidratos. É a cetose que permite, por exemplo, que pessoas consigam ficar por semanas a fio sem se alimentar. Caso você ainda esteja começando

essa dieta, conheça os  sintomas e dicas da cetose.

Comer gordura para queimar gordura pode parecer estranho, mas na verdade faz todo sentido e é o que prometem as dietas cetogênicas. Vamos entender como isso acontece e porque essas dietas têm se tornado comuns recentemente.

Um estudo de revisão publicado em 2007 no periódico científico Pediatrics mostrou que esse tipo de dieta pode ajudar na perda de peso e também na melhora da saúde. Outros estudos – como o publicado em 2008 na revista Nutrition & Metabolism – indicam que as dietas cetogênicas podem trazer benefícios contra a diabetes, a epilepsia, a doença de Alzheimer e até o câncer.

A dieta cetogênica existe desde a década de 1920, quando foi desenvolvida nos Estados Unidos para ser empregada no tratamento da epilepsia refratária em crianças, ou seja, os casos de difícil tratamento. Entretanto, caiu em desuso com o advento de novas drogas anticonvulsivantes nos anos de 1940.

Hoje as dietas cetogênicas são utilizadas por muitas pessoas com o objetivo de perda de peso e de gordura, no tratamento da síndrome metabólica, da obesidade, do diabetes e até do câncer.

Mas o que é exatamente uma dieta cetogênica, como ela funciona, quais os seus benefícios e qual o melhor cardápio a seguir? Vamos entender cada um desses pontos em seguida.

Existem também outros tipos de dieta com baixa ingestão de carboidrato. Podemos citar duas, a dieta Dukan e a dieta Atkins. Ambas divididas em 4 etapas, a primeira é separada em fase de ataque, cruzeiro, consolidação e estabilização enquanto a segunda é separada em indução, perda de peso continuada (PPC), pré-manutenção, e manutenção.

Vale ressaltar que fazer uma dieta sem acompanhamento profissional pode ser um grande pesadelo. Mesmo as dietas Low Carb, que estão na moda, podem fazer algum tipo de mal pro seu organismo caso seja feito de forma errada ou exagerada. Por isso, se você pretende fazer algum tipo de reeducação alimentar, não deixe de conhecer os 5 maiores erros de uma dieta com baixo carboidrato.

Além disso, existem algumas razões para a falta de resultado na sua dieta. Você pode estar perdendo gordura sem perceber, pode não estar cortando a quantidade correta de carboidrato, pode não estar comendo comida de verdade e até o nível de stress do seu dia a dia pode estar fazendo uma diferença negativa para que você tenha sucesso. Procure conhecer as 15 principais razões para a falta de resultado na dieta.

O que é a dieta cetogênica?

As dietas geralmente recomendadas por nutricionistas incluem os carboidratos como principal fonte de calorias, seguidos por fontes proteicas e por último as gorduras, formando a famosa pirâmide alimentar. Entretanto, dependendo do objetivo de cada pessoa, esse esquema alimentar pode não ser o mais adequado.

Nas dietas cetogênicas, o esquema se inverte, a fonte energética é principalmente proveniente de gorduras, enquanto os carboidratos são ingeridos em quantidades mínimas. As proteínas devem ser consumidas em quantidades moderadas. Esse balanço leva a uma alteração de como as células obtém energia no organismo.

A escassez no fornecimento de carboidratos, força o fígado a quebrar a gordura proveniente da alimentação e do tecido adiposo em ácidos graxos e corpos cetônicos para obtenção de energia, aumentando os níveis destes últimos no sangue, daí o nome dieta cetogênica.

A dieta cetogênica é muito parecida com a dieta dukan já que ambas focam na redução drástica do consumo de carboidratos. Tal redução faz com que o corpo entre em um estado chamado de cetose em que há um grande aumento nos níveis de corpos cetônicos no organismo.

Durante a cetose, o corpo se torna muito mais eficiente na queima de gordura para obtenção de energia. Segundo um estudo publicado em 2003 na revista Current Atherosclerosis Reports que analisou os dados de diversos estudos clínicos sobre as dietas cetogênicas, a própria gordura pode ser transformada em cetona no fígado e servir de energia para o cérebro e para outros órgãos.

Em uma dieta cetogênica, também podem ocorrer reduções significativas nos níveis de açúcar no sangue e nos níveis de insulina que ajudam a evitar o acúmulo de gordura e que trazem benefícios para a saúde metabólica geral.

Como funciona a dieta cetogênica na perda de peso?

No início da privação de carboidratos, o primeiro estoque de energia mobilizado é o de glicogênio, presente no fígado. O glicogênio nada mais é que um carboidrato complexo que pode ser facilmente quebrado em glicose para ser liberada no sangue. A diminuição dos níveis de açúcar no sangue sem a reposição pela alimentação leva à liberação do glucagon, o hormônio que promove a quebra do glicogênio.

Quando todo o glicogênio é consumido, o organismo passa a buscar energia nos lipídeos, tanto provenientes da alimentação, quanto do tecido adiposo. No momento em que as gorduras passam a ser utilizadas como principal fonte energética, um balanço calórico favorável (ingerir menos calorias que a demanda diária) leva à queima dos estoques, ou seja, o organismo passa a consumir a gordura presente no tecido adiposo para conseguir energia e o efeito resultante é o desejado pela maioria das pessoas, a perda daquela gordurinha que tanto incomoda, com preservação da massa magra. Como já citado, essa quebra das gorduras leva à formação de corpos cetônicos que serão utilizados pelas células na obtenção de energia, e que caracterizarão o estado cetogênico ou de cetose no organismo.

Uma dúvida que pode surgir nesse momento é a seguinte: mesmo sem a ingestão de carboidratos, a glicose sanguínea consegue permanecer em níveis adequados? Sim, caso contrário haveria um descontrole e a possibilidade de ocorrerem crises hipoglicêmicas que podem gerar sérias consequências. Porém, o fígado é capaz de produzir a glicose a partir de outros compostos que não são carboidratos como lactato, glicerol (parte constituinte de triglicerídeos, ou seja, gordura) e aminoácidos, por um processo chamado gliconeogênese. Desta forma, mesmo sem a ingestão de uma grande quantidade de carboidratos a glicemia consegue ser finamente controlada pelo organismo.

Como funciona a dieta cetogênica no tratamento da epilepsia?

O sucesso dessa dieta em inibir a ocorrência de convulsões nos casos de epilepsia, se deve ao fato de que com as altas concentrações de corpos cetônicos no sangue, o tecido cerebral passa a usá-los como fonte energética ao invés da glicose. Por serem um combustível mais eficiente que a glicose, os corpos cetônicos teriam um efeito neuroprotetor, mantendo os neurônios mais estáveis.

Uma pesquisa publicada em 2001 no periódico Pediatrics mostrou que a dieta cetogênica foi capaz de reduzir os episódios de convulsões em crianças com epilepsia. Um outro estudo ainda mais recente publicado em 2013 no Biomedical Journal sugere a dieta cetogênica como uma opção de tratamento precoce para a epilepsia.

Quais os benefícios da dieta cetogênica?

Vamos entender agora os benefícios esperados ao fazer uma dieta destas de forma adequada.

1) A queima de gordura se torna mais fácil

Em dietas ricas em carboidratos, a fonte energética principal advém desse macronutriente. Todos os carboidratos são quebrados até glicose para serem então utilizados nas mitocôndrias, as organelas celulares responsáveis pela produção de energia com geração de ATP, a molécula que guarda toda a energia convertida. Essa é a via clássica de obtenção de energia. Um fornecimento abundante de glicose garante a manutenção desse ciclo e poupa a queima de outras fontes, as gorduras e proteínas.

Quando o corpo entra em estado de cetose, todo o sistema de oxidação de gorduras para obtenção de energia se torna ativado para garantir o suprimento energético na escassez de carboidratos, usando como fonte principal as gorduras, ou seja, o organismo se prepara para queimar a gordura de forma eficiente e esse processo se torna mais fácil.

Além disso, a dieta cetogênica promove a diminuição nos níveis de glicose e de açúcar no sangue, evitando que novos tecidos adiposos sejam formados e estimulando a queima dos estoques de gordura já existentes no organismo.

2) Poupa a massa muscular

A dieta cetogênica é uma excelente forma de perder peso sem comprometer a massa muscular. O resultado disso é a redução do índice de gordura corporal e definição muscular. Com um fornecimento de proteínas adequado a partir da alimentação, ou seja, pelo menos 1,5g de proteínas por quilo de massa corporal por dia, e com a abundância de corpos cetônicos na corrente sanguínea, o corpo não precisa quebrar as proteínas dos músculos em aminoácidos para produzir glicose, evitando assim, o estado catabólico da massa magra. Além disso a quantidade de calorias consumidas também deve ser adequada, pois em dietas extremamente hipocalóricas a capacidade do fígado em metabolizar as gorduras pode não ser suficiente para fornecer a energia que o corpo precisa para todas as atividades diárias, o que, invariavelmente, vai levá-lo a buscar energia de outras fontes, ou seja, a partir da quebra de proteínas. Por isso um plano alimentar adaptado às condições individuais é extremamente importante para um resultado satisfatório.

3) Ajuda a abaixar os níveis de insulina

A insulina é um hormônio estreitamente relacionado ao metabolismo de carboidratos e induz o acúmulo de glicose na forma de gordura, ou seja, altos níveis de insulina levam a uma maior facilidade em acumular gordura e bloqueiam a sua quebra.

A secreção da insulina é estimulada pela elevação da glicemia com a absorção dos carboidratos dos alimentos. Em uma dieta em que há um baixo consumo de carboidratos, a secreção de insulina ocorre apenas em níveis basais e isso favorece ainda mais a oxidação da gordura armazenada no tecido adiposo. Além disso, baixos níveis de insulina favorecem a secreção de outras substâncias benéficas à perda de gordura e manutenção de massa magra como o hormônio do crescimento.

Para pacientes portadores de diabetes tipo 1, uma dieta cetogênica pode ajudar a evitar episódios de hipoglicemia, reduzir a taxa de hemoglobina glicada e melhorar a condição geral de saúde. No caso do diabetes tipo 2, é capaz de reduzir a resistência à insulina, que é a principal causa da doença.

4) Ajuda a controlar o apetite

Um aspecto importante do estado cetogênico, é que, além de estimular a quebra de gorduras, ele parece inibir o apetite quando associado a uma alta ingestão de proteínas, enquanto dietas ricas em carboidratos apenas levam ao aumento do apetite por desencadearem grandes variações e picos de insulina. Isso vai ajudar na manutenção da dieta, que se caracteriza por ser em porções de pequena quantidade, uma vez que as gorduras tem alta densidade calórica. A saciedade então, pode ser um obstáculo para quem quer seguir a dieta cetogênica, mas o lado bom é que após conquistar os altos níveis de cetonas se torna mais fácil superar a fome.

A ingestão de proteínas em uma dieta cetogênica ajuda no controle do apetite, já que as proteínas ajudam a te manter saciado por mais tempo. Segundo um estudo publicado em 2013 no European Journal of Clinical Nutrition, a dieta cetogênica altera as concentrações de vários hormônios que interferem no apetite e, assim, influenciam na quantidade de grelina circulante no sangue – hormônio da fome. 

Ao fazer uma dieta, é comum que os níveis de grelina subam por causa da perda de peso recente, mas na dieta cetogênica isso é menos observado, o que sugere que a dieta ajuda no controle do apetite e melhora os resultados de perda de peso quando comparado com outros planos de emagrecimento.

Quais as proporções entre os nutrientes em uma dieta cetogênica?

É importante salientar que uma dieta cetogênica não é uma dieta de alta proteína, que também é bastante utilizada com objetivo de perda de peso.

Na dieta cetogênica as gorduras constituem a principal fonte energética, respondendo por cerca de 60 a 70 % das calorias diárias, enquanto as proteínas devem fornecer de 30 a 40% dessas calorias e os carboidratos apenas de 2 a 8%.

Mesmo em dietas cetogênicas, pequenas quantidades de carboidrato devem ser ingeridas, geralmente não excedendo 50g ao dia e em horários adequados, de acordo com o plano feito pelo seu nutricionista.

Como em toda dieta, ao longo do tempo ela deve ser alterada para continuar induzindo o organismo a reagir de formas diferentes, mantendo o metabolismo acelerado. Assim geralmente se inicia com proporções maiores de gorduras e menores de proteínas, e aos poucos vai aumentando a proporção de proteínas. Quando ocorre a perda de peso, também é preciso se atentar à quantidade total de calorias, pessoas com menor massa corporal, consomem menos calorias. Caso contrário a perda de peso pode estagnar.

Qual cardápio deve ser seguido em uma dieta cetogênica?

Uma dieta cetogênica deve ser rica em ovos, carnes, aves, peixes, castanhas, óleos saudáveis, abacate e vegetais com pequenas porcentagens de carboidratos. Bebidas como café e chá devem ser adoçadas com adoçantes, sendo que o mais recomendado é a estévia. Fuja de massas, pães, bolachas, doces em geral, alimentos industrializados, sucos, frutas com alta carga de açúcares, cereais e tubérculos ricos em carboidratos como batata e mandioca.

Veja abaixo uma sugestão de menu de refeições cetogênicas em um dia. As quantidades devem ser adaptadas a cada caso, considerando fatores como sexo, idade, nível de atividade física, consumo calórico basal e objetivo.

Café da manhã

  • Omelete, ovos cozidos ou mexidos
  • Frios (presunto, salame, queijo)
  • Manteiga
  • Chá ou café

Almoço

  • Carne bovina ou suína
  • Peixe ou frutos do mar
  • Salada de folhas
  • Brócolis ou aspargos
  • Azeite

Jantar

  • Ovos ou omelete
  • Frango grelhado ou refogado com azeite ou manteiga
  • Salada de folhas
  • Espinafre refogado
  • Azeite

Lanches intermediários

  • Castanhas como amêndoas, macadâmia e castanha-do-pará
  • Queijos ricos em gordura
  • Salame
  • Abacate
  • Gelatina diet (também podem ser consumida como sobremesa)

Os refrigerantes e sucos diet também são permitidos e podem ser consumidos com as refeições. Para quem não sente falta dessas bebidas, a opção mais saudável é substituir por água.

Tente utilizar pouco sal.

O melhor cardápio, com as quantidades corretas e horários mais adequados ao seu estilo de vida, deve ser feito exclusivamente para você por um nutricionista, respeitando suas necessidades individuais.

Dicas úteis para os adeptos de dietas cetogênicas

As dietas cetogênicas possuem algumas particularidades pouco conhecidas, aqui vão algumas dicas sobre elas:

1) Os primeiros dias são os mais difíceis

Os primeiros dias da dieta cetogênica são os mais difíceis, podendo ocorrer cansaço, fadiga e até desidratação. Esses sintomas ocorrem porque o corpo entra num processo de adaptação à nova forma de obtenção energética. Quando os corpos cetônicos passam a ser produzidos, o metabolismo vai voltando ao normal e essa sensação de falta de energia vai sendo substituída por até mais disposição que antes.

2) Você vai reduzir drasticamente a retenção de líquidos

Para pessoas que se sentem inchadas devido à retenção de líquidos, uma dieta cetogênica pode auxiliar muito. Nos primeiros dias já se nota uma razoável perda de peso, principalmente devido à eliminação de água que era retida pelo armazenamento de glicogênio.

Aliás, grande parte do peso perdidos nos primeiros dias de uma dieta cetogênica se deve à perda de água que estava retida no organismo. Depois de várias semanas seguindo a dieta é que vai ocorrer a queima de gordura.

Segundo resultados de um estudo de meta-análise publicado em 2013 no The British Journal of Nutrition, as pessoas que seguem uma dieta cetogênica a longo prazo perdem mais peso do que aquelas que seguem uma dieta com pouca gordura ou uma dieta a curto prazo. 

3) Hidratação

A ingestão de muita água é de extrema importância para manter a hidratação e ajudar na eliminação de líquidos. Especialmente antes, durante a após a prática de exercícios físicos.

Além de contribuir para diminuir a retenção de fluidos, beber bastante água ajuda a evitar o mau hálito e o forte cheiro de urina, que são muito comuns durante uma dieta cetogênica.

Se hidratar bem também é importante para prevenir a desidratação, já que a redução da retenção de líquidos faz com que você urine mais para elimina-los e, junto com essa urina, se vão também eletrólitos importantes para a saúde cardiovascular e para diversas reações bioquímicas que acontecem no nosso corpo.

Uma pesquisa publicada em 2014 no periódico científico Nutrients indica que a desidratação é um efeito colateral da cetose e que, principalmente no caso de atletas, isso pode aumentar o risco de pedras nos rins.

Ao observar sinais como sede intensa, urina de cor escura ou mau cheirosa e mau hálito, procure um médico para checar se você está desidratado por causa da dieta cetogênica.

4) Monitoramento do perfil lipídico

Recomenda-se que as fontes de gorduras sejam em geral gorduras boas, insaturadas. Entretanto, muitos alimentos ricos em gorduras saturadas e colesterol também podem ser consumidos. Apesar de não serem grandes vilãs como há muito tempo se acreditava, uma alimentação rica em gorduras saturadas pode, em alguns casos, alterar o perfil lipídico do sangue. Faça um acompanhamento junto ao seu médico para monitorar esse parâmetro e sua variação. Vale a pena evitar quantidades exageradas de bacon, carnes muito gordas e gorduras processadas para minimizar esse risco.

5) Vitaminas e Sais Minerais

Alimentos ricos em carboidratos são também fornecedores de muitos micronutrientes, como vitaminas e sais minerais. A suspensão do consumo desses alimentos pode trazer deficiência nutricional para esses fatores. Assim, uma suplementação com bons polivitamínicos podem ser uma excelente forma de manter o suprimento adequado. O mesmo acontece com as fibras alimentares.

Como já mencionamos, a dieta cetogênica faz você perder mais água, o que pode alterar o equilíbrio eletrolítico do seu corpo e levar à perda de vitaminas e minerais importantes. Para evitar a perda mineral, é recomendado tomar suplementos de sódio, cálcio, potássio e magnésio e fazer ajustes na dieta se necessário.

Sinais de que estão faltando sais minerais no seu corpo podem incluir cãibras ou dores musculares e fadiga.

6) Cetose é diferente de cetoacidose

Pode haver uma preocupação com o estado de cetoacidose, muito comum em paciente diabéticos, que ocorre quando a produção e os níveis de cetonas no sangue ultrapassam limites seguros, levando à diminuição do pH sanguíneo e com isso a consequências graves. Porém, em pessoas não diabéticas isso não ocorre.

A cetoacidose é uma complicação de pacientes diabéticos tipo 1 em que os níveis de açúcar e de cetonas no sangue são extremamente altos e perigosos para a saúde, especialmente para órgãos como o fígado e os rins. Já a cetose é apenas o nome dado à presença de corpos cetogênicos no organismo, que são produzidos no corpo toda vez que queimamos gordura e que não é prejudicial para a saúde a curto prazo.

7) A tática da reposição de carboidratos

A depleção do glicogênio muscular pode levar à fadiga e queda de rendimento para quem pratica atividades físicas. Uma estratégia utilizada para contornar esse problema é a adoção de dias de alto consumo de carboidratos intercalados aos dias de mínimo consumo. Nesses dias as gorduras devem ser consumidas em pouca quantidade. Isso vai levar à reposição dos estoques de glicogênio e melhorar a eficiência muscular.

8) Atenção para uma armadilha perigosa

Caso você inicie uma dieta cetogênica para perda de peso e gordura, como qualquer outra dieta, é necessário que o balanço calórico entre ingestão e gasto energético seja negativo, caso contrário toda energia que você precisa no dia será obtida a partir da alimentação e todos os seus estoques de gordura serão preservados.

Se você gasta mais do que come, aí sim o metabolismo irá obter energia a partir da quebra das gorduras armazenadas. Porém quando esse deficit é muito grande, a velocidade com que o fígado consegue transformar gordura em ácidos graxos livres e corpos cetônicos que serão utilizados como combustível para as células no lugar da glicose, pode não ser suficiente para atender toda a demanda energética do corpo. Isso irá levar à busca de fontes alternativas, no caso os aminoácidos que constituem as proteínas presentes no tecido muscular. Esses aminoácidos podem ser convertidos em glicose, fornecendo energia. Em síntese, você começa a catabolizar massa magra, o que na maioria das vezes não é desejável, o ideal é perder gorduras sem perder músculos.

Portanto, essa pode ser uma armadilha importante para quem deseja perder peso exageradamente rápido, fazendo dietas com muito baixas calorias.

A perda de massa magra além de comprometer a performance física e a aparência também pode atrapalhar o processo de emagrecimento, pois os músculos demandam uma grande quantidade de energia, mesmo no metabolismo basal. Perder músculos significa ter um metabolismo mais lento e consequentemente mais dificuldade em perder peso.

Por outro lado, consumir calorias em quantidades exageradas, maiores que as necessárias para atingir seu objetivo, mesmo que provenientes apenas de gorduras, irá levar ao ganho de peso, mesmo que você esteja em estado de cetose.

Assim, além da preocupação com quais macronutrientes ingerir, é necessário se atentar às quantidades ideais de cada um, quantidades maiores ou menores não trarão o efeito desejado. O nutricionista é a pessoa mais bem preparada para desenhar uma dieta personalizada às necessidades de cada pessoa.

Veja também: 10 Alimentos Com Carboidratos Escondidos

9) Faça um planejamento

Manter uma dieta tão diferenciada quanto a cetogênica não é fácil. A maioria dos alimentos de acesso fácil são ricos em carboidratos e gorduras ruins. Nos restaurantes pode ser difícil encontrar os alimentos adequados à sua dieta, e comer na rua não permite saber a quantidade correta do que está comendo. Tenha em casa tudo que precisa para preparar suas refeições e tente planejar as refeições da semana de modo a evitar que qualquer inconveniente te faça sair da dieta e perder todo o resultado já conquistado.

10) Não caia em tentação

Ter em casa alimentos ricos em açúcar, massas, pães, doces pode ser uma armadilha perigosa para sair da dieta. Evite comprar e estocar esses alimentos, uma vez que caso consuma carboidratos nos dias e quantidades erradas o estado de cetose não irá se instalar e você não terá os benefícios que deseja da dieta. Para funcionar, a dieta precisa ser seguida corretamente.

Também não há motivo para sair da dieta se você for comer fora de casa. É perfeitamente possível optar por uma porção de proteínas com alguns vegetais e deixar os carboidratos de fora do seu prato. 

A dieta cetogênica é uma boa opção para quem está acima do peso, mas ela só vai funcionar se você seguir o protocolo corretamente por alguns meses até começar a notar os resultados.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Fontes consultadas:

Referências adicionais:

Você acredita que seria capaz de utilizar a dieta cetogênica para emagrecer? Conhece alguém que tenha tentado e obtido bons resultados com ela? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (201 votos, média: 3,93 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário

109 comentários em “A Dieta Cetogênica – Como Funciona, Cardápio e Dicas”

  1. Um amigo médico me sugeriu e me dará o suporte para fazer essa dieta, vou tentar começar já amanhã.
    Tenho 58 anos, 134 kgs, estou com 45% de massa gorda em meu corpo segundo um exame de bioimpedancia e estou diabético.
    Vou começar e posto aqui os resultdos obtidos .

    • oi Eduardo começou a sua dieta com seu amigo medico? esta dando certo? qual é o seu cardapio se vc não se importar em compartilhar..começei a minha hoje ..affff mais vamos ver o que dá.

  2. Aos 28 anos (1966), fiz uma dieta deste tipo que conheci através do livro “calorias não engordam” em apenas quatro meses perdi quarenta quilos. Pesava 110kg em agosto de 1966 e em dezembro já pesava 70kg. Mantive a dieta durante mais um ano e adquiri novos hábitos de alimentação, consumindo muito menos doces, massas e refrigerantes quer eram habituais. Meu pêso passou a ser constante de 72kg e hoje com 78 anos peso 74kg.`É importante dizer que entre meus novos hábitos introduzi 30 min de exercícios todos os dias.

  3. oi eu quero fazer essa dieta mas estou meia perdida, pode me ajudar e me explicar , o que eu posso comer?? manha;; cafe , ou cha , ovo é presunto é isso ??
    Ao meio dia saladas carne ,
    tarde ???
    e a noite o mesmo que meio dia ??? e muita água ?? e exercicio…upp

  4. Vou começar a dieta e estou meia confusa em relação a quantidade de alimentos que posso comer e quantas vezes…se alguém que fez ou esta fazendo a dieta souber me informar,desde já obg.

    • Três refeições no dia. Com intervalo de no mínimo de 6 horas. Se tiver fome neste prazo, tomar água de coco ou café. Frutas somente coco e abacate.

      • Na Dieta cetogênica, não é permitido o consumo de água de coco, frutas, cenoura, beterraba e o limão pra tempero apenas uma colher de sopa por dia, esses ingredientes que citei a cima cortam a cetose.

  5. oi estava lendo todo o artigo ai ficou umas duvidas pode me responder?
    os queijos quais tipos podem ser consumidos?
    sucos pode ser os naturais? qualquer hum?
    pode ser consumidos molhos, azeitonas?
    pode ser consumido maionese ?

    ava

    oi est

  6. boa noite pode me mandar a dieta bem detalhada pra mim por favor quero fazer certinho então o que posso ou não comer e qt tempo posso acrescentar o carboidrato?

    • Não pode. Você pode comer ovos, todo tipo de carne, bacon, refrigerante zero ou suco clight, gelatinas diet, creme de leite, alface, repolho, queijo, presunto, atum… Em fim, tudo que você olhar no rotulo é der 0 carboidrato, ou menos de 1 por cento.
      Boa sorte
      PS: Eu fiz e perdi 3 quilos em três dias, porém cai em tentação e comi carboidrato…

      • Os 3kg iniciais que você perdeu era apenas glicogênio e água acumulados,como cortou drasticamente o consumo de carboidrato as reservas de glicogênio esgotaram, a cada 1g de glicogênio se armazena 3g de água.

        Depois da primeira semana a perda de peso tente a cair e é aí que a maioria desanima.

  7. Eu consegui fazer a dieta até o 5 dia, só que pela manhã fiquei com mal estar muito grande tremulo tomei café com açúcar fiquei bem. Perdi 3 kg no sétimo dia irei comer carbo e eu acho que os próximos será melhor.

    • Eu fiz a dieta e perdi 10 kg em 40 dias. Na primeira semana é mais complicado mesmo, adaptação. Depois do café da manhã tome cápsulas de ômega 3 e de óleo de coco com cártamo, a noite cápsulas de magnésio.

  8. sou diabetica tipo 1 tomo insulina mas estou com medo de fazer esta dieta mas tenho que abaixar a glicose que é muito alta como faço esta dieta me ajuda por favor.

    • Pq vc esta com medo dessa dieta? O segredo dessa dieta e o consumo nulo de açúcar e bem baixo nos carbos, que p o seu caso e otimo!

  9. oi galera.
    eu tô comendo 6x ao dia, à cada 3 horas e em poucas quantidades.
    tomo café sem açúcar, chá verde e bolacha (2 ou 3) de água e sal.
    faço 1 hora de esteira, tbém.
    vcs acham q assim, eu perco 10 em 10 dias?

    • Se ta doido? Isso nao e dieta cetogenica, provavelmente vc vai emagrecer mas doente pq vc so come bolacha, e a dieta cetogenica não pode nenhuma massa branca e nem integral. Faz a dieta certa que vc emagrece!

  10. Comecei essa dieta hoje é vamos ver como vai ser.
    Gostaria de saber se posso comer só o ovo e as verduras e tomar o chá mate leão sem açúcar pois é oque mais gosto nessa dieta?

  11. estou a 10 dias na dieta e perdi 5 kg estou muito satisfeita a dieta não da resultado apenas na balança ela reduz muito AS medidas, pretendo perder mais 5kg vamos q vamos