Está Cansado o Tempo Todo? Conheça 6 Possíveis Causas

Especialista:
atualizado em 10/06/2020

Sentir cansaço físico ou cansaço mental é algo normal, que faz parte da vida e que não dá para evitar depois de um longo dia de trabalho, de passar horas estudando, de cuidar dos filhos o dia inteiro ou de uma sessão puxada de exercícios físicos, por exemplo.

Entretanto, quando a pessoa se sente cansada o tempo todo, com sono excessivo e tem dificuldade para se concentrar, mesmo depois de ter tido uma boa noite de sono e sem ter uma rotina tão puxada, sem estar muito estressada ou sem ter feito muita atividade física, pode ser que alguma coisa esteja errada.

Com o passar do tempo, esse cansaço atrapalha tanto a vida profissional e os estudos quanto a vida social da pessoa, que passa a se acostumar como o cansaço constante, como se fosse normal ou corriqueiro. Pior ainda: para lutar contra esse cansaço, algumas pessoas abusam de café e outros alimentos e bebidas com cafeína, energéticos e estimulantes, que fazem mal quando são consumidos excessivamente.

Mas o que pode fazer com que alguém se sinta cansado o tempo todo, ainda que não haja motivo aparente? Vamos conhecer as possíveis causas de todo esse cansaço na lista a seguir:

1. Má qualidade do sono

Em alguns casos, a pessoa pode achar que está dormindo o suficiente quando, na realidade, não está dormindo tão bem assim. A má qualidade do sono é uma das principais possíveis causas do cansaço constante porque uma noite mal dormida vai impactar diretamente na disposição, na atenção e no cansaço experimentado no dia seguinte.

Afinal, dormir serve para descansar e repor as energias para o dia que está por vir.

É importante ficar atento ao que pode atrapalhar uma boa noite de sono, como:

  • Ingerir muitos líquidos antes de dormir, que obriga a pessoa a acordar no meio da noite para fazer xixi e interrompe o sono;
  • Consumir bebidas alcoólicas – em um primeiro momento, o álcool pode dar uma relaxada e fazer cair no sono, entretanto, posteriormente ele fará com que o sono não seja tão reparador.;
  • Mexer no celular antes de dormir: aquela luz azul do smartphone atrapalha a pegar no sono;
  • Ansiedade – algumas pessoas vivem ansiosas e simplesmente não conseguem relaxar para conseguir pegar no sono;
  • O incômodo provocado pelo refluxo.

Descobrir o que pode estar atrapalhando a qualidade do sono é fundamental para corrigir o problema, voltar a dormir melhor e passar a não se sentir tão cansado. Para isso, pode ser necessário o auxílio médico ou psicológico. Se você desconfiar que está sempre cansado porque sua qualidade do sono não anda muito boa, procure ajuda profissional.

2. Sedentarismo

Se a pessoa não se movimenta muito, como pode ficar cansada? Pois é, mas o fato de não praticar atividade física alguma pode gerar cansaço porque o corpo humano foi criado para se movimentar e não para ficar parado. Segundo a Augusta Health, hospital comunitário da Virgínia, nos Estados Unidos, manter-se ativo é essencial para prevenir a fadiga.

A instituição mencionou um estudo da Universidade da Geórgia, nos Estados Unidos, que apontou que fazer um exercício de nível moderado a intenso por 20 minutos estimula a energia mais do que ser sedentário. A pesquisa também identificou que quando pessoas sedentárias passaram a fazer um treinamento físico regular, o seu cansaço e fadiga melhoraram mais do que aquelas que não iniciaram a atividade física.

Para quem nunca fez atividade física, realmente pode ser um desafio começar do zero. Mas é preciso lembrar que além dos benefícios em relação aos níveis de energia, os exercícios são positivos para a forma física e para a saúde como um todo.

O ponto de partida pode ser tornar o dia a dia mais ativo: por exemplo, aproveitar os benefícios de fazer caminhadas, trocar as escadas rolantes e os elevadores pelas escadas normais, andar até os lugares próximos em vez de usar o seu automóvel e brincar mais com os filhos ou crianças da família, por exemplo.

O próximo passo é checar com o médico para saber qual tipo de exercício você está apto a praticar e começar o seu treino no nível iniciante com o auxílio de um bom educador físico.

3. Anemia

A anemia é uma doença caracterizada pela falta de glóbulos vermelhos saudáveis para transportar oxigênio aos tecidos corporais, que pode fazer com que a pessoa se sinta cansada e fraca. Por isso, é importante ficar atento ao surgimento de outros sintomas associados à anemia, como:

  • Pele pálida ou amarelada;
  • Batimentos cardíacos irregulares;
  • Falta de ar;
  • Tontura ou vertigem;
  • Dores de cabeça;
  • Mãos e pés frios.

Existem diversos tipos e possíveis causas para a anemia. A depender do que provocou a condição, pode ser que não sejam manifestados sintomas. Além disso, no início a anemia pode ser tão leve ao ponto de não ser percebida – os sintomas só pioram conforme o quadro também se agrava.

Por isso, é fundamental manter as consultas médicas e os exames de check-up regulares para ter a possibilidade de identificar e tratar a doença, mesmo quando ela não ainda não trouxer sintomas ou quando ainda não tiver gerado sintomas tão notáveis.

4. Consumir muitos alimentos industrializados e ultraprocessados

Esses produtos industrializados e ultraprocessados são lotados de corantes, conservantes e glutamato monossódico, além de geralmente ser ricos em calorias e gorduras ruins, na forma de gorduras trans.

Como se não bastasse, eles apresentam níveis extremamente baixos de micronutrientes importantes para a saúde do organismo – vitaminas, minerais e antioxidantes – que exercem um papel muito importante em relação às reações do corpo.

O ideal é consumir uma quantidade bem mínima de alimentos industrializados e ultraprocessados, como os congelados e os salgadinhos, e lotar a dieta de alimentos frescos, naturais e nutritivos como frutas, verduras, legumes, cereais integrais, leguminosas e proteínas de qualidade, por exemplo.

5. Hipotireoidismo

O hipotireoidismo é caracterizado pelo baixo funcionamento da glândula tireoide, que fica localizada na região da garganta e é responsável pela produção de hormônios que afetam todas as células e órgãos do corpo humano.

A fadiga e a fraqueza muscular fazem parte da lista de sintomas do hipotireoidismo: a doença está associada a um metabolismo mais lento, que é o responsável por fazer com que o paciente sinta-se mais cansado.

A condição também pode provocar sintomas como: aumento da sensibilidade ao frio; prisão de ventre; pele seca; ganho de peso; inchaço no rosto; rouquidão; aumento do colesterol; dor, sensibilidade e rigidez muscular; dor, rigidez e inchaço nas articulações; períodos menstruais irregulares ou mais pesados que o normal; queda de cabelo; ritmo cardíaco lento; depressão; problemas de memória e alargamento da glândula tireoide.

Independente de notar esses sintomas ou não – até porque no início eles mal podem ser percebidos ou serem atribuídos ao processo normal de envelhecimento – é fundamental manter as consultas médicas e os exames de rotina regulares para verificar se anda tudo bem com a glândula tireoide.

6. Desequilíbrio nos níveis de açúcar no sangue

Isso é muito observado nas pessoas que consomem carboidratos de índice glicêmico muito alto, como pão branco, macarrão branco, bolachas doces, bolos, tortas, sorvetes, produtos industrializados, bebidas açucaradas, itens de padaria e produtos com muito açúcar ou carboidrato simples embutido em geral, por exemplo, sem a companhia de fontes de fibras, fontes de proteínas e fontes de gorduras boas.

Esses três grupos de alimentos tornam a absorção desse carboidrato mais lenta e, consequentemente, diminuem a sua velocidade de entrada na corrente sanguínea. O que é importante porque os carboidratos de alto índice glicêmico apresentam uma velocidade de absorção muito alta e se transformarem em açúcar muito rapidamente.

Quando esses carboidratos de índice glicêmico elevado entram tão rapidamente na corrente sanguínea, é enviado um sinal ao cérebro que informa que a quantidade de açúcar no sangue está muito alta, algo que é tóxico para o organismo. Então, o cérebro ordena que o pâncreas secrete mais insulina para regularizar os níveis sanguíneos de açúcar – se não for usado na prática de atividade física, esse açúcar em excesso será armazenado na forma de gorduras.

Essa oscilação entre a subida e a descida nos níveis de açúcar no sangue pode causar muito cansaço ao longo do dia. Para evitar que isso aconteça, o ideal é consumir carboidratos de índice glicêmico mais baixo – os carboidratos complexos como batata doce, arroz integral e aveia, por exemplo – ao lado dos grupos alimentares que lentificam a absorção de carboidratos, já mencionados lá em cima.

Com informações da Mayo Clinic, organização da área de serviços médicos e pesquisas médico-hospitalares dos Estados Unidos, e da Universidade de Michigan nos Estados Unidos.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Fontes e Referências Adicionais:

Você costuma se sentir muito cansado o tempo todo? Conhece alguém que já passou por isso? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário