Benefícios da pimenta – Para que serve, tipos e como usar

Especialista da área:
atualizado em 19/07/2021

Considerada um dos melhores alimentos termogênicos do mundo, a pimenta está presente na alimentação de boa parte dos brasileiros, e traz muitos benefícios à saúde e boa forma.

  Continua Depois da Publicidade  

E, fora seus usos culinários, ela se destaca principalmente por sua capacidade de acelerar o metabolismo e ajudar na a perda de peso.

Mas não é só para isso que serve a pimenta: ela traz vários outros benefícios para a saúde, e pode ser usada por pessoas de quase todas as idades.

Então, vamos agora conhecer com mais detalhes os diferentes tipos de pimenta e seus benefícios para a saúde.

Propriedades da pimenta

O ardor característico do fruto é causado pelo mesmo composto responsável por boa parte dos benefícios da pimenta: a capsaicina.

Mas, além da capsaicina, a pimenta fresca é fonte de potássio, das vitaminas A e C, e de flavonoides, como:

Outros nutrientes da pimenta (Pimenta, jalapeño, in natura) por 100 gramas:

ComponentesValor por 100 g
Calorias27 kcal
Carboidratos6,50 g
Proteína0,91 g
Gorduras0,37 g
Fibra alimentar2,80 g
Pimenta, jalapeño, in natura / Fonte: TACO

Benefícios da pimenta

pimenta malagueta
Pimenta malagueta

Confira com mais detalhes os benefícios da pimenta:

1. Perda de peso

A obesidade já é considerada um problema de saúde pública pela Organização Mundial da Saúde, e sendo assim, diversos estudos estão sendo realizados para tentar tornar o seu tratamento mais fácil e eficaz.

Dessa forma, o estudo de substâncias com potencial anti-obesidade, presentes em alimentos, ganhou bastante importância nos últimos anos. E uma dessas substâncias é a capsaicina, presente nas pimentas.

  Continua Depois da Publicidade  

Um desses estudos foi publicado no periódico Bioscience reports em 2017. Nele os pesquisadores listaram uma série de efeitos dessa substância, que ajudariam na perda de peso. Os principais são:

  • Redução do apetite e aumento da saciedade;
  • Efeitos na microbiota intestinal, que, por sua vez, afeta a absorção de gorduras, carboidratos e outros nutrientes;
  • Induz a “conversão” da gordura branca na gordura marrom, que é um tipo de gordura que atua na proteção contra a obesidade e problemas metabólicos;
  • Redução da produção de tecido adiposo.

Entretanto, o efeito na redução do apetite foi notado naquelas pessoas que não tinham por hábito consumir pimenta. Já naqueles já habituados ao seu consumo, os resultados não foram os mesmos.

Por esse motivo, talvez seja interessante alternar o consumo da pimenta com outros termogênicos naturais e outros alimentos que diminuem o apetite.

2. Ação antioxidante

Os antioxidantes da pimenta auxiliam na prevenção dos efeitos causados pelo acúmulo de radicais livres no corpo.

E, como alguns tipos de câncer tem como causa o dano que os radicais livres provocam no DNA das células, o consumo de antioxidantes pode ajudar na sua prevenção.

Em uma recente pesquisa, pesquisadores mostraram que pessoas que comem comidas apimentadas regularmente vivem mais.

3. Ajuda a prevenir algumas doenças cardiovasculares

Os antioxidantes presentes nos diferentes tipos de pimenta ajudam a evitar a formação das chamadas placas de ateroma, que são acúmulos de gordura na parede das artérias. Assim, as pimentas podem auxiliar na manutenção da saúde cardiovascular.

4. Tem ação anti-inflamatória

Os compostos com ação antioxidantes presentes na pimenta agem na regulação e no controle do sistema imunológico. Dessa maneira, eles diminuem a chance de desenvolvimento de problemas inflamatórios e autoimunes.

  Continua Depois da Publicidade  

5. Tem efeito analgésico

Esse também é um efeito causado pela capsaicina, que se liga aos receptores da dor e melhora quadro de dores leves.

Mas a pimenta não deve ser usada para tratar dores estomacais, uma vez que ela pode piorar problemas como gastrite e úlcera.

6. É rica em vitaminas e minerais essenciais

A pimenta fresca contém uma série de vitaminas e minerais indispensáveis para a saúde, como:

  • Vitamina C: o alto teor de vitamina C da pimenta torna o fruto um grande amigo do sistema imune e da saúde da pele, já que promove a formação do colágeno, tecido de sustentação e responsável pela elasticidade da pele.
  • Vitamina B6: assim como outras vitaminas do complexo B, a piridoxina atua no metabolismo energético e participada da produção de serotonina, conhecido como o hormônio do bom humor;
  • Vitamina K: indispensável para o processo de coagulação e para a saúde dos ossos.
  • Cobre: necessário para o corpo apenas em pequenas quantidades, o mineral promove a saúde óssea e do sistema nervoso.
  • Potássio: desempenha uma série de funções no corpo, entre elas o balanço e distribuição de água, controle da pressão arterial e do relaxamento muscular.

A pimenta é também fonte de inúmeros compostos bioativos, como a capsantina, luteína, violaxantina, ácido ferúlico e ácido sinapínico, responsáveis por benefícios adicionais à saúde.

7. Melhora a liberação de insulina

Um estudo publicado no periódico Journal of agricultural and food chemistry em 2017 mostra que a capsaicina ajuda a aumentar a produção de insulina e reduzir a glicemia, o que é ótimo para quem tem diabetes.

Mas os estudos sobre esse assunto ainda estão em fases iniciais, e pesquisas maiores ainda são necessárias para avaliar melhor o impacto do uso da pimenta na glicemia em humanos.

Principais tipos de pimenta

Nativa das Américas, a pimenta ganhou o mundo após ser descoberta por Cristóvão Colombo, sendo hoje encontrada na forma de dezenas de espécies diferentes. Então confira algumas das variedades mais conhecidas:

  • Jalapeño: Bastante popular no México e em algumas regiões dos Estados Unidos, a pimenta jalapeño pode ser consumida fresca, em molhos ou desidratada, tendo um grau de ardência moderado.
Pimenta jalapeño
Pimenta jalapeño

Saiba mais: Benefícios da pimenta jalapeño – Como plantar, curtir e preparar

  • Dedo de moça: Também conhecida como pimenta vermelha, a dedo de moça é um pouco mais suave que a pimenta malagueta, mas certamente mais ardida que a jalapeño. Saborosa, pode ser utilizada na forma liquida, fresca, desidratada ou em conserva.
dedo de moça
Pimenta dedo de moça
  • Malagueta: Ainda mais picante que a pimenta dedo de moça, a malagueta é bastante utilizada na culinária do nordeste do país, em pratos como o acarajé e a feijoada.
pimenta malagueta
Pimenta malagueta

Saiba mais: Benefícios da pimenta malagueta – Como plantar, curtir e preparar

  • Chili: Originária do México, a pimenta chili é extremamente picante e pode ser encontrada nas cores vermelho, amarelo, verde ou laranja.
chili pimenta
Pimenta chili
  • Pimenta de Cheiro: Com teor de ardência variado, a pimenta do cheiro é bastante aromática e pode ser utilizada em saladas, peixes e carnes em geral.
Pimenta Cheiro
Pimenta de cheiro

Veja também os detalhes destas outras pimentas muito comuns:

Dicas e cuidados

Para algumas pessoas, o consumo excessivo de pimenta pode causar irritação gástrica, levando até mesmo a uma piora de problemas como a gastrite. Portanto, se você é uma delas, evite acrescentar pimenta às suas receitas.

Evite usar molhos prontos industrializados, que além de conter uma série de aditivos químicos, ainda possuem uma baixa concentração dos compostos ativos da pimenta.

E por último, lembre-se de que a pimenta não emagrece, sendo apenas uma catalisadora do processo de perda de peso.

Ou seja, combine a pimenta com mudanças nos hábitos alimentares, para assim emagrecer sem correr o risco de engordar novamente e sofrer com o indesejado efeito sanfona.

Veja no vídeo abaixo dicas para emagrecer com a pimenta.

E aí, se animou para incluir mais a pimenta na sua dieta?

Fontes e Referências adicionais

Você já sabia de todos esses benefícios da pimenta para a saúde? É um consumidor assíduo de pimentas? Quais são seus tipos preferidos? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (23 votos, média 4,78)
Loading...
Sobre Marcela Gottschald

Marcela Gottschald é Farmacêutica Clinica - CRF-BA 8022. Graduada em farmácia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) em 2013. Residência em Saúde mental pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Experiência em pediatria e nefrologia, com ênfase em unidade de terapia intensiva. Ela faz parte da equipe de redatores do MundoBoaForma.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário

11 comentários em “Benefícios da pimenta – Para que serve, tipos e como usar”

  1. Eu consumo bastante pimenta nas refeições e gosto das nucleares, Carolina Reaper, Trinidad Scorpions, Bhut Jolokia, dentre outras.
    Ouvi recentemente que as pimentas podem afetar os rins, fiquei preocupado, mas não achei nenhuma comprovação científica…
    Se alguém souber de alguma coisa, gostaria de receber informações.

    Responder
  2. Há aproximadamente 40 anos que sou apaixonado por pimenta, quanto mais picante melhor (Trinidad Scorpion/ Malagueta/Cumari), tenho hoje 79 anos, trabalho, estudo, exerço atividades como se hoje eu estivesse com 48 anos. viva a pimenta…….

    Responder
  3. SOU HIPERTENSO E CONSUMIDOR DE PIMENTA, APÓS A SUBSTITUIÇÃO DO MEDICAMENTO PRA PRESSÃO PELO MEU MEDICO. SENTIR UMA ACELERAÇÃO DOS BATIMENTOS CARDÍACOS.

    Responder
  4. sou consumidor de pimenta desde criança na minha família e tradição comer pimenta ! achei interessante saber que ela previne contra câncer e também fiquei muito contente ao que ela tem vários benefícios pra saúde! na minha família não tenho conhecimento de casos de óbitos por câncer ou coração ,Obrigado pelas informações abraços;

    Responder
  5. GOSTO MUITO DE PIMENTA, AGORA SABENDO QUE A MESMA É MUITO BOA PARA A SAÚDE JAMAIS POÇO PARAR DE CONSUMIR.

    Responder
  6. Gosto de pimentas, mas por ter problemas com gastrite deixei de usá-las, até descobri a pimenta calabreza em flocos e tudo se resolveu, claro que uso sem exagero. Recomendo!

    Responder
    • Adoro pimenta como todos os dias,principalmente as nucleares. Como in natura,molhos, conservas,fritas e batidas no liquidificador.Como até com pão. Cultivo em casa várias espécies. Parabéns pela matéria, ótimas informações.

      Responder