Não acredite nessas 5 mentiras sobre emagrecimento!

Especialista:
atualizado em 18/12/2020

Quando se trata de perda de peso, parece que todo mundo sempre tem uma ideia, conselho ou dica infalível para dar, não é mesmo? Pois é, mas por melhor que seja a intenção da pessoa, algumas dicas podem ser furadas.

Isso porque existem mentiras sobre emagrecimento nas quais muitos acreditam e até compartilham com seus parentes e amigos. Entretanto, para não acreditar nelas e nem repassar aos outros, é preciso saber quais são essas mentiras, não é mesmo?

  Continua Depois da Publicidade  

Portanto, resolvemos trazer cinco exemplos de mentiras sobre emagrecimento nas quais você não deve acreditar:

1. “Você só emagrece se consumir pouquíssimas calorias”

Salada

Consumir pouquíssimas calorias é uma péssima ideia para a saúde e boa forma. Ao comer muito poucas calorias, fica praticamente inviável fornecer as quantias certas dos nutrientes que o corpo precisa para sobreviver. Isso pode gerar problemas de saúde, prejudicando inclusive a imunidade.

Ao mesmo tempo, quando se consome pouquíssimas calorias, o organismo entende que está em um estado de fome e privação. Como resultado, ele deixa o metabolismo mais lento.

Além disso, as chances de não dar conta de seguir com uma dieta dessa são grandes. É bem difícil aguentar um regime do tipo por bastante tempo.

Então, quando a pessoa já não suporta mais a fome devido à alta restrição de calorias, ela pode comer tudo o que ver pela frente, cometendo excessos. Ou seja, uma dieta com pouquíssimas calorias também pode estimular uma compulsão alimentar.

Assim, no lugar de fazer loucuras, cortando muitas calorias da dieta diária, o ideal é escolher uma alimentação equilibrada e nutritiva. Embora o caminho possa ser mais longo, ele é bem mais eficiente e saudável.

2. “Todo carboidrato engorda”

Muitos enxergam os carboidratos como os vilões da dieta, mas as coisas não são bem assim. Tudo porque existem carboidratos bons e carboidratos ruins. Por exemplo, um grão-de-bico é completamente diferente do açúcar branco refinado.

Ambos contêm carboidratos, mas o primeiro é um alimento nutritivo, fonte de proteínas e fibras, com carboidratos de lenta absorção, que saciam mais. Já o segundo é um carboidrato de alto índice glicêmico, que o corpo digere rapidamente, o que faz a fome voltar logo.

  Continua Depois da Publicidade  

A absorção rápida dos carboidratos de índice glicêmico alto também provoca um pico nos níveis da insulina, o que tem uma grande relação com o acúmulo de gorduras.

Os carboidratos podem sim fazer parte de uma reeducação alimentar para emagrecer, mas é preciso certificar-se de escolher boas opções de carboidratos. Ou seja, aquelas que contêm um menor índice glicêmico.

Por exemplo, batata doce, aveia, quinoa, lentilha, feijão e outras leguminosas, além do já citado grão-de-bico. Já o grupo dos carboidratos ruins para a dieta inclui: arroz branco, pão branco e macarrão branco.

3. “Toda gordura faz mal e engorda”

Realmente, existem gorduras ruins que são prejudiciais à saúde, como as gorduras saturadas e as gorduras trans presentes nas peles dos animais, frituras e alimentos muito processados.

Mas também existem as gorduras boas e saudáveis. Por exemplo, as gorduras monoinsaturadas, as gorduras polinsaturadas e o ômega-3, que ajuda a mobilizar mais gorduras e diminuir a inflamação no organismo.

Essas gorduras do bem estão presentes no abacate, nas nozes, nas castanhas, na chia, na linhaça e nos peixes gordos.

Esses alimentos podem sim aparecer na dieta de quem deseja emagrecer, até porque também ajudam a saciar. Mas é preciso consumi-los em porções moderadas, para não exceder na ingestão de calorias.

4. “Você só emagrece com muita atividade física”

Treino

Os exercícios físicos ajudam a queimar mais calorias, o que auxilia no emagrecimento. Mas, sem a companhia de uma dieta saudável com foco na perda de peso, os exercícios não dão conta do recado.

  Continua Depois da Publicidade  

Por outro lado, é possível emagrecer apenas com a dieta. Até porque algumas pessoas têm problemas de saúde, que as impedem de praticar atividades físicas.

Uma das estratégias que pode ajudar a emagrecer sem exercício físico é o jejum intermitente a partir de 12 ou de mais de 16 horas. Saiba mais sobre como emagrecer sem fazer exercícios.

Se você não pode ou não quer fazer exercícios físicos, consulte um médico e um nutricionista antes de aderir a uma das estratégias acima ou qualquer outra. O acompanhamento profissional é essencial para encontrar um método saudável para o seu caso em particular.

5. “Só existe uma forma de emagrecer”

Há várias abordagens, estratégias e dietas que podem levar alguém a perder peso. Aquilo que funciona para uma pessoa pode não dar certo para a outra e vice-versa.

O que vai funcionar para uma pessoa depende de suas características individuais. Daí a importância de passar por uma avaliação profissional para encontrar o método ideal para o seu caso em particular.

No vídeo a seguir, a nossa nutricionista também apresenta as cinco grandes mentiras sobre emagrecimento nas quais você não deve cair:

Fontes e Referências Adicionais

Você acreditava em alguma dessas mentiras? Quais delas? Conte para nós nos comentários!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é Nutricionista - CRN-RJ 0510146-5. Ela é uma das mais conceituadas profissionais do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário