Publicidade

 

Vitamina E

21 Alimentos Ricos em Vitamina E

Veremos a seguir porque a vitamina E é tão importante para o corpo, quanto precisamos por dia dela e uma lista com alimentos ricos em vitamina E.

Publicidade

A vitamina E é um nutriente que possui ação antioxidante. Ou seja, ela protege as células do organismo contra as ações dos radicais livres, moléculas que podem danificar as células, órgãos e tecidos e trazer problemas sérios de saúde como câncer e doenças cardiovasculares.

A substância também é importante para a fertilidade e para o sistema imunológico, tendo em vista que o mantém forte e apto para combater vírus e bactérias. Ela ainda ajuda o corpo a utilizar a vitamina K, promove o alargamento dos vasos sanguíneos, evitando, assim, a formação de coágulos de sangue, e faz parte do processo de formação dos glóbulos vermelhos.

Além disso, a vitamina é útil na comunicação entre as células, visto que é utilizada como instrumento de interação entre elas.

A deficiência de vitamina E pode causar problemas como a anemia hemolítica – condição em que os glóbulos vermelhos não são repostos e sua quantidade disponível é insuficiente para o organismo. A falta do nutriente também traz complicações como a perda de equilíbrio e de reflexos, dificuldades para engravidar e infertilidade.

Qual a quantidade de vitamina E eu devo consumir por dia?

Isso pode variar de acordo com a sua idade e sexo, conforme informa a lista abaixo:

  • Crianças de 0 a 6 meses: 4 mg;
  • Crianças de 7 a 12 meses: 5 mg;
  • Crianças de 1 a 3 anos: 6 mg;
  • Crianças de 4 a 8 anos: 7 mg;
  • Crianças de 9 a 13 anos: 11 mg;
  • A partir de 14 anos: 15 mg para mulheres, homens e mulheres grávidas e 19 mg para mulheres que estejam amamentando.

Alimentos ricos em vitamina E

Agora que você já sabe porque é importante consumir alimentos ricos em vitamina E para fornecer o nutriente ao seu organismo e descobriu a quantia que deve ingerir diariamente, chegou a hora de conhecer quais as comidas que servem de fonte da substância. Confira na lista a seguir:

Publicidade

1 – Óleo de gérmen de trigo

Uma colher de sopa de óleo de gérmen de trigo contém 20,3 mg de vitamina E.

2 – Óleo de girassol

Já uma porção equivalente a uma colher de sopa de óleo de girassol possui 5,6 mg do nutriente.

3 – Manteiga de amendoim

Duas colheres de sopa de manteiga de amendoim trazem consigo 2,9 mg da substância.

4 – Óleo de milho

Uma colher de sopa deste tipo de óleo contém 1,9 mg do nutriente.

5 – Espinafre

O espinafre é outro dos alimentos ricos em vitamina E: são 1,9 mg encontrados a cada porção equivalente a meia xícara do vegetal cozido. Já a xícara inteira com espinafre cru contém 0,6 mg do elemento.

Publicidade

6 – Brócolis

Meia xícara de brócolis fatiada e cozido fornece 1,2 mg do composto.

7 – Óleo de soja

Outro óleo que aparece na lista dos alimentos ricos em vitamina E é o óleo de soja com seus 1,1 mg do nutriente encontrados a cada colher de sopa.

8 – Kiwi

Uma unidade de tamanho médio de kiwi também contém 1,1 mg da substância.

9 – Mango

Meia xícara de manga fatiada oferece 0,7 mg de vitamina E.

10 – Tomate

Um tomate cru, de tamanho médio, vem com 0,7 mg do nutriente.

11 – Molho de tomate

Sabe esses molhos de tomate do tipo enlatado? Então, eles geralmente apresentam 3,4 mg da substância a cada porção equivalente a uma xícara.

12 – Abacate

Por sua vez, o abacate do tipo Califórnia fornece 2,7 mg de vitamina E a cada unidade.

13 – Aspargo

Meia xícara do aspargo que é vendido em lata apresenta 1,5 mg do nutriente.

14 – Sementes de girassol

100 g de sementes de girassol torradas a seco são compostas por aproximadamente 26,5 mg de vitamina E.

15 – Óleo de cártamo

O óleo extraído da planta cártamo contém 4,6 mg da substância a cada porção correspondente a uma colher de sopa.

16 – Avelãs

100 g de avelãs torradas a seco trazem consigo em torno de 15,3 mg do nutriente.

17 – Amendoim

Já 100 g de amendoim torrado a seco contêm cerca de 7,8 mg de vitamina E.

18 – Óleo de oliva

Uma colher de sopa de óleo de oliva fornece 1,9 mg da substância.

19 – Nozes-pecã

100 g de nozes-pecã são compostos por 1,4 mg do nutriente.

20 – Damasco seco

A versão seca do damasco vem com 2,8 mg de vitamina E a cada porção equivalente a ½ xícara da fruta cortada pela metade.

21 – Amora

Uma xícara recheada de amoras cruas oferece 0,8 mg de vitamina E ao organismo.

Excesso de vitamina E

Ingerir altas doses de vitamina E, principalmente proveniente de suplementos alimentares pode trazer problemas à saúde. Prova disso foi uma pesquisa realizada por pesquisadores da Cleveland Clinic, um centro médico e acadêmico dos Estados Unidos, que identificou que a substância pode estar por trás de um aumento de até 20% das chances de desenvolver câncer de próstata.

E enquanto ingerir o nutriente por meio da alimentação normal é visto como algo saudável, exagerar em seu consumo por meio de medicamentos ainda pode trazer outras complicações como sangramento no cérebro e do desenvolvimento de problemas em recém-nascidos.

Como manter os nutrientes dos alimentos ao cozinhar

Para aproveitar bem a vitamina E, assim como os outros nutrientes disponíveis nos alimentos que você consome, é importante prestar atenção ao modo como elas são preparadas, pois isso pode fazer com que esses nutrientes se percam.

E as táticas para evitar que isso aconteça são: cozinhar no vapor, não fatiar muito, cozinhar com a casca, não cozinhar por muito tempo, utilizar pouca água, preparar tudo no fogo alto, não armazenar os alimentos por muito tempo na geladeira e reutilizar a água usada no cozimento para preparar outro alimento, pois essa água pode reter nutrientes, que em vez de serem perdidos, serão reaproveitadas em outro prato.

Referências:

Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)

Publicidade

  1. http://nutritiondata.self.com/
  2. Monsen, Elaine R. “Dietary reference intakes for the antioxidant nutrients: vitamin C, vitamin E, selenium, and carotenoids.” Journal of the American Dietetic Association 100.6 (2000): 637-640.
  3. Brigelius-Flohe, Regina, and Maret G. Traber. “Vitamin E: function and metabolism.” The FASEB Journal 13.10 (1999): 1145-1155.
  4. Reboul, Emmanuelle, et al. “Bioaccessibility of carotenoids and vitamin E from their main dietary sources.” Journal of Agricultural and Food Chemistry 54.23 (2006): 8749-8755.
  5. Herrera, E., and C. Barbas. “Vitamin E: action, metabolism and perspectives.” Journal of physiology and biochemistry 57.1 (2001): 43-56.

Que alimentos ricos em vitamina E estão mais presentes em sua dieta? Você acredita que precisa aumentar a ingestão destes acima? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...


RECOMENDADOS PARA VOCÊ

Publicidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*

×