13 Benefícios da Curcumina – O Que é, Para Que Serve, Dosagem e Dicas

Substância presente na cúrcuma, existem diversos benefícios da curcumina para a saúde devido às suas propriedades nutritivas.

Os benefícios da cúrcuma e da curcumina são basicamente os mesmos, já que a curcumina é o ingrediente ativo responsável por várias de suas propriedades medicinais.

Além de mostrar para que serve a curcumina, vamos falar de todas as suas aplicações e indicar qual é a dose diária adequada para melhorar a saúde e evitar efeitos colaterais indesejados relacionados à alta dosagem.

Curcumina – O que é?

Como já falamos, a curcumina é o princípio ativo da cúrcuma, conhecida também como açafrão-da-terra ou açafrão indiano.

A cúrcuma é uma planta nativa da Ásia e da América Central. A especiaria encontrada em nossas cozinhas é obtida especificamente das raízes da planta, que são moídas para a extração de um pó. O tom amarelo forte da cúrcuma pode ser aproveitado como corante e também na produção do curry. Também é possível encontrar curcumina em cápsulas e na forma de pós, extratos e chás.

A curcumina é o princípio ativo responsável por praticamente todas as propriedades benéficas da cúrcuma, incluindo o seu alto teor nutritivo. Além disso, a curcumina apresenta compostos conhecidos como curcuminoides que lhe conferem propriedades importantes para a saúde.

De acordo com o United States Department of Agriculture (USDA), 1 colher de sopa de cúrcuma apresenta:

  • 29 calorias;
  • 0,91 gramas de proteínas;
  • 6,31 gramas de carboidratos;
  • 0,31 gramas de gordura;
  • 2,1 gramas de fibras;
  • 0,3 g de açúcar.

Dentre os micronutrientes encontrados nessa mesma porção, destacam-se:

  • 26% das necessidades diárias de manganês;
  • 5% das necessidades diárias de potássio;
  • 6% das necessidades diárias de vitamina B6;
  • 16% das necessidades diárias de ferro;
  • 3% das necessidades diárias recomendadas de vitamina C;
  • 3% das necessidades diárias recomendadas de magnésio.

Para que serve?

Além de ser usada como um tempero delicioso, a cúrcuma pode ser útil para tratar diversas condições de saúde justamente por conta dos benefícios da curcumina. Na medicina chinesa e ayurvedica, a curcumina é usada para tratar condições inflamatórias, dores crônicas no corpo, feridas, doenças na pele, problemas digestivos e alterações no fígado.

Também há relatos na medicina ocidental que a curcumina pode ser utilizada como analgésico e um agente de cura. Os principais benefícios da curcumina são destacados a seguir.

Benefícios da curcumina

1. Alívio da dor e efeito analgésico

De fato, um dos melhores benefícios da curcumina comprovados pela ciência é o de controlar a dor graças ao seu efeito analgésico.

No caso de pacientes diagnosticados com artrite no joelho, estudos como o publicado em 2009 no periódico científico Journal of Alternative and Complementary Medicine mostram que a cúrcuma pode ser tão eficaz no alívio da dor quanto o ibuprofeno. Os indivíduos que participaram desse estudo tomaram 800 miligramas de cúrcuma na forma de cápsulas todos os dias.

Os principais tipos de dor que a curcumina é capaz de aliviar incluem:

  • Cicatrizes de feridas;
  • Queimaduras;
  • Dor no nervo ciático;
  • Dor nas articulações;
  • Dor neuropática;
  • Dor orofacial na boca, no maxilar ou na face, por exemplo;
  • Dor artrítica induzida por inflamação.

2. Melhor digestão

A digestão também pode ser beneficiada com a curcumina. As propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes do composto podem auxiliar no processo digestivo.

Alguns estudos como o publicado no periódico Complementary Therapies in Medicine em 2016 mostram que a curcumina pode auxiliar na redução da inflamação intestinal e na permeabilidade do intestino, que são 2 fatores usados para medir a eficiência digestiva.

Tal fato fez com que a curcumina passasse a ser explorada com um possível tratamento para a síndrome do intestino irritável.

3. Efeito anti-inflamatório

Segundo estudo publicado em 2004 no periódico Oncogene, a curcumina está entre os compostos com propriedades anti-inflamatórias mais eficazes.

A Arthritis Foundation já validou muitos estudos que indicam que a cúrcuma é capaz de reduzir a inflamação. Tal efeito anti-inflamatório parece ajudar a diminuir as dores associadas com doenças inflamatórias como a artrite – condição em que há inflamação nas articulações.

Ainda de acordo com a Arthritis Foundation, é recomendado tomar cápsulas de 400 a 600 miligramas de curcumina até 3 vezes por dia para que o efeito seja observado.

Uma pesquisa publicada em 2012 no periódico Phytotherapy Research realizada com 45 pacientes com artrite reumatoide foi feita para comparar os benefícios da curcumina com o diclofenaco de sódio, um anti-inflamatório não esteroide usado no alívio dos sintomas da doença. Os resultados mostraram que o grupo que tomou a curcumina apresentou uma melhora mais significativa.

Um outro estudo de 2007 indexado na revista científica Journal of Neurochemstry indica que a curcumina pode ser útil também na redução de sintomas da doença de Alzheimer. De acordo com a pesquisa feita em camundongos, a curcumina parece ser capaz de evitar a progressão da doença que tem relação com uma inflamação crônica.

Mais estudos indicam que a curcumina também pode ser uma aliada no tratamento da doença inflamatória intestinal e da síndrome do intestino irritável.

4. Regulação do colesterol

Conforme dados publicados em 2008 na revista científica Drugs in Research & Development, a curcumina pode ser comparável ao fármaco atorvastatina – usado no tratamento do colesterol alto – na redução do estresse oxidativo e da inflamação.

Contrariando essa constatação, um estudo de 2014 veiculado no periódico Clinical Nutrition não atestou nenhum efeito da curcumina no colesterol ou nos níveis de triglicerídeos. No entanto, o autor do estudo deixou claro que tais resultados podem ter sido observados por causa da curta duração do estudo e devido à baixa biodisponibilidade da curcumina utilizada.

Assim, ainda não é possível confirmar os benefícios da curcumina para colesterol e devemos aguardar mais estudos para atestá-los.

5. Melhor função hepática

A curcumina apresenta propriedades antioxidantes que ajudam a evitar que o fígado seja danificado pela presença de toxinas.

Embora seja possível ter um organismo mais limpo e livre de toxinas através de uma dieta saudável e da prática de exercícios físicos, pessoas que precisam tomar medicamentos processados pelo fígado podem ser beneficiadas pela curcumina. Isso porque o uso contínuo de certos medicamentos como aqueles usados no tratamento da diabetes, por exemplo, pode prejudicar o fígado a longo prazo.

6. Pele saudável

As propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias da curcumina ajudam no tratamento de diversas doenças de pele além de aumentar o brilho da pele.

A curcumina tem a capacidade de acelerar a cicatrização de feridas, desobstruir os poros para redução da acne, diminuir as marcas de acne no rosto e controlar a psoríase.

Um estudo que envolveu 814 indivíduos indica que uma pasta de cúrcuma foi capaz de curar 97% dos casos de sarna entre 3 e 15 dias.

Apesar desses benefícios, a cúrcuma deve ser aplicada com cautela, pois ela pode manchar a pele ou causar uma reação alérgica. Assim, o indicado é sempre fazer um teste antes de aplicar a cúrcuma pelo rosto inteiro. O local mais recomendado para realizar um teste na pele é a região do antebraço. Depois de aplicar a substância, espere pelo entre 24 a 48 horas para observar qualquer reação indesejada.

7. Menor risco de câncer

A curcumina parece ser uma substância promissora no tratamento contra o câncer. Segundo o Cancer Research UK, a curcumina tem efeitos anticancerígenos, o que significa que ela pode matar as células nocivas e impedir que elas cresçam ainda mais.

Pesquisas como a publicada em 2013 na revista científica Clinical and Experimental Pharmacology and Physiology sugerem que a curcumina apresenta efeitos protetores contra alguns tipos de câncer como o câncer de pâncreas, o câncer de próstata e o mieloma múltiplo. Além disso, a substância também pode ser eficaz no tratamento do câncer de mama, do câncer de pele e do câncer de estômago.

Um estudo recente publicado em 2017 na revista Carcinogenesis mostrou que a curcumina pode romper a quimiorresistência no adenocarcinoma ductal pancreático, que é uma forma bem agressiva de câncer no pâncreas.

8. Prevenção de coágulos de sangue

Estudos realizados em laboratório e com animais como os publicados em 2009 no periódico Prostaglandins, Leukotrienes and Essential Fatty Acids e em 2011 na revista científica Thrombosis Research, o uso de curcumina é capaz de reduzir os casos de agregação plaquetária, além de diminuir o risco de formação de coágulos sanguíneos.

Pesquisas mais antigas também indicam que a curcumina pode ser um bom tratamento para pessoas em risco de desenvolver trombose vascular, mas tais estudos ainda não foram replicados em seres humanos para que sua eficácia seja atestada.

9. Combate a obesidade

Alguns poucos estudos sugerem benefícios da curcumina para quem deseja perder peso.

Isso porque a curcumina pode auxiliar na redução da proliferação de células de gordura no organismo. Ao menos é o que diz um estudo publicado em 2013 no periódico científico Biofactors. De acordo com os pesquisadores envolvidos no estudo, as propriedades anti-inflamatórias da curcumina são as responsáveis pela supressão dos processos inflamatórios associados com a obesidade.

10. Redução de sintomas da depressão

Apesar de poucos estudos em humanos, diversas pesquisas sugerem que a cúrcuma pode ser eficaz na redução de sintomas depressivos em animais de laboratório.

De acordo com um artigo científico publicado em 2008 no periódico Growth Factors, os cientistas acreditam que a curcumina afeta a função de neurotransmissores, contribuindo para o equilíbrio deles no cérebro.

Segundo outro estudo de 2014 publicado na revista científica Phytotherapy Research, a curcumina foi tão eficaz quanto o antidepressivo fluoxetina no tratamento da depressão. Tal estudo avaliou 60 voluntários diagnosticados com depressão por um período de 6 semanas.

Outros estudos também comprovaram os benefícios da curcumina no tratamento da depressão. De acordo com estudo publicado no Journal of Affective Disorders que envolveu 56 homens e mulheres em 2014, o uso de curcumina é capaz de reduzir os sintomas da depressão de forma satisfatória quando comparada a um placebo. Outra pesquisa de 2015 publicada no Journal of Clinical Psychopharmacology atestou o mesmo resultado em um estudo que envolveu 108 indivíduos do sexo masculino.

11. Desintoxicação

A curcumina pode ajudar o fígado na desintoxicação do corpo. Diariamente, estamos expostos a toxinas presentes no ar que respiramos ou até mesmo nos alimentos industrializados que comemos. Tais substâncias, quando presentes no corpo humano, podem aumentar o risco de inflamação e, consequentemente, de diversas doenças como o câncer.

12. Controle da diabetes

Em 2009, uma pesquisa publicada no periódico Biochemical and Biophysical Research Communications avaliou a influência dos curcuminoides nos níveis de glicose sanguínea. Foi verificado nesse estudo que a curcumina pode ser 400 vezes mais potente do que a metformina – um antidiabético comumente prescrito para o tratamento da diabetes – na ativação da enzima AMPK, que é considerada o alvo terapêutico para qualquer paciente com diabetes do tipo 2.

A curcumina também parece ser benéfica em casos de complicações de saúde advindas da diabetes. É o caso da neuropatia diabética, uma complicação da diabetes que pode causar sintomas graves e desagradáveis como formigamento, dor, fraqueza muscular e até cegueira.

Uma pesquisa publicada em 2014 no European Journal of Pharmacology conduzida em ratos mostrou que usar a curcumina como suplemento ajuda a reduzir a dor associada à neuropatia diabética. Além disso, uma outra pesquisa publicada no mesmo ano no Journal of Traditional Chinese Medicine sugere que a curcumina protege os rins de animais diabéticos contra danos causados pela neuropatia diabética.

13. Perda de peso

A curcumina pode auxiliar no processo de emagrecimento, principalmente quando administrada em conjunto com a piperina presente na pimenta preta, pois desta forma a curcumina pode ter suas propriedades potencializadas.

Isso acontece porque a pimenta preta contém um alcaloide conhecido como piperina em sua composição que é responsável por melhorar a absorção da curcumina pelo organismo. Um estudo já antigo publicado em 1998 no periódico Planta Medica atestou que combinar a curcumina com piperina pode aumentar a biodisponibilidade da curcumina em 2.000%, o que pode melhorar e muito os efeitos benéficos da curcumina no corpo.

Tal combinação ajuda a aumentar a queima de gordura e prevenir o aumento do peso. Segundo estudo conduzido in vitro publicado em 2013 no periódico científico Biofactors, a curcumina é capaz de ajudar a bloquear o crescimento de células de gordura. Uma outra pesquisa mais recente feita com animais e publicada em 2018 na revista Nutrition & Metabolism mostra que o uso de curcumina e piperina por ratos aumenta a perda de gordura e reduz processos inflamatórios.

Dosagem recomendada

O jeito mais fácil de aproveitar os benefícios da curcumina é através da própria alimentação. Isso porque a cúrcuma pode ser facilmente adicionada no preparo de molhos caseiros, no tempero de carnes e em diversas outras receitas. Dessa forma, é possível adicionar a cúrcuma em receitas de sopas, saladas, vinagrete e até de alguns smoothies.

Também é possível encontrar a curcumina em cápsulas, extratos líquidos e em pó. Muitas vezes, a bromelaína – que é um extrato proteico obtido através do abacaxi – é capaz de aumentar a absorção e os efeitos da curcumina no organismo. Portanto, é bastante comum que a cúrcuma seja encontrada associada com a bromelaína em alguns desses produtos.

No caso da curcumina ingerida na forma de suplementos, é importante consultar um médico antes de iniciar o uso para determinar uma dose segura pois a dosagem exata pode variar de acordo com a condição de saúde a ser tratada.

De acordo com uma publicação de 2017 do periódico Foods, a dose de 500 miligramas de curcumina por dia é adequada para obter seus efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios. Para casos mais específicos, as seguintes dosagens são mais indicadas:

  • Rinite alérgica: 500 miligramas de curcumina por dia por um período de até 2 meses;
  • Depressão: 500 miligramas de curcumina administrados até 2 vezes ao dia;
  • Danos hepáticos que não são causados por abuso de álcool: 70 a 100 miligramas de curcumina por dia durante 2 meses;
  • Prurido: 1,5 gramas de cúrcuma divididas em 3 doses diárias por 2 meses;
  • Colesterol alto: 1,4 gramas de extrato de cúrcuma divididas em 2 doses diárias por 3 meses;
  • Tensão pré-menstrual: 100 miligramas de curcumina 2 vezes ao dia que devem ser administradas 7 dias antes do início do período menstrual por até 3 ciclos menstruais seguidos;
  • Colite ulcerativa: doses que podem variar de 1,1 gramas até 2,0 gramas de curcumina por até 6 meses em conjunto com o tratamento médico;
  • Artrite: 400 a 600 miligramas até 3 vezes por dia de curcumina;
  • Osteoartrite: 0,5 grama até 3 gramas por dia de curcumina;
  • Artrite reumatoide: 500 miligramas de curcumina administradas 2 vezes ao dia.

Dicas e cuidados

Segundo o National Center for Complementary and Integrative Health (NIH), a cúrcuma é segura para a saúde quando usada por via oral ou aplicada na pele em quantidades que não devem ultrapassam 2 gramas por dia. Doses acima disso ou o uso prolongado da substância podem causar efeitos gastrointestinais indesejados.

Alguns dos efeitos mais comuns incluem:

– Desconforto estomacal

A curcumina presente na cúrcuma também pode irritar o trato digestivo quando ingerido em grandes quantidades e causar náusea ou diarreia. Pessoas que participaram de estudos sobre o uso de cúrcuma no tratamento de câncer precisaram interromper o tratamento porque a digestão foi afetada de forma negativa em alguns deles.

Isso pode ser explicado pelo fato de a curcumina estimular o estômago para produzir mais ácido gástrico. Apesar de isso ser bastante benéfico para pessoas que sofrem com problemas digestivos, algumas podem ser afetadas negativamente pelo excesso de ácido no estômago.

– Estímulo a contrações

É possível que você já tenha ouvido falar que alimentos com curry podem estimular ou acelerar o trabalho de parto. Apesar de poucos dados existirem para sustentar essa afirmação, algumas pesquisas como a publicada em 2015 no periódico científico Complementary Therapies in Medicine, a cúrcuma pode aliviar os sintomas da tensão pré-menstrual (TPM).

De qualquer forma, mulheres grávidas devem evitar consumir curcumina por causa do risco de afinamento do sangue, o que pode causar complicações na gestação.

– Afinamento do sangue

Algumas propriedades da curcumina permitem que ela aumente o risco de sangramento. Os pesquisadores ainda não sabem como isso acontece de forma clara, mas é indicado que aqueles que usam medicamentos anticoagulantes como a varfarina, por exemplo, evitem o consumo de grandes quantidades de curcumina.

A cúrcuma, além de dar um sabor único nas suas receitas, pode ser um ótimo aliado para sua saúde. Entretanto, é sempre importante consultar um médico principalmente se você já sofre de algum problema crônico de saúde. Geralmente, quando usada de forma moderada, a curcumina só traz benefícios para o nosso organismo.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Referências Adicionais:

Você já conhecia tantos benefícios da curcumina para a saúde? Pretende passar a consumir mais cúrcuma na dieta? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (6 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

2 comentários em “13 Benefícios da Curcumina – O Que é, Para Que Serve, Dosagem e Dicas”

Deixe um comentário